Interlandi 03 - história da ortodontia eua

Interlandi 03 - história da ortodontia eua

(Parte 1 de 2)

Bailey N. jacobson

Os Primórdios da Odontologia nos Estados Unidos

Os praticantes da Odontologia, nos Estados Unidos, no começo do Século XIX, bem

como na Europa, eram: 1. Pessoas treinadas como joalheiros, ferrei- ro e outras com zrande habilidade manual, e que praticavam a odontologia ao lado e outras atividades. Eram, quase sempre, ão alfabetizados e sem qualquer qualifi- caçã .icantes de medicina, sem nenhuma .formação em odontologia, e que se apreentavam como dentistas aprendendo à medida que trabalhavam. 3. Homens qualificados através de estágios junto a profissionais de grande reputação. Este era o menor grupo, embora, provavelmente, o mais influente. O primeiro curso para dentistas foi ministrado, formalmente, por Horace Heyden, de 1823 a 1825, na Universidade de Maryland. Os estudantes eram também do curso médico e, como não apresentavam nenhum interesse no assunto, o curso foi suspenso. Os professores para dentistas, planejaram, então, a formação de institutos isolados. A primeira licença para uma escola dentária independente foi fornecida em 1840, pelo Estado de Maryland. O Colégio de Cirurgia Dentária de Baltimore foi a primeira escola, na América do Norte, a oferecer um curso dentário completo; o pri- meiro grau de Doutor em Cirurgia Dentária (D.D.5.) foi conferido em 1841. Em 1865 havia quatro escolas de odontologia; naquela época, porém, o meio mais procurado para a formação de dentistas era o estágio em consultórios particulares. Em 1870, apenas um sexto dos dentistas eram formados por escolas.

A primeira tentativa de organização de uma possível classe odontológica, ocorreu em

1834, quando se fundou a Sociedade dos Cirurgiões-Dentistas de Nova York. Esta sociedade policiava a prática profissional indevida e regulamentava a atividade odontológica, tendo sido a primeira entidade desta natureza, no mundo. Vinte e dois anos depois ela se desorganizava e, em 1859, fundou-se a Associação Dentária Americana.

O Início da Ortodontia

A primeira publicação formal sobre a "normalização" da posição dos dentes é atribuída ao francês Pierre Fauchard, tido, freqüentemente, como o pai da odontologia moderna. Em 1728, ele publicou o "Tratado de Odontologia", em que foi apresentado o "bandelette", do qual se originou o arco expansor.

França, mais de sessenta e seis livros de texto, nos quais foram abordados, pelo menos em parte, assuntos relacionados às irregularida-

·22 ORTODONTIA - BASES PARA A INICIAÇÃO des de posição dentária. A principal finalidade do tratamento, na época de Fauchard, era de ordem estética, e se consideravam somente os dentes anteriores. Alguns de seus métodos incluíam desgastes, extração e luxação de dentes em má posição. O inglês [ohn Hunter, aproximadamente na mesma época, também sugeria extração e reimplantação na correção das irregularidades, tendo introduzido um plano inclinado para a movimentação vestibular dos dentes anteriores superiores, na correção da mordida cruzada anterior, resultante de prognatismo mandibular. A introdução da correção das irregularida- des de posição dos dentes ocorreu em 1839, quando, em um dos primeiros números do "American Journal of Dental Science", B.A.

Rodrigues descreveu o emprego daquele plano inclinado, na correção das mordidas cruzadas.

Até 1840, a odontologia não se servia de nomenclatura própria e dependia completamente de termos médicos e antropológicos. WilliamRogers, em 1845,publicou o primeiro dicionário de termos dentários. Foi nesta época que a palavra "Ortodontia" começou a ser adotada, tendo se originado dos trabalhos de Le Foulon que reservou o termo "orthodontosie" para o "tratamento das deformidades congênitas e acidentais da boca". Chapin Harris, em 1849, modificou-a para "ortodontia", em seu "dicionário de ciência dentária".

Com a introdução da borracha vulcanizada, a natureza dos aparelhos dentários começou a se modificar. Até então, a maioria dos aparelhos ortodônticos consistia no emprego de bambu, cunhas de madeira, placas construídas de madeira, alguns arcos metálicos de ouro. Chapin Harris, em 1842,assim descrevia seu aparelho e o correspondente tratamento: "...isto (Fig.3.1)representa um modelo de gesso dos dentes, borda alveolar, arco palatino, e o aparelho empregado para a reparação da deformidade. Primeiramente foram extraídos os segundos premolares e, então, através de amarrilhos aplicados entre os segundos molares e primeiros premo lares e adaptados a uma banda de ouro na parte externa da arcada e renovados diariamente, conseguiu-se que os dentes fossem levados às suas posições, em onze semanas; feito isto, observou-se um espaço de, aproximadamente, um oitavo de polegada entre os caninos e os primeiros premolares, o que foi fechado, trazendo para trás, com amarrilhos, aqueles primeiros dentes em direção a estes últimos". A descrição continua, informando como cada

Fig. 3.1 - Desenho demonstrativo do tratamento ortodôntico no arco superior, segundo a descrição de Chapin A. Harris, em 1842.

ente dos anteriores, foi movimentado para a posição final. Na arcada inferior (Fig. 3.2), uma placa de ouro foi estampada e adaptada aos primeiros e segundos molares, após a extração dos primeiros premolares. À custa de botões de ouro, soldados em cada lado deste duplo dispositivo, foi empregado amarrilho que se adaptou anteriormente, ao redor dos caninos. Harris continua: "Através deste pro- cedimento, os caninos podem, no espaço de 15 a 20 dias, ser levados aos premolares. Se, no entanto, não forem movimentados em direção à parte interna da borda alveolar, o amarrilho externo pode ser abandonado após alguns dias e o interno completará o restante da operação". A retração anterior foi, então, conseguidacom um arco lingual que, através de amarrilhos, tracionava os incisivos diariamente, até chegarem à posição final.

Harris também chamou a atenção para a circunstância de que "quanto mais cedo seja corrigida a irregularidade de posição dos dentes, melhor, porque o tempo prolongado em que o dente possa ficar numa posição errônea, dificulta o ajustamento". O autor ainda chamou a atenção para a remoção da causa da irregularidade, a fim de que a estabilidade do resultado pudesse ser esperada. Disse que na

hipótese da irregularidade "ser o resultado

da estreiteza dos maxilares, mesmo natural ou adquirida, sempre deveria ser removido um dente permanente de cada lado para se conseguir espaço". Assim, podem-se ver publicados há 130 anos atrás, conceitos gerais básicos para a ortodontia de hoje.

Chapin Harris foi naquela época somente um dos muitos homens que formularam conceitos básicos sobre a correção das irregularidades de posição dentária. Outros que podem ser citados foram: Talbot, Farrar, Mortiner, Brown, Delabarre, Fox, Hunter, Hurlock e ain- da um homem de grande importância nesse período, Norman Kingsley.

Kingsley, na década de 1860,introduziu a ancoragem occipital. Desenvolveu também uma placa de mordida que serviu de modelo para muitas modificações, tendo sido cognominado, por Edward H Angle, de "o maior gênio da ortodontia". Kingsley foi o primeiro diretor da Escola de Odontologia de Nova York. Escreveu, em 1880, "Tratado das defor- midades bucais como um ramo de Cirurgia Mecânica", em que defende a extração de dentes em casos selecionados, não se envolvendo, no entanto, nas polêmicas existentes então a respeito. do assunto. Muitos dos pro-

Fig. 3.2 - Desenho demonstrativo do tratamento ortodôntico no arco inferior, segundo a descrição de Chapin A. Harris, em 1842.

24 ORTODONTIA - BASES PARA A INICIAÇÃO tarde empregada por Hawley na dentadura normal, como guia de forma e simetria.

Angle publicou o primeiro trabalho em 1887, cujo título foi "Notas em Ortodontia, com um Novo Sistema para Normalização e Contenção". Esta publicação foi a base para a primeira edição do livro "Maloclusões dos Dentes", que enfrentou fortes críticas e oposições. Suas idéias eram consideradas heréticas e, ao tentar convencer os colegas de que um dentista poderia viver e sustentar muito bem a família, alinhando dentes, foi ridicularizado. Sentiu-se abatido e amargurado por aquela reação mas jurou que jamais viria a se deixar novamente ser assim vulnerável. Apresentou alguns trabalhos a associações e chegou a patentear todas suas invenções antes de torná- Ias conhecidas.

braska, em 1890, Angle afirmou "até que a

Falando na Sociedade Dentária de Ne-

sucesso que mereceDeveria existir especialis-

ortodontia seja estudada e praticada como um ramo distinto da odontologia, ela nunca terá o tas em ortodontia em cada cidade ou comunidade de todo tamanho e o clínico geral deveria enviar, livremente, os pacientes ao especialista...", Concluiu que isto nunca seria conseguido a não ser que os métodos de educação dentária, apodrecidos e vergonhosos, fossem abolidos, bem como novos princípios fossem ensinados para a rejeição da "prática danosa" de se extraírem dentes. Considerou o ano de 1896, "um marco da evolução ortodôntica". Foi o ano em que ele iniciou um ataque vigoroso, em termos profissionais, "contra o sistema em uso de se extraírem dentes". Nesta luta deixou-se influenciar fortemente por I.B. Davenport, um dentista americano em Paris, que ensinava e abraçava, com ênfase, a idéia da superioridade funcional

Estados Unidos. Acreditava que "o melhor

da oclusão normal, afirmando que sempre que o número de dentes fosse reduzido, o paciente perderia um décimo ou mais da força de mastigação. Angle lembrava a conveniência da movimentação dos dentes mal posicionados em direção a uma situação normal, através de meios mecânicos, tendo consolidado esta conduta através de seus ensinamentos ortodônticos nos equilíbrio, a melhor harmonia, as melhores pro- porções da boca nas suas múltiplas relações, requeriam a presença de todos os dentes e que gressos iniciais de nossa especialidade foram devidos ao pioneirismo de Kingsley. Ele enfatizou o pensamento biológico relacionado a tratamento, bem como a técnica de aparelhos bem construí dos e adaptados. Desenvolveu uma técnica de expansão da arcada superior, com bastões de madeira e plano de mordida em vulcanite para a correção das protrusões superiores sem extração. O plano deslocou a mandíbula para frente, em oclusão com a arcada superior, mudando a mordida. Esta conduta foi precursora de muitos trabalhos de Case, Baker e Hawley. [ohn N. Farrar, em 1888, publicou "Tratado sobre as irregularidades dos dentes e suas correções" que é a primeira publicação dedi- cada inteiramente à ortodontia e foi tida como um marco histórico, baseado em vinte anos de experiência prática, com inúmeros conceitos sobre "Sistemas Positivos" para a movimentação dentária. Estes aparelhos, estranhos e volumosos, foram denominados por Farrar "máquinas e armamentários ortodônticos" e originaram a era da mecanoterapia, na especialidade.

Nesta época surgiu um nome que deveria influenciar profundamente o desenvolvimento de nossa especialidade nos Estados Unidos e no mundo. Foi um homem de grande visão e força de vontade, talento e sensibilidade, extremamente perfeccionista, cuja imaginação se projetou através dos tempos justificando o aparecimento de uma especialidade dentária organizada, a merecer total respeito. Este homem foi Edward Hartley Angle, nascido na

Pennsylvania em 1855. Graduou-se em escola de odontologia em 1878, tendo trabalhado vários anos na profissão quando contraiu grave pneumonia. Após abandonar a clínica, seguiu. para Montana preocupado com a saúde. Em Minnesota recomeçou a trabalhar na clínica. Em 1885 e 1886 foi indicado para a Cadeira de Ortodontia na Universidade local. Nesta época, Angle foi fortemente influenciado pelo pai da prótese científica William Bonwill, principalmente em hereditariedade e oclusão. A técnica de Bonwill na medição dos dentes e disposição dos mesmos nas arcadas, foi mais cada dente ocupasse urna posição normal". Em 899classificoua oclusão "...baseado na relação mésio-distal dos dentes, arcadas dentárias e maxilas,o que estava primariamente dependente das posições mésio-distais assumidas pelos primeiros molares permanentes, durante a erupção e intercuspidação". Quando este con- ceito de classificaçãofoi apresentado pela primeira vez, Angle deparou com sorrisos e des- prezos. Mais urna vez, teve de ir avante por si próprio, assumindo a tarefa de tomar suas teorias reconhecidas profissionalmente, admitindo que para isso deveriam ser ensinadas em sua própria escola.Assim, em 1900 foi fundada em Saint Louis,no Missouri, a EscolaAngle de Or- todontia. Nessa época, o livro de textospublicado por Angle, "SistemaAngle de Normalização e Contenção dos Dentes e Tratamento das Fraturas Maxilares", estava na quinta edição e era bastante procurado.

E.H. Angle teve inúmeros adversários durante sua carreira ortodôntica. No começo do século, seu crítico principal talvez tenha sido Calvin S. Case, outro grande pioneiro, profes- sor e pesquisador em ortodontia. Formou-se em odontologia (1871) e medicina (1884) e em

1896, foi professor de ortodontia no Colégio Chicago de Cirurgia Dentária. Tinha profundo interesse na reabilitação de fissuras palatinas, escreveu extensamente sobre diagnóstico ortodôntico, aparelhos e problemas relativos à movimentação dentária. Batia-se,nos seus ensinamentos, pela flexibilidade de pensamento e combateu, amargamente, Angle e seguidores, sobre as extrações dentárias. Ponderava que os pacientes não deveriam ser tratados sob um modelo único e que, em determinados casos, as extrações deveriam ser consideradas. Alguns dos debates a respeito chegaram a atingir proporções violentas.

Em 1900, o "aparelho normaliza dor de

Angle" foi patenteado, o que provocou acirradas críticas. Eram vendidos montados em cartões, facilmente obtidos em qualquer fornecedor de artigos dentários. Através de uma técnica de soldagem bem simples, o dentista providenciava a montagem do aparelho. Esta foi a era dos "aparelhos de estoque", criticados severamente por Calvin Case e outros. Case dizia que o profissional deveria fazer os seus próprios aparelhos e que o emprego des- tes, sem treinamento adequado, redundaria em resultados desastrosos. Lamentava que o único lugar onde se aprendia os detalhes para a fabricação do aparelho de Angle, era na própria escola de Angle. Muito pouco era publi- cado a respeito e os que se aventuravam a fabricar os aparelhos, incluindo o próprio

Case, experimentavam grandes dificuldades e pouco sucesso. Após grande pressionamento, finalmente, Angle concordou em ministrar aulas e fornecer instruções para a construção da aparelhagem ortodôntica. Insistia em que todo aparelho era somente um meio para se atingir um fim, devendo-se emprestar maior importância aos conceitos gerais de tratamento. Manteve-se Angle na direção de sua escola até 1928, com 150 alunos formados, dos quais surgiram muitos dos maiores líderes da orto- dontia. Entre eles estavam Dewey, Noyes, Hollrnan, Ketcham, Mershon, Pollack, Brodie,

Weinberger, Hahn e Tweed.

O gênio da mecânica que foiAngle, permitiu que fossem estabelecidas as bases para .muitos dos tratamentos de hoje, em uso nos Estados Unidos. Algumas das contribuições de Angle foram: introdução das ligas de níquel-prata (1887), rosca de tração, solda de prata, arco "E" (1890), ancoragem occipital modificada (1891), ancoragem oclusal, gram- po de ajuste (1892), moldeiras de impressão (1894), fios moles de latão para amarrilhos (1895), alicates para construção de bandas (1898), casquete para ancoragem e mentoneira de retração (1899), porca de fricção, amarrilhos de metal (1902), contenção funcional (1910), aparelho de pino e tubo (1911), aparelho de arco cinta (1915), aparelho de arco de canto (1925) e outros.

São atribuídos a Angle 40 invenções, 43 patentes, e mais de 60 trabalhos publicados.

Angle afirmava que a idéia de se bandarem os dentes devia ser atribuída a W.E.Magill, em 1871.

Evolução do Aparelho de Arco de Canto

O primeiro dos aparelhos de Angle foi o

Arco E (1890), simples e capaz de conseguir um correto alinhamento dos dentes. Foi o primeiro aparelho a empregar ancoragem estaci-

26 ORTODONTIA - BASES PARA A INICIAÇÃO onana ou controle dos dentes molares para ancoragem. Apertavam-se bandas nos molares, com tubos vestibulares rosqueados, com o arco de expansão também rosqueado para conexão com os tubos.

Os dentes em maloclusão eram bandados com dispositivos colocados apropriadamente, para correção das rotações e eram amarrados individualmente ao arco vestibular expandido. Dr. Angle reconheceu as desvantagens desta técnica quanto ao controle individual dos dentes, tendo, então, introduzido o aparelho de pino e tubo (1911), o primeiro a utilizar bandas e acessórios na maioria dos dentes.

Era um aparelho extremamente complicado e de difícil construção. Era necessária a existên- cia de paralelismo entre os tubos nas bandas e os pinos soldados nos arcos. A cada movimento de um determinado dente era necessário modificar-se a posição do pino. Era ainda impossível o controle das rotações.

Em 1915 ele introduziu o Arco Cinta. Todos os dentes eram bandados e os braquetes deste tipo de aparelhagem foram, na realidade, os primeiros a serem empregados em tratamento ortodôntico. O arco cinta era um arco retangular, cuja maior dimensão transversal era colocada inciso-gengivalmente. Era dobrado e adaptado passivamente à maloclusão, com fechos de pino prendendo o arco aos braquetes. A correção .da maloclusão era conseguida através da movimentação de segmentos das arcadas em direção ao ideal, solicitando-se um ou dois dentes, por vez. Este aparelho permitia correção das rotações e movimentos em todas as direções, com exceção da mésio-distal. Esta deficiência tornava impos- sívelo emprego do aparelho nos casos de extração e também não permitia a inclinação distal dos segmentos posteriores nos problemas de ancoragem.

O desenvolvimento do mecanismo relativo ao Arco Retangular (1925) verificou-se pouco antes da morte de Angle. Basicamente, consistiu na mudança do arco cinta, de forma que a dimensão ativa do arco retangular foi a vestíbulo-lingual e não a inciso-cervical. Em outras palavras, o arco, antes adaptado como cinta, passou a ser colocado "de canto". Esta nova posição permitiu a movimentação dos em todas as direções, além de conside- rar uma nova dimensão mecânica, o "torque". Desta forma, não somente foram possíveis movimentos específicos de coroa, mas também os individuais de raiz.

Com a introdução desta nova mecânica, surgiram também importantíssimos conceitos relativos a tratamento, como, por exemplo, o conceito de Angle sobre o "Arco Ideal". A formação de um arco ideal, a partir do estágio de nivelamento, considerou aspectos como: forma básica, tamanho e posição que o dente deve assumir na posição final na arcada.

Presentemente, os conceitos básicos deste aparelho mantêm-se inalterados apesar de terem sido formulados para o emprego somente nos casos em que as extrações não fossem consideradas. Já se propuseram muitas variações e modificações, desde a introdução destes conceitos, porém sempre de ordem mecânica, sem fugir aos princípios que nortea am os conceitos originais de tratamento.

Educação Ortodôntica

No começo do Século X, a ortodontia dos

Estados Unidos se colocava dentro dos se- guintes itens: 1. Os problemas biológicos em diagnóstico e tratamento eram considerados de importância secundária. 2. Era prestada pouca atenção ao estudo da oclusão.

3. As extrações dos dentes eram, geralmente, recomendadas. 4. Ignorava-se, em geral, a prevenção duran- te o desenvolvimento de problemas ortodônticos.

(Parte 1 de 2)

Comentários