A ponta do Iceberg em Marte

A ponta do Iceberg em Marte

10 • CIÊNCIA HOJE • vol. 31 • nº 184

CIÊNCIAS PLANETÁRIAS A ponta do iceberg em Marte

Após anos de pesquisa, finalmente foi confirmada a presença de água em

Marte. Esses resultados, publicados em 30 de maio último na versão online da revista Science, poderão ser úteis na escolha dos locais de pouso de futuras missões espaciais visando à coleta de amostras ou mesmo à exploração humana do planeta vermelho.

julho de 2002 • CIÊNCIA HOJE • 1

As regiões em azul-escuro indicam a presença de hidrogênio sob a superfície de Marte – o mapa mostra que as maiores concentrações ocorrem na direção dos pólos, a cerca de 60 graus de latitude Norte e Sul

Daniela Lazzaro Coordenadoria de Astronomia e Astrofísica, Observatório Nacional

12 • CIÊNCIA HOJE • vol. 31 • nº 184

Um polímero recém-criado tem a capacidade de alterar seu tamanho em resposta tanto às mudanças de temperatura quanto às de pH (grau de acidez do meio). Graças a esse comportamento, o novo material poderá ser usado como um tipo de microválvula ou como um invólucro diminuto de medicamentos. Polímeros são longas moléculas em que uma parte de sua estrutura se repete continuamente, sendo os plásticos o exemplo mais típico. (Langmuir, vol. 18, 1, 2002)

Obtidas partículas com tamanho da ordem de bilionésimos de metro, formadas por várias camadas de átomos de boro e de nitrogênio. Esse novo material mostrou ser um bom isolante elétrico (quando contém em sua estrutura átomos de ferro, níquel ou cobalto), bem como ter alta capacidade lubrificante. Além disso, foi mais estável quimicamente em altas temperaturas que seus similares formados só por átomos de carbono.

Se o universo fosse um computador, ele teria a capacidade de armazenar 1090 unidades de informação (bits) e teria feito, em seus 15 bilhões de anos de existência, 10120 operações computacionais, como prevê um modelo teórico. Para se ter uma idéia, um computador pessoal moderno pode armazenar cerca de 109 bits em seu disco rígido e, se trabalhasse por tempo equivalente ao da idade do universo, realizaria aproximadamente 1025 operações. (Physical Review Letters, vol. 8, 237901, 2002)

Anunciada uma técnica computacional que prevê o curso de evolução do vírus influenza A, causador da gripe.

O método promete ajudar no desenvolvimento de vacinas mais eficazes contra novas variedades do vírus, que surgem devido às graduais mutações genéticas sofridas por uma proteína (hemaglutinina) da capa viral. (Proceedings of the National Academy of Sciences, vol. 9, 6.263, 2002)

Amostras de ar extraídas do gelo antártico revelam que as concentrações atmosféricas do sulfeto de carbonila cresceram cerca de 25% desde a era préindustrial. Os resultados indicam duas hipóteses: ou essas variações são naturais, ou foram causadas na época pela queima de biomassa (madeira, por exemplo). O sulfeto de carbonila é o mais abundante gás atmosférico contendo enxofre, e suas concentrações são essenciais para se determinar se as atividades humanas interferem no ciclo natural da atmosfera planetária. (Geophysical Research Letters, vol. 29, 10.1029/2002GLO14796, 2002)

A proteína alfa-sinucleína pode ser a responsável pela destruição das células nervosas na doença de Parkinson, o mais comum dos distúrbios neurológicos e que afeta progressivamente a parte cerebral responsável pelo controle dos movimentos. Segundo os autores da descoberta, quando combinada com o neurotransmissor dopamina dos neurônios, a proteína – abundante no cérebro – inicia a produção de oxigênio reativo, que, por sua vez, induz a morte celular através de um processo denominado apoptose. Ironicamente, quando os neurônios não contêm dopamina, a alfa-sinucleína tem a função de protegêlos contra os danos causados pelo oxigênio. (Nature Medicine, junho, 2002)

julho de 2002 • CIÊNCIA HOJE • 13

Estudo indica que os insetos – grupo com maior diversidade no reino animal – divergiram de seus parentes mais próximos, os camarões de água doce, há cerca de 430 milhões de anos, mais ou menos na mesma época em que surgiram as primeiras plantas terrestres. (Molecular Biological Evolution, vol. 19, 748, 2002)

O Usutu (parente do vírus causador da febre amarela) infecta pássaros africanos e ocasionalmente humanos e outros mamíferos. Em setembro do ano passado, foi detectada a presença desse vírus em cadáveres de pássaros pretos, andorinhas e corujas na Áustria. Essa seria a primeira observação de infecção pelo Usutu fora da África e serve como um alerta para a possibilidade de invasão de outros vírus tropicais na Europa. (Emerging Infectious Diseases, disponível em w.cdc.gov/ncidod/eid/vol8no7/02-0094.htm)

Descobertas as primeiras partículas formadas por dois quarks charm.

Quarks são os ‘tijolos’ fundamentais de partículas nucleares e se apresentam em seis tipos diferentes. A notícia surpreende pelo fato de bárions (formados por três quarks) com um só charm em sua estrutura serem difíceis de obter, pois os quarks mais pesados (charm, strange, bottom e top) são mais instáveis que o up e o down, que formam os prótons e os nêutrons. (SELEX/ Fermilab, disponível em http:// fn781a.fnal.gov/)

Com base na atividade vulcânica, calcula-se que o fluxo de calor entre o núcleo e o manto terrestres é de 2 trilhões de watts (ou 2 terawatts).

Agora, uma simulação computacional indica que esse valor pode ser três vezes maior.

Esse fluxo térmico é importante para se entender o resfriamento do núcleo, bem como os movimentos do manto (camada entre a superfície e o núcleo) e das placas tectônicas (sobre as quais estão situados os continentes e os oceanos). (Earth Planetary Science Letters, vol. 199, 147, 2002)

14 • CIÊNCIA HOJE • vol. 31 • nº 184

Anticorpos capazes de neutralizar a toxina responsável pelo efeito letal da bactéria antraz (Bacillus anthracis) – recentemente disseminada nos Estados Unidos através de cartas, em atos classificados como bioterrorismo pelo governo – foram desenvolvidos em laboratório. O antraz é um microrganismo que vive no solo em várias partes do mundo, mas que, aspirado, pode levar à morte em até 80% dos casos. Os novos anticorpos ligamse às toxinas do antraz, impedindo que elas se encaixem nas células receptoras do organismo de ratos. Segundo os pesquisadores, a descoberta poderia ser usada para aliviar os sintomas das pessoas infectadas ou como um tipo de prevenção contra essa infecção. (Nature Biotechnology, junho, 2002)

Desenvolvidas cavidades milimétricas que, transformando átomos neutros de xenônio em jatos de íons (com carga elétrica), funcionam como propulsores. Segundo os construtores, a eficiência da ‘queima’ de xenônio chegou a 8%, e o equipamento poderá no futuro servir tanto para impulsionar microssatélites quanto para estudar a química de superfícies ou produzir filmes extremamente finos. (Review of Scientific Instruments, maio, 2002)

Tomates modificados geneticamente, além de demorarem mais para apodrecer, mostraram ter mais propriedades nutricionais. Foram obtidos pela inserção nos frutos de um gene que aumenta o nível de poliaminas, moléculas derivadas de aminoácidos (‘tijolos’ constituintes das proteínas) que – suspeitava-se – estariam associadas ao processo de amadurecimento. Inesperadamente, os tomates apresentaram também quantidades acima da média de licopeno, substância associada à redução de problemas cardíacos e ao combate a certos tipos de câncer. (Nature Biotechnology, junho, 2002)

Uma nova técnica permite criar em laboratório células da medula óssea que não perdem a capacidade de se diferenciar em outros tipos de célula desse tecido. Até agora, em tubos de ensaio, essas células não só se deterioravam e envelheciam rapidamente, mas também perdiam essa propriedade de diferenciação. Para obter uma cultura prolongada, os pesquisadores inseriram nas células, através de um vírus, o gene que codifica a enzima telomerase transcriptase reversa (hTERT). Modificadas geneticamente, as células poderão ser usadas para regenerar ossos e outros tecidos conjuntivos. (Nature

Biotechnology, junho, 2002)

Portadores de câncer de pele (melanoma) têm, em 6% dos casos, mutações no BRAF, gene também envolvido em uma pequena parcela de outros tipos dessa doença. Além de ajudar a identificar precocemente pessoas com potencial para o desenvolvimento de melanoma, a descoberta poderá levar a novas formas de tratamento. (Nature, disponível em http://dx.doi.org/10.1038/nature00766)

julho de 2002 • CIÊNCIA HOJE • 15

Glóbulos vermelhos (células sangüíneas), carregados com drogas (esteróides) através de suas membranas, foram capazes de vagarosamente despejar o conteúdo na corrente sangüínea e amenizar os sintomas de pacientes com doenças pulmonares (fibrose cística e obstrução crônica) em testes preliminares. Os autores mostraram também que os glóbulos vermelhos podem ser alterados geneticamente e engolfados por células específicas do organismo, nas quais eles lançariam a droga ou um gene, o que possibilitaria o uso do método na terapia genética. Glóbulos vermelhos se mostram ideais para essa tarefa, pois têm vida relativamente longa na circulação, alta capacidade de armazenamento de substâncias e não provocam rejeição no paciente, já que podem ser extraídos do seu próprio sangue. (Gene Therapy, junho, 2002)

A diferença de 20% na seqüência completa do genoma de duas bactérias aparentadas (ambas causadoras de doenças em vegetais) pode fornecer a base molecular para explicar a preferência desses microrganismos por plantas tão díspares. A Xanthomonas citri ataca laranjas, limões e outros cítricos. Já a X. campestris parasita o repolho, a couve-de-bruxelas, o brócolis e outras crucíferas. As duas seqüências foram obtidas por um consórcio internacional liderado pela Universidade de São Paulo. (Nature, 23/05/2002)

O cerebelo é responsável pela coordenação motora. Mas seu papel na aquisição de novas habilidades motoras era ainda controverso.

Agora, pesquisa sugere que essa parte do cérebro não contribui para a aprendizagem de uma seqüência de movimentos, mas sim para o quão bem ela será executada. (Science, 14/06/02)

16 • CIÊNCIA HOJE • vol. 31 • nº 184

Cássio Leite Vieira Ciência Hoje/ RJ

Resultado inesperado: abelhas podem aumentar em até 50% a produção de café (Coffea arabica). Pouca importância foi dada até agora às relações entre insetos e esse tipo de cultura, pois o café é uma planta autopolinizadora.

O estudo reforça a importância de uma agricultura ecológica, na qual sejam preservados polinizadores e outras espécies selvagens. (Science, 13/06/02)

A administração de uma molécula denominada fator de crescimento vascular endotelial em camundongos com síndrome de dificuldade respiratória (SDR) melhorou a capacidade pulmonar dos animais e possibilitou que eles sobrevivessem, mesmo tendo um gene que impede a maturação completa dos pulmões. Comum em bebês prematuros, a síndrome é caracterizada pelo atraso na formação dos pulmões. A técnica poderá no futuro substituir as incubadoras com oxigênio a alta pressão ou a administração de substâncias que aumentam a capacidade elástica pulmonar. (Nature Medicine, disponível em http://dx.doi.org/10.1038/ nm721)

Tecidos retirados de um embrião bovino clonado e enxertados no bezerro que forneceu o DNA para a clonagem não provocaram, até 12 semanas após o enxerto, qualquer rejeição no animal. Esses resultados indicam que células clonadas poderão ser utilizadas para tratar doenças degenerativas humanas sem problemas de rejeição. (Nature Biotechnology, disponível em http:// dx.doi.org/10.1038/nbt703)

Cientistas japoneses conseguiram fazer um pequeno avião de papel voar impulsionado por um feixe de laser. Após decolar com a ajuda de um só ‘empurrão’ luminoso, o aviãozinho atingiu a velocidade de cerca de 1,4 metro por segundo. No entanto, a técnica ainda não permite o controle do vôo. Os autores acham que, no futuro, esquadrilhas desses diminutos aeroplanos poderão monitorar o clima ou a atividade vulcânica da Terra. (Aplied Physics Letters, vol. 80, p. 4.318-20, 2002)

Tradicionalmente, a linguagem é considerada uma função do lado esquerdo do cérebro. No entanto, depois de interromper temporariamente a atividade de regiões ligadas a essa capacidade nos dois hemisférios cerebrais, descobriu-se que, em algumas pessoas, os dois lados do cérebro podem processar essa tarefa. Esses resultados podem explicar por que certos pacientes com danos cerebrais recobram as habilidades ligadas à linguagem mais rapidamente que outros. (Nature Neuroscience, disponível em http:// dx.doi.org/10.1038/mn868)

As células epiteliais, que revestem a superfície externa e as cavidades internas do corpo, são as responsáveis pelo desencadeamento de um processo em cascata que leva à inflamação alérgica. Estudo revelou que esse mecanismo é acionado quando tais células – portas de entrada para as substâncias alergênicas – passam a produzir um tipo de citocina denominado linfopoietina tímica. Segundo os pesquisadores, essa última substância, responsável pelo controle da resposta imune do organismo, é um possível alvo para bloquear a inflamação alérgica. (Nature Immunology, disponível em http://dx.doi.org/10.1038/ ni805)

Comentários