Projeto de Um portão vertical

Projeto de Um portão vertical

(Parte 10 de 14)

Como ponto de referência, a tensão de flexão nos arames externos pode ser estimada pela utilização da equação (4), mostrada anteriormente, e os dados da Tabela 17.9 para determinar:

A qual parece ser uma tensão de flexão aceitável.

A vida projetada desejada Nd pode ser calculada como:

Na Figura 17.17, com esta vida, utilizando a curva de cabo 6 x 19, o valor de correspondente à falha de 50,08 x 10³ ciclos pode ser obtido:

Em seguida, (7) pode ser utilizada para calcular o valor da pressão P correspondente à falha em 50,08 x 10³ ciclos como:

De informações fornecidas anteriormente, o fator de segurança à fadiga é nfadiga = 1,5; então a pressão de projeto admissível pode ser calculada como:

Inserindo esta pressão de projeto baseada na fadiga em (6) e supondo que o diâmetro da polia permaneça inalterado, o requisito a bitola de cabo baseado em fadiga pode ser calculado como:

Conseqüentemente, a bitola padronizada do cabo de 0,25 polegada é apenas (aceitável), pois a bitola nominal calculada é de 0,08 polegada.

Da Tabela 17.10, para um cabo 6 x 19 sobre uma polia de aço carbono fundido (HB 160), a pressão de contato admissível baseada em desgaste é:

Inserindo esta pressão de contato admissível baseada em desgaste em (6), os requisitos de bitola do cabo com base no desgaste podem ser calculados como:

O maior requisito de bitola, baseado em (dc) estática = 0,25 polegada, (dc) fadiga = 0,020 polegada e (dc)desgaste = 0,017 polegada, é ditado pelos requisitos de vida à fadiga. Escolha o cabo de aço de 1/4 polegada, 6 X 19 S de improved plow steel (IPS) com alma de fibra (FC). Escolha, também, o material da polia como aço-carbono fundido (HB = 160) com um diâmetro de 8,5 polegadas.

3.1.4 - Dimensões do tambor:

Diâmetro = 216 mm

Comprimento:

Onde s é o passo do tambor que de acordo com a tabela abaixo, o diâmetro do cabo e com o tipo de ranhura, foi especificado.

Dimensões das ranhuras do tambor

Deste modo, o peso do tambor será (ρ= 7870 kg/m³):

Para:

3.1.5 - Dimensões da polia:

Diâmetro = 216 mm

Comprimento = 15,1 mm (largura) → Peso: 15N

A e D → Tambor

B e C → Polia

Comprimentos e pesos:

A

B

C

D

3,50m

3,70m

3,70m

3,50m

5,11 N

5,40 N

5,40 N

5,11 N

3.1.6 – Potencia do motor

3.1.6.1 – Motoredutor adotado

Os Motoredutores de eixos paralelos são uma versão moderna dos motoredutores de eixos coaxiais. Devido ao tamanho reduzido necessitam de muito menos espaço do que os motoredutores de eixos coaxiais permitindo assim uma integração ideal do motoredutor com a máquina. Os Componentes adicionais como engrenagens dentadas são utilizados para transmitir força para a máquina.

Os motoredutores passam a ser uma aplicação com um custo beneficio de excelente nível, visto que acopla a função do motor juntamente com o redutor, facilitando a escolha do projetista.

Proteção: IP21 - ABNT NBR IEC 60529.

Dimensões reduzidas;

Grau de proteção IP44;

Fornecido com capacitor WEG;

4 pólos e carcaça AC33 em ferro fundido

Isolação: Classe B (130°C) - ABNT - NBR 7034.

Curso = 1150 mm.

Monofásico

Tensão = 220V

Freqüência = 60Hz

Rotação de entrada = 1060rpm

Potência do motoredutor = 1/4CV=0,25CV=183,87W

Descrição do Motoredutor FZ28B, FD28B(marca FLENDER)

Quantidade de Estágios: 2/ 3 estágios

Redução varia de 3,80 - 280,00

Torque de Saída: até 150 Nm

OBS: Como o torque do motor será distribuído para dois tambores que eventualmente levantaram a mesma carga equivalente, decidimos distribuir a potência transmitida para os tambores sendo 50% para cada:

Portanto : Ttamb1 =Ttamb2 = 0,828N.m

(Parte 10 de 14)

Comentários