Semiologia veterinária pele e seus anexos

Semiologia veterinária pele e seus anexos

(Parte 1 de 3)

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO

CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS

CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

DEPARTAMENTO DAS CLÍNICAS VETERINÁRIAS

DANILLO BRENNO DE ASSIS TORRES

DEBORAH CRISTINA MARQUINHO SILVA

LUANA GARRETO RODRIGUES COSTA

RENATA MONDÊGO DE OLIVEIRA

SÂMARA CRISTINA COSTA PINTO

VENIR LIA FRAZÃO

SEMIOLOGIA DA PELE E ANEXOS

SÃO LUÍS

2011

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHÃO

CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS

CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

DEPARTAMENTO DAS CLÍNICAS VETERINÁRIAS

DANILLO BRENNO DE ASSIS TORRES

DEBORAH CRISTINA MARQUINHO SILVA

LUANA GARRETO RODRIGUES COSTA

RENATA MONDÊGO DE OLIVEIRA

SÂMARA CRISTINA COSTA PINTO

VENIR LIA FRAZÃO

SEMIOLOGIA DA PELE E ANEXOS

Trabalho apresentado ao Prof. Geraldo Mahon, como atividade complementar da disciplina de Semiologia Veterinária.

SÃO LUÍS

2011

SUMÁRIO

Introdução 03

Desenvolvimento

Características gerais 04

Espessura da pele 04

Estrutura da pele 04

Manchas Pigmentares ou Discrômicas 05

Formações sólidas 05

Coleções Líquidas 06

Alterações de Espessura 06

Perdas Teciduais e Peparações 07

Glândulas anexas 07

Exame da Pele 09

Prurido 10

Exame físico 11

Classificação das lesões cutâneas 12

Lesões associadas 13

Inspeção Indireta 14

Parasitológico de Raspado Cutâneo 14

Exame Micológico 16

Teste Radioalerdossorvente (Rast) E Ensaio Imunossorvente Ligado À Enzima (Elisa) 16

Citologia 16

Conclusão 17

Referências 18

INTRODUÇÃO

A pele é o maior órgão do organismo animal. Funciona como barreira anatômica e fisiológica entre os organismos e ambiente, é sensível ao frio, calor a dor ao prurido e a pressão.

Este órgão é responsável por 30% a 70% dos atendimentos nas clinicas.

Suas principais funções são:

  • Proteção contra perdas liquidas

  • Proteção contra lesões externas, químicas, físicas ou microbiológicas

  • Produção de estruturas queratinizadas-pêlos, unhas e a camada córnea

  • Flexibilidade

  • Termorregulação

  • Reservatórios de água, eletrólitos

  • Imunorregulação

  • Secreção- glândulas sebáceas e sudoríparas

  • Produção de vitamina D

DESENVOLVIMENTO

Características gerais

Espessura da pele

A espessura da pele varia entre as espécies domésticas.

As principais espécies domésticas e suas respectivas espessuras de pele estão listadas abaixo:

  • Caninos: 0,5 a 5mm

  • Felinos:0,4 a 2mm

  • Felinos:0,4 a 2mm

  • Ovelhas:2,6mm

  • Caprinos: 2,9mm

  • Equinos:3,8mm

  • Equinos:3,8mm

A superfície cutânea é levemente ácida, o pH varia de 5,5 a 7,5, sendo que as maiores variações são encontradas nos bovinos : 4,8 a 6,8 e nos equinos : 4,8 a 6,8, na sudorese pode chegar a 7,9.

Estrutura da pele

A pele está dividida nas seguintes camadas:

  • Epiderme: camada mais externa da pele, é constituída por células epiteliais (queratinócitos) com disposição semelhante a uma "parede de tijolos". Esta camada dá origem aos anexos cutâneos: unhas, pêlos, glândulas sudoríparas e glândulas sebáceas. A abertura dos folículos pilossebáceos (pêlo + glândula sebácea) e das glândulas sudoríparas na pele formam os orifícios conhecidos como poros.

  • Derme: camada localizada entre a epiderme e a hipoderme, é responsável pela resistência e elasticidade da pele. É constituída por tecido conjuntivo (fibras colágenas e elásticas envoltas por substância fundamental), vasos sanguíneos e linfáticos, nervos e terminações nervosas.

  • Hipoderme: também chamada de tecido celular subcutâneo, é a porção mais profunda da pele. É composta por feixes de tecido conjuntivo que envolve células gordurosas (adipócitos) e formam lobos de gordura. Sua estrutura fornece proteção contra traumas físicos, além de ser um depósito de calorias.

Manchas Pigmentares ou Discrômicas

Hipopigmentação ou Hipocromia: Diminuição do pigmento melânico.

Acromia: Ausência do pigmento melânico, também denominada leucodermia.

Significado clínico de ambas: perda do pigmento por lesão dos melanócitos (exemplo: após crioterapia), ou imunidade contra os melanócitos, como nas dermatopatias auto-imunes e vitiligo.

Hiperpigmentação ou Hipercromia: Aumento de pigmento de qualquer natureza na pele (hemossiderina, pigmentos biliares, caroteno e tatuagem). Quando decorrente do aumento de melanina, o termo mais apropriado é melanodermia, que pode se apresentar com diferentes tonalidades de castanho como claro, escuro, azul-acastanhado e preto.

Significado clínico do aumento de melanina: dermatopatia crônica.

Há ainda a mancha senil decorrente da maior deposição de melanina em indivíduos de idade avançada. Geralmente ocorre na região abdominal ventral dos animais e na região dorsal das mãos dos humanos.

Formações Sólidas

Significado clínico: as formações sólidas resultam de processo inflamatório, infeccioso ou neoplásico, atingindo, isolada ou conjuntamente, a epiderme, derme e hipoderme. Podem ser classificadas em:

Pápula: Lesão sólida circunscrita, elevada, que pode medir até 1 cm de diâmetro.

Placa: Área elevada da pele com mais de 2 cm de diâmetro, geralmente pelo coalescimento de pápulas.

Nódulos: Lesão sólida circunscrita, saliente ou não, de 1 a 3 cm de diâmetro.

Tumor ou Nodosidade: Lesão sólida circunscrita, saliente ou não, de mais de 3 cm de diâmetro. O termo tumor deve ser utilizado preferencialmente, para neoplasia.

Vegetação: Lesão sólida, exofítica (cresce se distanciando da pele), avermelhada e brilhante, pode ocorrer pelo aumento da camada espinhosa.

Verrucosidade: Lesão sólida, exofítica, acinzentada, áspera, dura e inelástica, ocorre pelo aumento da camada córnea. Lesão clássica da papilomatose e sarcóide equino.

Coleções Líquidas

Dentre as coleções líquidas, incluem-se as lesões com conteúdo seroso, sanguinolento ou purulento.

Vesícula: Elevação circunscrita de até 1 cm de diâmetro, contendo líquido claro. Esse conteúdo inicialmente claro (seroso) pode se tornar turvo (purulento) ou avermelhado (hemorrágico).

Bolha: Elevação circunscrita maior que 1 cm de diâmetro, contendo líquido claro.

Pústula: Elevação circunscrita de até 1 cm de diâmetro, contendo pus.

Significado clínico das vesículas e bolhas: ao se deparar com esses três tipos lesionais, o clínico deve incluir no seu plano de diagnóstico as lesões cáusticas, farmacodermias e doenças auto-imunes. Ainda no caso das pústulas, além desses três diagnósticos, as piodermites devem ser consideradas.

Alterações de Espessura

Hiperqueratose ou Queratose: Espessamento da pele decorrente do aumento da camada córnea. A pele torna-se áspera, inelástica, dura e de coloração acinzentada. Denominada leucoplasia, quando ocorre em mucosas.

Liquenificação ou Lignificação: Espessamento da pele decorrente do aumento da camada malphigiana com acentuação dos sulcos cutâneos, dando à pele aspecto quadriculado ou em favos de mel.

(Parte 1 de 3)

Comentários