Projeto, dimensionamento e detalhamento de estruturas de concreto

Projeto, dimensionamento e detalhamento de estruturas de concreto

(Parte 2 de 3)

Dimensionamento das bielas ¢Campos de tensões de compressão

Região D

Propagação suave sem tração transversal

Região B –sem tração transversal Região D –Propagação com curvaturas acentuadas, compressão e tração transversal

16 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento das bielas ¢ Estados multiaxiais

17 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento das bielas

¢Resistência lMenor que a resistência dos banzos comprimidos devido àtração da armaduras que as atravessam:

•0,85 fcd = compressão uniaxial e sem perturbação

•0,68 fcd = campos com fissuras paralelas às tensões de compressão

•0,51 fcd = campos de tensão com fissuras inclinadas

18 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos tirantes ¢As = Rst / fyd

19 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos nós lvolume de concreto que envolve as intersecções das bielas, forcas de ancoragem e forcas externas; lIdealização da realidade; lMudança de direção das forcas

20 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos nós ¢Nócontinuo: A

¢Nósingular: B

21 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos nós

¢A geometria dos nós deve ser compativel com a estrutura e o modelo adotado;

2 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos nós

¢Geralmente, as tensões de compressão nos nós são mais críticas nos locais de aplicação de forças concentradas

¢Dentro da estrutura locais críticos são as descontinuidades geométricas

23 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos nós

¢ Procedimentos simplificados lA armadura ancorada no nódeve ser distribuída em certa altura, para ajustar a geometria do nóàs forças concorrentes e àlargura dos campos de tensões lVerificação das tensões de compressão

24 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos nós

¢ Procedimentos simplificados lAncoragem dos tirantes

•começa a atuar na seção onde as tensões de compressão da biela encontrem a barra e comecem a ser desviadas

•Deve se estender no mínimo atéo fim do campo de tensão de compressão desviado por ela

•Se necessário a ancoragem deve se estender além da região do nó

25 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos nós ¢Nós somente com forças de compressão

26 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos nós ¢Nós com ancoragem de apenas barras paralelas

27 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos nós ¢Nós com barras dobradas

28 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos nós ¢Nós com tirantes e direções ortogonais

29 Estruturas de Concreto Armado

Dimensionamento dos nós

¢Resistência das regiões nodais depende de:

lArmadura tracionada no nó, sua distribuição e ancoragem lNível de confinamento

¢Limites para tensões médias:

l0,85 fcd para regiões onde se encontram apenas bielas comprimidas l0,65 fcd para nós ancorando apenas uma barra l0,5 fcd para nós ancorando tirantes em mais de uma direção

30 Estruturas de Concreto Armado

(Parte 2 de 3)

Comentários