Importância e distribuição da mancha-de-cercospora (Cercospora citrullina) em melancia no estado de Roraima

Importância e distribuição da mancha-de-cercospora (Cercospora citrullina) em...

(Parte 1 de 2)

Embrapa Roraima, BR 174, Km 08, Distrito Industrial, CP 133, 69301-970, Boa Vista-R Eng.Agrônomo, D.Sc. Fitopatologia, e-mail: halfeld@cpafrr.embrapa.br Eng.Agrônomo, D.Sc. Fitopatologia, e-mail: katia@cpafrr.embrapa.br Eng.Agrônomo, D.Sc. Entomologia, e-mail: paulo@cpafrr.embrapa.br

Importância e distribuição da mancha-de-cercospora (Cercospora citrullina) em melancia no estado de Roraima

Bernardo de Almeida Halfeld-Vieira 1 Kátia de Lima Nechet 2 Paulo Roberto Valle da Silva Pereira3

A melancia (Citrullus lanatus (Thunb.) Matsum. & Nakai) é cultivada no estado de Roraima visando atender tanto o mercado local como o de Manaus-AM, com destaque para os municípios de Boa Vista, Bonfim e Normandia, onde se encontram os maiores produtores. As principais cultivares produzidas são Charleston Gray e Crimson Sweet. Apesar de ser tradicionalmente cultivada, faltam informações sobre as principais doenças que incidem na cultura, levando a adoção de métodos de controle incorretos o que resulta muitas vezes na ineficiência dos produtos, ocasionando uma utilização indiscriminada de agrotóxicos. Neste contexto, a correta identificação dos patógenos é um fator primordial para reduzir tais problemas. Em Roraima, a mancha-decercospora tem sido observada em plantios comerciais de melancia, em alguns casos com alta severidade. Entretanto há poucos relatos de danos significativos à cultura (Athayde Sobrinho & Menezes, 1997) sendo considerada uma doença de pouca importância (Kurozawa & Pavan, 1997; Rêgo & Carrijo, 2000). No ano de 2004, Halfeld-Vieira et al. (2004) assinalaram sua ocorrência nos municípios de Boa Vista, Normandia e Pacaraima, relatando pela primeira vez esta doença no estado, sendo esta a mais freqüente na cultura. Neste trabalho determinou-se sua distribuição nas principais áreas em que se cultiva melancia em Roraima abrangendo diferentes ecossistemas.

Determinação dos locais de ocorrência

No período de março de 2003 a março de 2004 foram realizadas coletas em visitas a propriedades representativas nos municípios de Rorainópolis e Caroebe em ecossistema de mata; Cantá em ecossistema de transição; Boa Vista, Bonfim e Normandia em ecossistema de savana e Pacaraima, em ecossistema de savana, em região de altitude. Amostras de folhas de melancia com sintomas da mancha-

Foto:

B e r n ardo

A. Halfeld

V i e i r a

Importância e distribuição da mancha-de-cercospora (Cercospora citrullina) em melancia no estado de Roraima 2 de-cercospora foram coletadas e identificadas de acordo com o local. Todos os locais de coleta foram georeferenciados com aparelho de GPS Garmin® modelo eTrex Legend.

O material foi analisado no Laboratório de Fitossanidade da Embrapa Roraima fazendo-se observações em microscópio estereoscópico e ótico. Para identificação foram preparadas lâminas para observação das estruturas fúngicas em microscópio ótico, baseando-se na descrição do patógeno publicada por Halfeld- Vieira et al. (2004). Isolados foram preservados em meio de cultura BDA contendo óleo mineral e amostras vegetais herbarizadas se encontram catalogadas na coleção fitopatológica da Embrapa Roraima.

Distribuição da doença no estado de Roraima

A mancha-de-cercospora foi encontrada em todos os municípios visitados (Figura 1). Foi observado que técnicos e agricultores têm dificuldade em identificar a doença, constatada como sendo a mais freqüente na cultura da melancia no estado de Roraima, confirmando as observações de Halfeld-Vieira et al. (2004).

Sintomas da doença e danos

Os sintomas da mancha-de-cercospora em folhas de melancia se caracterizam por manchas amarronzadas, circulares, circundadas por halo amarelado (Figura 2). No centro da lesão é comum se observar uma pontuação de coloração mais clara (Figura da capa e Figura 2). Com o desenvolvimento da doença as manchas podem se tornar irregulares e coalescerem causando queima severa nas folhas. Em alta severidade pode-se observar manchas nas ramas. Embora a doença não cause danos nos frutos, pode ocasionar necrose foliar intensa, o que leva à redução do tamanho e qualidade dos frutos (Rêgo & Carrijo, 2000).

Características do patógeno

O agente causal da mancha-de-cercospora é o fungo mitospórico Cercospora citrullina Cooke, que se caracteriza por ter conidióforos amarronzados, dispostos em fascículos (Figura 3 A) e conídios hialinos, longos, aciculares e pluriseptados (Figura 3 B) (Chupp, 1954; Hino & Tokeshi, 1978; Halfeld-Vieira et al., 2004). Tem sido proposto que esta espécie seja reclassificada, por ser considerada pertencente ao complexo Cercospora apii s.lat. (Crous & Braun, 2003). Em meio de cultura as colônias têm crescimento lento e são de coloração róseo-arroxeadas, escurecendo ao longo do tempo. Uma característica observada nos isolamentos obtidos em Roraima foi a difusão de um pigmento amarelado em BDA (Halfeld- Vieira et al., 2004).

Biologia do patógeno

A principal via de dispersão de C. citrullina é pelo vento, que ocorre com bastante intensidade, principalmente em plantios localizados em região de savana, podendo ser disseminado a longa distância. Respingos d’água são eficientes na dispersão do patógeno para plantas próximas (Figura 4). A germinação dos conídios ocorre quando há água livre na superfície das folhas desenvolvendo-se rapidamente em temperaturas de 26 a 32 oC (Blancard et al., 1996). Apesar do patógeno poder ocorrer em diversas espécies de

Importância e distribuição da mancha-de-cercospora (Cercospora citrullina) em melancia no estado de Roraima 3 cucurbitáceas cultivadas e silvestres (Rêgo & Carrijo, 2000; Crous & Braun, 2003) em Roraima somente foi encontrado em melancia, mesmo quando cultivada próxima a outras cucurbitáceas. É relatada sua sobrevivência em restos de cultura por pelo menos dois anos, porém, não está bem esclarecido se o patógeno pode ser transmitido por sementes (Blancard et al., 1996).

I l u s t r ação:

B e r n a r do

A. H a l f e l d -

V i e i r a

Fig. 1. Locais em que foi assinalada incidência da mancha-decercospora no estado de Roraima. Propriedades próximas em que amostras foram coletadas estão representadas por um único ponto.

Fig. 2. Sintomas típicos da mancha-decercospora em que se observa mancha circular com halo amarelado.

Foto:

B e r r do

A. H a l f e l d -

V i e i r a

Importância e distribuição da mancha-de-cercospora (Cercospora citrullina) em melancia no estado de

Roraima 4

Foto:

B e r r do

A. H a l f e l d -

V i e i r a

Fig. 3. Conidióforos (A) e conídios (B) de Cercospora citrullina (barra= 50 µm)

I l u s t r ação:

B e r n a r do

A. H a l f e l d -

V i e i r a

Fig. 4. Ciclo de Cercospora citrullina.

Medidas de Controle

A adoção de diversas medidas de controle deve ser adotada. A eliminação de restos culturais é importante, já que o patógeno é capaz de sobreviver por períodos de até 2 anos em material vegetal contaminado (Rêgo & Carrijo, 2000). A sucessão de cultivos de melancia, como tem sido observado em diversos campos de produção no estado, contribui para o aumento da densidade de inóculo em cultivos subseqüentes, devendo-se realizar rotação de culturas sempre que possível. O adensamento de plantas é um fator que propicia o desenvolvimento da doença, pois mantém a umidade alta, favorecendo as condições para que o fungo se desenvolva, resultando em epidemias. O controle químico é eficiente

Infecção

Disseminação por vento e respingos

Plantas sadias

Plantas infectadas

Restos de cultura contaminados sobre o solo

(Parte 1 de 2)

Comentários