Doenças do Maracujá no Estado de Roraima

Doenças do Maracujá no Estado de Roraima

(Parte 2 de 3)

9 Doenças do Maracujá no Estado de Roraima

F ot o: B e r na rdo A

. H alfeld V i e i r a

Fig. 4. Apodrecimento de fruto causado por Colletotrichum gloeosporioides. Observa-se na região afetada, pequenas pontuações de coloração cinza-escuro.

Controle:

Utilizar sementes sadias na formação de mudas

Caso sejam obtidas mudas de terceiros, certificar-se de sua qualidade sanitária

Remover ramos, folhas e frutos com sintomas

Eliminar restos de cultura

Evitar molhamento foliar Realizar pulverização com fungicidas registrados

10 Doenças do Maracujá no Estado de Roraima Mancha-de-cercospora

A mancha-de-cercospora, causada por Pseudocercospora passiflorae Braun &

Crous, tem sido observada em plantas de maracujá nos municípios de Mucajaí e Boa Vista, porém, em baixa severidade. Os sintomas têm sido verificados apenas em folhas, havendo pequenas manchas amareladas, de formato angular, com seu centro de coloração parda (Figura 5). Apenas na face inferior das folhas observam-se conídios (Figura 6) e conidióforos (Figura 7) do fungo. Por ser uma doença que não tem causado danos significativos à cultura, não existem informações específicas sobre sua epidemiologia.

F

ot o: B e r na rdo A

. H alfeld V i e i r a

Fig 5. Manchas angulares, típicas da mancha-decercospora em maracujá.

F

1 Doenças do Maracujá no Estado de Roraima ot o: B e r na rdo A

. H alfeld V i e i r a

Fig. 6. Conídios de Pseudocercospora passiflorae.

F

ot o: B e r na rdo A

. H alfeld V i e i r a

Fig. 7. Conidióforos de Pseudocercospora passiflorae.

Controle:

Eliminar restos de cultura

Evitar molhamento foliar Fusariose

12 Doenças do Maracujá no Estado de Roraima

É uma doença importante por causar morte das plantas e tem sido observada em épocas chuvosas em Roraima ou em cultivos em que se tem excesso de umidade de água, por irrigação. Apesar de haver mais de uma espécie de Fusarium capaz de causar doença em plantas de maracujá, em Roraima, somente Fusarium solani (Mart.) Sacc. tem sido constatado (Figura 8). Os sintomas da doença são percebidos pelo produtor ao serem observadas plantas murchas, com secamento de folhas, sendo comum o apodrecimento da casca, na base do caule (Figura 9). Ao realizar um corte nesta região, observa-se um avermelhamento nos tecidos do caule (Figura 10). Esta espécie de Fusarium é capaz de causar doença em diversas plantas e os danos são maiores em condições de alta umidade do solo e excesso de matéria orgânica. Por ser um fungo habitante do solo é comum serem observadas plantas doentes em focos.

F

ot o: B e r na rdo A

. H alfeld V i e i r a

Fig 8. Microconídios e fiálides de Fusarium solani.

13 Doenças do Maracujá no Estado de Roraima

F ot o: B e r na rdo A

. H alfeld V i e i r a

Fig. 9. Apodrecimento da casca em maracujazeiro com fusariose.

F ot o: B e r na rdo A

. H alfeld V i e i r a

Fig. 10. Avermelhamento e apodrecimento da base do caule de maracujazeiro, causado por Fusarium solani.

14 Doenças do Maracujá no Estado de Roraima

Controle:

Utilizar sementes sadias na formação de mudas

Caso sejam obtidas mudas de terceiros, certificar-se de sua qualidade sanitária

Realizar o plantio em locais com boas condições de drenagem do solo

Evitar irrigação por sulcos, encharcamento do solo por grandes períodos e suplementação excessiva com matéria orgânica

Evitar plantio em áreas recém-desmatadas

Remover plantas com sintomas e as plantas vizinhas, assim que observado

Lavar os implementos utilizados na cova de plantas com sintomas (por exemplo: enxada), antes de utilizar em outros locais

Doenças causadas por bactérias

Mancha-bacteriana

A mancha-bacteriana do maracujá, causada pela bactéria Xanthomonas axonopodis pv. passiflorae (Pereira) Gonçalves & Rosato, é uma das principais doenças da cultura. Em Roraima, foi verificada pela primeira vez em julho de 2005, em maracujazeiro-amarelo (Passiflora edulis f. flavicarpa Deg.) cultivado em plantio comercial na região do Monte Cristo, em Boa Vista (Halfeld-Vieira & Nechet, 2006). Desde então, tem sido diagnosticada sistematicamente em amostras de maracujá. A mancha-bacteriana pode ser facilmente reconhecida, pelo encharcamento do tecido, com coloração verde-escura, ao redor das manchas que se formam nas folhas (Figura 1), sendo comum o início do desenvolvimento das lesões a partir dos bordos foliares (Figuras da capa, 1 e 12). As lesões avançam rapidamente em direção ao centro, progredindo para uma queima severa (Figura 12), na maioria das vezes com halo amarelado em torno do tecido necrosado (Figura da capa). Com o desenvolvimento da doença ocorre seca das folhas e, posteriormente, desfolha, reduzindo consideravelmente a produtividade. Ao atingir os feixes vasculares a bactéria causa infecção sistêmica, podendo ocasionar morte de ramos e, ocasionalmente, até da própria planta. Em frutos infectados, se desenvolvem manchas pardas, não deprimidas (Figura 13), quando há condições favoráveis ao desenvolvimento da doença, depreciando

15 Doenças do Maracujá no Estado de Roraima o aspecto do produto. Diferentemente da antracnose, não se observam nas manchas foliares e em frutos, pontuações de coloração cinza-escuro. A bactéria é capaz de infectar somente plantas pertencentes à família das passifloráceas e as condições favoráveis para ocorrência de epidemias são alta umidade e temperatura acima de 30 oC.

(Parte 2 de 3)

Comentários