Tubulações industriais-aula02-conexões

Tubulações industriais-aula02-conexões

(Parte 1 de 4)

TUBULAÇÕES INDUSTRIAS AULA 2 Prof. Clélio

AULA 2 Volume I do Livro Texto

CONTEÚDO: • Capítulo 3

Meios de Ligação de Tubos. • Capítulo 5

Conexões de Tubulação.

• Capítulo 6 Juntas de Expansão

TUBULAÇÕES INDUSTRIAS AULA 2 Prof. Clélio

Ligações de compressão OUTROS SISTEMAS Ligações patenteadas

INTERNO NO TUBO

SÃO LIGAÇÕES DE BAIXO CUSTO E DE FÁCIL EXECUÇÃO UTILIZADAS EM PEQUENOS DIÂMETROS (Até 2”)

TUBULAÇÕES INDUSTRIAS AULA 2 Prof. Clélio

TÉRMICO E DE PINTURA

SOLDA DE TOPO – PARA DIÂMETROS DE 2” OU MAIORES

SOLDA DE ENCAIXE (soquete) – PARA DIÂMETROS DE ATÉ 1/2”

A NORMA ANSI/ASME B 31.3 CONTÉM INUMERAS RECOMENDAÇÕES SOBRE SOLDAGEM DOS TUBOS, ICLUINDO SEQÜÊNCIA DE SOLDAGEM, TRATAMENTOS TÉRMICOS, QUALIFICAÇÃO DE SOLDADORES, TESTES DE INSPEÇÃO E ACEITAÇÃO ETC..

TUBULAÇÕES INDUSTRIAS AULA 2 Prof. Clélio

DIÂMETROS DE 2” OU MAIORES

UTILIZAÇÃO 1. Ligação de tubos com válvulas e equipamentos e também nos pontos da tubulação que for necessário desmontagem;

2. Ligações correntes em tubulações de aço que possuam revestimento interno anticorrosivo.

TUBULAÇÕES INDUSTRIAS AULA 2 Prof. Clélio

A norma dimensional de uso mais generalizado no Brasil é a ANSI B. 16.5 que abrange flanges de aço forjado de todos os tipos, nos diâmetros nominais de até 24”.

Essa norma define 7 séries de flanges denominadas de “classe de pressão” e designadas pelos números adimensionais 150#, 300#,

A partir da edição de 1981, a norma ANSI/ASME B.16.5 inclui também as tabelas de dimensões e pressões admissíveis em unidades SI,

Para cada uma dessas classes de pressão tem-se uma curva de interdependência entre a pressão admissível e a temperatura de cada material TABELA DE DIMENSÕES DE FLANGES – ANEXO 1/AULA2

TUBULAÇÕES INDUSTRIAS AULA 2 Prof. Clélio

CURVAS DE TENSÃO ADMISSÍVEL x TEMPERATURAS (Para Flanges de Aço Carbono)

PRESSÃO ADMISSÍVEL PARA FLANGES DE AÇO – ANEXO 2/AULA2

PARA ENCOMENDA OU REQUISIÇÃO DE FLANGES SÃO NECESSÁRIAS AS SEGUINTE INFORMAÇÕES: • QUANTIDADE (Número de peças)

• DIÂMETRO NOMINAL ( do Tubo) • TIPO DE FACE

Obs.: Para os flanges de pescoço e flanges de encaixe é necessário especificar a espessura de parede do tubo a ser soldado. Para os flanges rosqueados é necessário especificar o tipo de rosca.

TUBULAÇÕES INDUSTRIAS AULA 2 Prof. Clélio

• Borracha Natural – Usada para água, ar e condensado até 60 °C.

• Borracha Sintética – Usada para óleos até 80 °C.

• Materiais Plásticos – Usados para fluidos corrosivos em baixas pressão e temperatura ambiente.

• Papelão Hidráulico (juntas de amianto comprimido, grafitado e com aglutinante) Existem vários tipos normalizados que podem trabalhar em temperaturas de até 500 °C e resistem a ácidos, álcalis e hidrocarbonetos

APERTO INICIAL – Tem a finalidade de adaptar as juntas às faces do flange, amoldando-a às imperfeições.

Valores do Aperto Inicial:

• Juntas de Borracha de 2,5 a 4 MPa • Juntas de Papelão Hidráulico de 8 a 12 MPa

• Juntas Metálicas de 20 a 40 MPa

APERTO RESIDUAL – Tem o objetivo de combater o efeito da pressão interna (Pi)na tubulação tendendo a separar os flanges.

Valor do Aperto Residual1,5 a 2 vezes Pi

APERTO FINAL – Para compensar os efeitos de dilatações devido a variações de temperatura

Tubulações de Ferro Fundido

Tubulações de Barro Vidrado e Cimento Amianto

UTILIZADAS EM Tubulações de Concreto Tubulações de Materiais Plásticos

TUBULAÇÕES INDUSTRIAS AULA 2 Prof. Clélio

TUBULAÇÕES INDUSTRIAS AULA 2 Prof. Clélio

1- JUNTA “GIBAULT”

2 – JUNTA “DRESSER”

TUBULAÇÕES INDUSTRIAS AULA 2 Prof. Clélio

Diâmetros até 4” Ligações rosqueadas com luvas

Serviços de baixa responsabilidade, ou não-severos Diâmetros de 6” ou maiores Solda de topo

Diâmetros até 1/2”

(Parte 1 de 4)

Comentários