(Parte 6 de 10)

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei 4.6.1-Verificações Pertinentes às Nervuras

Sendo:

k éum coeficiente que tem os seguintes valores:

•para os demais casos: k = |1,6 −d |, não menor que |1|, com “d”em metros.

As1éa área da armadura de tração que se estende aténão menos que (d + lb,nec) além da seção considerada;

bwéa largura mínima da seção ao longo da altura útil “d”.

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei 4.6.1-Verificações Pertinentes às Nervuras

Como:

Em caso de necessidade de armadura transversal, aplicam-se os critérios estabelecidos nos itens 17.4.2 e 19.4.2 NBR 6118: 2003.

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei

4.6.2-Verificações Pertinentes a Mesa

para lajes com espaçamento entre eixos de nervuras entre 65 e 110cm;

se existirem cargas concentradas entre nervuras.

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei

4.6.2-Verificações Pertinentes a Mesa

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei

4.6.2-Verificações Pertinentes a Mesa

A mesa pode ser considerada como um painel de lajes maciçascontínuasapoiadas nas nervuras.

Essa continuidade implica em momentos negativos nesses apoios.

Deve ser disposta armadura para resistir a essa solicitação, além da armadura positiva.

Outra possibilidade éconsiderar a mesa apoiada nas nervuras:

Dessa forma, podem ocorrer fissuras na ligação das mesas, sobre as nervuras.

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei

4.6.2-Verificações Pertinentes a Mesa

Éverificado utilizando-se os critérios de lajes maciças.

Em geral, o cisalhamento somente terá importância na presença de cargas concentradasde valor significativo.

Recomenda-se, sempre que possível, que ações concentradas atuem diretamente nas nervuras, de forma a evitar a necessidade de armadura de cisalhamento na mesa.

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei 4.7-Verificação do Estado Limite de Serviço

Éfeito utilizando-se processos analíticosque divide o cálculo em duas parcelas:

Flecha diferida.

A NBR 6118:2003 estabelece limites para flechas.

Leva-se em consideração combinações de ações.

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei 4.7-Verificação do Estado Limite de Serviço

As combinações de serviço quase permanentes:

são aquelas que podem atuar durante grande parte do período de vida da estruturae sua consideração pode ser necessária na verificação do estado limite de deformações excessivas.

Fd,seréo valor de cálculo das ações para combinações de serviço; Fgi,ksão as ações devidas às cargas permanentes; Fqj,ksão as ações devidas às cargas variáveis; ψ2jéo coeficiente dado na tabela.

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei 4.7-Verificação do Estado Limite de Serviço

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei 4.8- Exemplo

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei 4.8- Exemplo

A laje nervurada L11, faz parte da estrutura do pavimento de um edifício residencial, sendo que as demais lajes são maciças. Escolheu-se enchimento detijolos cerâmicos furadosentre nervuras.

A rotina do projeto da laje nervurada segue a mesma já estudada para lajes maciças e os critérios para o dimensionamento das barras das armaduras e verificação da segurança estrutural são os indicados na NBR 6118:2003.

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei

cma cmh cmt a cma cmh cmt a laje laje sendo:

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei

cma cmh cmt a cma cmh cmt a laje laje sendo:

Prof. Ro mel Di as Van d e r lei

Como ℓef,y> ℓef,xos módulo do momento fletorna direção do eixo x serámaior que o módulo do momento na direção y (mx> my), portanto, é conveniente que as nervuras paralelas a ℓef,x fiquem mais próximas entre si do que as da direção y.

Material de enchimento:

Tijolos cerâmicos furados com dimensões de 9cm de largura, 19cm de comprimento e 19cm de altura.

4.8.2-Distância livre entre nervuras

(Parte 6 de 10)

Comentários