Energia solar fotovoltaica

Energia solar fotovoltaica

(Parte 7 de 7)

3). Cablagem: j)A cablagem deve obedecer às Normas Técnicas para instalações eléctricas exteriores. Os cabos devem ser flexíveis com revestimento resistente a acções mecânicas e térmicas, não propagante do fogo e ainda ser resistente à radiação ultravioleta, pois não se pode esquecer que a vida útil previsível é superior a 15 anos ( típico 20 anos). De preferência os materiais constituintes do isolamento devem ser isentos de halogéneos k)Utilize sempre secções de fios com diâmetros iguais ou superiores ao recomendado, evitando quedas de tensão ou perdas por aquecimento que podem provocar deterioração dos cabos e mesmo curto-circuitos e incêndios. l)Para conexão com bateria é sempre recomendável o uso de controladores de carga e descarga. m)Utilize terminais adequados para as conexões. Evite emendas de fios. n)Em corrente contínua um dos fios é de polaridade positiva e o outro de polaridade negativa. A inversão destes fios (excepto em ligações em série) traz sempre problemas ou danos aos equipamentos. Utilize cores diferentes (regulamentarmente vermelho + e preto -) para cada pólo e preste sempre atenção à conexão “+” ou “-“ e à cor dos fios. o)Os painéis acima de 10W são fornecidos com caixa de conexão estanque ou terminais cableados com fichas estanques, utilizadas para a conexão dos fios e de outros painéis. No caso existir caixa de conexão, o acesso à parte interna da caixa é feito removendo-se os dois parafusos da tampa. Internamente os painéis acima de 46W já possuem díodo de “bypass” e estão configurados para a tensão de 12; 24; 48 Volts. Não há necessidade de alterar a pré-configuração excepto em aplicações especiais. Os terminais para a conexão dos fios estão marcados com os sinais “+” e “-“. p)Para conectar painéis isolados ao controlador, a uma distância não superior a 30 metros, recomenda-se cablagem com secções adequadas ao débito conforme o projecto.

4). Manutenção e limpeza dos módulos solares:

A parte frontal dos módulos é constituída por um vidro temperado com 3 a 3,5 m de espessura, o que os torna resistentes até ao granizo. Além disso, admitem qualquer tipo de variação climática. Eles são auto-limpantes devido à própria inclinação que o módulo deve ter, de modo que a sujidade pode escorrer assim que ocorrer chuva. Se o módulo ficar sujo, utilizar água e uma flanela ou esponja de nylon para limpar o vidro. Detergentes não abrasivos ou neutros podem ser utilizados para remoção da sujidade mais persistente.. É recomendável uma inspecção a cada seis meses (ou anual) para verificar terminais, apertos e eventuais sombreamentos. Lembre-se, até mesmo a sombra projectada sobre o módulo por um fio (par) telefónico pode reduzir sensivelmente a capacidade do módulo.

5). Atenção a Garantia é Limitada!

Os painéis solares são garantidos pelo prazo de 2 anos contra defeitos de fabricação em aplicação dentro das normas e instruções aqui constantes. A garantia se estende por 5 anos para a geração não inferior a 90% da potência discriminada no rótulo fixado no produto. Nesta garantia o produto pode ser consertado, trocado ou fornecido painéis adicionais que complementem a desfasagem de potência. A garantia perde sua validade caso sejam constatados erros na instalação que tenham prejudicado o equipamento, uso ou instalação em desacordo com as recomendações aqui constantes e danos provocados por actos de vandalismo, distúrbios, guerras ou de força maior.

Curso organizado por : ADIV - Associação para o Desenvolvimento e Investigação de Viseu Campus Politécnico 3504-510 VISEU Telefone: 232 480 662 Fax: 232 480 551 e.mail: adiv@adiv.pt

Instalação do controlador de Carga

O controlador de carga ocupa o ponto que centraliza as conexões do sistema. A ele são conectados os módulos solares, e também as baterias. Deve ser instalado em lugar acessível, protegido contra humidade e intempéries. Tenha sempre em mente que os sistemas fotovoltaicos são de baixa tensão, e como tal, deve-se reduzir o comprimento dos condutores eléctricos a um mínimo. No caso do controlador manter o comprimento a um máximo de 3 metros entre controlador e baterias. A fixação a uma superfície rígida é indispensável para evitar que os condutores a ele ligados se soltem e prejudiquem o correto funcionamento do conjunto. Para efectuar as conexões do controlador, siga as indicações da figura acima e no próprio aparelho.

Cuidados:

Não inverter jamais as ligações (polaridade) da bateria ao controlador pois, causará danos irreparáveis ao mesmo. Não expor o controlador a tensão ou corrente superior ao especificado. Verificar sempre se os contactos estão bem apertados e se não há oxidação nos mesmos. Conecte primeiro a bateria e somente depois os módulos.

Instalação das Baterias.

Baterias não devem ser instaladas directamente sobre o solo ou piso: devem sempre ser assentadas sobre uma base plástica ou de madeira. Observar que o local esteja sempre livre de humidade e impurezas, e seja ventilado. Mantenha a bateria em local abrigado do sol e da chuva. Observar o código de cores para polaridade já mencionada. Na conexão à bateria, instale primeiro o terminal negativo e depois o positivo. efectuada a conexão aos bornes ( terminais ) da bateria, recubra os terminais com graxa ou vaselina para evitar sulfatação.

As baterias podem armazenar imensas quantidades de energia. Embora seja um elemento de baixa tensão, pode, quando em curto-circuito liberar kilowatts de energia, resultando em choques ou queimaduras. Use uma cobertura isolante para os bornes ( terminais ) e evite tocar ambos os bornes ( terminais ) simultaneamente. Não utilize jóias durante a manipulação ou outros objectos metálicos não apropriados. No caso de utilização de baterias não seladas, observe ainda o seguinte: a)As baterias contêm ácido sulfúrico, portanto, não permita seu contacto com olhos ou pele. No caso de acidente, lave a zona atingida com bastante água, imediatamente. Consulte um médico. b)Cheque todos os meses as baterias: c)Remova as tampas de cada elemento e verifique o nível do líquido. Se necessário, adicione água destilada (obrigatoriamente) para completar o nível. Não permita nunca que as placas das baterias fiquem abaixo do nível de solução; d)No caso de sulfatação dos bornes ( terminais ), afrouxe os terminais e limpe os contactos. Recoloque-os apertando adequadamente. Recubra os terminais com graxa ou vaselina para evitar sulfatação. e)Manter o local da instalação ventilado! Baterias chumbo-ácidas podem liberar hidrogénio, um gás que pode explodir na presença de faíscas ou chamas. f)O uso do Módulo Solar evita o translado da bateria para recarga periódica, economizando tempo e dinheiro.

Curso organizado por : ADIV - Associação para o Desenvolvimento e Investigação de Viseu Campus Politécnico 3504-510 VISEU Telefone: 232 480 662 Fax: 232 480 551 e.mail: adiv@adiv.pt

(Parte 7 de 7)

Comentários