PROVA DE CONCURSO

PROVA DE CONCURSO

(Parte 5 de 6)

D) Identificar a si nas relações que estabelecem a hegemonia na identidade individual e grupal.

E) Reconhecer, nas relações dos grupos sociais com os quais se convive, a necessidade de manter uma identidade homogênea.

34. Em 1995, na cidade de Curitiba, foi inaugurada a

Fonte de Jerusalém, uma homenagem aos 3.0 anos de Jerusalém. A construção em alvenaria e concreto armado tem 14,5 metros de altura e foi projetada pelo arquiteto Fernando Canalli. No topo estão três anjos de bronze, com aproximadamente 600 quilos cada, esculpidos pela artista plástica Lys Áurea Buzzi e que representam as três principais religiões monoteístas do mundo. O cristianismo, o judaísmo e o islamismo têm em comum a crença na existência de anjos e Jerusalém como uma cidade sagrada. Situado no bairro Seminário, na Avenida Sete de Setembro, esquina com Avenida Arthur Bernardes, esse monumento expressa parte da formação da identidade cultural da população curitibana, registrada na paisagem da cidade, que passa a fazer parte da história dessa comunidade.

A partir dessa releitura histórico-cultural, é possível identificar os diferentes espaços de convivência, trabalho e lazer da comunidade, o que permite desenvolver na sala de aula um processo voltado para a formação básica do cidadão. Assim, temas da história local favorecem o diálogo integrado mediante:

Pontifícia Universidade Católica do Paraná – Concurso Prefeitura Municipal de Curitiba Pág. 12

A) A reprodução dos fatos do cotidiano da história do município, pois isso auxiliará o aluno no domínio da leitura da vida social.

B) A memória da vida cotidiana dos indivíduos e o reconhecimento do ambiente natural.

C) A relação entre a matemática e o espaço permitindo uma atividade cartográfica coligada com as ciências naturais, independente do contexto complexo que origina a situação.

D) A compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade, bem como o fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância recíproca, em que se assenta a vida social.

E) O espaço no contexto comunitário, com vistas a divulgar o lazer para o público.

35. Para homenagear as diferentes comunidades que construíram não apenas o município de Curitiba, mas o estado do Paraná, encontramos monumentos e praças que representam a ocupação espacial dessa região do país. Um exemplo é o Memorial Ucraniano, localizado no Parque Tingui, inaugurado em 1995, ano em que se comemorou o centenário da chegada desses imigrantes a Curitiba, que presta homenagem aos imigrantes ucranianos de Curitiba. O conjunto do Memorial é composto principalmente por uma réplica da igreja de São Miguel Arcanjo (veja quadro abaixo), uma casa típica, palco ao ar livre e o portal. Todas as construções foram feitas com madeira encaixada, ao estilo ucraniano. Festas típicas e apresentações folclóricas acontecem no Sábado de Aleluia (a Benção dos Alimentos). Em agosto, ocorre a Festa Nacional da Ucrânia. Em outubro, a Festa da Colheita. Em novembro, a Festa de São Nicolau. Uma loja de souvenires está instalada numa casa típica dos imigrantes ucranianos, ao lado da igreja. Mais sobre a Cultura de Imigração Ucraniana: há a Igreja de São Miguel Arcanjo, que foi construída no final do século 19, pela comunidade de imigrantes ucranianos da Serra do Tigre, no município de Mallet,

Paraná, considerada uma das construções ucranianas mais antigas do Brasil. Segue um estilo arquitetônico bizantino, tradicionalmente usado nas igrejas ortodoxas eslavas. Possui cúpula oitavada de bronze e um campanário externo. A réplica da igreja não tem função religiosa. No seu interior são expostos ícones religiosos, uma coleção de pessankas e artesanato ucraniano. Observar a ocupação espacial e posteriormente relacioná-las aos os aspectos físico e humano é possível por meio de um objetivo que proponha:

A) Desenhar livremente o que for observado sem articulação com os elementos cartográficos.

B) Identificar a ocupação humana, assim como as escalas numéricas, articulando essas escalas à dinâmica do espaço físico.

C) Ler, interpretar e construir representações, como mapas, gráficos e plantas simples, utilizando elementos da linguagem cartográfica.

D) Registrar em gráficos simples o espaço físico. E) Utilizar elementos da linguagem cartográfica para identificar a ocupação humana do município de Curitiba.

36. A transversalidade é definida como a “possibilidade de se estabelecer, na prática educativa, uma relação entre aprender conhecimentos teoricamente sistematizados (aprender sobre a realidade) e as questões da vida real e de sua transformação (aprender a realidade da realidade)”. Fonte: BRASIL, 1998, p. 30.

No contexto do ensino de geografia, é fácil pensar em temas de interesse sócio-cultural que podem ser trabalhados de forma transversal como: meio ambiente, cultura, atmosfera, hidrosfera, segurança pública, política, entre outras. Por isso, perceber a Geografia não apenas centrada na descrição das paisagens e na interpretação política e econômica do mundo, exige do professor um processo avaliativo que considere:

Pontifícia Universidade Católica do Paraná – Concurso Prefeitura Municipal de Curitiba Pág. 13

A) Domínio de categorias, conceitos e procedimentos básicos com os quais esse campo do conhecimento opera e constitui suas teorias e explicações, de modo a poder não apenas compreender as relações socioculturais e o funcionamento da natureza às quais historicamente pertence, mas também conhecer e saber utilizar uma forma singular de pensar sobre a realidade: o conhecimento geográfico.

B) A gênese dos fenômenos naturais de forma pura, analisando suas leis, em detrimento da possibilidade exclusiva da Geografia de interpretar os fenômenos numa abordagem socioambiental.

C) A memorização como exercício fundamental aliada a uma proposta de problematização, de estudo do meio e do papel dos sujeitos sociais na construção do território e do espaço.

D) A sensibilidade dos alunos para temáticas mais atuais por meio da leitura do espaço geográfico e da paisagem.

E) A noção de escala espaço-temporal, temas de âmbito local e universal, e de como o espaço geográfico materializa diferentes tempos (da sociedade e da natureza) dissociados da cultura.

37. O currículo escolar para as escolas municipais de

Curitiba, segundo as Diretrizes Curriculares Municipais para a Educação Municipal de Curitiba, deve estar organizado em três eixos norteadores: Ecossistema, Culturas e Sociedades e Natureza da Ciência e Tecnologia. Sobre isso, considere o caso de algumas professoras da Escola W. A professora A desenvolveu sua prática abordando o conteúdo sobre a fotossíntese, relacionando os fenômenos químicos, físicos e biológicos que participam desse processo. A professora B desenvolveu com seus alunos o conteúdo relacionado com as teorias Heliocêntrica e Geocêntrica. A professora C, juntamente com seus alunos, fez uma análise crítica sobre a produção, distribuição e acesso da população aos meios de comunicação, – destacando-se o telefone celular.

Considerando que os eixos não são isolados, mas permitem relacionar as temáticas desenvolvidas pelas professoras com seus respectivos eixos, assinale a alternativa CORRETA:

A) A professora A tratou de um conteúdo relacionado ao eixo Natureza da Ciência e Tecnologia.

B) A professora C tratou de um conteúdo do eixo

Natureza da Ciência e Tecnologia.

C) A professora C abordou um conteúdo do eixo

Culturas e Sociedades.

D) A professora B abordou um conteúdo do eixo

Ecossistema.

E) A professora B abordou um conteúdo do eixo Natureza da Ciência e Tecnologia.

38. As Diretrizes Curriculares Municipais para a

Educação Municipal de Curitiba apresentam os fundamentos teórico-metodológicos para a área de Ciências Naturais, como uma prática que privilegie uma cultura científica que permita ao aluno a compreensão do funcionamento da natureza e os reflexos da ciência e tecnologia sobre a dinâmica ambiental.

Dado esse contexto, a prática pedagógica do professor sobre o conteúdo água, com seus alunos das séries iniciais ano do Ensino Fundamental, apresentará as seguintes características:

A) Atividade neutra, objetiva, que aborde as propriedades da água, como, por exemplo, sua composição, pressão e estados físicos.

B) Atividade com qual se possam identificar os fenômenos envolvidos no ciclo da água e a busca de uma explicação científica testada e validada, independente do seu contexto.

C) O ensino que proporcione aos alunos a execução de um experimento que possa reproduzir os passos e etapas vivenciadas pelos cientistas sem acessar conhecimentos de outras disciplinas.

D) Uma orientação que privilegie a incorporação de conceitos, como evaporação, sublimação, condensação e a sequência dos eventos do ciclo da água e conhecimentos científicos, ignorandose o senso comum detido pelo aluno.

E) Contextualização do fenômeno do ciclo da água, focando-se os fenômenos da natureza, os problemas sociais gerados pela obtenção e conservação de fontes naturais e uma abordagem interdisciplinar.

Pontifícia Universidade Católica do Paraná – Concurso Prefeitura Municipal de Curitiba Pág. 14

39. A arte é uma disciplina obrigatória nas escolas, conforme determinação da LDB 9394/96. Cabe às equipes de educadores das escolas e redes de ensino realizar um trabalho de qualidade, a fim de que crianças, jovens e adultos gostem de aprender arte. Compete aos centros de formação de professores investirem em projetos de pesquisa e de formação contínua para que os professores sejam os protagonistas de práticas atualizadas em sala de aula. A partir dessa afirmação, avalie as assertivas abaixo:

I. A arte promove o desenvolvimento de competências, habilidades e conhecimentos necessários a diversas áreas de estudos; entretanto, não é isso que justifica sua inserção no currículo escolar, mas seu valor intrínseco como construção humana, como patrimônio comum a ser apropriado por todos.

I. A arte na escola será trabalhada como uma área do conhecimento isolada, pois serão desenvolvidas técnicas referentes somente ao trabalho dessa disciplina.

I. A arte constitui uma forma ancestral de manifestação e sua apreciação pode ser cultivada por intermédio de oportunidades educativas. Quem conhece arte amplia sua participação como cidadão, pois pode compartilhar de um modo de interação único no meio cultural. Privar o aluno em formação desse conhecimento é negar-lhe o que lhe é de direito. A participação na vida cultural depende da capacidade de desfrutar das criações artísticas e estéticas, cabendo à escola garantir a educação em arte para que seu estudo não fique reduzido apenas à experiência cotidiana.

IV. Aprender arte envolve a ação em distintos eixos de aprendizagem: fazer, apreciar e refletir sobre a produção social e histórica da arte, contextualizando os objetos artísticos e seus conteúdos.

(Parte 5 de 6)

Comentários