Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia Humana

(Parte 5 de 9)

Brônquios Lobares

São tubos aéreos que apresentam as mesmas características morfológicas que os brônquios principais tendo como função ventilar os lobos pulmonares. O pulmão direito possui três lobos e conseqüentemente três brônquios lobares, o superior, o médio e o inferior, já o

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.g12.br20

Enfermagem pulmão esquerdo possui apenas dois lobos que são ventilados por dois brônquios lobares, o superior e o inferior.

Brônquios Segmentares

São tubos aéreos que surgem da ramificação dos brônquios lobares e vão ventilar os segmentos broncopulmonares. São nomeados de acordo com o respectivo segmento broncopulmonar em que atuam.

Bronquíolos

São tubos aéreos que gradualmente apresentam um calibre menor. Bronquíolos Terminais

Os bronquíolos se ramificam repetidamente em tubos ainda menores chamados de bronquíolos terminais. É neste tubo aéreo que termina a chamada zona condutora do sistema respiratório.

Bronquíolos Respiratórios

São tubos aéreos que já apresentam nas suas paredes a presença de alvéolos, portanto, já ocorrem a esta altura as trocas gasosas (hematose).

Ductos Alveolares

Os bronquíolos respiratórios por sua vez, se subdividem em diversos ductos alveolares. Da traquéia ate chegar aos ductos alveolares, o ar passa por cerca de vinte e cinco divisões.

Alvéolos

Em torno da circunferência dos ductos alveolares encontram-se numerosos alvéolos e sacos alveolares. O alvéolo é uma evaginação caliciforme revestida por epitélio escamoso simples e sustentada por uma fina membrana basilar elástica; sacos alveolares são dois ou mais alvéolos que compartilham uma abertura comum.

Pulmões

São órgãos pares, em forma de cone, localizados na cavidade torácica. O pulmão direito é mais curto que o esquerdo em razão da elevação da cúpula diafragmática direita, o que ocorre pela presença do fígado. Em compensação, é mais largo que o esquerdo, porque o coração se desloca para a esquerda.

Regiões

O pulmão apresenta um ápice que pode ser palpado acima do terço médio da clavícula, pois ultrapassa a abertura superior do tórax e uma base que fica apoiada sobre o m. diafragma e, portanto, é côncavo.

Lobos e Fissuras

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.g12.br21

Enfermagem

Cada pulmão é dividido em lobos por uma ou mais fissuras. O pulmão direito é dividido em três lobos por duas fissuras, obliqua e horizontal. O lobo superior é dividido do lobo médio pela fissura horizontal e do lobo inferior pela fissura obliqua. Por sua vez, o pulmão esquerdo apresenta, apenas dois lobos, o superior e o inferior, separados pela fissura obliqua. A borda anterior do pulmão esquerdo é protusa, formando um prolongamento que é chamado de língula, correspondendo ao lobo médio do pulmão direito.

Segmentos Broncopulmonares

Podem ser considerados como unidade clínica e cirúrgica do pulmão, pois se um segmento colaba por doença ou é removido cirurgicamente o restante do pulmão se distende para ocupar o espaço deixado.

Mediastino

O espaço entre os dois pulmões envolvidos pela pleura é chamado de mediastino. Pleura e Cavidade Pleural

Na cavidade torácica os pulmões estão envolvidos por um saco seroso de dupla parede chamado pleura, que apresenta dois folheto em continuidade: a pleura parietal e a pleura pulmonar.

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.g12.br2

Enfermagem

Aula 09 – Sistema Digestório

Conceito:

A célula se mantém viva graças ao constante recebimento, através do sangue, de oxigênio e de um grande aporte nutricional. Estes nutrientes provêm do processo de digestão dos alimentos, que sofrem modificações químicas para que sejam absorvidos e assimilados Os órgãos que, no conjunto, compreendem o sistema digestório são especialmente adaptados para que estas exigências sejam cumpridas. Na verdade, existem várias ações conjuntas que possibilitam a chegada dos nutrientes à corrente sanguínea, bem como, a eliminação dos resíduos finais. Estas ações compreendem: a ingestão, a preensão, a mastigação, a deglutição, a peristalse, a digestão química, a absorção dos nutrientes, sais minerais e líquidos e ainda a expulsão dos resíduos, eliminados sob a forma de fezes.

Divisão do Sistema Digestório:

O sistema digestório é formado por um canal alimentar aberto nas suas duas extremidades (boca e ânus), e estruturas anexas. Este canal apresenta dilatações e estreitamentos, porém, nenhuma interrupção, sendo composto por órgãos situados na cabeça, pescoço, tórax, abdome e pelve. O canal alimentar inicia-se na cavidade bucal, continuando-se na faringe, esôfago, estomago, intestinos (delgado e grosso), para terminar no reto, que se abre no meio externo através do ânus. Entre os anexos incluem-se as os dentes, a língua, glândulas salivares, o fígado, a vesícula biliar e o pâncreas.

Boca e Cavidade Bucal:

A boca é a abertura inicial do canal alimentar, limitada pelos lábios superior e inferior que quando se aproximam promovem o aparecimento da rima bucal A partir do momento em que o alimento ultrapassa a boca adentra uma região chamada de cavidade bucal. A cavidade bucal esta limitada, anteriormente pelos lábios superior e inferior, lateralmente pelas bochechas, superiormente pelo palato, inferiormente por músculos que constituem o soalho da boca e posteriormente pelo istmo da garganta. Nesta cavidade fazem saliências as gengivas, os dentes e a língua.

Divisão da Cavidade Bucal:

A cavidade bucal é dividida em duas porções, sendo os limites superior e inferior comum as duas regiões:

Vestíbulo da boca – é o espaço situado entre os lábios, bochechas, dentes e gengivas.

Cavidade própria da boca – é o espaço delimitado anteriormente pelos dentes e gengivas, lateralmente pelas bochechas e posteriormente pelo istmo da garganta.

ESSA – Escola da Saúde | Rua dos Jequitibás, 101 | Metrô Jabaquara| 5012-1020 | w.essa.g12.br23

Enfermagem

Palato:

O teto da cavidade bucal e constituído pelo palato duro que é anterior e ósseo e pelo palato mole, posterior e muscular. O palato é o limite entre a cavidade nasal da cavidade bucal. A porção do palato mole apresenta uma projeção mediana chamada de úvula palatina.

Lateralmente existem duas pregas anteriores denominadas arcos palatoglossos e ainda duas pregas posteriores chamadas de arcos palatofaríngeos originadas por músculos que recebem os mesmos nomes dos arcos. Entre os arcos há um espaço, a fossa tonsilar, ocupado pela tonsila palatina, importante órgão linfóide. Portanto, o istmo da garganta é delimitado lateralmente pelos arcos palatoglossos, inferiormente pela língua, é superiormente pela úvula palatina.

Língua:

É um órgão muscular importante na preensão do alimento quando da mastigação e no processo da deglutição, atuando também como órgão gustativo e na articulação da palavra. A língua apresenta duas regiões anatômicas distintas, delimitadas pelo sulco terminal. A porção anterior ao sulco é chamada de corpo da língua sendo sua região superficial denominada de dorso, já a região situada posteriormente ao sulco é chamada de raiz. No dorso da língua é possível identificar um série de projeções, as papilas linguais, que são morfologicamente

papilas chamadas de foliáceas, fungiformes e filiformesAlgumas delas apresentam

diferentes; as maiores, facilmente identificáveis, dispõem-se junto ao sulco terminal e são denominadas papilas circunvaladas. Ao longo do dorso da língua distribuem-se também as receptores gustativos que possibilitam o reconhecimento dos diversos sabores. O frênulo da língua é uma prega da mucosa que limita sua projeção anterior fixando-a ao soalho da boca

Dentes: Auxiliam no processo de digestão triturando o alimento.

Glândulas Salivares:

São as primeiras glândulas anexas que atuam no canal alimentar, produzindo e secretando a saliva, que digere o amido ainda na cavidade da boca e umidece o bolo alimentar facilitando a deglutição. Apesar de numerosas, só estudaremos as que se localizam fora do canal alimentar e utilizam ductos para liberação da secreção no seu interior . Compreendem três pares de glândulas: parótidas, submandibulares e sublinguais.

Glândulas parótidas – Localizadas lateralmente na face e anterior ao lóbulo inferior da orelha externa. O ducto parotideo abre-se no vestíbulo da boca, ao nível do segundo molar superior. A infecção da glândula parótida (parotidite) é conhecida popularmente por caxumba.

Glândulas submandibulares – Localizam-se no terço lateral do corpo da mandíbula próximo ao ângulo. O ducto submandibular desemboca no soalho da boca, lateralmente ao frênulo da língua.

(Parte 5 de 9)

Comentários