História da álgebra

História da álgebra

PROFESSORA: MARIA LEWTCHUK ESPINDOLA ALUNO: WELLINGTON MAGNO M DE MELO MATRICULA: 11011490

Introdução:

Este trabalho tem o intuito de apresentar informações sobre a Álgebra como: Etimologia, história, objetos de estudos e subáreas. Estas informações serão uma visão geral e superficial da Álgebra de acordo com as minhas pesquisas e o apoio da professora Maria L. Espindola.

Definição:

Álgebra é um ramo da matemática que estuda as generalizações dos conceitos e operações de aritmética, e essas generalizações são possíveis graças ao uso de símbolos e letras para representar incógnitas. Inicialmente a álgebra se preocupava muito com o estudo das equações e suas incógnitas, talvez por isso ainda hoje em dia quando se fala de álgebra uma das primeiras situações que vem a cabeça, são as equações e suas incógnitas. Mas a álgebra assim como o homem e sua escrita evoluíram. Assim a álgebra se expandiu por várias áreas da matemática e hoje estuda desde situações mais elementares e perceptíveis até situações bem mais complexas e bastante abstratas como, grupos, anéis e corpos.

Etimologia:

De acordo com as minhas pesquisas foi possível verificar que não existi uma etimologia exata para a palavra álgebra, como por exemplo, para a palavra Geometria que deriva do grego onde GEO significa mundo e METRIA significa medida. A palavra álgebra surge entre 813 e 833 d.C. Não como conhecemos hoje em dia, ela surge no título de um livro que se chamava Hisab aljarb w’al-mugabalah. Segue a tradução: A ciência da restauração ou reunião e redução, escrito por Abu ‘Abd Allãh Muhammad ibn Musa al-Khwarizmi, em Bagdá, num grande centro de estudo criado e apoiado por pelo Califa al-Mamum. Essa publicação ficou mais conhecida entre os matemáticos locais pela abreviação Al-jarb Esta obra foi traduzida inicialmente para o latim e então ficou bastante conhecida na Europa onde passou por novas traduções e o tema que aquele livro apresentava passou a ser conhecido por Álgebra.

História:

• O surgimento:

O registro mais antigo que remete a álgebra foi o papiro de Rhind escrito por volta de 1650 a.C por um escriba chamado Ahmes, que detalhava a solução de 85 problemas de aritmética, fração, cálculos de área, volumes, repartições proporcionais, equações lineares, trigonometria básica e geometria. Acredita-se que o surgimento da álgebra aconteceu junto com o surgimento da própria escrita que também é uma forma simbólica de representar idéias e acontecimentos.

matemáticos. Com isso essa idéia não saiu do ponto inicial

O grego Diofante de Alexandria que viveu de 325 a 409 d.C na Grécia foi o primeiro a ter a idéia de usar símbolos para representar idéias, mas infelizmente essa idéia não chegou a ser bem trabalhada, pois era uma época bastante tumultuada, era a época da queda do império romano, e isso não foi bom para a matemática, e nem para outras áreas do conhecimento, pois o clima de guerra e as destruições que tomavam conta de toda a Grécia impossibilitaram esse avanço no conhecimento. Mesmo com todas essas dificuldades, é atribuído a Diofante de Alexandria uma das primeiras idéias de usar símbolos para facilitar à escrita e os cálculos

Só com a ascensão do império árabe por volta do ano de 650 aproximadamente é que foram retomados os estudos matemáticos, é importante observar o enorme tempo que o estudo ficou parado por causa da guerra, e com isso acredito que um grande lote de boas idéias foram perdidas. O Califa Al-mamum que assumiu o trono e governou até 833 criou em Bagdá um grande centro de estudo conhecido por nós como casa da sabedoria no qual ele procurou juntar todas as mentes mais brilhantes entre os mulçumanos da época e entre eles estava Abu ‘Abd Allãh Muhammad ibn Musa al-Khwarizmi que era conhecido por Al-khwarizmi foi um dos primeiros matemáticos a trabalhar na Casa da sabedoria, lá ele escreveu o livro Hisab al-jarb w’al-mugabalah de tradução (A ciência da restauração ou reunião e redução) ou como diz o historiador Carl Boyer “transferência de termos ao outro membro da equação (al-jarb) e cancelamento de termos iguais em ambos os membros da equação (al-muqabalah)” sendo esse o primeiro livro a falar de álgebra e que ficou conhecido por Al-jarb assim muitos outros seguiram este livro sendo considerado por muitos um dos melhores livros sobre o assunto. Alkhwarizmi além de ter escrito este livro sobre álgebra, também escreveu outros tratados sobre várias áreas do conhecimento como aritmética, astronomia, geografia. Fala-se que ele escreveu um tratado que falava do relógio do sol, mas esse não chegou até os nossos dias atuais. Mas voltando a falar de talvez a que tenha sido a sua principal obra Al-jarb. Nesta obra Al-khwarizmi introduz os novos símbolos indianos para representar os algarismos e um círculo para representar o zero, descreve operações de cálculo (adição, subtração, divisão e a multiplicação), a extração da raiz quadrada, cálculos de números inteiros segundo o método indiano.

• O desenvolvimento:

A obra de Al-khwarizmi chegou a Espanha onde foi traduzida para o latim nos primeiros anos do século XII por Juan de Sevilla e Gerardo de Cremona, e com passar do tempo a obra de Alkhwarizmi passou a ser chamada de álgebra.

A linguagem da álgebra utilizada atualmente por nós começou a ser desenvolvida por François Viète um advogado francês que viveu de 1540 até 1603, ele era um apaixonado por álgebra e foi responsável pela introdução dos símbolos no mundo da matemática. Além de utilizar os sinais germânicos + e -, ele introduziu as vogais para representar quantidades constantes e as consoantes para quantidades incógnitas. Pelo seu grande conhecimento no campo da álgebra ele foi acusado pelos espanhóis de ter pacto com o demônio por conseguir decifrar os códigos secretos usados pelos espanhóis para se comunicarem durante a guerra.

Por esses fatos ele é considerado por muitos como sendo o pai da álgebra. Outros matemáticos da mesma época também tiveram sua importância no desenvolvimento da álgebra. Entre eles, Robert Record inglês que criou o símbolo (=) para a expressão igual, outro inglês que também foi importante para a álgebra foi Thomas Harriot responsável pela eliminação das poucas palavras que ainda restavam da álgebra de Viète.

• Atualmente:

A nossa notação moderna da álgebra que é totalmente simbólica se deve a René Descartes que viveu de 1596 até 1650, que foi um grande físico-matemático e filósofo francês, que acrescentou as seguintes inovações na álgebra de Viète o símbolo para a operação de multiplicação. Criou a notação que usamos ainda hoje para os expoentes de uma potenciação. Descartes é responsável pela unificação na forma de se escrever matemática, acredito que com o seu trabalho Descartes deu a matemática um status de Idioma universal, pois é possível escrever matemática da mesma forma em qualquer lugar do mundo. Acredito que este fato tenha contribuído muito para a matemática, pois com isso vários estudiosos de vários locais do mundo poderiam se comunicar usando uma mesma simbologia ou porque não dizer a mesma língua.

Um breve resumo da história da álgebra é apresentado pelos historiadores em três fases:

Fase verbal ou retórica que vai dos babilônios até o grego Diofante, se trata da fase em que não se fazia uso de símbolos ou abreviações para expressar pensamentos algébricos.

Fase sincopada essa fase começa com Diofante que começa a inserir símbolos para uma incógnita e se estende por vários anos até François Viète que apesar de ainda usar o estilo sincopado foi grande responsável pela introdução de novos símbolos na álgebra.

E finalmente a fase simbólica que começa com Viète e se consolida com René Descartes com a sua publicação, em 1637, de La Géométrie, nessa publicação Descartes usa as últimas letras do alfabeto (x,y,z,...) como incógnitas e implicitamente como variáveis e as primeiras letras (a,b,c,d,...) como constantes.

Objetos de estudo:

Ela esta presente em grande parte da matemática, pois quase todo problema se converte em um cálculo que provavelmente utilizará da álgebra. No inicio a álgebra trabalhava mais com as equações e suas operações aritméticas, atualmente existe a álgebra comutativa, teoria dos grupos e anéis, teoria de módulos sobre anéis, geometria algébrica, ela também é vista no ramo da álgebra linear onde por sua vez são estudadas matrizes, espaços vetoriais e transformações lineares. No ramo da Astrofísica Teórica onde é muito importante no estudo da astrofísica de partículas elementares e na cosmologia, ou seja, no estudo da origem do universo. Na teoria quântica de campos e por ai vai, com isso é possível observar o quanto a álgebra se desenvolveu e expandiu.

Origens:

A origem da álgebra nos remete a Antiga Babilônia, cujos matemáticos desenvolveram um sistema aritmético avançado. E da necessidade do homem de resolver problemas comuns ao nosso dia-a-dia. Mas quando a Álgebra surge, ela não tem essa notação atual que nós conhecemos, e os problemas eram escritos na linguagem da época sem usar símbolos, transcritos com um texto comum.

Modelos:

Campos vetoriais ou campo de vetores é uma construção em cálculo vetorial que associa um vetor a todo ponto de uma superfície.

Matrizes, transformações, simetrias, sistemas de equações algébricas. Cosmologia, onde a fronteira atual é o estudo da origem do universo.

Subáreas: Aqui irei apresentar algumas subáreas da álgebra:

Álgebra elementar é uma área fundamental da álgebra ensinada a pessoas que se presume ter pouco conhecimento na matemática formal. Essa álgebra trabalhada com equações, desigualdades, ensina-se a referência a números que não são conhecidos e permite a exploração de relações matemáticas entre quantidades.

Álgebra linear é um ramo da matemática que surgiu do estudo detalhado de sistemas de equações lineares. A álgebra linear fez uso de alguns conceitos fundamentais da matemática como vetores, espaços vetoriais, transformações lineares, sistemas de equações lineares e matrizes.

Álgebra abstrata é um ramo da matemática que estuda as novas estruturas algébricas como grupos e matrizes, Teoria de corpos, Anéis e álgebra, Campos numéricos. Esta álgebra liberouse da dependência aritmética assim tornando-se uma álgebra muito complexa e refinada.

Fontes: Dois textos enviados pela professora Maria L. Espindola: Garding, L. Álgebra Milies, C. Breve história da álgebra abstrata http://pt.wikipedia.org/wiki/Campo_vetorial http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81lgebra_elementar http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81lgebra_abstrata http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81lgebra_linear http://pt.wikipedia.org/wiki/%C3%81lgebra http://www.somatematica.com.br/algebra.php http://br.answers.yahoo.com/question/index?qid=20060804152226AApd2EN http://www.libanoshow.com/home/algebra.htm http://www.infopedia.pt/$algebra http://www.matematiques.com.br/conteudo.php?id=603 http://www.ativamente.info/Historia/hist_da_algebra.htm http://igrejacenaculodafeeabiblia.com/origem.html http://www.ebah.com.br http://pt.wikipedia.org/wiki/Diofanto_de_Alexandria http://www.somatematica.com.br/biograf/khwarizmi.php http://www.on.br/glossario/alfabeto/a/algebra.html http://www.bienasbm.ufba.br/M18.pdf

Comentários