Apostila de Fundamentos

Apostila de Fundamentos

(Parte 1 de 6)

Colégio Dr. Clóvis Bevilácqua Técnico em Patologia Clínica

Profª Georgia Winkler

Colégio Dr. Clóvis Bevilácqua Técnico em Patologia Clínica

Profª Georgia Winkler

•••• O Curso – visa fornecer todos os subsídios e todo o conhecimento necessário para habilitar o aluno na prática técnica da área de Patologia Clínica.

•••• O Profissional – atua como Técnico em Patologia Clínica, ou seja, em Laboratório de Análises

Clínicas, sendo capacitado a exercer atendimento ao público, coleta, manipulação e preparo de amostras, e procedimentos técnicos. Essa é uma atividade profissional de suma importância na área da saúde, a qual requer alto comprometimento ético e responsabilidade do profissional.

•••• O Laboratório – antigamente pouco explorado pelos médicos. Atualmente, amplamente utilizado – detecção de distúrbios orgânicos (doenças), confirmação de diagnóstico clínico, prevenção de doenças ou acompanhamento de terapêutica.

•••• Funções do técnico de patologia clínica: preparo de materiais para coleta de materiais biológicos; coleta desses materiais; manipulação, preparo dos materiais colhidos (triagem e distribuição), preparo de materiais utilizados em técnicas analíticas (insumos e amostras) e realização das técnicas competentes a cada setor laboratorial.

•••• Setores laboratoriais: recepção, coleta de materiais, triagem e distribuição de materiais, setor de lavagem e esterilização de materiais, setores técnicos (Urinálise, Parasitologia, Hematologia, Bioquímica, Citologia, Microbiologia, Sorologia - Imunologia, Virologia, Dosagens Hormonais, e Biologia Molecular), Supervisão de Resultados e Emissão de Laudos.

- Recepção: é realizado o cadastro do paciente, cadastro dos exames requeridos pelo médico e encaminhamento da requisição de exames para o setor de coleta. Freqüentemente o setor de recepção também recebe amostras que eventualmente não foram entregues no dia em que foi feita a requisição (amostra de fezes)

- Coleta de Materiais: é realizada a coleta amostras biológicas como sangue venoso, urina, secreção vaginal, esperma, citologia oncótica (Papanicolaou), amostras micológicas. Também é realizada parte de alguns exames específicos, como coagulograma. No final do atendimento, sempre se realiza a conferência entre o material coletado e a requisição.

- Triagem e Distribuição de materiais: é realizada a conferência do material coletado junto à requisição, os materiais são separados por setor, e aqueles que requerem preparo pré-analíticos são manipulados. Após a conferência, a separação e o preparo pré-analítico, realiza-se a impressão dos mapas de trabalho (contém os dados do paciente e os exames a serem realizados).

- Lavagem e Esterilização de Materiais: executa manobras complementares aos setores técnicos e ao setor de coleta de materiais, através da lavagem de materiais reutilizáveis (como vidraria) e esterilização de materiais de todos os tipos, descartáveis ou não.

- Setores técnicos: é realizado o processamento da amostra, ou seja, as provas e análises técnicas.

Urinálise: estuda o sistema excretor através da análise de urina e de seus componentes. Parasitologia: estuda o aparelho digestivo, seu funcionamento e detecta a presença ou a ausência de parasitasitismo, tudo através das fezes. Hematologia: estuda o sistema sanguíneo, sua morfologia, componentes, seu funcionamento e detecta anomalias celulares ou presença de parasitismo. Bioquímica: executa a qualificação e a quantificação de substâncias presentes em fluídos como sangue, soro, plasma, urina, líquor, suor, saliva através das análises bioquímicas. Citologia: estuda a análise da morfologia celular. Esse tipo de análise geralmente é realizada por profissionais especializados em citologia e patologia. O técnico de patologia é restrito ao preparo dos materiais a serem analisados pelo especialista. Microbiologia: estuda bactérias e fungos, seres causadores de sérias patologias, em diversos tecidos.

Colégio Dr. Clóvis Bevilácqua Técnico em Patologia Clínica

Profª Georgia Winkler

Sorologia: estuda o soro sanguíneo, dosando e detectando seus componentes (Dosagens Hormonais e Imunológicas e - Virologia) Biologia Molecular: estuda, com alto grau de especificidade, sensibilidade e exatidão, vários tecidos corpóreos. É o setor laboratorial que definitivamente certifica a presença ou ausência das propriedades investigadas. Por requerer normas específicas de funcionamento, é um setor que não está presente em todos os tipos de laboratório de análises clínicas.

- Supervisão de Resultados – setor responsável pela averiguação dos resultados obtidos pelos setores técnicos. Geralmente essa averiguação é realizada pelo profissional Biomédico, ou pelo Biólogo ou Farmacêutico especialista em Análises Clínicas.

- Emissão de Laudos – setor responsável pela impressão (emissão) dos laudos dos pacientes. Esses laudos, após serem emitidos, passam pela supervisão do laboratório para serem assinados pelo profissional responsável (Biomédico ou especialista).

Ética Profissional

É um conjunto de regras que regulamentam o exercício profissional. O profissional Técnico em

Patologia Clínica é registrado no Conselho Federal de Farmácia para fins de trabalho junto a órgãos públicos, porém, deve sempre estar atento e seguir as normas em comum a todos os profissionais da saúde. São tarefas principais e primordiais do profissional Técnico em Patologia Clínica: 1- Tratar os pacientes / clientes de forma humana, ou seja, com respeito, ética, paciência e profissionalismo, independente da origem, sexo, cor, idade, posição social ou aparência do paciente / cliente. 2- Executar sua função com a máxima responsabilidade, atenção e cuidados em geral. “Você sempre deve lembrar que de seu trabalho, depende a vida de outra pessoa”. 3- Trata qualquer tipo de amostra com respeito, como se você estiver manipulando o próprio paciente. Afinal, a amostra foi / é parte dele.

Devemos salientar também, que: “O não cumprimento da Ética Profissional pode acarretar penalidades graves que vão desde a sua demissão (ou perda do exercício profissional) até complicações com a Justiça”.

Colégio Dr. Clóvis Bevilácqua Técnico em Patologia Clínica

Profª Georgia Winkler

1- O laboratório é um lugar de trabalho sério. Trabalhe com atenção, método e calma.

2- Prepare-se para realizar cada experiência, lendo antes os conceitos referentes ao experimento e a seguir, leia o roteiro da experiência.

3- Respeite rigorosamente as precauções recomendadas. 4- Consulte seu professor cada vez que notar algo anormal ou imprevisto. 5- Use um avental apropriado. 6- Não fume no laboratório. 7- Faça apenas as experiências indicadas pelo professor. Experiências não autorizadas são proibidas.

8- Se algum ácido ou qualquer outro produto químico for derramado, lave o local imediatamente com bastante água.

9- Não tocar os produtos químicos com as mãos, a menos que seu professor lhe diga que pode fazêlo.

10- Nunca prove uma droga ou solução.

1- Para sentir o odor de uma substância, não coloque seu rosto diretamente sobre o recipiente. Em vez disso, com sua mão, ,traga um pouco de vapor até o nariz.

12- Não deixe vidro quente em lugar que possam pegá-lo inadvertidamente. Deixe qualquer peça de vidro esfriar durante bastante tempo. Lembre-se de que viro quente tem a mesma aparência do vidro frio.

13- Só deixe sobre a mesa, bico de Bunsen aceso quando estiver sendo utilizado. 14- Tenha cuidado com reagentes inflamáveis, não os manipule em presença de fogo. 15- Quando terminar o seu trabalho, feche com cuidado as torneiras de gás, evitando escapamento. 16- Não trabalhe com material imperfeito. 17- Observe com atenção as técnicas de aquecimento de líquidos.

18- Utilize sempre que necessário materiais que possam garantir maior segurança no trabalho, tais como: pinça, luvas, óculos etc.

19- Comunique ao seu professor qualquer acidente, por menor que seja.

20- Jogue todos os sólidos e pedaços de papel usados num frasco ou cesto para isso destinados. Nunca jogue nas pias, fósforos, papel filtro, ou qualquer sólido ainda que ligeiramente solúvel.

21- Leia com atenção o rótulo de qualquer frasco de reagente antes de usá-lo. Leia duas vezes para

Ter certeza de que pegou o frasco certo. Segure o frasco pelo lado que contém o rotulo para evitar que o reagente escorra sobre este.

2- Nunca torne a colocar no frasco um droga não usada. Não coloque objeto algum nos frascos de reagentes, exceto o conta-gotas próprio de que alguns eles são providos.

23- Conserve limpo seu equipamento e sua mesa. Evite derramar líquidos, mas, se o fizer, lave imediatamente o local.

24- Ao término do período de laboratório, lave o material utilizado e deixe-o na ordem em que encontrou no início da aula.

Colégio Dr. Clóvis Bevilácqua Técnico em Patologia Clínica

Profª Georgia Winkler

O vidro foi escolhido entre outros materiais em virtude de suas características físicoquímicas muito favoráveis a sua utilização em laboratório, porque além de não apresentar porosidades, não permitindo que sujeira fique aderida, também mostra-se inerte a inúmeros reagentes, não sendo corroído, ou contaminando a mostra. Apresenta ainda a virtude de sua transparência quando desejada ou ainda sua pigmentação, quando se faz necessário a proteção da substância dos efeitos da luz.

Além destas qualidades, o vidro também apresenta grande estabilidade em sua forma, não sofrendo alteração no tamanho, durante sua vida útil e ainda, em algumas espécies, permite seu aquecimento.

Tipos e Classificações

Com toda esta variedade de características do elemento vidro, devemos classificar as vidrarias utilizadas em laboratório, a fim de evitarmos a utilização inadequada do instrumento. As classificações básicas das vidrarias em geral é a seguinte:

(Parte 1 de 6)

Comentários