11 Redes de computadores

11 Redes de computadores

(Parte 7 de 7)

O switch possui também portas de acesso para o formato de cabos UTP e conectores RJ-45, geralmente os modelos encontrados têm capacidade de conexão de 4, 8, 16 ou 32 portas.

O switch gerencia o tráfego através de uma tabela dinâmica construída em memória que lhe permite saber a porta em que o ponto (computador) está fisicamente conectado, direcionando dessa forma o pacote de dados para a porta correspondente.

Como a tabela é dinâmica, pode-se trocar o computador de porta ou adicionar um novo computador à rede que o switch reprograma automaticamente o endereço da porta em memória.

Conhecendo a porta do destinatário, o switch transmite o pacote de dados apenas para a porta adequada. Sua capacidade de processamento determina os melhores caminhos para o tráfego dos dados, evitando a colisão dos pacotes, organizando e racionalizando desta forma o tráfego na rede.

W ik imedia C ommons/ Bac e x.

Comutador (switch).

Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações w.iesde.com.br

Redes de Computadores – Topologia e Hardware Roteadores

Roteador

Para interligação entre redes com topologias diferentes e o gerenciamento de centenas de pontos (computadores), apenas a utilização de switches para endereçamento não é o suficiente, pois os mesmos trabalham com o endereço físico dos pontos de rede e o aumento dessa escala torna esse gerenciamento complexo e lento.

O roteador resolve essa situação trabalhando de uma forma diferente do switch.

O roteador é um hardware dotado de microprocessadores poderosos que gerenciam o tráfego de pacotes de dados em formato lógico de endereçamento.

Diferente do switch, o roteador não gerencia endereços físicos dos pontos (computadores), ele utiliza o endereço lógico dos computadores fornecido diretamente pelo protocolo de comunicação como o TCP/IP.

O protocolo como o TCP/IP fornece os endereços lógicos dos computadores que são montados pelo roteador em forma de tabelas lógicas, muito mais simples de serem organizadas e gerenciadas em sua memória hierarquicamente.

Os roteadores possuem também uma tabela em memória com a lista das redes conhecidas dinamicamente, chamada tabela de roteamento.

Quando o roteador recebe um pacote, ele processa um sofisticado e veloz algoritmo de decisão usando parâmetros como o Distance Vector e o Link-state calculando então o melhor caminho ou rota da rede para enviar o pacote ao endereço destino.

Existem vários tipos de roteadores dos mais simples aos mais sofisticados, seu tipo depende sempre do volume de tráfego e complexidade das redes.

Os roteadores mais sofisticados voltados ao gerenciamento de grandes tráfegos de rede, permitem a manutenção, programação de funções, regras de tráfego, parâmetros e tabelas de gerenciamento de rotas através de aplicativos e linguagens de programação específicas.

Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações w.iesde.com.br

Redes de Computadores – Topologia e Hardware

W ik imedia C ommons/ M ar cpg

Roteador.

Dicas de estudo

Hardware

Para aprofundar seus estudos sobre hardware é aconselhável sempre um dicionário de termos técnicos (glossário). Na internet existem vários e de boa qualidade.

Pesquisar em sites de empresas que fabricam hardware especificamente para controle de tráfego das redes como Cisco, DLink, 3Comm, Nokia e outras, são fontes seguras de informação.

Quando explicado o funcionamento do produto e para o que foi concebido, o fabricante mostra sempre uma topologia e situações de bastante inovação que são muito úteis para estudo.

Software

Para aprofundar seus estudos sobre protocolos e software em rede procure inicialmente por livros e literaturas que expliquem tecnicamente os tipos de protocolo e como são utilizados para o controle do tráfego de dados em diversos tipos de serviços de transmissão. Quando o serviço é explicado na prática como funciona fica mais fácil a assimilação.

Uma fonte de estudos interessante são empresas que desenvolvem software e hardware para proteção de redes contra ataques e invasões. Para explicar como manter a rede segura elas publicam textos interessantes sobre interligação de redes e suas topologias distintas. Nessa categoria estão a WatchGuard, Interasys, Symantec e outras.

Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações w.iesde.com.br

Redes de Computadores – Topologia e Hardware

Fique atento!

Algumas bancas examinadoras utilizam muito essas fontes dos fabricantes para formular perguntas maliciosas.

Evite literaturas muito técnicas sobre o assunto, principalmente as em inglês. Elas possuem a tendência de amontoar terminologia e siglas completamente inúteis para o nosso objetivo que é a boa preparação do candidato para o concurso público.

Referências

KEOGH, Jim. Core Mcse – Networking Essentials. 1. ed. New Jersey – NY: Prentice Hall, 1999.

MAIA, Luiz Paulo. Arquitetura de Redes de Computadores. 1. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2009.

Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações w.iesde.com.br

Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações w.iesde.com.br

Este material é parte integrante do acervo do IESDE BRASIL S.A., mais informações w.iesde.com.br

(Parte 7 de 7)

Comentários