Estudo para Prova - realidade brasileira

Estudo para Prova - realidade brasileira

UNIVERSIDADE POTIGUAR - UnP

ESTUDO DA REALIDADE BRASILEIRA

ALUNA: ELIANA DE LIMA MELO

PARA ESTUDAR

Perguntas - Fórum

  1. Que exemplos de identidade cultural vocês conhecem?

No Brasil, por exemplo, existem vários tipos de identidades culturais, como a religiosa, aqueles que se identificam com as doutrinas apontadas por Weber em “A ética protestante e o espírito do capitalismo” e aqueles que também fazem deste o maior país católico do mundo, além de outros tipos como o candomblé, são contrastes que fazem o Brasil diverso. Indo mais além, existem outros gêneros de identidades culturais que caracterizam as pessoas quanto ao seu modo de ser, de se vestir, de falar. Se qualquer pessoa comparar os costumes de cada estado brasileiro ou então das regiões que temos (Sul, Sudeste, Centro-oeste, Norte e Nordeste) irá com certeza encontrar muitas coisas diferentes, como as formas de comemorações existentes, temos o São João ao estilo do forró Nordestino e o São João feito no Estado do Maranhão, a mesma festa comemorada de duas formas totalmente diferentes.

  1. Escolha um dos períodos de governo do capítulo 2 e faça um comentário sobre sua importância ou consequência para o Brasil na época daquele governo ou nos dias de hoje. Lembrem-se de não repetir comentários, mas podem repetir os períodos de governo com comentário diferente.

O Colonialismo no Brasil – O sistema de governo colonial foi precedido pelo pensamento mercantilista, que pretendia lucrar com bens naturais a partir de uma cultura escravagista. Assim surgiu o sistema de governo que determinou traços da organização mundial de hoje, seja tanto no fator econômico como também no social. Portugal colonizou o Brasil, explorou riquezas naturais e deixou raízes de sua cultura aqui. O Brasil era muito rico em recursos naturais, foram descobertas minas, criando assim uma economia mineradora, totalmente condizente com o pensamento econômico da época, estimulado pela Escola Fisiocrata, que incentivava o acúmulo de riquezas, além da cultura de plantation (cana-de-açúcar). Todos esses fatores aceleraram bastante o desenvolvimento capitalista europeu, pois toda cultura da colônia era transferida de imediato para a metrópole, gerando lucros. Observando tais fatos é possível entender a ordem das nações mundiais hoje, a posição do negro no contexto social, escravizado, humilhado e torturado. Com o sistema colonialista nações européias enriqueceram mais ainda, o Brasil ficou bastante vitimado pelo fator econômico e principalmente social e só hoje é que está conseguindo superar tal passado, sendo uma nação emergente no contexto global. O Pacto colonial foi outro ponto determinante para a consolidação dessa cultura na época. Como Portugal estava passando por uma crise devido aos gastos excessivos da coroa, buscou então estabelecer um controle maior da colônia, criando então mecanismos para ampliar a arrecadação de impostos. O Mercantilismo era um sistema que visava fortemente o lucro comercial, inspirou o iluminismo, que tornou as formas de governos mais democráticas. Todavia, o pensamento iluminista já tomava força, condenava as estruturas de privilégios inclusas no mercantilismo e chamava o Regime Absolutista de Antigo Regime. Traços fortes do Brasil Colônia ficaram enraizados na cultura do país, obras do artista aleijadinho eminentes da cultura do ouro em Minas Gerais, a língua portuguesa deixada como herança e também a inserção do Brasil em um sistema econômico mundial.

  1. Segundo Florestan Fernandes, a transformação do capitalismo na Europaprovocou que efeitos nas economias periféricas da América Latinaem relação às economias capitalistas centrais?

O Capitalismo foi introduzido de maneira injusta, pois os países europeus já tiveram grande vantagem a partir das idéias evolucionistas, a Europa já lucrou bastante com o colonialismo e principalmente o mercantilismo e com certeza saiu na frente dos países latino-americanos quando foi implantado o capitalismo. Segundo Florestan Fernandes a transformação do capitalismo na Europa resultou em formas de dominação a qual os países latino-americanos ficaram sujeitos, ou seja, formas de dominação externas. Dentre elas a influencia econômica que gerou como consequências, como mudanças na economia, sociais e culturais, tornando então a economia européia hegemônica e praticamente imperial, como afimou Florestan Fernandes. Os países latino-americanos passaram a ser guiados economicamente pelos europeus. A outra forma de dominação foi o que ele chama de “imperialismo total”, sendo esta uma análise mais específica, que observa a dominação a partir de dentro dos países latino-americanos, na prática de suas ações, feitas de acordo com as ações dos países europeus. A globalização nos mostra exatamente isso, é como se os países mais desenvolvidos ditassem sócio e economicamente a forma de produzir e se desenvolver dos países menos desenvolvidos.

Estudo da Realidade Brasileira

Atividade Avaliativa 1 – 2011.1

  1. Disserte sobre a noção de identidade, pautando-se no pensamento filosófico vinculado aos gregos antigos.

Primeiramente a noção de identidade é algo que pode ter várias concepções, mas uma que faz muito sentido é que identificar é caracterizar, transpor em conhecimento sobre o que seja algo ou alguém.

Na concepção grega, a noção de identidade está vinculada a de conhecimento, para saber quem somos temos que nos conhecer, desvendar a nossa identidade. É uma concepção bem realista visto que a identidade não é algo meramente superficial, para conhecer de verdade um povo, uma cultura ou até mesmo um conjunto de normas não basta saber que existem, é preciso descobrir o sentido das coisas para identificá-las. Os gregos produziram aqueles que servem até hoje de fundamento para o entendimento de muitos fenômenos sociais, os mitos helênicos, ou seja, a noção de identidade começou a ser criada na Grécia Antiga.

Na história de Sófocles, citada no material, Édipo era aquele que se encontrava em conflito com a sua própria personalidade e as características de sua vida, não muito diferente da vida das demais pessoas no mundo, com pai, mãe, uma família comum. A história nos dá uma percepção sobre a importância da identidade para o fator social e até mesmo para o desenvolvimento humano, como e porque as coisas acontecem.

Por fim, a identidade vista a partir da concepção filosófica é atribuída às características comuns da vida, fazendo-se uma analise das características intrínsecas, sobre o que é certo ou errado, mas principalmente sobre aquilo que nos torna diferentes, únicos, seres próprios de identidade.

  1. Analise o papel do Brasil no processo de acumulação do capitalismo.

O Brasil hoje em dia é um país emergente, que tem significante atuação no sistema capitalista. Neste sistema, o Brasil, acompanha os países mais desenvolvidos, que regem o sistema e isso gera um teor de dependência para o nosso país. Assim sendo, o papel do Brasil, basicamente é fazer parte do sistema segundo o que ele impõe e o que este sistema impõe é que aqueles países que tem mais dinheiro são líderes, com maior autonomia para se impor aos demais. Porém, o Brasil pode sempre buscar desenvolver-se e influenciar os demais países também, além de criar vínculos sociais e econômicos para o progresso da economia brasileira, além de ter responsabilidades no quadro internacional de países.

  1. Na obra “Mito fundador e Sociedade autoritária”, Marilena Chauí analisa a questão da pluralidade cultural. Analise o pensamento da autora acerca do mito fundador brasileiro.

O tal mito de que fala a autora Marilena Chauí é sobre a invenção do Brasil, o mito da criação. Ela aborda sobre a temática do descobrimento sobre o ponto de vista de que o fator de terem os europeus descoberto ou “achado” o Brasil não quer dizer que o país não estava aqui antes deles chegarem, ou que simplesmente a nossa sociedade não possa ter autonomia suficiente para se compreender enquanto país, nação ou simplesmente território independentemente da ação de outros países mais desenvolvidos. Ela analisa ainda que ao ter sido criado um mito, muitos outros também foram criando força, como o da “visão do paraíso”, que é como uma fantasia que mascara a realidade social e o poder que esta pode ter. Estes mitos nos levam quase a uma utopia da finalidade social e a visão da autora nos dá a possibilidade de analisar a veracidade e os pontos relevantes desses mitos.

  • Você já parou para pensar na formação da identidade brasileira?

  • Como ela se formou?

  • Quais foram os seus agentes?

  • Quais os traços da identidade da nação brasileira?

4

Comentários