É um método utilizado para se implantar, na prática profissional, uma teoria de enfermagem.

  • É um método utilizado para se implantar, na prática profissional, uma teoria de enfermagem.

  • O processo de enfermagem fornece estrutura para a tomada de decisão durante a assistência de enfermagem, tornando-a mais científica e menos intuitiva (JESUS, 2002).

A ciência da enfermagem está baseada em uma ampla estrutura teórica, e o processo de enfermagem é uma das ferramentas por meio da qual essa estrutura é aplicada à prática de enfermagem – ou seja, é o método de solução dos problemas do cliente.

  • A ciência da enfermagem está baseada em uma ampla estrutura teórica, e o processo de enfermagem é uma das ferramentas por meio da qual essa estrutura é aplicada à prática de enfermagem – ou seja, é o método de solução dos problemas do cliente.

Consiste na coleta de informações referentes ao estado de saúde do cliente, da família e da comunidade (definidos de acordo com a teoria de enfermagem utilizada como marco conceitual), com o propósito de identificar as necessidades, os problemas, as preocupações e as reações humanas desse cliente.

  • Consiste na coleta de informações referentes ao estado de saúde do cliente, da família e da comunidade (definidos de acordo com a teoria de enfermagem utilizada como marco conceitual), com o propósito de identificar as necessidades, os problemas, as preocupações e as reações humanas desse cliente.

  • As informações devem ser o mais precisas e fidedignas possível.

COLETA DE DADOS

  • COLETA DE DADOS

  • VALIDAÇÃO DOS DADOS

  • AGRUPAMENTO DOS DADOS

  • IDENTIFICAÇÃO DE PADRÕES

  • COMUNICAÇÃO E REGISTRO DE DADOS

Os dados referentes ao estado de saúde do cliente são investigados de maneira direta e indireta.

  • Os dados referentes ao estado de saúde do cliente são investigados de maneira direta e indireta.

  • DADOS DIRETOS: anamnese, exame físico

  • DADOS INDIRETOS: familiares, amigos, prontuários, registros de outros profissionais, resultados de exames, outros.

Termos grego

  • Termos grego

  • ANA = Recordar

  • MNESIS = Memória

  • É o núcleo em torno do qual se desenvolve toda a relação profissional-paciente, sendo o elemento básico na tomada de decisões diagnósticas e terapêuticas.

Estabelecer condições para a relação profissional – paciente.

  • Estabelecer condições para a relação profissional – paciente.

  • Fazer a história clínica e conhecer os fatores pessoais, familiares e ambientais relacionados com o paciente.

  • Estabelecer os aspectos do exame físico que mereçam mais investigação

  • Definir a estratégia relativa a exames complementares

  • Escolher o procedimento terapêutico mais adequado em função do diagnóstico e do conhecimento global do paciente.

Comprova se os dados estão corretos

  • Comprova se os dados estão corretos

  • Compara

  • Verifica se a informação coletada é factual e completa, no intuito de evitar erros na identificação dos problemas ou deixar de coletar dados relevantes, não fazer presunções, entre outros aspectos.

Os dados de saúde devem ser agrupados em conjuntos de informações relacionadas, mantendo-se o enfoque de enfermagem e aproximando-se os padrões de resposta e funcionamento humanos.

  • Os dados de saúde devem ser agrupados em conjuntos de informações relacionadas, mantendo-se o enfoque de enfermagem e aproximando-se os padrões de resposta e funcionamento humanos.

  • É um princípio do pensamento crítico que exige do enfermeiro um julgamento baseado em evidências.

  • Instrumentos – visão holística, assegurando que as esferas biológica, sociais, psicológicas e espirituais sejam levadas em conta, conforme a teoria de enfermagem utilizada.

O enfermeiro deverá identificar impressões iniciais dos padrões de comportamento humano e decidir sobre o que é relevante, direcionando a investigação para adquirir mais informações, ou seja, buscar os fatores que contribuem para a criação do padrão.

  • O enfermeiro deverá identificar impressões iniciais dos padrões de comportamento humano e decidir sobre o que é relevante, direcionando a investigação para adquirir mais informações, ou seja, buscar os fatores que contribuem para a criação do padrão.

  • Ex: Taquipnéia – o enfermeiro deve inferir quais são os fatores relacionados com o aparecimento das evidências apresentadas pelo cliente.

Dados significativos (ou anormais)

  • Dados significativos (ou anormais)

  • O registro dos dados promove a continuidade da assistência, a exatidão das anotações e o pensamento crítico, uma vez que o enfermeiro pode avaliar o registro e com isso analisar os dados coletados e aprofundar seus conhecimentos.

  • A organização dos dados é essencial para a interpretação dos mesmos e para o processamento apto e crítico de inferências e julgamentos.

Rapport (palavra francesa que significa padrão). Para estabelecer rapport, fazer perguntas, escutar e observar constitui a chave de uma relação positiva enfermeira- paciente, sendo essencial à obtenção dos fatos.

  • Rapport (palavra francesa que significa padrão). Para estabelecer rapport, fazer perguntas, escutar e observar constitui a chave de uma relação positiva enfermeira- paciente, sendo essencial à obtenção dos fatos.

Organize-se

  • Organize-se

  • Não confie na memória

  • Planeje tempo suficiente

  • Assegure privacidade

  • Concentre-se

  • Visualize-se como uma pessoa confiante, acolhedora e útil.

Diga seu nome e cargo

  • Diga seu nome e cargo

  • Verifique o nome da pessoa e pergunte como gostaria de ser chamada

  • Explique com brevidade seu propósito

  • DURANTE a entrevista

  • Dê atenção total á pessoa

  • Não tenha pressa

  • Sente-se

Seja empático;

  • Seja empático;

  • Use frases complementares curtas

  • Ouça os sentimentos, além das palavras

  • Permita que a pessoa saiba que você percebe a linguagem corporal;

  • Mantenha a calma, permita que a pessoa conclua suas frases

  • Seja paciente, caso ocorra um bloqueio de memória

  • Evite o impulso de interromper

  • Permita pausas na conversa – o silêncio possibilita reunir e ordenar os pensamentos.

Pergunte, primeiro, a respeito do principal problema da pessoa;

  • Pergunte, primeiro, a respeito do principal problema da pessoa;

  • Focalize suas perguntas, específicas nos sinais e sintomas

  • Não use perguntas indutoras

  • Faça uso de enunciados exploratórios – conte-me...

  • Use técnicas de comunicação que intensifiquem sua capacidade de pensamento crítico e de obtenção dos fatos;

  • Evite perguntas fechadas - Você tem dor?

Use os seus Sentidos

  • Use os seus Sentidos

  • Observe o aspecto geral

  • Observe a linguagem corporal

  • Perceba padrões de interação (adeque-se)

Bibliografia

  • Bibliografia

  • Carpenito LJ. Manual de diagnósticos de enfermagem. 9ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2003.

  • CIPE versão 1: Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem / Comitê Internacional de Enfermeiros; [tradução Heimar de Fátima Marin].- São Paulo:Algol Editora, 2007. 

  • Lunney M. Pensamento crítico e diagnóstico de enfermagem: estudos de caso e análises.Porto Alegre:Artmed.2004

  • Nursing Diagnoses: Definitions & Classification 2009-2011. NANDA International. Edited by Herdman TH. Wiley-Blackwell:United Kingdom, 2009.

  • Sparks SM; Taylor CM; Dyer JG. Diagnósticos de enfermagem. Rio de Janeiro: Reichmann &

  • Afonso Editores, 2000.

  • Gaidzinski, R. R. ; Soares, AVN; Lima, AFC ; Gutierrez, BAO ; Cruz, DA L M; Rogenski, NMB; Sancinetti, TR. Diagnóstico de enfermagem na prática clínica. 1. ed. Porto Alegre (RS): Artmed, 2008. v. 1. 368 p.

Comentários