(Parte 2 de 17)

Habitat / Autecologia

Região bioclimática, solo, exposição, Preferências de sitio (encosta, topo de morro, várzea); Estádio sucessional, grupo ecológico.

Distribuição geográfica

Centro, limites; Ocorrência atual e histórica; refúgios.

Emprego da madeira ou de outros produtos

Características físicas/químicas do lenho; Emprego atual e histórico; Uso industrial, artesanal e potencial.

Silvicultura (cultivo e manejo)

Coleta e armazenamento de sementes; Germinação, quebra de dormência; Produção de mudas; Crescimento e produção; Tratamentos silviculturais; Melhoramento; Uso p/ arborização urbana; Uso p/ recuperação de áreas degradadas; Uso medicinal; Pragas e doenças.

Curso de Engenharia Florestal

Universidade Regional de Blumenau - FURB Prof. Dr. Alexander C. Vibrans 1.2 TAXONOMIA

TERMINOLOGIA E DESCRIÇÃO DENDROLÓGICA (segundo MARCHIORI, 1995; modificado)

ÁRVORE - planta com caule muito lignificado e perene; caule livre e erguido, só ramificando a uma certa altura (forma uma copa); altura > 5 m.

RAÍZES - geralmente subterrâneas: pivotante (axial); fasciculada; tuberosa;

- raízes superficiais: tabulares em Ficus, Enterolobium,

Schizolobium; Sloanea e muitas outras espécies; - raízes respiratórias (pneumatóforos) em Taxodium distichum;

- raízes escoras em Cecropia e Rhizophora mangle;

- raízes adventícias (Ficus elastica).

- grampiformes (em Ficus pumila)
CAULE- haste; tronco (fuste); colmo (oco ou cheio; gramíneas); estipe

(arecáceas);cladódio(caule fotossintetizante); filocládio chatado); sarmento (videira); volúvel (liana).

- reto: Virola bicuhyba; Aspidosperma parvifolium, Liquidambar

TRONCO - fuste reto, tortuoso, inclinado: Styraciflua; - tortuoso: Cabralea canjerana, espécies ripárias: Parapiptadenia rigida, Salix humboldtiana espécies do cerrado: Acacia caven, Schinus molle; - com espinhos: Fabaceae (Caesalpinoideae) (Gleditschia),

Euphorbiaceae (Hura); Salicaceae (Xylosma), Rubiaceae (Randia). Phytolaccaceae (Seguieria); - inclinado: Araucaria columnaris, Cecropia, Euterpe edulis

- com sapopemas: Ficus, Sloanea;

- anomalias: “barrigudas” em Malvaceae: Ceiba pentandra

(Sumaúma) e Ceiba speciosa (Paineira), Adansonia (Baobab), Cavanillesia (Barriguda); - secção transversal geralmente circular;

- irregular, acanalado, lobulado em Vitex (Tarumã) e algumas Myrtaceae (Guaramirins).

CASCA- casca interna: tecido externo ao câmbio vascular (floema ativo e

inativo); - casca externa: tecido externo ao câmbio cortical;

(periderme ± suberosa; epiderme (ritidoma), ± deiscente em placas - textura:

- lisa: Myrtaceae (Eugenia, Myrciaria, Psidium, Eucalyptus)

Lythraceae (Lagerstroemia indica); Fabaceae (Caesalpinia ferrea); - áspera sem fendas: Enterolobium, Schizolobium, Agathis,

Magnolia ovata, Copaifera trapezifolia; - fissuras (na periderme e epiderme):

- próximas e finas: Myrocarpus frondosus (Cabreúva);

- profundas: Cedrela (com placas retangulares), Pinus;

- em forma de Y: Handroanthus, Colubrina glandulosa;

- placas quadradas regulares: Heisteria silvianii (Casca-de-tatu);

Curso de Engenharia Florestal

Universidade Regional de Blumenau - FURB Prof. Dr. Alexander C. Vibrans

- deiscência em placas (epiderme): - placas irregulares: Platanus, Virola, Ocotea catharinensis,

Aspidosperma, E. citriodora, E. maculata; - longitudinais: Annona cacans, Luehea divaricata;

- placas pequenas: Parapiptadenia rigida;

- cicatrizes dos pecíolos das folhas e galhos: Schizolobium parahyba; - cristas lineares: (Piptadenia gonoacantha);

- côr: branca acinzentada (E. camaldulensis), esverdeada (Eugenia,

- sabor: Cinnamomum (Canela), Capsicodendron (picante)

E.deglupta), avermelhada (Myrcianthes); - odor: Lauraceae (Ocotea, Nectandra, Cryptocarya), Fabaceae (cheiro de feijão); Parapiptadenia rigida, Acacia mearnsii (adstringente).

- acúleos: formações epidérmicas sem ligação ao xilema, saem facilmente (Bauhinia forficata, Rosa, Ceiba speciosa, Zanthoxylum, Piptadenia); - espinhos: folhas ou ramos metamorfoseados, ligados ao xilema e floema, firmemente presos (Acacia, Citrus, Caesalpinia echinata, Randia ferox).

EXSUDAÇÕES - Látex branco esparso:

Olacaceae (Heisteria), Anacardiaceae (Mangifera indica);

- Látex branco abundante:

Apocynaceae (Tabernaemontana), Moraceae (Ficus, Brosimum), Euphorbiacaea (Sapium, Pachystroma, Hevea), Sapotaceae (Manilkara); - Látex amarelado: Moraceae (Sorocea bonplamdii);

- Látex vermelho-sanguíneo: Virola bicuhyba, Croton urucurana,

Pterocapus rohrii;

- Latex branco/ amarelado/ claro e pegajoso: Clusiaceae (Calophyllum brasiliense), Burseraceae (Protium kleinii).

- Resina na casca:

Agathis, Araucaria, Protium.

- Resina na madeira:

(Parte 2 de 17)

Comentários