Plano Museologico

Plano Museologico

(Parte 6 de 12)

- Intercomunicação e circulação geral:

1) em relação ao acervo, ao funcionamento interno e ao público. Exemplos: escadas, elevadores, corredores.

2) relação entre as áreas e seus acessos segundo as rotinas de trabalho. Exemplos: área de recepção-desembalagem-registro-reserva técnica

- Condições gerais de conservação e proteção do edifício: (exemplos: sistemas de controle ambiental, sistemas de iluminação, necessidades de conservação, restauração, etc.)

2.8 Programa de segurança: aquele que trata de todos os aspectos relacionados à segurança do museu, da edificação, do acervo e dos públicos interno e externo, incluindo além de sistemas, equipamentos e instalações, a definição de rotinas de segurança e estratégias de emergência.

Exemplos:

- Saídas de emergência - Prevenção de emergência: contra furto e roubo, combate a incêndio, retirada de pessoas, retirada de obras e contra pânico.

- Proteção contra incêndios (prevenção, detecção, extinção) inundações e outros desastres naturais, - Proteção contra vandalismo, invasão, etc.

- Transporte de bens culturais

2.9 Programa de Financiamento e Fomento: aquele que trata do planejamento de estratégias voltadas para captação, aplicação e gerenciamento dos recursos econômicos oriundos de diversas fontes.

Exemplos:

- Ingressos - Campanhas de captação de recursos

- Patrocinadores

- Participação em editais

LEI FEDERAL DE INCENTIVO À CULTURA – 8313/91 (LEI ROUANET): [http://w.cultura.gov.br/site/?cat=440]

Institui o Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), que é formado por três mecanismos: o Fundo Nacional de Cultura (FNC), o Incentivo Fiscal (Mecenato), e o Fundo de Investimento Cultural e Artístico (Ficart).

O FNC destina recursos a projetos culturais por meio de empréstimos reembolsáveis ou cessão a fundo perdido e o Ficart possibilita a criação de fundos de investimentos culturais e artísticos (mecanismo inativo).

O Mecenato viabiliza benefícios fiscais para investidores que apóiam projetos culturais sob forma de doação ou patrocínio. Empresas e pessoas físicas podem utilizar a isenção em até 100% do valor no Imposto de Renda e investir em projetos culturais. Além da isenção fiscal, elas investem também em sua imagem institucional e em sua marca.”

DEMU/IPHAN – EDITAL DE MODERNIZAÇÃO DE MUSEUS - 2008

O Edital de Modernização de Museus 2008 é o quinto lançado no âmbito da Política Nacional de Museus. Com ele, 124 instituições museológicas de todo o país, não vinculadas ao Ministério da Cultura, foram contempladas com cerca R$ 7 milhões para aquisição de equipamentos, material permanente e acervos museológicos.

Objetivo: apoiar projetos de museus em suas diversas áreas de atuação, via Fundo Nacional da Cultura e Mecenato. Tem como diretrizes o apoio a projetos de instituições museológicas privadas ou públicas, integrantes das três esferas de governo.

Áreas: aquisição de acervos, equipamentos e materiais permanentes, tais como: equipamentos de informática, equipamentos de segurança, equipamentos de climatização e controle ambiental, equipamentos de iluminação, equipamentos de comunicação e mobiliários para exposições de longa duração e reservas técnicas, projetos educativos.

Valor máximo por projeto: R$ 10.0,0 (cem mil reais), excluindo a contrapartida da instituição de 20% do valor do projeto.

DEMU/IPHAN – EDITAL MAIS MUSEUS - 2008

Iniciativa que prevê investimentos de até R$ 100 mil para a criação de museus em cidades com menos de 50 mil habitantes que não possuem instituição museológica.

O objetivo é formar um banco de projetos que serão apoiados durante 2008, de acordo com a disponibilidade orçamentária do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), autarquia vinculada ao Ministério da Cultura.

O apoio consiste na aquisição de equipamentos e mobiliários; elaboração de projetos para execução de obras e serviços; instalação e montagem de exposições; restauração de imóveis; elaboração de projetos museológico ou museográfico; e benfeitoria em imóveis.

Das condições: Poderão participar pessoas jurídicas de direito público e privado sem fins lucrativos

Valor máximo por projeto: R$ 10.0,0 (cem mil reais), excluindo a contrapartida da instituição.

Investimento 208 – R$ 1.604.0,0 (hum milhão, seiscentos e quatro reais)

Contrapartida:

0% Entidade federal 3% Municípios com até 25.0 habitantes

5% Municípios localizados nas áreas da Agência de

Desenvolvimento do Nordeste (ADENE) e da Agência de Desenvolvimento da Amazônia e na Região Centro- Oeste.

10% Estado-membro ou distrito federal localizados nas áreas da Agência de Desenvolvimento do Nordeste (ADENE) e da Agência de Desenvolvimento da Amazônia e na Região Centro-Oeste.

20% Demais casos

DEMU/IPHAN – PRÊMIO DARCY RIBEIRO – 2008 Incentivo às práticas educativas em Museus

Consiste em incentivar e premiar as práticas educativas em museus brasileiros.

DEMU/IPHAN – EDITAL SEMINÁRIOS MUSEUS, PATRIMÔNIO, MEMÓRIA E SOCIEDADE – 2008 Apoiar a realização de seminários que tenham por temática o patrimônio, a memória e a sociedade nos museus.

Valor do financiamento: 20.0,0 excluindo a contrapartida

Contrapartida:

0% Entidade federal

3% Municípios com até 25.0 habitantes

5% Municípios localizados nas áreas da Agência de

Desenvolvimento do Nordeste (ADENE) e da Agência de Desenvolvimento da Amazônia e na Região Centro- Oeste.

10% Estado-membro ou distrito federal localizados nas áreas da Agência de Desenvolvimento do Nordeste (ADENE) e da Agência de Desenvolvimento da Amazônia e na Região Centro-Oeste.

20% Demais casos

DEMU/IPHAN – PRÊMIO MÁRIO DE ANDRADE – 2008

Tem como finalidade a premiação de dissertações e teses produzidas por pesquisadores das áreas de Ciências Humanas e Ciências Sociais Aplicadas com a temática Museus, Memória Social e Patrimônio Cultural.

Inscrições: 1º janeiro a 30 de março de 2008

(Parte 6 de 12)

Comentários