[Gestão da Qualidade] Aula 03 - Gestão da Qualidade III-Estratificação

[Gestão da Qualidade] Aula 03 - Gestão da Qualidade III-Estratificação

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Introdução

Quando é necessário quebrar uma representação em categorias ou classes mais significativas afim de direcionar as ações corretivas ou pesquisar oportunidades de melhoria.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Introdução 3

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Conceito

Disposição por camadas ou como por camadas – acamamento (Aurélio).

Ferramentaque divide o problema em

partes para facilitar seu entendimento.

•Divisão de um grupo em subgrupos

•Fatores apropriados são os fatores de estratificação.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Conceito 5

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Fatores de Estratificação

A figura abaixo apresenta as várias categorias que os dados de um determinado evento (falha ou problema) pode ser observado.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Fatores de Estratificação

Devemos estratificar as informações sob vários pontos de vista :

•Tempo: Os resultados relacionados ao problema são diferentes de manhã, à tarde, á noite?

•Local: Os resultados são diferentes nas diferentes linhas de produção da indústria ou nas diferentes regiões do país onde o produto é comercializado?

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Fatores de Estratificação

•Tipo: São obtidos diferentes resultados dependendo do fornecedor da matéria-prima utilizada?

•Sintoma: Os resultados diferem em função dos diferentes defeitos que podem ocorrer?

•Indivíduo: Diferentes operadores estão associados a resultados distintos?

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Fatores de Estratificação 9

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Exemplos

Os dados sobre acidentes ocorridos numa área podem estar sendo registrados numa simples folha, estejam eles aumentando ou diminuindo.

Mas esse número é a soma do total dos acidentes, e que poderia ser estratificado por:

Por tipo: corte, queimadura, etc.

Por local afetado: olhos, mãos, cabeça, etc.

Por departamento: manutenção, expedição, laboratório, etc.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Exemplos

Modos de falhas de máquinas.

•Nesta situação são registradas as causas de quebras ou falhas de equipamentos, com o objetivo de identificar esquemas de manutenção preventiva a serem implementados.

Paradas de manutenção.

•Sempre que um equipamento deixa de produzir, por algum motivo, tal como falta de estoque de matériaprima, espera por manutenção, troca de ferramenta ou ausência de operador, a causa e o tempo de duração da parada.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Exemplos

Uma indústria de autopeças produz molas de aço, as quais têm a dureza como uma de suas principais características da qualidade.

Os limites de especificação para a dureza das molas são: LIE 370 HB e LSE = 435 HB.

•LIE = Limite Inferior de Especificação •LSE – Limite Superior de Especificação

•HB = Dureza Brinell

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Exemplos

As molas são vendidas em caixas de 100 unidades.

Os clientes inspecionam amostras escolhidas de cada caixa e devolvem as caixas nas quais foram encontradas molas cujos valores da dureza não atendem as especificações.

Cada caixa devolvida reverte em despesas extras, para a empresa, da ordem de 30% do valor de venda do produto.

Nos últimos meses ocorreu um grande aumento do número de molas devolvidas por apresentarem dureza inadequada.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Exemplos

Resolução: Na etapa de identificação, foi definido o seguinte problema:

Aumento do número de molas devolvidas por apresentarem dureza fora das especificações.

Na etapa seguinte, o grupo de trabalho da empresa decidiu coletar novos dados que permitissem uma melhor caracterização do problema.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Exemplos

Gráfico de controle:

variação da dureza (HB) das molas produzidas ao longo do tempo.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Exemplos

Gráfico de controle: variação da dureza (HB) das molas produzidas ao longo do tempo estratificad o por tipo de fornecedor.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Exemplos

Neste exemplo, fica claro que a estratificação permitiu o reconhecimento de uma importante característica do problema vivenciado pela indústria de autopeças e o direcionamento do estudo das medidas corretivas que deveriam ser adotadas para a sua solução.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Exemplos

Note que isto de fato ocorreu porque, após a análise do 2º gráfico, o grupo de trabalho constituído pelos técnicos da empresa passou a investigar;

Na etapa seguinte, as causas do desempenho insatisfatório do processo de produção das molas que ocorria na situação específica correspondente ao emprego do aço do fornecedor A.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Exemplos

Vale destacar que só foi possível realizar a estratificação porque as barras de aço dos diferentes fornecedores eram identificadas no pátio de estocagem da indústria, sendo utilizadas na produção de acordo com a ordem em que eram recebidas dos fornecedores.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Exemplos

Além disto, o instante em que o aço de um diferente fornecedor começava a ser utilizado na produção, era registrado pelo sistema de controle de estoque de matéria-prima da empresa.

A partir do registro destes instantes, foi possível identificar o fornecedor de aço utilizado para produzir as molas cujas medidas da dureza foram representados no gráfico sequencial.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Considerações Finais

A estratificação só pode ser realizada quando a origem dos dados que estão sendo utilizados na solução do problema de interesse puder ser identificada.

Para que esta condição seja alcançada, durante a coleta de dados é importante registrar as condições ou os valores assumidos pelos possíveis fatores de estratificação associados ao processo considerado.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Considerações Finais

É importante anotar:

•em que dias da semana •em que horários os dados foram coletados

•quais máquinas estavam em operação

•quais foram os operários e

•os lotes de matéria-prima envolvidos.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Considerações Finais

Estratégia recomendável

•Registrar todos os fatores que sofrem alterações durante o período de coleta dos dados.

Dados devem ser coletados durante um período de tempo não muito curto, de forma que neste intervalo possam ocorrer mudanças nos fatores de estratificação considerados importantes.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Considerações Finais

É importante registrar todos os fatores de estratificação que sofrem alterações durante a coleta dos dados.

Antes do início da coleta de dados deve ser elaborada uma folha de verificação que apresente campos para o registro dos possíveis fatores de estratificação.

Prof. Brenno Ferreira de Souza – Engenheiro Metalúrgico

Niquelândia, 2011 brenno.senai@sistemafieg.org.br 25

Comentários