Identificação e Análise de Riscos em Levantamentos Topográficos em Barragens Hidrelétricas: Estudo de Caso na UHE Salto Caxias

Identificação e Análise de Riscos em Levantamentos Topográficos em Barragens...

(Parte 7 de 8)

Iluminação Excessiva (visão ofuscada, dores de cabeça) X

Iluminação Insuficiente (visão turva, dores de cabeça) X X

Ruídos (dores de cabeça) X

Temp. Extrema: calor, frio (dores de cabeça, náuseas, insolação, vômitos) X X X

Fadiga X

Organização do Trabalho

Pressão e Cobrança X X

Repetitivo e Monótono X X X

Turnos Alternados X

Analisando-se o quadro, constata-se que a presença de animais peçonhentos, postura inadequada e trabalho repetitivo e monótono são constantes em todos os levantamentos realizados.

4.3. AVALIAÇÃO DOS RISCOS Em virtude do maior número de reclamações de posturas inadequadas,

Daniel C. Granemann UTFPR - Pato Branco excesso e insuficiência de iluminação, ruídos e temperaturas extremas nos monitoramentos interno e externo da barragem, analisaram-se as freqüências com que ocorrem os problemas, e as consequências dos riscos destas atividades, sendo classificados de acordo com o exposto no QUADRO 1 e QUADRO 2, respectivamente. Os enquadramentos são apresentados na TABELA 1.

Tabela 1.Riscos - Frequências e Consequências

Atividades

Freq. Cons. 1. Monitoramento Externo (postura, iluminação, ruídos, temp. extrema)

Pilar P1 3 6

Pilar P2 3 6

Pilar P3 2 3

Pilar P6 2 7

2. Monitoramento Interno (postura, iluminação, ruídos, temp. extrema, fadiga)

Considerando-se a TABELA 1, realizou-se a avaliação qualitativa dos riscos das atividades (TABELA 2), conforme proposto por Cardella (1999).

Tabela 2. Avaliação Qualitativa de Riscos

Atividades

Categoria Qualitativo Controle 1. Monitoramento Externo (postura, iluminação, ruídos e temp. extrema)

Pilar P1 6 Elevado Ações Urgentes

Pilar P2 6 Elevado Ações Urgentes

Pilar P3 3 Médio baixo

Requer ações de

Pilar P6 5

Médio não tolerado

Programa específico de controle de riscos

2. Monitoramento Interno (postura, iluminação, ruídos, temp. extrema, fadiga)

4 Médio tolerado Requer ações de melhoria contínua

Daniel C. Granemann UTFPR - Pato Branco

Na sequência foram elaboradas as APR para os levantamentos que apresentaram o maior grau de risco (QUADRO 7).

Quadro 7. Análise Preliminar de Riscos – Levantamentos Topográficos na UHE ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCOS

Local de Trabalho: Rede Geodésica de Monitoramento Externo – UHE Salto Caxias Data: 09/02/2009 Responsável pela análise: Daniel C. Granemann

Ponto Risco Causa Efeito Categoria de

Risco Tratamento

P1, P2 e P6

Biológico:

Picadas de aranhas, cobras, lacraias, etc.

Locais de trabalho sem aceiro

Asfixia, câimbras, inchaço, náuseas, morte Catastrófica

Uso de caneleiras até a altura do joelho; Utilização de luvas para a limpeza dos locais de trabalho; botas de segurança, inspeção local antes do início das atividades

Picadas de mosquitos e pernilongos

Locais de trabalho com acúmulo de água

Inchaço, alergia, coceira Crítica

Uso de repelentes; camisas manga longa, calça comprida e botas de segurança Ergonômico:

Postura inadequada

(Parte 7 de 8)

Comentários