7 fisiologia respiratória

7 fisiologia respiratória

SUPERIOR

  • SUPERIOR

    • Nariz
    • Faringe
    • Estruturas associadas
  • INFERIOR

    • Laringe
    • Traquéia
    • Brônquios
    • pulmões

Filtrar pêlos

  • Filtrar pêlos

  • Aquecer

  • Umedecer o ar

  • Detectar estímulos olfatórios

  • Modificar as vibrações do som da fala

Garganta

  • Garganta

  • Músculo esquelético

  • Passagem de ar e alimento

  • Câmara de ressonância para os sons da fala

  • Aloja as tonsilas

Tubo curto de cartilagem

  • Tubo curto de cartilagem

  • Conecta a faringe com a traquéia

  • Cartilagem tireóidea(pomo de Adão)

  • Epiglote- fecha a laringe durante a deglutição

  • Cartilagem cricóidea que se fixa às pregas vocais

Órgão tubular condutor de ar

  • Órgão tubular condutor de ar

  • Anterior ao esôfago

  • Sustentada por cartilagem

  • Muco e partículas em direção à faringe

Divisão da traquéia em esquerda e direita

  • Divisão da traquéia em esquerda e direita

  • Nos pulmões se dividem em brônquios lobares que se ramificam em

    • Segmentares e respiratórios
  • Estes se ramificam em bronquíolos terminais e ao apresentarem alvéolos são chamados de bronquíolos respiratórios

  • Árvore brônquica

Órgãos esponjosos, forma de cone, situados na cavidade torácica

  • Órgãos esponjosos, forma de cone, situados na cavidade torácica

    • Envolvido pela pleura(dupla camada)
      • Parietal externa e visceral interna
    • Cavidade pleural com líquido lubrificante

Projeção em forma de cálice de um sáculo alveolar

  • Projeção em forma de cálice de um sáculo alveolar

  • Suas paredes são delgadas

  • Local de troca gasosa

  • Contém células secretoras de surfactante- evita colabamento dos alvéolos

  • Macrófagos alveolares- remoção de poeiras e detritos

  • Arteríolas e vênulas pulmonares formam redes ao seu redor

Manter a constância do meio interno, fornecimento de oxigênio aos tecidos e remoção do dióxido de carbono.

  • Manter a constância do meio interno, fornecimento de oxigênio aos tecidos e remoção do dióxido de carbono.

  • Funções Secundárias:

  • 1. Auxílio à manutenção do equilíbrio ácido-básico;

  • 2. Defesa do corpo contra partículas inaladas (bactérias e pólens);

  • 3. Atuação como filtro para impedir a entrada de coágulo na circulação sistêmica;

  • INTERAÇÃO ENTRE FUNÇÕES RESPIRATÓRIAS E

  • NÃO-RESPIRATÓRIAS:

  • Vocalização, deglutição, regulação térmica, vômito, micção, defecação, parto,sono e emoções.

ETAPAS:

  • ETAPAS:

    • Ventilação pulmonar
    • Respiração externa
    • Respiração interna

a ventilação pulmonar, que é a renovação cíclica do gás alveolar pelo ar atmosférico;

  • a ventilação pulmonar, que é a renovação cíclica do gás alveolar pelo ar atmosférico;

  • a difusão do oxigênio (O2) e do dióxido de carbono (CO2) entre os alvéolos e o sangue;

  • o transporte, no sangue e nos líquidos corporais, do O2 (dos pulmões para as células) e do CO2 (das células para os pulmões);

  • a regulação da ventilação e de outros aspectos da respiração.

Ou ventilação- fluxo de ar entre a atmosfera e os pulmões ocorre devido a diferenças na pressão do ar.

  • Ou ventilação- fluxo de ar entre a atmosfera e os pulmões ocorre devido a diferenças na pressão do ar.

  • Inspiração:

    • P dentro dos pulmões < P atm
  • Expiração:

    • P dentro dos pulmões > P atm
  • Essas mudanças de pressão são provocadas pelas mudanças nos músculos da respiração

  • Os pulmões podem ser expandidos e contraídos por dois mecanismos:

  • Pelo movimento de subida e descida do diafragma, que alarga ou encurta a cavidade torácica;

  • Pela elevação e abaixamento das costelas para aumentar e diminuir o diâmetro anteroposterior da cavidade torácica.

Diafragma- contrai

  • Diafragma- contrai

  • Intercostal externo-”puxa” as costelas, aumentando o diâmetro da caixa torácica

  • Aumenta o volume de ar

  • Cai a pressão e fica menor que a Patm (menor que 750mmHg

  • Volume corrente- diafragma desce 1cm- 500ml de ar

  • Inspiração profunda: esternocleidomatóideos, escalenos e peitorais (3100ml): diafragma desce 10 cm

Processo natural passivo, intercostais internos e diafragma relaxam.

  • Processo natural passivo, intercostais internos e diafragma relaxam.

  • P pulmão > Patm

  • Expiração forçada:

  • Processo ativo- intercostais internos, oblíquo externo e interno, transverso e reto do abdome contraem forçando o diafragma p cima.

Troca gasosa sistêmica

  • Troca gasosa sistêmica

  • Oxigenado e desoxigenado

  • Diferença de pressão entre capilar e tecidos

Em repouso cerca de 200ml de O² são usados, a cada minuto, pelas células do corpo

  • Em repouso cerca de 200ml de O² são usados, a cada minuto, pelas células do corpo

  • Durante exercício aeróbico vigoroso aumenta o uso de O² de 15 a 20x e até 30x em atletas

  • Mecanismos que envolvem o Sistema Nervoso Central

  • Mecanismos que envolvem o controle dos quimioceptores periféricos

  • O ritmo básico controlado por neurônios

  • no tronco encefálico(bulbo e ponte)

  • centro respiratório

Área bulbar de ritmicidade

  • Área bulbar de ritmicidade

    • Área inspiratória
    • Área expiratória
  • Neurônios na ponte

    • Desligam a área inspiratória
      • Encurtando a duração
      • Aumentando a freqüência
    • Ativam a área inspiratória
      • Inspiração longa e profunda

Febre, exercício muscular rigoroso aumenta a temperatura corporal que aumenta freqüência respiratória

  • Febre, exercício muscular rigoroso aumenta a temperatura corporal que aumenta freqüência respiratória

  • Estímulo frio súbito causa apnéia

  • Proprioceptores

  • Dores -apnéia

Inflamação da laringe, mais freqüentemente causada por infecção respiratória, agentes irritantes ou grito ou tosse excessivos

  • Inflamação da laringe, mais freqüentemente causada por infecção respiratória, agentes irritantes ou grito ou tosse excessivos

  • Impede a contração das pregas ou produz tumefação e elas não conseguem vibrar

Incisão na cartilagem cricóidea e introdução de tubo na traquéia

  • Incisão na cartilagem cricóidea e introdução de tubo na traquéia

  • Obstrução

  • Esmagamento

  • muco

A pressão na cavidade pleural eleva-se até igualar a Patm e o pulmão colapsa

  • A pressão na cavidade pleural eleva-se até igualar a Patm e o pulmão colapsa

  • Presença de ar na cavidade pleural

Inspiração prolongada e profunda seguida por uma forte expiração repentina de um jato de ar através das vias respiratórias superiores

  • Inspiração prolongada e profunda seguida por uma forte expiração repentina de um jato de ar através das vias respiratórias superiores

  • Estímulo pode ser um corpo estranho alojado na laringe, traquéia ou epiglote

Inspiração profunda através da boca amplamente aberta, produzindo uma depressão exagerada na mandíbula

  • Inspiração profunda através da boca amplamente aberta, produzindo uma depressão exagerada na mandíbula

  • Sonolência

  • Fadiga

  • Bocejo de alguém

  • Forma de ativar o cérebro e evitar o sono

Contrações espasmódicas do diafragma, seguida pelo fechamento espasmódico da laringe que produz um som agudo na inspiração.

  • Contrações espasmódicas do diafragma, seguida pelo fechamento espasmódico da laringe que produz um som agudo na inspiração.

  • Estímulo pela irritação das terminações nervosas sensitivas do TGI

  • Indigestão, ingestão muito rápida, com muito ar

  • Susto X adrenalina

Sessenta e oito anos. Foi este o tempo mais longo que alguém soluçou, segundo o Guiness Book.

  • Sessenta e oito anos. Foi este o tempo mais longo que alguém soluçou, segundo o Guiness Book.

  • O americano Charles Osborne estava caçando sapos quando sua crise começou, em 1922.

  • Ele casou duas vezes e teve oito filhos ates de finalmente voltar a respirar normalmente, em 1990.

Comentários