Mestrado tecnologia de informação

Mestrado tecnologia de informação

(Parte 1 de 4)

Aleixina Maria Lopes Andalécio

O uso de ferramentas de tecnologia da informação e comunicação no desenvolvimento da pesquisa em Ciências Sociais: possibilidades e competências

Dissertação apresentada ao Curso de Mestrado em Ciência da Informação da Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais, como requisito parcial para obtenção do título de Mestre em Ciência da Informação.

Área de Concentração: Produção, Organização e Utilização da Informação

Orientadora: Profa. Dra. Regina Maria Marteleto

Belo Horizonte

Escola de Ciência da Informação da UFMG 2004

A543uO uso de ferramentas de tecnologia da informação e comunicação
2004no desenvolvimento da pesquisa em Ciências sociais: possibilidades

025.4.03 Andalécio, Aleixina Maria Lopes e competências/ Aleixina Maria Lopes Andalécio. - 2004

117f. : inclui anexos

Orientador: Regina Maria Marteleto Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Ciência da Informação.

de recuperação da informação - Teses I. Marteleto, Regina Maria

. 1. Ciência da informação - Teses 2.Ciências sociais - Teses. 3. Ciência e tecnologia - Serviço de informação - Teses 4. Sistemas I. Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Ciência da Informação. I.Título

Universidade Federal de Minas Gerais

Escola de Ciência da Informação Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação

“O USO DE FERRAMENTAS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NO DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA EM CIÊNCIAS SOCIAIS: POSSIBILIDADES E COMPETÊNCIAS”. Aleixina Maria Lopes Andalécio

Dissertação submetida à Banca Examinadora, designada pelo Colegiado do Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais, como parte dos requisitos à obtenção do título de “Mestre em Ciência da Informação”, linha de pesquisa “Informação, Cultura e Sociedade (ICS)”.

Dissertação aprovada em: 2 de junho de 2004.

A Marina, que aceitou pacientemente minhas ausências em função da dedicação a este trabalho, com todo meu amor.

À minha orientadora, professora Regina Maria Marteleto, pessoa fundamental no desenvolvimento deste trabalho.

Ao professor Márcio Luiz Bunte de Carvalho, a quem devo indicações preciosas na definição inicial do projeto de pesquisa.

Ao diretor do Centro de Computação da UFMG (CECOM/UFMG), Carlos Alfeu

Furtado da Fonseca, cujo apoio viabilizou minha participação no mestrado.

A meus colegas de trabalho no CECOM/UFMG, com quem pude contar em todos os momentos.

Às professoras e amigas, Maria Cecília Nogueira e Carolina Saliba, pelo incentivo à minha decisão de enfrentar o programa de mestrado.

Ao coordenador do curso de Doutorado em Sociologia e Política, professor

Antonio Fernando Mitre Canahuati, que tão prontamente autorizou a realização de entrevistas com os participantes do curso.

Ao secretário do curso de Doutorado em Sociologia e Política, José Eustáquio

Caldas, que forneceu informações essenciais para a parte prática deste trabalho.

Aos participantes do curso de Doutorado em Sociologia e Política, que se tornaram sujeitos ativos nesta investigação.

A meus familiares e amigos, que suportaram meus intermináveis comentários sobre este trabalho.

A Adilson Furtado, pela transcrição do material gravado. A Adriana Melo, pela paciente revisão do texto da dissertação.

Os computadores, sem dúvida, nos dão uma grande ajuda no armazenamento dos dados. Mas as limitações do nosso conhecimento continuam a nos frustrar.

Leandro Konder

A pesquisa científica envolve várias etapas que podem ser auxiliadas pela utilização de ferramentas de tecnologia da informação e comunicação. Este trabalho foi desenvolvido com o objetivo de investigar quando e como isso pode ocorrer e que competências são necessárias ao pesquisador para que esse uso se efetive. Para isso, foi feito um levantamento bibliográfico enfocando a evolução das tecnologias da informação e comunicação e seus efeitos na sociedade contemporânea e na Ciência da Informação, a pesquisa em Ciências Sociais e suas etapas, o uso de ferramentas de tecnologia da informação e comunicação nas diversas etapas da pesquisa e competências que podem contribuir para que elas sejam utilizadas de forma eficaz. Foi também realizado um trabalho de campo em que participantes de um programa de doutorado foram entrevistados, buscando verificar, no cotidiano de um determinado grupo de pesquisadores, como essas ferramentas estão sendo utilizadas em seu trabalho de pesquisa. As entrevistas permitiram levantar que algumas dessas ferramentas, principalmente o correio eletrônico, editor de texto e a Internet como fonte de informação, são já consideradas imprescindíveis, mas muitas outras ainda não são devidamente exploradas.

Scientific research involves tasks that can be assisted by the use of tools of information and communication technologies. This work was developed with the objective of investigating when this assistance occurs and which abilities are necessary for the researchers so that they can make use of these tools. Towards this end, a bibliographical survey was made focusing on the evolution of information and communication technologies and their effect on contemporary society and Information Science, the stages of the Social Sciences research, the use of tools of information and communication technologies in the several stages of the research and the abilities that contribute for them to be used effectively. A field work was also carried out in which participants of a doctoral program were interviewed to verify, in the daily routines of a certain group of researchers, how these tools are being used in their research work. The interviews allowed me to observe how these tools - mainly e-mail, text editing and Internet as source of information - are already considered indispensable, but many of them are still not adequately used.

bibliografia13
QUADRO 2 – Evolução de Tecnologias de Comunicação15
QUADRO 3 – Etapas e Atividades da Pesquisa em Ciências Sociais42

QUADRO 1 – Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) identificadas na

Ciências Sociais: uma Síntese Construída a Partir da Literatura72

QUADRO 4 – Usos de Tecnologias de Informação e Comunicação na Pesquisa em

QUADRO 5 – Usos de Tecnologias de Informação e Comunicação no Doutorado em Ciências Humanas: Sociologia e Política.............................................................. 85

Introdução1
sociedade1
1.1. Um breve histórico14
sociedade16
comunicação28
3. A pesquisa em Ciências Sociais36
3.1. As etapas da pesquisa em Ciências Sociais38
Ciências Sociais43
4.1. Fase exploratória49
4.2. Trabalho de campo51
4.3. Análise e tratamento do material58
4.4. Divulgação dos resultados63

5. O uso de ferramentas de tecnologias da informação e comunicação: em busca de novas competências ...................................................................... 74

6.1. O pesquisador e as tecnologias da informação e comunicação84
durante toda a pesquisa8
exploratória90
trabalho de campo91
análise do material92
divulgação dos resultados94
comunicação na pesquisa95
6.8. Competências no uso de tecnologias de informação e comunicação96
Considerações finais98
Referências bibliográficas106

Introdução

Nossa realidade não é outra senão nossa idéia da realidade Edgar Morin

A escolha de um tema de pesquisa nunca está desconectada da história do sujeito que a realiza. No caso desta dissertação, uma experiência de três décadas com ferramentas de tecnologia da informação e comunicação foi fator determinante na escolha do tema a estudar. E por que ferramentas de tecnologia da informação e comunicação e não simplesmente tecnologias da informação e comunicação? A expressão tecnologia traz consigo uma conotação de algo abstrato, como se fosse uma entidade absoluta que perpassa inevitavelmente nossa existência. Já o uso do termo ferramentas chama a atenção para o fato de que estamos lidando simplesmente com instrumentos criados pelo próprio homem para estender sua capacidade de intervenção no mundo que o cerca.

Meu primeiro contato com a informática (que era, então, conhecida como processamento de dados) se deu em 1974, na disciplina Programação de Computadores, cursada no primeiro período do ciclo básico de curso de Engenharia Elétrica da UFMG. Fui rapidamente seduzida por aquela novidade, envolvendo-me com atividades de monitoria, estágios e cursos na área, o que resultou na opção, ao terminar a graduação, pela profissão de analista de sistemas. Com isso, foi-me possível acompanhar as mudanças que ocorreram na área da informática nestes trinta anos. As principais foram a convergência entre as tecnologias de informação e as de comunicação e a migração de seu uso, antes restrito a um grupo reduzido de especialistas, em tarefas específicas, para atividades corriqueiras das pessoas. Um dos aspectos observados nesta trajetória foi que muitas pessoas deixam de utilizar ferramentas de tecnologias de informação e comunicação, ou algumas funcionalidades dessas ferramentas, que poderiam simplificar suas tarefas, realizando-as de uma maneira mais demorada e trabalhosa, geralmente por desconhecerem as características e possibilidades de uso dessas ferramentas. Meu interesse primordial era contribuir de alguma forma para mudar esta situação, ou seja, chamar a atenção para a possibilidade de se usarem essas ferramentas na realização de atividades cotidianas, seja no âmbito pessoal ou profissional.

A leitura de um texto da antropóloga e professora Rita Amaral, em que ela relata a utilização que fez da Internet no desenvolvimento de sua tese de doutorado (AMARAL, 2003), ajudou a delimitar o campo de estudo deste trabalho: a realização da pesquisa científica. Outro parâmetro que influenciou nessa definição foi o fato de que pesquisadores formam um grupo bastante privilegiado no que diz respeito ao acesso às tecnologias de informação e comunicação.

A necessidade de restringir um pouco mais o campo de estudo, para permitir a realização do trabalho no tempo determinado por um programa de mestrado, levou a enfocar uma determinada área de pesquisa. A alternativa mais óbvia seria a de investigar a própria Ciência da Informação. Entretanto, buscas por material de referência mostraram que o uso de tecnologias de informação e comunicação nas atividades de pesquisa praticamente não é alvo de relatos nessa área, o que talvez se explique pela naturalidade com que essas duas áreas se relacionam.

Já no contexto das Ciências Sociais, aqui consideradas como englobando a

Antropologia, a Ciência Política e a Sociologia, de acordo com a definição da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais - ANPOCS1, foi encontrado um vasto material bibliográfico disponível, o que, de certa forma, foi uma

1 http://www.anpocs.org.br surpresa para mim, por não serem estas áreas de conhecimento tradicionalmente reconhecidas como ligadas ao uso de tecnologias da informação e comunicação.

As perguntas que surgiam, nesse contexto da pesquisa em Ciências Sociais, eram:

• Que tipo de uso pode ser feito das ferramentas de tecnologia da informação e comunicação nas diversas etapas de desenvolvimento da pesquisa?

• Que competências na utilização de ferramentas de tecnologia da informação e comunicação são necessárias ao pesquisador para viabilizar este uso?

(Parte 1 de 4)

Comentários