Período Joanino

Período Joanino

Período Joanino

1808 – 1821 – A família real veio para o Brasil, pois Napoleão invadiu Portugal. Quando a família real chegou ao Brasil, tomou algumas medidas, já que aqui seria a sede do império. Medidas: • Abertura dos Portos- permitia o comércio da colônia com outras nações (exceto aos aliados da França) → rompimento do pacto colonial → descaracterização do Brasil como colônia → independência econômica do Brasil. – Quase toda a Europa era aliada da França, pois tinham medo que acontecesse alguma represália contra seu país. Portanto, apenas a Inglaterra comerciava com o Brasil. • Abertura do Banco do Brasil • Abertura de oficinas → para evitar a compra de produtos ingleses → artesãos pagavam impostos • Criação da escola de marinha • Primeira universidade de medicina (no Rio de Janeiro) • Construção de teatros • Construção da Biblioteca Régia • Criação do Horto Real → que mais tarde se transformou em Jardim Botânico • Reurbanização do Rio de janeiro• Construção do palácio do governo • Construção de um bairro para os nobres

1809 – invasão a Guiana Francesa 1810 – empréstimo para a Inglaterra

- Tratado de Aliança e Comércio: todo o produto inglês que entrasse no país pagava no Maximo 15% de impostos alfandegários. Os produtos de Portugal pagariam 16% e de qualquer outro país 24%. - Como a Inglaterra só pagava 15% os produtos eram mais baratos, causando o fechamento das oficinas. Conseqüentemente, o numero de desempregados aumentou e os impostos caíram. Assim Portugal foi precisando de mais empréstimos. Além disso, o porto de Laguna foi aberto aos ingleses. - Tratado de Paz e Amizade: qualquer crime cometido por ingleses no Brasil seria julgado na Inglaterra. O que favorecia ingleses e empresas inglesas. - Os ingleses querem a diminuição gradativa da escravidão no Brasil. Já que um terço da população do Brasil na época era de escravos, se não houvesse mais escravos iria aumentar muito a compra de produtos industrializados da Inglaterra.

- Esse tratado se estendeu até o 2º Império. Conseqüência (principal) desse tratado: dependência do Brasil com a Inglaterra. - 1815 – Napoleão foi derrotado na Europa e foi organizado o Congresso de Viena que pressiona D. João a voltar a Portugal (ele se recusa, pois Portugal está sem dinheiro e o povo o odeia). Seria uma vergonha o rei ficar na colônia e não no reino, portanto, ele declara que o Brasil virou Reino Unido Brasil Algarves. A partir de então, o Brasil pode negociar com vários países da Europa. 1815 – 1820 – quem comandava Portugal era uma junta militar inglesa → Lorde Beresford 1819 – morte de D. Maria I (a louca) → D. João é coroado rei no Brasil (do império português) 1820 – Portugal: Revolução do Porto :I: retirada dos ingleses e formação de um governo português (formada pela população portuguesa – burguesa). II: Revolução Constitucional Liberal do Porto → quer a volta de D. João VI → querem o poder e investimentos). Dom João tem que fazer uma escolha, ou volta para Portugal e comanda todo o império, ou fica no Brasil e perde todo o resto do império português. Para voltar tinha que assinar uma constituição (baseada na idéias iluministas).

1821 – volta da família real a Portugal (após D. João assinar a constituição). Deixa D. Pedro como regente do Brasil. O governo vai querer recolonizar o Brasil (o povo do Brasil no vai gostar porque tem autonomia econômica e está praticamente independente como Reino Unido). O governo português quer escolher o regente do Brasil (quer que D. Pedro volte para Portugal). Políticos Brasileiros são barrados na Assembléia Constituinte de Portugal e voltam ao Brasil. Processo de independência: D. João manda uma carta para D. Pedro voltar a Portugal (+- dezembro) com a desculpa de voltar a estudar, para quando D. João morresse ele assumir o trono. O povo faz um abaixo assinado para D. Pedro ficar (8 mil assinaturas – um número grande para época). 9/1/1822 – Dia do Fico: Políticos estavam pressionando D. Pedro para criar uma Assembléia. Para isso foram criados três partidos (em um prazo de dois meses): Partido dos Brasileiros – ricos fazendeiros do Brasil (elite Brasileira) – queriam a independência – monarquia parlamentar com D. Pedro como imperador. Partido Português – comerciantes e nobres portugueses – desejava que o Brasil permanecesse dependente de Portugal. Partido Liberal Radical (idéias iluministas ao extremo) – profissionais liberais, intelectuais – desejavam a independência e a instalação de uma república aos moldes dos EUA.

3/1822 – abertura da Assembléia Nacional Constituinte (representantes dos partidos – sem votação já que não tem constituição) 4/1822 – chega outra carta para ele voltar. A carta também diz que as medidas que são tomadas pelo Brasil devem ser aprovadas por Portugal. 5/1822 – D. Pedro assina um decreto chamado decreto do Cumpra-se, que diz que as ordens que chegam de Portugal devem ser aprovadas por ele antes. 6/1822 – Parte da marinha portuguesa encontrava-se no Brasil. Os que juravam fidelidade a D. Pedro ficaram no Brasil, os que juravam fidelidade a Portugal, foram expulsos do Brasil e retornaram a Portugal. 7/1822 – D. João VI ( governo português) manda uma carta a D. Pedro pedindo que volte imediatamente caso isto não aconteça será acusado de traição a Portugal. Nessa mesma carta foi avisado que o Brasil perdeu a categoria de Reino Unido. D. Leopoldina receba essa carta, já que D. Pedro estava em santos, e entra em contato com o líder do partido Brasileiro (José Bonifácio) e se junta ao partido liberal radical. Ao caminho de Santos para o Rio de Janeiro, D. Pedro recebe três cartas, uma de D. Leopoldina, outra dos partidos e a carta de Portugal. As duas primeiras são a favor da independência, e a terceira não era muito agradável pro Brasil. 7/9/1822 – independência do Brasil. A Inglaterra era a favor pois queria que o Brasil comprasse direto dela, sem passar por Portugal. O governo português injeta dinheiro do partido português e quem fosse a favor de Portugal. 9/1/1822 – 7/9/1822 – regência de D. Pedro 7/9/1822 a 1831 – I Império

Comentários