Ã?cidos Nucléicos

Ã?cidos Nucléicos

Existem dois tipos de ácidos nucléicos:

  • Existem dois tipos de ácidos nucléicos:

  • DNA – Ácido Dessoxirribonucléico

  • RNA – Ácido Ribonucléico

  • As nossas informações, são guardadas dentro do núcleo celular, onde vamos as unidades hereditárias que são os cromossomos, célula humana apresenta 46 cromossomos.

  • Os cromossomos é formado por duas fitas de moléculas que é DNA.

  • No DNA nós iremos encontrar as nossa informações genéticas, é nessa fita imensa que apresenta em algumas partes um segmento restrito. A informação genética é transmitida através dos genes , é ele que é responsavel pela nossa hereditariedade.

  • O DNA é formado por subunidades conhecidas por Nucleotídeos.

  • Existem quatro tipos de nucleotídeos formando uma molécula de DNA.

Todo nucleotídeo tem:

  • Todo nucleotídeo tem:

  • Açucar, fosfato, base nitrogenada.

  • O que muda de um nucleotídeo para o outro são as bases nitrogenadas.

A ligação entre a base nitrogenada e a pentose é feita covalentemente através de uma ligação N-glicosídica com a hidroxila ligada ao carbono-1 da pentose.

  • A ligação entre a base nitrogenada e a pentose é feita covalentemente através de uma ligação N-glicosídica com a hidroxila ligada ao carbono-1 da pentose.

A ligação entre o grupo fosfato e a pentose feita através de uma ligação fosfoéster com a hidroxila ligada ao carbono-5 da pentose.

  • A ligação entre o grupo fosfato e a pentose feita através de uma ligação fosfoéster com a hidroxila ligada ao carbono-5 da pentose.

  • Existem duas classes de bases de nitrogênio chamadas purinas e pirimidinas.

Pirimidinas - são compostos orgânicos semelhantes ao benzeno, mas com um anel heterocíclico: dois átomos de nitrogénio substituem o carbono nas posições 1 e 3.

  • Pirimidinas - são compostos orgânicos semelhantes ao benzeno, mas com um anel heterocíclico: dois átomos de nitrogénio substituem o carbono nas posições 1 e 3.

Purinas - são bases nitrogenadas (denominadas bases púricas), compostos orgânicos heterociclícos. São formadas por um anel pirimidínico fundido à um anel imidazólico.

  • Purinas - são bases nitrogenadas (denominadas bases púricas), compostos orgânicos heterociclícos. São formadas por um anel pirimidínico fundido à um anel imidazólico.

Para a formação da molécula de DNA é necessário que ocorra a ligação entre os nucleotídeos.

  • Para a formação da molécula de DNA é necessário que ocorra a ligação entre os nucleotídeos.

  • Os nucleotídeos estão ligados covalentemente por ligações fosfodiéster formando entre si pontes de fosfato.

  • O grupo hidroxila do carbono-3 da pentose do primeiro nucleotídeo se liga ao grupo fosfato ligado a hidroxila do carbono-5 da pentose do segundo nucleotídeo através de uma ligação fosfodiéster.

  • Devido a esta formação a cadeia de DNA fica com uma direção determinada, isto é, em uma extremidade temos livre a hidroxila do carbono-5 da primeira pentose e na outra temos livre a hidroxila do carbono-3 da última pentose.

  • Isto determina que o crescimento do DNA se faça na direção de 5' para 3'

  • O pareamento das bases de cada fita se dá de maneira padronizada

  • A proximidade destas bases possibilita a formação de pontes de hidrogênio.

  • Adenina – Timina possuem 2 pontes de hidrogênio

  • Guanina – Citosina possiem 3 pontes de hidrogênio

  • Guanina – Citosina, é mais estável!

Adenina - purina Timina – pirimidina

  • Adenina - purina Timina – pirimidina

  • Citosina – pirimidina Guanina – purina

Estudos recentes mostram que existem duas formas de DNA com a hélice girando para a direita, chamadas A-DNA e B-DNA, e uma forma que gira para a esquerda chamada Z-DNA.

  • Estudos recentes mostram que existem duas formas de DNA com a hélice girando para a direita, chamadas A-DNA e B-DNA, e uma forma que gira para a esquerda chamada Z-DNA.

  • A diferença entre as duas formas que giram para a direita está na distância necessária para fazer uma volta completa da hélice e no ângulo que as bases fazem com o eixo da hélice. 

B-DNA: Tem a dupla hélice mais longa e mais fina. Para completar uma volta na hélice são necessários 10 pares de bases.

  • B-DNA: Tem a dupla hélice mais longa e mais fina. Para completar uma volta na hélice são necessários 10 pares de bases.

  • A-DNA: Tem a forma mais curta e mais grossa. Para completar uma volta na hélice são necessários 11 pares de bases.

Em solução, geralmente o DNA assume a conformação B.

  • Em solução, geralmente o DNA assume a conformação B.

  • Quando há pouca água disponível para interagir com a dupla hélice, o DNA assume a conformação A-DNA.

  • Z-DNA - é mais alongada e mais fina do que o B-DNA.

  • Para completar uma volta na hélice são necessários 12 pares de bases.

  • O DNA, em solução com altas concentrações de cátions, assume a conformação Z-DNA.

Replicação do DNA é o processo de auto-duplicação do material genético mantendo assim o padrão de herança ao longo das gerações.

  • Replicação do DNA é o processo de auto-duplicação do material genético mantendo assim o padrão de herança ao longo das gerações.

  • Duas teorias tentaram explicar areplicação do DNA:

  • Teoria conservativa

  • Teoria semi-conservativa

Teoria conservativa: Cada fita do DNA sofre duplicação e as fitas formadas sofrem pareamento resultando num novo DNA dupla fita, sem a participação das fitas "parentais" (fita nova com fita nova formam uma dupla hélice e fita velha com fita velha formam a outra dupla fita).

  • Teoria conservativa: Cada fita do DNA sofre duplicação e as fitas formadas sofrem pareamento resultando num novo DNA dupla fita, sem a participação das fitas "parentais" (fita nova com fita nova formam uma dupla hélice e fita velha com fita velha formam a outra dupla fita).

Teoria semi-conservativa: Cada fita do DNA é duplicada formando uma fita híbrida, isto é, a fita velha pareia com a fita nova formando um novo DNA; de uma molécula de DNA formam-se duas outras iguais a ela. Cada DNA recém formado possui uma das cadeias da molécula mãe, por isso o nome semi-conservativa.

  • Teoria semi-conservativa: Cada fita do DNA é duplicada formando uma fita híbrida, isto é, a fita velha pareia com a fita nova formando um novo DNA; de uma molécula de DNA formam-se duas outras iguais a ela. Cada DNA recém formado possui uma das cadeias da molécula mãe, por isso o nome semi-conservativa.

Duplicação DNA

  • Duplicação DNA

  • A molécula do DNA vai-se abrindo ao meio, por ação de uma enzima chamada DNA polimerase. Essa enzima quebra as ligações de pontes de hidrogênio existentes entre as duas bases nitrogenadas das cadeias complementares de nucleotídeos.

  • Ao mesmo tempo que o DNA polimerase vai abrindo a molécula de DNA, outra enzima chamada DNA ligase vai ligando um grupo de nucleotídeos que se pareiam com os nucleotídeos da molécula mãe.

DNA vai-se abrindo ao meio, por ação DNA polimerase

  • DNA vai-se abrindo ao meio, por ação DNA polimerase

  • DNA ligase vai ligando um grupo nucleotídeos que pareiam com os nucleotídeos molécula mãe.

Além da capacidade de duplicação o DNA também é responsável pela síntese de outro ácido nucléico muito importante para a célula: o ácido ribonucléico ou RNA.

  • Além da capacidade de duplicação o DNA também é responsável pela síntese de outro ácido nucléico muito importante para a célula: o ácido ribonucléico ou RNA.

  • Da mesma forma que o DNA, o RNA também é uma molécula grande formada por váriaspartes menores chamadas nucleotídeos. Por isso diz-se que tanto DNA como RNA são polinucleotídeos.

Existem três tipos de RNAs:

  • Existem três tipos de RNAs:

  • RNA mensageiro: Contêm a informação para a síntese de proteínas.

  • •RNA transportador: Transporta aminoácidos para que ocorra a síntese de proteínas.

  • •RNA ribossômico: Componentes da maquinaria de síntese de proteínas presente nos ribossomos.

  • Todas as formas de RNA são sintetizadas por enzimas (RNA polimerases) que obtêm informações em moldes de DNA.

  • O RNAr é produzido pelo DNA da região organizadora do nucléolo e, associado a proteínas, vai constituir os nucléolos. Depois passa ao citoplasma para formar os ribossomos.

  • O RNAm leva para o citoplasma as informações para a síntese das proteínas. Existe um tipo de RNAm para cada tipo de cadeia polipeptídica, que vai constituir uma proteína. O RNAm transporta a informação genética na forma de códons, copiados do DNA; um códon consiste em uma seqüência de três nucleotídeos.

RNAt move-se do núcleo para o citoplasma, onde se liga a aminoácidos, e deslocando-se até os ribossomos. Apresenta regiões com pareamento de bases, que lhe conferem um aspecto de "trevo de três folhas".

  • RNAt move-se do núcleo para o citoplasma, onde se liga a aminoácidos, e deslocando-se até os ribossomos. Apresenta regiões com pareamento de bases, que lhe conferem um aspecto de "trevo de três folhas".

Cada molécula de RNAt apresenta uma extremidade que se liga a diferentes tipos de aminoácidos e uma região com uma seqüência de três nucleotídeos, o anticódon, que pode parear com um dos códons do RNAm.

  • Cada molécula de RNAt apresenta uma extremidade que se liga a diferentes tipos de aminoácidos e uma região com uma seqüência de três nucleotídeos, o anticódon, que pode parear com um dos códons do RNAm.

Heliodora Jordão Da Silveira Zaponi

  • Heliodora Jordão Da Silveira Zaponi

  • dodorazaponi@hotmail.com

  • heliodora_zaponi@agronoma.eng.br

Comentários