Eletro-eletrônica Básica

Eletro-eletrônica Básica

(Parte 1 de 12)

Apostila dos alunos do 1º eletroeletrônica e 1º Módulo eletroeletrônico.

Experimentos com: Resistores, Capacitores, Relés, Transformadores, Multímetro, Osciloscópio.

Atualizada em Janeiro/2006

EXPERIMENTO 01 INTRODUÇÃO A ELETROELETRONICA 03

EXPERIMENTO 02 MONTAGEM DE CIRCUITOS 15

EXPERIMENTO 03 MEDIDAS ELÉTRICAS 20

EXPERIMENTO 04 TENSÃO ELÉTRICA 32

EXPERIMENTO 05 CORRENTE ELÉTRICA 39

EXPERIMENTO 06 RESISTORES ESPECIAIS 46

EXPERIMENTO 07 RELÉ INDUTOR E CAPACITOR 52

EXPERIMENTO 08 OSCILOSCÓPIO 59

EXPERIMENTO 09 TRANSFORMADORES 64

EXPERIMENTO 10 CIRCUITO RC SÉRIE E CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA 71

BIBLIOGRAFIA 89

- Conhecer a representação por potência de dez e sua aplicação na elétrica.

- Aprender a transformar a notação cientifica nos múltiplos e submúltiplos das medidas elétricas; - Conhecer a grafia correta das unidades de medida;

- Determinar o valor nominal e a tolerância de resistores através do código de cores;

Legibilidade na confecção de circuitos elétricos Imagine se todo mundo que fosse elaborar um esquema elétrico elabora-se à sua maneira cada máquina ou cada televisor seria esquematizado de uma forma e na hora da manutenção seria um inferno, para se evitar este caos alguns intelectuais da área da elétrica resolveram padronizar no modelo diagramático utilizado atualmente. Começaram a partir daí surgirem às normas para elaboração dos desenhos eletrônicos da forma diagramática regulamentada por órgãos como ABNT, IEEE, Siemens, entre outros.

O que vem a ser uma norma? Norma é um conjunto de regras pré-estabelecidas com o intuito de regular as ações de todos aqueles que estejam trabalhando num objetivo. As Normas mais utilizadas no Brasil, o que se refere aos Circuitos Elétricos são:

Norma Organismo NormativoAbrangência
IPC Institute of Printed CircuitsInternacional

ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas Brasil ANSI American National Skyline Industries Internacional

Letras de Referência Existe um consenso mundial no que diz respeito às letras utilizadas para referências de componentes, sendo as mais comuns as relacionadas na tabela abaixo:

Letra de Referência

Tipo de Componente Letra de

Referência Tipo de Componente

A ou ANT Antenas P Ponto de Medição ou Teste C Capacitores POT Potenciômetro CN Conectores Q Transistor D Diodo R Resistor DZ Diodo Zener RL ou K Relé F Fusível S Chave

J Jumper* T Transformador L Indutores / Bobinas U ou CI Circuito Integrado LD ou LED Diodo emissor de Luz (LED) X ou XT Cristal

* Utiliza-se tanto para conjuntos de barras de pinos com estrapes como para pontes de fio utilizadas em placas de face simples.

Simbologia Simbologia é o estudo dos símbolos que são utilizados no meio técnico como uma linguagem clara, objetiva e universal na análise ou no desenvolvimento de circuitos eletroeletrônicos. Temos na tabela a seguir os símbolos empregados constantemente:

Componente Símbolo Função

Capacitor

Componente passivo de dois terminais cujo sua finalidade é armazenar energia quando polarizado por tensão.

Sua unidade de medida é o Farady (F) Existem vários tipos de capacitores onde podemos classificá-los de polarizados e não polarizados. Polarizados são os: Eletrolítico e Tântalo Não Polarizados são os Cerâmicos e Poliéster

Capacitor Variável

Tem a mesma função do capacitor a vantagem é pode ter sua capacitância variada através o parafuso central, normalmente são comercializados na ordem de pF e também são conhecidos como Trimmer

Indutor

Componente de dois terminais também denominado como bobina ter como principal função criar campo magnético. Sua unidade de medida é o Henry (H), componente bastante utilizado em filtros.

Relê Eletromecânico

O relé eletromecânico, como o próprio nome diz, é um dispositivo formado por uma parte elétrica e outra mecânica. A grande vantagem do relé é poder acionar um circuito elétrico de potência por meio de um outro circuito elétrico, muitas vezes de menor potência, estando ambos isolados eletricamente entre si, já que o acoplamento entre eles é apenas magnético.

Transformador

Quando aplicado uma tensão no primário o mesmo gerará através de um campo magnético uma tensão induzida no secundário do transformador. Temos três tipos mais comuns de transformador que são: Elevador, Rebaixador e Isolador.

Diodo

Componente de dois terminais denominados de Anodo (A) e Catodo (K) construído de material semicondutor que quando polarizado diretamente faz com que a tensão nele seja próximo de 0,6V e funcione como uma chave aberta.

Componente de dois terminais como denominados Anodo e Catodo e que quando polarizado diretamente emite luz numa tensão de aproximadamente 2V/20mA de corrente

Transistor

Componente de três terminais denominada Base (B), Emissor (E) e Coletor (C) também como o diodo é construído de material semicondutor e funciona quando é aplicado ao terminar de Base uma corrente que faz com que a corrente flua entre coletor e emissor

atuando como uma chave. De acordo com sua construção existem dois tipos de transistores o NPN e o PNP.

Transistor MOS-FET

O MOS-FET é um elemento largamente empregado na construção de circuitos integrados, pois sua característica nos permite construir circuitos muito mais complexos e versáteis do que os construídos com simples transistores de junção (bipolar)

Componente de três terminais denominados Catodo (K), Anodo (A) e Gate (G) da família dos tiristores (componentes de potência) são utilizados para acionamentos de carga de alta potência.

Circuitos Integrados

(Parte 1 de 12)

Comentários