(Parte 1 de 3)

22

AGRADECIMENTOS:

Agradeço primeiramente a Deus por ter chegado até aqui,a todos que me apoiaram e me deram forças para nunca desistir.

Aos professores do colégio Delta e todos os amigos que fiz ao longo do curso

Lucas Francisco da Silva

sumário

Sumário pág.02

Ilustrações _______________________________________pág.03,04.

Introdução_________________________________________ pág.05

2.1-Torneamento pág.06

2.1.1-Brunimento pág.08

2.1.2-Aplainamento pág.09

2.1.3-Furação pág.09

2.1.3.1-Alargamento pág.11

2.1.3.2-Serramento pág.13

2.2-Rebaixamento pág.14

2.2.1-Mandrilamento pág.15

2.3-Fresamento pág.16

2.4-Retificação pág.17

2.5-Roscamento pág.20

Conclusão _____________________________________ pág.22

Bibliografia pág.23

Lista de Ilustrações

Figura 1 – Tipo de Torneamento ...................................................7

Figura 2- Tipo de Torneamento .....................................................8

Figura 3 – Brunimento ...................................................................9

Figura 4 – Aplainamento .................................................................9

Figura 5 – Furação em Cheio ........................................................10

Figura 6 – Furação Escanolada ....................................................10

Figura 7 Furação de Escareamento ...............................................10

Figura 8 – Furação de Centro .......................................................11

Figura 9 – Furação Trepanação ....................................................11

Figura 10 –Alargamento Cílindrico de Desbaste............................12

Figura 11-alargamento cônico deDesbaste...................................12

Figura 12-alargamento Cilindrico da Acabamento..........................12

Figura 13-alargamento Cônico de Acabamento.............................13

Figura 14- Serramento contínuo....................................................13

Figura 15-Serramento Circular......................................................13

Figura 16-Tipos de Rebaixamento.................................................14

Figura 17- Madrilamento Cilindrico................................................15

Figura 18- Madrilamento Cônico....................................................15

Figura 19- Madrillameto Radial ......................................................15

Figura 20-Madrilamento Esférico....................................................16

Figura 21-Fresamento Cilindrico Concordante e Descordante.......16

Figura 22-Fresamento frontal..........................................................17

Figura 23-Retificação cilindrica externa e interna com

avanço longitudinal..........................................................................17

Figura 24- Retificação cônica externa com avanço longitudinal.....18

Figura 25-- Retificação de perfil com avanço longitudinal..............18

Figura 26- Retificação tangencial plana com movimento retilíneo da peça................................................................................................19

Figura 27- Retificação cilíndrica sem centros com avanço em

fileiras de peças.............................................................................19

Figura 28 - Roscamento interno com ferramenta de perfil.

Roscamento interno com macho.....................................................20

Figura 29 - Roscamento externo com fresa de perfil único

roscamento externo com cossinete.................................................21

Introdução

O texto sobre usinagem convencional aborda o processo de usinagem onde se utiliza ferramentas cortantes para obter determinadas superfícies.

Discute os principais processos de usinagem utilizados pelas indústrias que trabalha no ramo da usinagem convencional .

E alem de mostrar ferramentas utilizadas pelas máquinas com ilustrações de figuras dando exemplo de movimentos concordantes , discordantes,furações em cheio entre outras , mostra processos variados de usinagem mostrando pontos interessantes como diferentes tipos de trabalho feitos por uma máquina aonde somente muda a ferramenta para se obter outros resultados de usinagem.

Desenvolvimento

2.1 Torneamento

Processo de Usinagem onde se utiliza uma ferramenta cortante para se obter determinadas superfícies. A peça gira em torno do eixo principal de rotação da máquina e a ferramenta se desloca simultaneamente. A trajetória da ferramenta pode ser retilíneo ou curvilíneo.

Retilíneo – A trajetória da ferramenta se dá em linha reta.

Pode ser:

- Cilíndrico: Onde a ferramenta se desloca segundo uma trajetória paralela ao eixo principal da máquina podendo ser externo ou interno.

- Cônico: Onde a ferramenta se desloca segundo uma trajetória inclinada em relação ao eixo principal de rotação da máquina podendo ser externo ou interno.

- Radial: Onde a ferramenta se desloca segundo uma trajetória perpendicular ao eixo principal de rotação da máquina. Quando esse processo visa a obtenção de uma superfície plana, é chamado de faceamento, já quando visa a obtenção de um entalhe circular, é chamado de sangramento radial.

- Perlifamento: Onde a ferramenta se desloca segundo uma trajetória retilínea radial ou axial visando obter uma forma definida pelo perfil da ferrmenta.

Fig.01 -Tipos de torneamentos

(Parte 1 de 3)

Comentários