[Processos de Fundição] Aula 06 - Fornos de Fundição

[Processos de Fundição] Aula 06 - Fornos de Fundição

(Parte 4 de 5)

Os fornos elétricos podem ser de 3 tipos:

• A arco • Por indução

• Por resistência

Prof. BrennoFerreira de Souza –Engenheiro Metalúrgico

Fornos Elétricos

Vantagens:

• Peças fundidas de alta qualidade: controle de composição do produto final, evitando a contaminação.

• Menos espaço para instalação.

• Operados com maior limpeza e facilidade.

Prof. BrennoFerreira de Souza –Engenheiro Metalúrgico

Forno a Arco

Utilizam o calor desenvolvido pela descarga elétrica em forma de arco os eletrodos que são introduzidos no forno.

• Dois eletrodos: corrente monofásica

• Três eletrodos: corrente trifásica

• Dois eletrodos e a soleira: corrente trifásica

Prof. BrennoFerreira de Souza –Engenheiro Metalúrgico

Forno a Arco

A corrente utilizada é muito grande e são conectados a rede de distribuição de alta tensão através de transformadores especiais.

São construídos normalmente de forma basculante para facilitar o vazamento.

Existe tipos de forno com arco entre um eletrodo e a parede do forno, e após fundir o metal, entre o eletrodo e o banho de metal líquido.

Prof. BrennoFerreira de Souza –Engenheiro Metalúrgico

Forno a Arco

• Os eletrodos são baixados até entrar em contato com a carga metálica.

• Neste momento salta o arco, começando o aquecimento e a fusão do metal.

• A partir deste momento, os eletrodos sobem e descem até se formar um depósito de metal líquido debaixo de cada um.

Prof. BrennoFerreira de Souza –Engenheiro Metalúrgico

Forno a Arco

Pelo fato de não estar em contato com combustíveis, nem gases resultantes da combustão, é obtido um metal de boa qualidade, podendo ser mantido o controle de composição química mais exato do que em qualquer outro tipo de forno.

Prof. BrennoFerreira de Souza –Engenheiro Metalúrgico

Forno de Indução

Fundição das Ligas Leves Podem ser de baixa ou alta frequência.

Vantagens:

• Em ambos a força eletrodinâmica produz agitação no banho, obtendo-se um metal homogêneo.

Prof. BrennoFerreira de Souza –Engenheiro Metalúrgico

Forno de Indução

Baixa frequência:

• Metal fundido se dispõem em um cadinho de forma anular, que constitui a espira secundária de um transformador.

• Pela ação magnética da bobina primária, gera-se na bobina secundária uma correntes de alta intensidade, desenvolvendo o calor necessário para a fusão do metal.

Prof. BrennoFerreira de Souza –Engenheiro Metalúrgico

Forno de Indução

Alta frequência:

• Como no forno de baixa frequência, a corrente de alta frequência percorre o a bobina cilíndrica em cujo interior está o cadinho, de modo que o metal a ser fundido seja o núcleo percorrido pelo fluxo magnético induzido pela bobina.

• Pela variação desse fluxo magnético, são geradas correntes que produzem o aquecimento e a fusão do metal.

Prof. BrennoFerreira de Souza –Engenheiro Metalúrgico Forno de Indução

Prof. BrennoFerreira de Souza –Engenheiro Metalúrgico

Forno de Resistência

Utilizados para a fundição de metais de baixo ponto de fusão, geralmente alumínio e ligas leves, sendo sua capacidade bastante reduzida.

São basicamente constituídos de uma mufla de material refratário com alojamentos para a resistência (fios de Níquel-Cromo).

Na mufla é alojado o cadinho de grafite ou metálico.

Prof. BrennoFerreira de Souza –Engenheiro Metalúrgico

(Parte 4 de 5)

Comentários