C ENTRO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE TERESINA

FRANCISCO ALVES DE ARAUJO

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE TERESINA – CET CURSO DE BACHARELADO EM ENFERMAGEM

DISCIPLINA FISIOLOGIA

PROFESSORA: FRANCILÉIA CALLAND

ABSORÇÃO INTESTINAL NO CÃO

Relatório apresentado

à Disciplina de Fisiologia, Orientadora Franciléia Calland,

como pré-requisito necessário para obtenção parcial de nota.

Ana Cristina

Marília Souza

Socorro Mesquita

Maria Zeneide

Tereza Joa

TERESINA

NOVEMBRO/ 2010

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO…………………………………………………………………………..03

2DISCUSSÃO……………………………………………………………………………...04

3RESULTADOS…………………………………………………………………………...05

4CONCLUSÃO…………………………………………………………………………….06

REFERÊNCIAS………………………………………………………………………….07

INTRODUÇÃO

O trato alimentar abastece o corpo com um suprimento contínuo de água, eletrólitos e nutrientes.Isso requer movimentação do alimento e secreção de soluções digestivas e digestão dos alimentos,absorção de água, diversos eletrólitos e produtos da digestão. Para que os alimentos possam ser processados adequadamente no trato alimentar, o tempo em que eles permanecem em cada parte do trato é importante. Pela digestão, as grandes moléculas que constituem as substâncias orgânicas dos alimentos são transformadas em moléculas menores, suficientemente pequenas para atravessar a membrana das células intestinais, passando para o sangue e para a linfa; esse processo é denominado de absorção. Apenas umas poucas substâncias, como o álcool etílico, a água e os sais minerais, podem ser absorvidos diretamente no estômago. A maioria absoluta dos nutrientes é absorvida pela mucosa do intestino delgado, de onde passa para os capilares sanguíneos e linfáticos (GUYTON;HALL,2002).

No intestino ocorre a etapa final da digestão e também a absorção de água, sais minerais e produtos da digestão. Ele é constituído de um tubo, cujo comprimento varia nos diferentes grupos animais, e tem cerca de 6 m de comprimento, de acordo com o tipo de alimentação (LOPES & ROSSO, 2005).

O glicerol e os ácidos graxos resultantes da digestão de lipídios são absorvidos pelas células intestinais, no interior das quais são novamente convertidos em lipídios e agrupados em pequenos grãos lipídicos. Estes são lançados nos vasos linfáticos intestinais, por onde chegam a veia cava e ao coração, de onde são distribuídos para as demais células do corpo por meio do sangue que deixa o coração ((AMABIS & MARTHO, 2004).

A superfície interna do intestino delgado é intensamente pregueada com milhões de pequenas dobras chamadas de vilosidades intestinais. Até mesmo as membranas de cada célula do epitélio intestinal apresentam dobrinhas microscópicas, denominadas microvilosidades. O intenso pregueado da superfície interna do intestino delgado proporciona uma ampla superfície de contado entre as células e os nutrientes, responsável pela grande capacidade de absorção intestinal (AMABIS & MARTHO, 2004).

DISCUSSÃO E RESULTADOS

O primeiro procedimento com o cão,animal em experimento, foi anestesiado e colocado sobre a mesa cirúrgica, iniciou-se o procedimento com a carótida comum direito ao lado dela o nervo vago, não preciso do nervo vago, só artéria carótida comum esquerda tira o nervo vago no quimo artéria.

Traquéia – feita traqueostomia e isolado as duas carótidas.

1º procedimento →vamos elevar a parte traseira do animal e aumento do fluxo sanguíneo vai para o centro, onde:

PA= inicial normal 140 e após o procedimento vai para 124 PA.

Elevação da parte dianteira, observa que PA inicial era 140 PA – depois do procedimento vai para 150 PA e freqüência cardíaca aumento 146.

Carótida comum esquerda e direita vai ser pinçada, como vai aumentar a pressão arterial

Que estava em 130 e ficou após o procedimento 140 PA e freqüência cardíaca e 137.

A adrenalina é vasoconstrictor que aumenta concentração cardíaca onde pressão arterial, quando colocado 2 ml fazer uma pressão sobre demais ela baixa.

PA antes da adrenalina – 140

Depois -----220 e 160 FC

Quando acetilcolina é colocado 2ml a pressão arterial inicial PA- 180 e depois a pressão arterial vai 120 enquanto a freqüência cardíaca é 88.

Quando é colocado atropina + adrenalina em uma sequência – 2ml

Antes 120--------240 depois

FC =92

  1. Atropina + 2 acetilcolina – não fazer que pressão arterial não cai

Antes=170 depois =160

CONTEÚDO

VOLUME INJETADO

VOLUME RECOLHIDO

VOLUME ABSORVIDO

VOLUME SECRETADO

HORÁRIO

Soluto de Ringer

15 ML

6 ML

9 ML

0

17:00hs

Glicose 5%

15 ML

11 ML

4 ML

0

17:01hs

Sulfato de mag. 25%

15 ML

30 ML

0

15 ML

17:02hs

Glicose 25%

15 ML

20 ML

0

5 ML

17:03hs

Óleo comestível+água

15 ML

9 ML

6 ML

0

17:04hs

Leite

15 ML

10 ML

5 ML

0

17:05hs

Cloreto de sódio

15ML

25 ML

0

10

17:06hs

REFERÊNCIAS

GUYTON e HALL. Tratado de Fisiologia Médica. 10ª edição, Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro – RJ, 2002.

AMABIS, J. M; MARTHO, G. R. Biologia dos organismos - 2.ed – São Paulo: Moderna, 2004.

LOPES, S; ROSSO, S. Biologia – volume único – 1.ed – São Paulo: Saraiva, 2005.

Comentários