(Parte 1 de 3)

MANAUS 2009

la.bo.ra.tó.rio sm (lat laboratoriu) 1. Lugar de trabalho e investigação científica. 2. Oficina de químico ou de farmacêutico. 3. Lugar de grandes operações ou de transformações notáveis. 4. Parte de um forno de revérbero onde se efetuam as trocas de calor ou as reações químicas. – Dicionário Michaelis.

1. COMECEMOS PELA COZINHA

Nada nos surpreende ao entrarmos em uma cozinha e encontrar garfos, facas, panelas, potes, batedeira elétrica, liquidificador, bules, fogão e outros tantos utensílios, tudo isso nos parece normal.

Fig.1 - Cozinha

2. PASSEMOS POR UMA OFICINA

Também não nos espantamos ao entrar em uma oficina e lá encontrar chaves de fenda, alicates, morsas, esmeril, furadeiras elétricas, lixas e tantas outras ferramentas – algumas delas nem mesmo sabemos para que servem.

Cada profissão tem o seu ambiente e materiais próprios para seu trabalho. Se o local destina-se a um trabalho específico, em geral, com requintes científicos de pesquisas, dá-se o nome de laboratório.

3E TERMINAMOS EM UM LABORATÓRIO.

Assim sendo, se na cozinha em uma casa nos dedicássemos não só ao trabalho normal de culinária, no preparo do café da manhã, almoço e jantar, e sim ao trabalho de pesquisa sobre a qualidade nutritiva da refeição, estudo das calorias envolvidas na alimentação e coisas do gênero, ela seria considerada um laboratório nutricionista.

Fig.2 – Ferramentas - Oficina Mecânica

4. OUTROS LABORATÓRIOS Análises Clínicas

Laboratórios Odontológicos

Farmacêuticos

Cada um deles tem seu instrumental específico. Há laboratórios cujo acesso ao público é proibido, em virtude de possíveis contaminações, trazidas até pela própria poeira que entra no ato de abrir a porta. Alguns deles exibem instrumentos tão estranhos que a tendência do público é considerá-los laboratórios de cientistas malucos.

5. O PÁTIO DA ESCOLA – MAIS UM LABORATÓRIO

-O que vocês estão vendo? (Árvores, pedras, bichinhos, etc.)

Laboratório não necessariamente implica na existência de uma sala apropriada e superequipada. O pátio de sua escola pode se tornar um laboratório. Basta o professor ir até lá, com sua classe, fazer perguntas adequadas e estimular cuidadosas observações, do tipo: - Há sol?

- O dia está quente ou frio?

- Encontraram flores?

- As plantas são todas iguais?

- O chão é liso ou áspero?

- Está ventando?

- Que barulhos estão escutando?

- Olhem o céu, estão vendo estrelas?

- Sentem o perfume de alguma flor?

- Sentem algum outro cheiro?

- Encontraram alguma planta conhecida? Qual é o seu nome?

- As folhas das árvores estão balançando?

Antes de analisar, em classe, as respostas anotadas, vocês podem até não ter percebido, mas em breve ficarão sabendo que eles exploraram os seus sentidos, no mais alto estilo científico.

6. E, FINALMENTE, NOSSO LABORATÓRIO!

Ao se trabalhar Ciências é indispensável que se façam ensaios experimentais e cuidadosas observações. O local desses ensaios será seu Laboratório de Ciências e nele você encontrará certos utensílios típicos desse tipo de trabalho.

Não é freqüente a realização de trabalhos práticos necessários ao desenvolvimento de habilidades fundamentais, reforçando a real formação do aluno. Alega-se que a não realização de práticas é decorrência da inexistência de laboratório e material para a realização de experimentos.

Pode parecer que um laboratório e os materiais nele normalmente “guardados” sejam imprescindíveis à realização de um bom trabalho prático de investigação. Realmente, é mais “cômodo” utilizar em um local apropriado; é mais “científico” utilizar-se de instrumentos, vidrarias e reagentes sofisticados de um laboratório, havendo no colégio o material convencional, os alunos devem saber de sua existência e usa-lo quando necessário.

Fig.3 – Materiais – Laboratório de Ciências.

Vale a pena mencionar que não são somente os instrumentos complexos, a vidraria e os reagentes químicos de um laboratório os únicos meios através dos quais se realiza, com sucesso, uma prática científica. Trabalhos de investigação, propostos a alunos do ensino fundamental, podem ser desenvolvidos, mesmos que não haja laboratório, nem materiais convencionais. Muito pode ser realizado em classe ou em casa em um pequeno espaço, utilizando material adaptado.

LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS (Física, Química e Biologia)

A associação da teoria com a prática acelera e aumenta o interesse pelas ciências, além de incentivar a criatividade dos que dela participam. É através das aulas práticas que o estudante vivencia e se prepara para a sua vida e pesquisa científica.

A organização de um laboratório de Ciências é parte integrante do planejamento de qualquer escola. Nem sempre esta tem recursos que lhe permitam montar um laboratório de Ciências Físicas e Biológicas com todos os requisitos que garantam a máxima eficiência do ensino nessa área, aliada à máxima comodidade dos alunos e do professor.

Não diferente, o ensino de Ciências através da realização de experimentos pode sempre ser realizado, pois não é difícil transformar uma sala comum em sala-laboratório. Nos casos extremos, em que nem isso é possível, os alunos poderão realizar um bom número de experimentos na sala comum de aula, sem falar nas atividades que, por sua própria natureza, devem ser realizadas ao ar livre.

A seguir damos sugestões para: - Utilização de salas comuns de aula para a realização de experimentos.

- Transformar uma sala comum em sala-laboratório.

- Projeto de construção de um laboratório de Ciências para unidades escolares de Primeiro Grau.

1. UTILIZAÇÃO DE UMA SALA COMUM DE AULA PARA A REALIZAÇÃO DE EXPERIMENTOS

1.1) Necessidade de Planejamento

Quando não se dispõe de uma sala de aula especial (laboratório) para a realização dos experimentos, é possível usar a própria sala de aula, mesmo com sua estrutura tradicional (carteiras e mesas). Contudo é necessário fazer o levantamento das condições da sala para poder planejar de forma conveniente as atividades práticas, evitando atropelos e improvisos no decorrer da aula.

1.2) CARTEIRAS

Seja qual for o tipo de carteira, os alunos poderão ser divididos em grupos para realizarem experimentos.

1.2.1) CARTEIRAS COM TAMPO INCLINADO

Deve-se utilizar calços para o nivelamento da superfície.

1.2.2) CARTEIRAS FIXAS INDIVIDUAIS

Os estudantes deverão trabalhar de pé, ao redor de uma delas.

(Parte 1 de 3)

Comentários