Algas e o filo Dinophyta

Algas e o filo Dinophyta

(Parte 1 de 2)

Algas

•Dinophyta: Dinoflagelados (Alveolata) • Euglenophyta: euglenófitas

• Cryptophyta: criptófitas

• Haptophytas: haptófitas

•Rhodophyta: algas vermelhas

•Chlorophyta: algas verdes

•Todos esses organismos muitas vezes não têm laços de parentescos entre si

•Disciplina consagrada: ficologia (grego Phycos= algas)

•Grupo artificial: continua a se perpetuar por “comodidade”

•Classificação baseia-se em: natureza e localização dos pigmentos (clorofilas, ficobilinas, carotenos e carotenóides), tipo de carboidrato de reserva (próximos do amido ou da laminarina) e disposição dos tilacóides

Morfologia geral

•São talófitas autótrofas, aquáticas (maioria), coloração variada,uni ou pluricelulares, isoladas ou colôniais

•Possuem clorofila a,b,c,d e e; pigmentos como a fucoxantina (algas pardas), ficoeritrina (algas vermelhas), xantofilas e carotenos

•Pigmentos localizam-se em plastos

•Nos cloroplastos existem corpúsculos brilhantes de natureza protéica –pirenóides –cuja função é acumular amido

•Material de reserva: amido, óleo, paramilo, laminarina, manitol, leucosina e volutina

•Vivem em água doce e salgada, solo, árvores, pedras, neves, fontes termais, associações com fungos e animais

•Podem ser microscópicos e simples a macroscópicos e complexos

•Reprodução sexuada e assexuada • Reprodução assexuada:

•por divisão binária (um indivíduo maduro se divide em dois outros, ocorrendo mitose), ocorre em formas unicelulares

•por zoosporia (cada zoósporo dispersando pelo meio dá origem a uma nova alga), ocorre em formas colôniais

Morfologia geral

Reprodução sexuada por isogamia, heterogamia e oogamia Reprodução sexuada por isogamia, heterogamia e oogamia

Filo Dinophyta

•Grupo com 4.0 espécies (metade é fóssil) •550 gêneros (3/4 são fósseis)

•Maioria planctônicas, marinhas (90%), numerosas espécies dulciaquícolas

•Dos pólos aos trópicos, abundantes em águas quentes •Existem espécies endozóoicas, simbióticas ou parasitas

•Alveolados: grupo caracterizado pela presença de pequenas cavidades envolvidas por membranas sob a membrana plasmática

Morfologia de Dinófita

•Maioria unicelulares biflagelados, com flagelos batendo no interior de dois sulcos

•Sulco equatorial (cingulum), circunda o corpo com um cinto

•Sulco longitudinal (sulcus), é perpendicular ao equatorial

•Batimento dos flagelos permite movimento de rotação

Noctiluca scintilans Ceratium hirundinnella

•Existem dinoflagelados imóveis (com células reprodutoras flageladas), amebóides ou colôniais

•Possui núcleo (dinocarion)

•Cromossomos estão sempre condensados

•Possuem placas de celulose em vesículas sob a membrana plasmática: Teca, que lembra uma armadura antiga

Lingulodinium polyedrum

•Algumas placas ajudam na flutuação

•Metade dos dinoflagelados não possuem aparato fotossintetizante

•Nutrem-se por ingestão de partículas sólidas ou absorção dos compostos orgânicos

•Alguns possuem órgão de apreensão especializado chamado pedúnculo, que suga a matéria orgânica para dentro da célula

•Dinoflagelados pigmentados possuem clorofila ae c, carotenóides

•Carboidrato de reserva é o amido

•Dinoflagelados pigmentados ocorrem como simbiontes, incluindo esponjas, águas-vivas, anêmonas-do-mar, corais, polvos e lulas, etc

•Quando simbiontes não possuem tecas e aparecem como células esféricas douradas chamadas zooxantelas

•Tecidos dos corais podem conter 30.0 dino por mm2

Coral sem zooxantelas Coral com zooxantelas

•Pólipos produzem aminoácidos que estimulam os dinoflagelados a sintetizarem o glicerol que é utilizado na respiração do coral

(Parte 1 de 2)

Comentários