Saúde Mental

  • Saúde Mental

  • Cuidar sim, excluir não

  • Rio de Janeiro

  • 5.863.435 habitantes

  • 3.180 leitos psiquiátricos

  • 5 hospitais públicos, 2 universitários, 7 privados e 1 filantrópico

  • 6 CAPS adultos e 2 infanto-juvenis

  • 73 ambulatórios com atenção em saúde mental

  • Integração com PSF e PACS

Saúde Mental:

  • Saúde Mental:

  • Cuidar sim, excluir não

  • Visa implantar no IPP um serviço de capacitação e atualização, acompanhamento e renovação da assistência para a enfermagem de saúde mental

  • O programa se constitui de 3 eixos:

  • Programa de Formação e Atualização em Saúde Mental para Profissionais de Enfermagem

  • Programa de Intervenção na Prática Profissional com Acompanhamento e Estudos de Casos da Prática de Enfermagem enfocando aspectos subjetivos da assistência aos pacientes (supervisões), avaliação diagnóstica e análise do contexto institucional

  • Realização de seminário interno dos profissionais de enfermagem

Saúde Mental:

  • Saúde Mental:

  • Cuidar sim, excluir não

  • Objetivo Geral

  • Através de uma intervenção para capacitação em saúde mental, acompanhamento continuado e integração profissional especificamente voltado para as equipes de enfermagem, melhorar a qualidade do atendimento prestado por estes profissionais aos usuários, rompendo com a lógica da relação manicomial, etapa necessária no processo de desinstitucionalização

Saúde Mental

  • Saúde Mental

  • Cuidar sim, excluir não

  • Objetivos Específicos

  • Capacitação e atualização dos profissionais aprimorando sua prática

  • Redução das desistências dos recém-concursados

  • Maior integração do pessoal de enfermagem com restante da equipe

  • Evitar iatrogenias decorrentes da não elaboração de questões subjetivas relativas à prática de enfermagem

  • Estimular implicação e engajamento do pessoal de enfermagem diante das transformações da prática do cuidado em saúde mental

  • Promover a ampliação do campo de atuação do profissional de enfermagem

Saúde Mental

  • Saúde Mental

  • Cuidar sim, excluir não

  • Objetivos Específicos II

  • Maior autonomia de atuação para os profissionais de enfermagem tornando-os interlocutores e agentes diretos do processo de assistência

  • Contribuir para a qualificação da assistência e para a redução do tempo de internação

  • Desenvolver um campo para a formação profissional de enfermeiros e auxiliares de enfermagem

  • Construir um modelo de intervenção na prática de enfermagem psiquiátrica

Saúde Mental

  • Saúde Mental

  • Cuidar sim, excluir não

  • Metodologia

  • Oficina de construção de possibilidades

  • Analisador externo que não exerce papel de mediação

  • Criação de espaço de desvelamento x queixas estruturais

  • Reuniões de supervisão em serviço para discussão de casos

  • Cultura da escuta e criação de protagonismo

  • Capacitação e educação continuada

Saúde Mental

  • Saúde Mental

  • Cuidar sim, excluir não

  • Atividade de Capacitação:

  • O programa de capacitação em saúde mental foi elaborado a partir da avaliação de questionários, e aborda os seguintes eixos temáticos:

  • Assistência de enfermagem psiquiátrica (História da enfermagem psiquiátrica no Brasil)

  • A enfermagem e a relação terapêutica com o paciente psiquiátrico

  • Novos dispositivos na assistência de enfermagem psiquiátrica

  • A qualidade de vida do paciente psiquiátrico como norteador da assistência de enfermagem prestada

  • Visita domiciliar como um dispositivo de cuidado

  • A enfermagem na reabilitação psicossocial do paciente psiquiátrico

  • A enfermagem psiquiátrica criticando a sua prática)

Saúde Mental

  • Saúde Mental

  • Cuidar sim, excluir não

  • Atividade de Capacitação II:

  • Reabilitação Psicossocial (Novas estratégias de cuidado, História da Psiquiatria, Noções de teorias psicológicas e da subjetividade, desospitalização e desinstitucionalização; atendimento domiciliar; apresentação de dispositivos inovadores tais como vídeos da TV Pinel, cancioneiros do IPUB, lares abrigados, iniciativas de trabalho e lazer assistidos)

  • Psicopatologia (Nosologia psiquiátrica, estruturas clínicas, exame psíquico)

  • Psicofarmacologia.

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Grupos de Supervisão

  • Supervisão em 3 (três) reuniões semanais, cada uma com duas horas de duração. Como o trabalho é feito com seis diferentes setores do Instituto, há um revezamento na apresentação dos casos. Cada semana um setor específico leva o relato de um caso, juntamente com os dados do prontuário e as questões da equipe referentes a ele, para subseqüente discussão e busca de soluções.

  • Todas as reuniões de supervisão são registradas em ata, para que a instituição, a equipe de enfermagem e a do projeto tenham uma documentação do trabalho. Esta é preenchida pelos membros da equipe de enfermagem, em esquema de rodízio.

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Colóquio de Atualização de Enfermagem em Saúde Mental

  • Reforma Psiquiátrica / Lei 10.216

  • Domingos Sávio Nascimento

  • Trabalho em Equipe interdisciplinar em Saúde Mental

  • Ruth Rocha

  • Maria Regina Roquete

  • Participantes: profissionais de enfermagem da rede.

  • Participaram em média 50 profissionais, em sua maioria do Instituto Nise da Silveira

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Conclusões do Colóquio

  • a equipe deve reconhecer que tem limitações, reconhecer o valor de cada colega

  • serviço privado – equipes escolhidas x serviço público – não há possibilidade de escolha

  • necessidade de proposta de trabalho

  • contenção: abordagem verbal age em algum nível

  • existe técnica para imobilizar sem machucar ?

  • o papel de contenção é da equipe toda

  • valorização do vínculo com o paciente

  • escuta como papel fundamental

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Aplicação de questionários durante a fase de apresentação do projeto

  • Questionário com itens sobre a identificação do profissional, questões referentes à sua posição pessoal perante o trabalho da enfermagem psiquiátrica e em relação ao fenômeno da doença mental - além de sugestões para o tema das aulas, do Colóquio e do Seminário.

  • Teve como objetivo conhecer as principais características do público alvo e oferecer uma primeira escuta às suas demandas. O fato de estruturar o curso e as palestras a partir do que a equipe de enfermagem afirma ser importante para a melhoria do seu trabalho vai de encontro ao objetivo do projeto, que é fazer com que as soluções para as dificuldades encontradas no seu dia-a-dia sejam encontradas e implementadas por e a partir dos próprios profissionais.

  • Foram preenchidos 24 questionários, 22,2% do total de profissionais de enfermagem da instituição.

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Distribuição dos Profissionais de Enfermagem da Instituição por Gênero

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Distribuição dos Profissionais de Enfermagem da Instituição por Idade

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Distribuição por Tempo de Experiência Profissional em Enfermagem Psiquiátrica

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Distribuição por Modalidade de Inserção na Enfermagem Psiquiátrica

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Resultados Alcançados

  • Elaboração de um diagnóstico situacional

  • adequação da proposta ao serviço - localizou os principais problemas de funcionamento da enfermagem psiquiátrica na instituição, ocasionando a explicitação da demanda institucional por uma intervenção junto aos profissionais de enfermagem e problematizando a questão da enfermagem no campo da Saúde Mental

  • Implicação dos profissionais de outras categorias na viabilização do programa de capacitação e formação da equipe de enfermagem

  • Através de diversas negociações com as equipes dos diferentes setores da instituição, para garantir o compromisso dos demais profissionais da equipe de assumirem o cuidado aos pacientes nos setores, na ausência dos Profissionais de Enfermagem, para que estes pudessem estar presentes às atividades de formação/capacitação. gerando atmosfera de trabalho de maior cooperação, integração e solidariedade entre os diversos profissionais do hospital.

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Sensibilização da chefia de enfermagem para treinamento diferenciado em Saúde Mental

  • Detectamos atmosfera de pessimismo por parte da chefia de enfermagem em relação a qualquer possibilidade de melhora na situação institucional da enfermagem.

  • Outros problemas apontados nos encontros: baixo contingente de profissionais, falta de integração/comunicação entre os profissionais da enfermagem, falta de integração entre os profissionais de enfermagem e os profissionais das demais categorias, falta de experiência dos profissionais recém contratados, desgaste profissional e emocional por parte dos profissionais antigos, desânimo generalizado e resistências a quaisquer mudanças propostas.

  • Adequação do conteúdo do curso de capacitação às necessidades e interesses dos profissionais da instituição

  • Elaboração da ementa do curso e definição de horários junto com a equipe de enfermagem com adequação às necessidades da instituição e escala de reuniões de supervisão para atender ao número máximo possível de profissionais.

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

  • Decisão de promover futuras seleções por concurso através de Recursos Humanos especializados

  • Replicação deste trabalho para as demais instituições de saúde mental do município do Rio de Janeiro

Saúde Mental Cuidar sim, excluir não

    • Saúde Mental Cuidar sim, excluir não
  • Considerações Finais: discussão sobre o caráter inovador da experiência

  • Construção gradual de uma postura mais ativa dos profissionais de enfermagem

  • Significativa mudança na postura da equipe de enfermagem. Maior conscientização dos profissionais de enfermagem quanto à ineficácia de se aguardar que algum “superior” venha a resolver os problemas por eles enumerados

  • Gradativa transição do discurso desesperançoso a respeito do trabalho e uma explícita demanda de que a equipe que se propôs a ouvi-los resolvesse por eles os problemas encontrados no dia-a-dia.

  • Reforço do conteúdo das suas falas e do saber que é produzido a partir de sua, experiência. Os profissionais de enfermagem começam a ver com maior clareza que a solução não reside em apenas esperar alguma atitude por parte da direção do Instituto em resposta às suas reclamações, mas sim em colocarem-se a trabalhar para poder criar soluções por si próprios.

Comentários