Métodos Contraceptivos

Métodos Contraceptivos

A prevenção da gestação não planejada é fundamental, principalmente para adolescentes e adultos jovens sexualmente ativos, que devem ser orientados precocemente, uma vez que a idade para início das relações sexuais está diminuindo cada vez mais, enquanto estão aumentando o número de adolescentes grávidas.

  • A prevenção da gestação não planejada é fundamental, principalmente para adolescentes e adultos jovens sexualmente ativos, que devem ser orientados precocemente, uma vez que a idade para início das relações sexuais está diminuindo cada vez mais, enquanto estão aumentando o número de adolescentes grávidas.

  • Os métodos contraceptivos podem ser divididos didaticamente em: - comportamentais; - de barreira; - dispositivo intra-uterino (DIU); - métodos hormonais; - métodos cirúrgicos.

A escolha do método contraceptivo deve ser sempre personalizada levando-se em conta fatores como:

  • A escolha do método contraceptivo deve ser sempre personalizada levando-se em conta fatores como:

      • idade,
      • números de filhos,
      • compreensão e tolerância ao método,
      • desejo de procriação futura,
      • a presença de doenças crônicas que possam agravar-se com o uso de determinado método.
  • Como todos os métodos têm suas limitações, é importante que saibamos quais são elas, para que eventualmente possamos optar por um dos métodos.

  • Todavia, na orientação sobre os métodos anticoncepcionais deve ser destacada a necessidade da dupla proteção (contracepção e prevenção das DSTs e AIDS), mostrando a importância dos métodos de barreira, como os preservativos masculinos ou femininos.

Tabelinha utiliza-se da contagem dos dias do ciclo, evitando os dias próximos à ovulação.

  • Tabelinha utiliza-se da contagem dos dias do ciclo, evitando os dias próximos à ovulação.

É um envoltório de látex que recobre o pênis, retendo o sêmen no ato sexual, impedido o contato deste e de outros microrganismos com a vagina e o pênis ou vice-versa.

  • É um envoltório de látex que recobre o pênis, retendo o sêmen no ato sexual, impedido o contato deste e de outros microrganismos com a vagina e o pênis ou vice-versa.

  • Uso: desenrolar a camisinha no pênis ereto, antes de qualquer contato com a vagina, ânus ou boca. Deve ser retirada do pênis imediatamente após a ejaculação, segurando as bordas da camisinha para impedir que os espermatozóides escapem para a vagina.

  • Eficácia: A taxa de falha varia de 3 a 14 mulheres em 100 podem ficar grávidas em um ano de uso.

Constitui-se em um tubo de poliuretano com uma extremidade fechada e a outra aberta acoplado a dois anéis flexíveis também de poliuretano na cérvice uterina, paredes vaginais e vulva. O produto já vem lubrificado devendo ser utilizado uma única vez, destacando-se que o poliuretano por ser mais resistente que o látex pode ser utilizado com vários tipos de lubrificantes.

  • Constitui-se em um tubo de poliuretano com uma extremidade fechada e a outra aberta acoplado a dois anéis flexíveis também de poliuretano na cérvice uterina, paredes vaginais e vulva. O produto já vem lubrificado devendo ser utilizado uma única vez, destacando-se que o poliuretano por ser mais resistente que o látex pode ser utilizado com vários tipos de lubrificantes.

  • Uso: retirar da embalagem somente na hora do uso. Flexionar o anel de modo que possa ser introduzido na vagina. Com os dedos indicador e médio, empurrar o máximo que puder, de modo que fique sobrando um pouco para fora, o que deve permanecer assim durante a relação. Retirar logo após a ejaculação, rosqueando o anel para que não escorra o líquido seminal para dentro da vagina.

  • Eficácia: Se usada corretamente, sua eficácia é alta, varia de 82 a 97%.

Consiste na utilização de estrogênio associado ao progesterona, impedindo a concepção por inibir a ovulação pelo bloqueio da liberação de gonadotrofinas pela hipófise. Também modifica o muco cervical tornando-o hostil ao espermatozóide, altera as condições endometriais, modifica a contratilidade das tubas, interferindo no transporte ovular.

  • Consiste na utilização de estrogênio associado ao progesterona, impedindo a concepção por inibir a ovulação pelo bloqueio da liberação de gonadotrofinas pela hipófise. Também modifica o muco cervical tornando-o hostil ao espermatozóide, altera as condições endometriais, modifica a contratilidade das tubas, interferindo no transporte ovular.

  • Existem diversos tipos de pílulas. As mais comumente receitadas são: monofásicas, multifásicas e pílulas de baixa dosagem ou minipílulas.

Pílulas monofásicas: toma-se uma pílula por dia, e todas têm a mesma dosagem de hormônios (estrogênio e progesterona). Começa-se a tomar no quinto dia da menstruação até a cartela acabar. Fica-se sete dias sem tomar, durante os quais sobrevém a menstruação.

  • Pílulas monofásicas: toma-se uma pílula por dia, e todas têm a mesma dosagem de hormônios (estrogênio e progesterona). Começa-se a tomar no quinto dia da menstruação até a cartela acabar. Fica-se sete dias sem tomar, durante os quais sobrevém a menstruação.

Comentários