Hiperemias e Edemas

Hiperemias e Edemas

(Parte 1 de 2)

Técnico em Radiologia Diagnóstica Patologia Associada à Radiologia

Hiperemias & Edemas

Tipos Hiperemia Ativa Hiperemia Passiva Conseqüências Tratamento Exames

Localizado Generalizado

Tratamentos

Causas Tratamentos

Introdução

Esse projeto tem por objetivo abordar alguns aspectos que se dizem respeito à Hiperemias e Edemas mostrando suas diferenças, o que são cada uma, como surgem, quais os fatores que influenciam no seu quadro clínico, veremos como pode ser diagnosticada e quais os tratamento possíveis para cada caso

Embora haja vários tipos de Hiperemias e Edemas, separamos apenas alguns casos que são considerados mais comuns.

Hiperemia

É um aumento da quantidade de sangue em um determinado local, ocasionado pelo aumento do número de vasos sanguíneos funcionais ou diminuição do escoamento venoso.

Tipos

Classificam-se em; • Hiperemia Ativa;

• Hiperemia Passiva.

Hiperemia Ativa

É provocada por dilatação arteriolar com aumento do fluxo sanguíneo local. A vasodilatação é de origem simpática ou humoral e leva à abertura de capilares inativos, o que resulta na coloração rósea intensa ou vermelha do local atingido e no aumento da temperatura. Ao ser observado pelo microscópio, os capilares são vistos repletos de hemácias.

A Hiperemia Ativa pode ser Fisiológica ou Patológica.

Fisiológica São modificações circulatórias adaptativas a maiores exigências funcionais de determinados setores quando há necessidade de maior irrigação, similar ao que ocorre nos músculos esqueléticos durante o exercício, na mucosa gastrintestinal durante a digestão, e na pele em ambientes quentes.

Patológica São modificações circulatórias que surgem no decurso de vários processos patológicos, principalmente as inflamações agudas, agressões térmicas e traumatismo.

Neste corte da gengiva, pode ser notado que os capilares – apontados pelas setas – apresentam-se com grande quantidade de hemácias, indicando um processo de hiperemia ativa. Provavelmente essa gengiva está sofrendo um processo inflamatório.

Hiperemia Passiva

É a alteração circulatória decorrente da diminuição da drenagem venosa. Forma-se tanto na circulação pulmonar como na grande circulação. Pode comprometer apenas um órgão ou quase todo o sistema venoso.

A Hiperemia Passiva pode ser chamada também de congestão e possui uma coloração azulavermelhada intensificada nas áreas afetadas, de acordo com o acumulo de sangue venoso. Esta coloração aumenta quando há um aumento da concentração de hemoglobina não oxigenada no sangue.

A Hiperemia Passiva pode ser Localizada ou Generalizada.

Passiva Localizada Quando há processos que dificultam o retorno venoso local. Isso ocorre quando há compressão de ramos venosos por tumores, órgãos aumentados de volume ou torção pedículos vasculares, quando obstrução intrínseca por flebotromboses, tromboflebites, propagação de tumores ou por ação da gravidade por insuficiência das válvulas venosas e na imobilidade prolongada em ortostase.

Passiva Generalizada Quando há processos que dificultam o retorno venoso sistêmico pela insuficiência ventricular direita, alteração da válvula tricúspide ou compressão do átrio direito e/ou das veias cavas.

(Hiperemia Passiva do leito capilar) Conseqüências das Hiperemias

Por aumentar a pressão hidrostática surgem então os Edemas. A ruptura devido à hipertensão venocapilar pode causar hemorragias. Fenômenos degenerativos, hipotrofia e necrose por deficiência na oxigenação e nutrição dos tecidos. Proliferação fibroblástica e colagenogênese, seguido da degeneração e necrose das células parenquimatosas. E também podem ocorrer tromboses venosas.

As Hiperemias Passivas mais importantes são as dos pulmões, do fígado e do baço.

Congestão Pulmonar

Os capilares alveolares encontram-se dilatados e os septos tornam-se alargados pelo edema intersticial.

Congestão Hepática

Pode ser aguda ou crônica, é provavelmente na maioria das vezes por insuficiência cardíaca congestiva e por obstrução das veias hepáticas ou da veia cava inferior. Na aguda, o fígado encontra discretamente aumentado de peso e volume e tem cor azul vinhosa. Na crônica, o órgão tem cor vermelho azulada, as regiões centrolobulares são deprimidas e ficam circundadas por parênquima hepático às vezes amarelado.

Congestão do Baço

É causado, sobretudo por insuficiência cardíaca, o órgão encontra-se pouco aumentado de volume cianótico e repleto de sangue e é encontrada principalmente nos casos de hipertensão. O baço é aumentado de volume, endurecido por fibrose e com focos de hemorragia recente ou antiga. A retirada cirúrgica do baço corrige o hiperesplenismo.

Tratamento

O tratamento pode ser feito clinicamente com medicamentos para reduzir a vasodilatação. Em outros casos são realizadas cirurgias, como por exemplo, quando estão em fase avançada pode haver necrose e hemorragia. No caso do baço a retirada cirúrgica corrige o problema se estiver em estágio avançado.

Exames

Em casos de Hiperemia Pulmonar, Hepática ou do Baço o exame para diagnosticá-la é a tomografia com contraste para visualização dos vasos. Em outros casos através da simples inspeção visual pode se observar a área rósea intensa ou avermelhada e aumento da temperatura maior do que o normal.

Edemas

Trata-se de um acúmulo anormal de líquido no espaço intersticial, nos espaços ou nas cavidades do corpo devido ao aumento da pressão hidrostática, aumento da permeabilidade vascular e pela diminuição da drenagem linfática.

O Edema tem como constituição uma solução aquosa de sais e proteínas do plasma e dividese em Edema Localizado ou Generalizado.

Edema Localizado

O Edema Localizado compromete uma região do órgão ou do organismo, e nele é comum o edema inflamatório, no qual é rica em proteínas do plasma. Queda, torção, excesso de esforço ou uma batida são motivos pelos quais geralmente surgem distúrbios locais que são os chamados edemas inflamatórios.

Exemplo de Edema Localizado causado por causa de uma torção no tornozelo.

Edema Generalizado

Já o Edema Generalizado ocorre quando o mesmo se espalha pelas cavidades pré-formadas e por todo o corpo da pessoa principalmente membros, face, pernas e mãos. Ele também pode ocorrer dentro do abdômen e do pulmão. Esse edema causa aumento da permealidade dos vasos, aumento da pressão dentro das veias capilares e aumento da pressão venosa que é muito comum quando há algum tipo de obstrução ao fluxo sanguíneo venoso. Um exemplo conhecido é as varizes das pernas que são veias defeituosas levam o sangue de volta para o coração com dificuldade, visto que tem que agir contra a gravidade daí ocorre um represamento de sangue nos membros inferiores. Por isso o sangue acumulado aumenta a pressão dentro das veias e ai ocorre o extravasamento de líquidos para o tecido subcutâneo.

Os Edemas Generalizados mais comuns são; Edema Renal, Edema Cardíaco, Edema Pulmonar.

Edema Pulmonar

É um inchaço juntamente com acúmulo de fluidos nos pulmões. Esse Edema ocasiona prejuízo nas tocas gasosas e pode causar insuficiência respiratória. Pode ocorrer por incapacidade de o coração remover fluidos da circulação no pulmão, ou então por lesão ao parênquima pulmonar.

(Parte 1 de 2)

Comentários