Introdução à  Saude Publica e Epidemiologia

Introdução à Saude Publica e Epidemiologia

(Parte 5 de 11)

¾ Construir um frequência de distribuição

¾ Apresentar um frequência de distribuição na forma de tabela ou gráfico (histograma) ¾ Interpretar tabelas e gráficos (incluindo pirâmide populacional)

¾ Definir e calcular a média, mediana, Intervalo interquartil e outras medidas de tendência central e de dispersão

8. Medidas de frequência e gravidade de doenças Dia 11 7.30 ‐9.30

Dr. Francisco Mbofana

Objectivos de aprendizagem

¾ Distinguir dados da informação; ¾ Definir o conceito de indicadores;

¾ Calcular e interpretar as medidas de ocorrência de doença

¾ Identificar e calcular os indicadores mais apropriados de quantificação de problemas de Saúde

9. Medidas de Associação Dia 12 7.30 ‐9.30

Prof. Doutor Martinho Dgedge

Objectivos de aprendizagem

¾ Distinguir risco de ODDS;

¾ Distinguir risco absoluto do relativo;

¾ Construir a tabela 2x2;

¾ Calcular risco relativo, atribuível e ODDS ratio e interpretar as medidas de associação.

Introdução à Epidemiologia e Saúde Pública Pg. 14

Conteúdo Dia Palestrante

10. Tipos de estudos epidemiológicos: a. Estudos Observacionais b. Estudos Experimentais

Prof. Doutor Martinho Dgedge

Objectivos de aprendizagem

¾ Reconhecer e analisar distintos estudos epidemiológicos, considerando o problema ou evento que analisam, os objectivos do estudo e os diversos desenhos que adoptam

¾ Seleccionar o tipo de desenho apropriado para o estudo que se propõe realizar

1. Amostras e inquéritos: a. Introdução, inquéritos numa US, população e amostras b. Inquéritos na população (prevalência, demográficos, CAP e utilização de serviços)

Dra. Fátima Abacassamo

Objectivos de aprendizagem

¾ Definir os diversos tipos de inquéritos e dar exemplos apropriados em que cada questionário foi desenhado para responder o Inquérito de prevalência o Inquérito demográfico o Inquérito CAP

¾ Definir amostras e descrever um método de obtenção duma amostra aleatória

¾ Enunciar as fontes de dados demográficos

12. Como obter informações sobre o estado de saúde da população/como fazer vigilância epidemiológica Dias 17 e 18

7.30 ‐9.30 Doutor Jahit Sacarlal

Objectivos de aprendizagem

¾ Definir o conceito de vigilância epidemiológica; ¾ Identificar o propósito e objectivos da vigilância epidemiológica;

¾ Listar as utilidades da vigilância epidemiológica em saúde pública;

¾ Identificar e descrever as actividades básicas da vigilância epidemiológica ao nível local ¾ Listar os atributos usados para avaliar sistemas de vigilância;

¾ Listar as principais etapas para estabelecer um sistema de vigilância;

¾ Descrever o sistema de vigilância epidemiológica de Moçambique

Introdução à Epidemiologia e Saúde Pública Pg. 15

Sessões de práticas # Prática Designação Objectivos

Prática 1 John Snow • Replicar como os estudos do John Snow influenciaram a

Saúde Pública e a Epidemiologia de hoje. John Snow é o marco fundador da epidemiologia (John Snow e a Bomba de Broad Street e Cólera e companhias de águas de Londres)

Prática 2 Introdução à epidemiologia • Familiarizar‐se com cada uma das palavras‐chave que fazem a definição da epidemiologia

Prática 3 História Natural da Doença e Níveis de Prevenção de Doenças

• Descrever a história natural da doença atribuída, nomeadamente, a interacção entre os componentes da Tríade Epidemiológica durante o período pré‐patogénico e patogénico.

• Com base na história natural da doença descriminar e classificar, em fases e níveis, as medidas de prevenção aplicáveis à referida doença abordando a sua prioridade, seu custo‐eficácia e efectividade nas condições reais do nosso país.

Prática 4 Estatística básica • Calcular percentagens a partir de números e números a partir de percentagens

• Construir uma tabela de distribuição de frequência

• Apresentar uma distribuição de frequência na forma de tabela ou gráfico (histograma)

• Interpretar tabelas e gráficos (incluindo pirâmide populacional)

• Definir e calcular a média, mediana, Intervalo interquartil e outras medidas de tendência central e de dispersão

(Parte 5 de 11)

Comentários