Manual de Iniciação Científica

Manual de Iniciação Científica

(Parte 1 de 13)

Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas

Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-graduação

Programa de Iniciação Científica

URL: http ://w.uncisal.edu.br

Manual de Iniciação Científica http://www.metodologia.org/ecmal/ic

Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas http://www.uncisal.edu.br IC

Revisão Página

Número Mês/Ano Manual de Iniciação Científica http://www.metodologia.org/ecmal/livro

“A iniciação científica é um instrumento que permite introduzir os estudantes de graduação potencialmente mais promissores na pesquisa científica. É a possibilidade de colocar o aluno desde cedo em contato direto com a atividade científica e engajá-lo na pesquisa. Nesta perspectiva, a iniciação científica caracteriza-se como instrumento de apoio teórico e metodológico à realização de um projeto de pesquisa e constitui um canal adequado de auxílio para a formação de uma nova mentalidade no aluno. Em síntese, a iniciação científica pode ser definida como um instrumento de formação de recursos humanos qualificados.

A iniciação científica é um dever da instituição e não uma atividade eventual ou esporádica. É isso que permite tratá-la separadamente da bolsa. A iniciação científica é um instrumento básico de formação, ao passo que a bolsa de iniciação científica é um incentivo individual que se operacionaliza como estratégia de financiamento seletivo aos melhores alunos, vinculados a projetos desenvolvidos pelos pesquisadores no contexto da graduação ou pós-graduação. Pode-se considerar a bolsa de iniciação científica como um instrumento abrangente de fomento à formação de recursos humanos. Nesse sentido, não se pode esperar que todo aluno em atividade de iniciação científica tenha bolsa. É fundamental compreender que a iniciação científica é uma atividade bem mais ampla que sua pura e simples realização mediante o pagamento de uma bolsa.”

Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica- PIBIC. Manual do Usuário - (baseado na Resolução Normativa 019/2001)

Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas http://www.uncisal.edu.br IC

Revisão Página

Número Mês/Ano Manual de Iniciação Científica http://www.metodologia.org/ecmal/livro

1 INICIAÇÃO CIENTÍFICA: O QUE É E POR QUE FAZER?5
1. 1 INTRODUÇÃO5
1.2 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA5
(UNCISAL)6
1.4 RAZÕES PARA FAZER PESQUISA NA GRADUAÇÃO7
1. 5 ONDE OBTER AJUDA?8
1.6 PRÓXIMO PASSO: O PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (PIC) DA UNCISAL8
1. 7 REFERÊNCIAS8
1. 8 LEITURA COMPLE MENTAR8
2 A INICIAÇÃO CIENTÍFICA NA UNCISAL10
2. 1 INTRODUÇÃO10
2.2 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E BOLSA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA10
ALAGOAS (UNCISAL)1
2.4 O PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA - PROBIC12
2. 4. 1 Perfil do Pro BIC12
2. 4. 2 Objetivos Gerais13
2. 4. 3 Objetivos Específicos13
2.4.4 Processo de seleção de orientadores, projetos e bolsistas14
2. 4. 5 Publicação do edital14
2. 4. 6 Docu mentos para os candidatos15
2. 4. 7 Requisitos para o orientador15
2.4.8 Requisitos e Compromissos do bolsista15
2.4.9 Não serão impedimentos para a candidatura do bolsista16
2.4.10 Requisitos do projeto de pesquisa ao qual o bolsista estará vinculado16
2.4.1 Pré-seleção, a ser realizada pelo Comitê Local17
2. 4. 12 Processo de avaliação18
2. 4. 13 Livro de resu mos18
2. 4. 14 Relatório parcial do bolsista19
2. 4. 15 Relatório final do bolsista19
2.5 O PROGRAMA “MINHA PRIMEIRA PESQUISA”19
2.5.1 Perfil do programa “minha primeira pesquisa”19
2. 5. 2 Objetivos Gerais20
2. 5. 3 Objetivos Específicos20
2.5.4 Processo de seleção dos alunos21
2. 5. 5 Publicação do edital21
2. 5. 6 Docu mentos para os candidatos21
2.5.7 Requisitos e Compromissos do bolsista21
2.5.8 Impedimentos para a candidatura do bolsista2
2.5.9 Seleção a ser realizada pelo Comitê Coordenador2
2. 5. 10 Conteúdo do progra ma2
2.5.1 Processo de avaliação e premiação2
2. 7 REFERÊNCIAS23
2. 8 LEITURA COMPLE MENTAR23
3 INICIAÇÃO CIENTÍFICA: RECURSOS, CONHECIMENTOS E HABILIDADES26
3. 1 INTRODUÇÃO26

Índice 1.3 A INICIAÇÃO CIENTÍFICA NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE ALAGOAS 2.3 A POLÍTICA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA NA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE 2.6 PRÓXIMO PASSO: OS RECURSOS, OS CONHECIMENTOS, AS HABILIDADES NECESSÁRIOS..23 3.2 A IMPORTÂNCIA DE DETERMINAR O QUE É NECESSÁRIO PARA REALIZAR AS ATIVIDADES DE INICIAÇÃO

27

CIENTÍFICA 3.3 QUAIS SÃO OS RECURSOS, OS CONHECIMENTOS E AS HABILIDADES QUE O ALUNO DA GRADUAÇÃO

CIENTÍFICA?27

Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas http://www.uncisal.edu.br IC

Revisão Página

Número Mês/Ano Manual de Iniciação Científica

3. 4 ONDE OBTER AJUDA?29
3.5 PRÓXIMO PASSO: A ESCOLHA DO ORIENTADOR29
3. 6 REFERÊNCIAS29
3. 7 LEITURA COMPLE MENTAR29
4 INICIAÇÃO CIENTÍFICA: A ESCOLHA DO ORIENTADOR32
4. 1 INTRODUÇÃO32
4.2 ROTEIRO DE SELEÇÃO DO ORIENTADOR32
4. 2. 1 A i mportância32
4. 2. 2 O roteiro3
4. 2. 3 As respostas3
4. 3 ACHOU O ORIENTADOR?36
4.4 PRÓXIMO PASSO: COMO CONTINUAR AS ATIVIDADES DE PESQUISA?37
4. 5 REFERÊNCIAS37
4. 6 LEITURA COMPLE MENTAR38
5 INICIAÇÃO CIENTÍFICA: COMO CONTINUAR40
5. 1 INTRODUÇÃO40
5. 2 O CA MINHO40
5. 3 PÓS- GRADUAÇÃO SENSU LATO42
5. 3. 1 Especialização42
5. 4 PÓS- GRADUAÇÃO SENSU STRICTO43
5. 5 CONSIDERAÇÕES FINAIS4
5. 6 REFERÊNCIAS45

Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas http://www.uncisal.edu.br IC

Revisão Página

Número Mês/Ano Manual de Iniciação Científica http://www.metodologia.org/ecmal/livro

1 Iniciação Científica: O que é e por que fazer?

Aldemar Araujo Castro

1.1 Introdução

A iniciação científica é realização de uma pesquisa durante o curso de graduação que tem como objetivo o aprendizado do método científico. A instituição deve planejar a realização desta atividade para disponibilizar aos estudantes da graduação, mesmo que o aluno após o término da graduação não se envolva com este tipo de atividade. Este capítulo possui em definições encontradas no manual do usuário do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica – PIBIC (baseado na Resolução Normativa 019/2001 e 015/2004).

O objetivo desta série de cinco capítulos é apresentar informações sobre a iniciação científica que é destinada aos alunos da graduação e os orientadores. Neste primeiro capítulo é apresentado o que é a iniciação científica e as razões para sua realização; no segundo, é apresentado o PIC (Programa de Iniciação Científica) da UNCISAL; no terceiro, quais são os recursos, habilidades e os conhecimentos necessários para realizar a iniciação científica; no quarto, como o aluno deve selecionar o seu orientador; no quinto, como continuar as atividades de pesquisa após a graduação.

O conteúdo deste capítulo está dividido em seis partes: a) a iniciação científica e a bolsa de iniciação científica; b) a iniciação científica na Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL); c) as razões para fazer pesquisa na graduação; d) onde obter ajuda? e) próximo passo: o Programa de Iniciação Científica (PIC) da UNCISAL.

1.2 Iniciação científica e bolsa de iniciação científica

A iniciação científica é um instrumento que permite introduzir os estudantes de graduação potencialmente mais promissores na pesquisa científica. É a possibilidade de colocar o aluno desde cedo em contato direto com a atividade científica e engajá-lo na pesquisa. Nesta perspectiva, a iniciação científica caracteriza-se como instrumento de apoio teórico e metodológico à realização de um projeto de pesquisa e constitui um canal adequado de auxílio para a formação de uma nova mentalidade no aluno. Em síntese, a iniciação científica pode ser definida como um instrumento de formação de recursos humanos qualificados.

A iniciação científica é um dever da instituição e não uma atividade eventual ou esporádica. É isso que permite tratá-la separadamente da bolsa. A iniciação científica é um instrumento básico de formação, ao passo que a bolsa de iniciação científica é um

Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas http://www.uncisal.edu.br IC

Revisão Página

Número Mês/Ano Manual de Iniciação Científica http://www.metodologia.org/ecmal/livro incentivo individual que se operacionaliza como estratégia de financiamento seletivo aos melhores alunos, vinculados a projetos desenvolvidos pelos pesquisadores no contexto da graduação ou pós-graduação. Pode-se considerar a bolsa de iniciação científica como um instrumento abrangente de fomento à formação de recursos humanos. Nesse sentido, não se pode esperar que todo aluno em atividade de iniciação científica tenha bolsa. É fundamental compreender que a iniciação científica é uma atividade bem mais ampla que sua pura e simples realização mediante o pagamento de uma bolsa.

1.3 A Iniciação Científica na Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL)

A iniciação científica na Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL) foi realizada, até 2002, muito mais por esforço próprio de vários professores do que por uma ação institucional. Algumas disciplinas e/ou departamentos realizam estas atividades de forma rotineira nos últimos anos. O programa de monitoria com alunos da graduação (54 alunos em junho de 2002) vem sendo o espaço existente para, também, cumprir esta atividade.

O Programa de Bolsas de Iniciação Científica (ProBIC), criado em 2002, é uma forma eficaz de induzir o desenvolvimento institucional desta área. O que não impede que também sejam solicitadas bolsas de iniciação científica, via balcão, a FAPEAL. Porém o estabelecimento de um programa institucional de iniciação científica deve ser estabelecido para integrar as diversas atividades que envolvem a iniciação científica.

Outras atividades devem auxiliar o sucesso do programa de iniciação científica, por exemplo, o simpósio de bases da iniciação científica promovido pela disciplina de metodologia da pesquisa científica, as jornadas científicas dos cursos de graduação da UNCISAL, e a iniciação científica 2002 (jornada de incentivo a produção científica da

UNCISAL). No URL: http://www.metodologia.org/ecmal/ic veja mais informações sobre estas atividades.

É fundamental que os orientadores que participam da iniciação científica possuam um planejamento para otimizar a atividade e contemplar outros alunos que no futuro solicitarão as bolsas. Neste planejamento é necessário que exista a explicitação de:

a) qual a linha de pesquisa, sua definição e importância; b) quais serão as pesquisas a serem realizadas na linha de pesquisa pelos próximos sete anos, organizadas por relevância, por complexidade, e por prioridade; c) quais os recursos humanos necessários para a realização da pesquisa; d) quais os recursos materiais necessários por ordem de prioridade; e) quais as atividades que os alunos deverão participar durante a iniciação científica; f) quais são os conhecimentos, as habilidades que o aluno da graduação deve desenvolver para iniciar e desenvolver as atividades de iniciação científica; g) quais as metas e objetivos da iniciação científica da disciplina.

O planejamento adequado da iniciação científica possibilitará o fortalecimento de forma racional e gradual, otimizando a utilização dos recursos.

Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas http://www.uncisal.edu.br IC

Revisão Página

Número Mês/Ano Manual de Iniciação Científica http://www.metodologia.org/ecmal/livro

O Programa de Iniciação Científica (PIC, URL: http://www.uncisal.edu.br/ic) da UNCISAL é apresentado no próximo capítulo deste manual.

1.4 Razões para fazer pesquisa na graduação

As seis razões para fazer pesquisa na graduação são apresentadas no quadro 1-1. Elas representam as diversas motivações que podem levar o aluno da graduação a ter atividades de iniciação científica.

Assinale abaixo qual a motivação que você tem para fazer pesquisa na graduação.

Para impressionar os colegas; principalmente de sexo oposto. Para receber algum dinheiro com bolsa de iniciação científica ou similar; Para se aproximar do professor e garantir a vaga na pós-graduação ou na residência; Para conhecer melhor uma determinada doença ou tópico específico; Para engordar o currículo; Para aprender sobre o método científico e como realizar uma pesquisa.

(Parte 1 de 13)

Comentários