noções de epidemiologia

noções de epidemiologia

Conceitos Básicos;

  • Conceitos Básicos;

  • Outras Definições;

  • Suas Aplicações;

  • Comparações Epidemiológicas:

  • Indicadores: Incidência x Prevalência x Taxas de Controle;

  • Cálculo de Risco:

  • Risco Relativo x Risco Atribuível ou à exposição;

  • Características da Epidemiologia;

  • Principais Usos Epidemiológicos;

  • Epidemiologia x Serviços de Saúde;

  • Avaliação Epidemiológica dos Serviços de Saúde;

  • Variantes Epidemiológicas:

  • Estudo;

  • Distribuição;

  • Determinantes;

  • Estados ou Acontecimentos;

  • Populações Específicas;

  • Objetivos da Epidemiologia.

Etmologicamente ou origem do termo:

  • Etmologicamente ou origem do termo:

  • EPI = Sobre; DEMOS = População; LOGOS = Tratado, Estudo.

  • Epidemiologia significa, desta forma, o estudo de algo ou de alguma coisa que afeta a população de um modo geral.

  • Tipos de Epidemiologia:

  • Epidemiologia clássica: é a que analisa os fatores de riscos – atua na prevenção e no retardamento da mortalidade.

  • Epidemiologia clínica: é a que promove a melhoria do diagnóstico e do tratamento, assim como o seu prognóstico em pacientes doentes.

  • Formas de como podem ser abordados os estudos científicos das doenças:

  • Nível submolecular ou molecular (biologia celular, bioquímica e imunologia, ou seja, respectivamente, é o estudo da forma, das alterações químicas dentro e fora dos organismos e dos seus mecanismos de defesa);

  • Nível dos tecidos e órgãos (anatomia patológica);

  • Nível individual dos pacientes(clínica);

  • Nível de populações (epidemiologia).

“A epidemiologia é o campo da ciência médica preocupada com o inter-relacionamento de vários fatores e condições que determinam a frequência e a distribuição de um processo infeccioso, uma doença ou um estado fisiológico em uma comunidade humana” (1951)

  • “A epidemiologia é o campo da ciência médica preocupada com o inter-relacionamento de vários fatores e condições que determinam a frequência e a distribuição de um processo infeccioso, uma doença ou um estado fisiológico em uma comunidade humana” (1951)

  • “Ramo das ciências da saúde que estuda, na população, a ocorrência, a distribuição e os fatores determinantes dos eventos relacionados com a saúde” (1978)

  • “Ciência que estuda o processo saúde-doença em coletividades humanas, analisando a distribuição e os fatores determinantes das enfermidades, danos à saúde e eventos associados à saúde coletiva, propondo medidas específicas de prevenção, controle, ou erradicação de doenças, e fornecendo indicadores que sirvam de suporte ao planejamento, administração e avaliação das ações de saúde” (Rouquayrol, 1999)

Descrever as reais condições de saúde da população de um modo geral;

  • Descrever as reais condições de saúde da população de um modo geral;

  • Investigar quais os fatores determinantes para gerar uma situação de pesquisa em saúde epidemiológica;

  • Avaliar quais os impactos das ações no intuito alterar a situação de saúde epidemiológica;

  • A comparação é uma constante da epidemiologia já que ela se estrutura no conceito de RISCO EPIDEMIOLÓGICO.

Risco: é o grau de probabilidade dos membros de uma população desenvolverem uma determinada doença ou evento relacionado à saúde, em um período de tempo.

  • Risco: é o grau de probabilidade dos membros de uma população desenvolverem uma determinada doença ou evento relacionado à saúde, em um período de tempo.

  • Indicadores que medem o risco de adoecer:

  • Incidência: ocorrência de determinados fatores epidemiológicos em determinadas épocas do ano.

  • Prevalência: grau de virulência, maior poder de acometimento do trauma.

  • Indicadores que medem o risco de morrer:

  • Coeficientes: Aquilo que, com sua presença ou ação em grau maior ou menor, tem influência na produção de determinado resultado.

  • Taxas de mortalidade ou mortandade: O número ou a quantidade de seres que morrem em certa época ou de uma determinada doença.

  • População de risco: Pessoas que correm o risco de desenvolver uma doença ou agravo à saúde. É o ponto de controle epidemiológico.

Cálculo do risco:

  • Cálculo do risco:

  • Risco absoluto (ou taxa de incidência): mostra quantos casos novos da doença aparecem no grupo, em um dado período. Ex: 15 óbitos anuais por coronariopatias por mil adultos com colesterol sérico elevado; 5 casos de coronariopatias por mil adultos com colesterol sérico baixo. 1/3 menos.

  • Risco relativo: informa quantas vezes o risco é maior em um grupo, quando comparado a outro. É a razão entre duas taxas de incidências. Exemplo: RR = 15/5 = 3.

  • Interpretação: risco 3 vezes maior de mortalidade por coronariopatia entre os que têm colesterol sérico elevado, quando comparado aos que tem colesterol sérico baixo. É o maior índice que puxa os dados para cima.

  • Risco atribuível (ou à exposição): indica a diferença de incidência entre dois grupos, ou seja, entre duas taxas de incidência.

  • Exemplo: RA = 15-5 = 10 óbitos anuais por coronariopatia por 1000 adultos com colesterol sérico elevado .

  • Interpretação: são os óbitos em excesso, atribuídos a presença de colesterol sérico elevado, nas pessoas integrantes no grupo considerado

Todos os achados devem se referir à população;

  • Todos os achados devem se referir à população;

  • As doenças ou problemas de saúde não ocorrem ao acaso: a distribuição destes problemas é produto dos fatores causais, ou determinantes que se distribuem desigualmente na população – a comparação de subgrupos populacionais é essencial para a identificação de determinantes das doenças;

  • Fatores causais estão associados, ao nível populacionais, com a ocorrência de doenças:

  • - Fator de risco: é qualquer fator associado à ocorrência de uma doença ou problema, isto é, mais frequente entre os doentes do que não doentes;

  • O conhecimento epidemiológico é essencial para a prevenção de doenças.

Diagnóstico de saúde comunitária

  • Diagnóstico de saúde comunitária

  • Monitoramento das condições de saúde

  • Identificação dos determinantes de doenças ou agravos

  • Validação de métodos diagnósticos

  • Estudo da história natural das doenças

  • Avaliação epidemiológica de serviços de saúde

Leva em conta o acesso da população aos serviços e a cobertura oferecida (p.ex: % de crianças vacinadas, proporção de indivíduos que são atingidos por determinada doença que são tratados e acompanhados; proporção de gestantes inscritas e acompanhadas pelo programa, etc.) – proporção da população coberta por diferentes programas – diretamente relacionada ao acesso.

  • Leva em conta o acesso da população aos serviços e a cobertura oferecida (p.ex: % de crianças vacinadas, proporção de indivíduos que são atingidos por determinada doença que são tratados e acompanhados; proporção de gestantes inscritas e acompanhadas pelo programa, etc.) – proporção da população coberta por diferentes programas – diretamente relacionada ao acesso.

  • Passos:

  • - Selecionar os indicadores mais apropriados, levando em conta os que se deseja avaliar;

  • Quantificar metas a serem atingidas com referência aos indicadores selecionados;

  • Coletar as informações epidemiológicas necessárias;

  • Comparar os resultados alcançados em relação às metas estabelecidas;

  • Revisar as estratégias, reformulando o plano quando necessário

Conceito de Epidemiologia do Trauma: é o estudo da distribuição e dos determinantes dos estados ou acontecimentos ligados à saúde, em populações específicas, aplicando estes estudos para o controle dos problemas de saúde de um modo geral.

  • Conceito de Epidemiologia do Trauma: é o estudo da distribuição e dos determinantes dos estados ou acontecimentos ligados à saúde, em populações específicas, aplicando estes estudos para o controle dos problemas de saúde de um modo geral.

Estudo: é a constante vigilância, observação, pesquisa e experimentos dos fatores ligados aos traumas, direta ou indiretamente, no intuito de atenuá-los e/ou abolir os mesmos.

  • Estudo: é a constante vigilância, observação, pesquisa e experimentos dos fatores ligados aos traumas, direta ou indiretamente, no intuito de atenuá-los e/ou abolir os mesmos.

  • Distribuição: é a análise temporal,

  • espacial e da categoria

  • da população afetada.

Determinantes: são todos os fatores físicos, biológicos, sociais e comportamentais que influenciam na saúde de toda a população.

  • Determinantes: são todos os fatores físicos, biológicos, sociais e comportamentais que influenciam na saúde de toda a população.

  • Estados ou acontecimentos: são as doenças, as causas de mortes, os comportamentos (uso de produtos perigosos à saúde), aversão à prevenção, instalação e uso dos serviços de saúde.

Populações específicas: são as características identificáveis e facilitadoras dos fatores acidentais, bem como o seu número definido para que sejam executadas as medidas preventivas no intuito de minimizar ou eliminar dos seus ambientes os traumas invalidantes ou redutores da funcionalidade.

  • Populações específicas: são as características identificáveis e facilitadoras dos fatores acidentais, bem como o seu número definido para que sejam executadas as medidas preventivas no intuito de minimizar ou eliminar dos seus ambientes os traumas invalidantes ou redutores da funcionalidade.

Promover;

  • Promover;

  • Proteger;

  • Restaurar a saúde.

Comentários