estudo de caso sobre anemia ferropriva gestacional

estudo de caso sobre anemia ferropriva gestacional

(Parte 1 de 2)

  1. INTRODUÇÃO:

Estudo de caso elaborado como requisito da disciplina de Enfermagem Clinica II, ministrada pela docente da Universidade da Região da Campanha,----.

Trata-se de uma revisão literária da patologia, a qual teve como base a sistematização da assistência de enfermagem aplicada em uma paciente obstétrica, internada na Santa Casa de Caridade de Bagé, a qual esta acometida por anemia grave, tendo iniciado as consultas de pré natal com aproximadamente vinte semanas e não tendo feito uso de sulfato ferroso profilático.

Foi abordada a patologia, a terapêutica empregada, diagnósticos e prescrições de enfermagem, tendo como objetivo, fazer um comparativo entre as condutas adotadas e ás descritas na literatura.

2. HISTÓRICO DE ENFERMAGEM.

2.1 Dados do (a) paciente:

a) Iniciais: M.M.R;

b) Idade: 29 anos;

c) Cor: Branca;

d) Estado civil: Casada;

e) Religião: Católica;

f) Profissão: Serviços gerais;

g) Naturalidade: Bagé;

h) Escolaridade: Ensino médio completo;

i) Unidade: Maternidade Nossa Senhora Auxiliadora;

j) Quarto / Leito: 2 A

k) Procedência: Bloco obstétrico;

l) Data de Admissão: 08/11/2010;

m) Diagnóstico Médico: Anemia ferropriva;

2.2 Anamnese:

Paciente gestante, em tratamento clinico obstétrico, com idade gestacional de aproximadamente vinte e oito semanas.

Referiu estar apresentando fadiga, êmese e tremores esparsos.

Relatou estar preocupada com seus filhos e com o fato de ter de repor a bolsa de sangue que utilizou para prosseguir com sua hemoterapia.

A cliente demonstrou possuir conhecimento com relação a terapêutica proposta pelo médico assistente, relatando ainda, que anteriormente já havia sido acometida pela mesma patologia, no entanto não houve necessidade de internação hospitalar.

Relatou não possuir problemas relacionados ao sono e repouso na instituição, porém em sua casa sim.

Com relação a alimentação, a paciente relatou estar inapetente. Foi exposto para a mesma alguns alimentos essenciais para a sua recuperação e para manter a saúde de seu bebê, assim como o motivo o qual a esta levando a perder o apetite, ou seja, a anemia.

A hidratação abaixo dos parâmetros da normalidade.

As eliminações fisiológicas vesicais presentes e sem alterações, intestinais ausentes a aproximadamente três dias.

A paciente relatou ser católica e não exercer nenhuma atividade recreativa.

Referiu não ter vícios e não fazer uso de medicações de uso controlado.

Afirmou nunca ter tido reações anafiláticas a nenhuma medicação.

2.3 Exame físico (geral e especifico) :

Com relação ao aspecto dos cabelos e da cabeça, a cliente não apresenta anormalidades.

Cavidade ocular, apresentando acuidade visual diminuída, no entanto a paciente relatou não fazer uso de óculos.

Cavidade nasal sem alterações aparentes.

Cavidade oral sem alterações.

Pescoço e garganta mantendo suas estruturas normais.

Cavidade auditiva mantendo sua fisiologia.

Pele e mucosas apresentando palidez.

Manteve sinais vitais dentro da normalidade, como foi demonstrado abaixo:

Pressão Arterial: 100/60;

Freqüência Respiratória: 19 mpm;

Freqüência Cardíaca: 68 bpm;

Temperatura: 36,3°C;

Sistema cardiovascular com a presença de cateter venoso por abocath em membro superior direito e respiratório sem alterações.

Com relação ao sistema gastrointestinal a paciente apresenta êmese moderada.

Sistema geniturinário sem alterações e neuromotor com a presença de reações extra piramidais.

A paciente relatou ter sofrido uma queda em sua casa nas escadas, porém não tinha conhecimento da gestação, sofreu apena escoriações leves.

Apresentou-se ansiosa durante o período.

3. RESULTADOS DOS EXAMES LABORATORIAS COM RELEVÂNCIA CLÍNICA:

ERITRÓCITOS

RESULTADO

VALORES DE REFERÊNCIA

HEMATÓCRITO

3,27

4 - 5,40

VCM

20,1%

37 - 47%

CHCM

61,5%

80 - 100%

RETICULÓCITOS

29,9%

32 - 35%

HEMOGLOBINA

6g/d L

12 - 16 g/d L

RDW

16,5%

11,6 - 14,8%

4. TERAPÊUTICA PRESCRITA:

4.1 Paracetamol:

Analgésico e antitérmico, utilizado na dor e febre. Age no sistema nervoso central e inibe a enzima ciclo-oxigenase (COX) e as prostaglandinas. Deve-se avaliar os risco e benefícios em pacientes anêmicos, com diminuição da função hepática e renal, assim como cardíacos. Pode causar cólicas abdominais, prurido, comprometimento hepático, anemia hemolítica, hipoglicemia, entre outros.17

4.2 Metoclopramida:

Antiemético, utilizado em casos de náuseas, refluxo gastroesofagiano e emêse. Estimula a mobilidade do trato gastrointestinal e antagoniza os receptores centrais e periféricos da dopamina. Pode ocorrer fadiga, sonolência e diarréia com o uso deste fármaco. 17

4.3 Reposição de hemácias;

São os componentes remanescentes, após a remoção do plasma do sangue total. É o método de escolha para tratamento de anemia grave sem hipovolemia, onde a deficiência no transporte de oxigênio esta em primeiro lugar. Por possuir a mesma quantidade de hemácias do sangue total, fornece a mesma capacidade de transporte de oxigênio em um volume menor. Podem ocorrer reações febris, alérgicas, sobrecarga circulatória e taquipneia.1

4.4 Soroterapia;

5. DIAGNÓSTICOS DE ENFERMAGEM.

- Alteração sensorial perceptiva visual relacionada a defeito ocular definida por visão alterada;

- Alteração na nutrição risco para menos do que o corpo necessita relacionada a falta de apetite.

- Risco para déficit no volume de liquidos relacionado a ingestão de liquidos insuficiente;

- Intolerância a atividade relacionada a desequilíbrio entre o suprimento e a demanda de oxigênio definida por fadiga;

- Risco de infecção relacionado a defesa secundária inadequada e presença de dispositivo invasivo.

- Constipação relacionada a gestação e hidratação inadequada definida por freqüência de evacuação diminuída;

- Ansiedade definida por expressão facial tensa e movimentos repetitivos;

- Risco para prejuízo da integridade da pele relacionado a alterações nutricionais e alterações circulatorias;

6. ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM:

(Parte 1 de 2)

Comentários