Apostila de materiais adaptados

Apostila de materiais adaptados

(Parte 1 de 7)

SÃO JOSÉ - SC 2009

Ficha catalográfica elaborada por Juliano Ricardo Zimmermann CRB –14/1090.

S59cSANTA CATARINA (Estado). Secretaria de Estado da Educação.

Fundação Catarinense de Educação Especial.

Catálogo de Materiais Pedagógicos Adaptados da Fundação Catarinense de Educação Especial. - São José, SC: FCEE, 2009.

62 p.: il.

Elaboração: Helena Ferreira Maurício, Jane Maria Ghisi Garcia, Maria Mercedes Hahn, Maria Salete Scheffer Waltrick e Rosimery Silva Schütz.

1. Educação especial. 2. Material Pedagógico Adaptado. I. FCEEI. Título.

CDD 371.9

GOVERNDOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA Luiz Henrique da Silveira

SECRETÁRIO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA Paulo Bauer

PRESIDENTE DA FCEE Rosane Teresinha Jahnke Vailatti

DIRETORA DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Janice Aparecida Steidel Krasniak

GERENTE DE PESQUISA E CONHECIMENTOS APLICADOS Sérgio Otávio Bassetti

COORDENADORA DO CENTRO DE APOIO PEDAGÓGICO E ATENDIMENTO ÀS PESSOAS DEFICIENTES VISUAIS Jussara Silva

ELABORADORES Helena Ferreira Maurício Jane Maria Ghisi Garcia Maria Mercedes Hahn Maria Salete Scheffer Waltrick Rosimery Silva Schütz

APRESENTAÇÃO7
1. INTRODUÇÃO9
2. FUNDAMENTANDO OS PRINCÍPIOS ESSENCIAIS E ELEMENTARES DO SERVIÇO10
3. OBJETIVOS12
4. DINÂMICA DE TRABALHO13
MATERIAIS PEDAGÓGICOS ADAPTADOS DESENVOLVIDOS15
TAPETE PARA ESTIMULAÇÃO ESSENCIAL17
KIT SONORO18
KIT SIMBÓLICO19
KIT GEOMÉTRICO20
KIT FAMÍLIA21
BOLA DE ESTIMULAÇÃO VISUAL (Com Contraste)2
BOLA DE ESTIMULAÇÃO AUDITIVA E TÁCTIL23
LUVAS DE FANTOCHE24
CUBO DE ATIVIDADES DE VIDA DIÁRIA25
CAPA DE MAMADEIRA26
JOGO DOS BICHOS27
ÁRVORE MATEMÁTICA28
CUBO MÁGICO29
JOGO DOS INSETOS30
BRINCANDO COM VOGAIS31
CINCO MARIAS32
CUBO NUMÉRICO3
FITA MÉTRICA ADAPTADA EM RELEVO34
RÉGUA ADAPTADA EM RELEVO35
RÉGUA BRAILLE36

SUMÁRIO SAPATEIRA ALFABÉTICA ............................................................................................................................ 37

PULO DOS RATINHOS39
TAMPINHAS COM TEXTURAS40
MEIA COM POMPOM41
BRINCANDO COM NÚMEROS42
JOGO DE MEMÓRIA EM LIBRAS43
JOGO DA VELHA4
TRANSFERIDOR ADAPTADO EM RELEVO45
ESQUADRO ADAPTADO EM RELEVO46
SOME E VIRE47
DOMINÓ DE TEXTURA48
JOGO DE TRILHA (Moinho)49
CARAS E CARETAS50
BONECO ARTICULADO51
LABIRINTO52
LIVRO DAS SOMBRAS53
PAREANDO54
JOGO DO BLOQUEIO5
CONSTRUINDO AS OPERAÇÕES MATEMÁTICAS56
MINHOCANDO57
KIT FAMÍLIA (Cont. – Fotos)58
ATIVIDADE DE VIDA PRÁTICA -AVP59
ABRINDO E FECHANDO60

QUADRO DE DESENHO EM RELEVO COM CANETA ADAPTADA .................................................38 REFERÊNCIAS ................................................................................................................................................... 61

Brincar é coisa séria. A frase não é original como são os materiais pedagógicos adaptados produzidos pela Fundação Catarinense de Educação Especial. E por que falar em brinquedos quando falamos de materiais pedagógicos? Porque estes materiais oportunizam a aprendizagem de conceitos e conteúdos escolares por meio da atividade lúdica. Estes materiais possibilitam, ainda, a participação conjunta de educandos com ou sem deficiência, tornando-se um poderoso instrumento de inclusão. Confeccionados a partir de diferentes texturas, simbologia Braille e em Língua de Sinais, são elementos fundamentais na construção da autonomia de ação dos educandos.

A elaboração destas adaptações vem redimensionar as práticas de apropriação da cultura mediante o processo educativo, favorecendo a ampliação das potencialidades, tanto cognitivas como emocionais (relacionais), ao mesmo tempo em que proporcionam maiores possibilidades de interação social.

Estes materiais produzidos de forma adaptada oportunizam aos mediadores trabalharem, com qualidade, os conhecimentos científicos, desenvolvendo no educando capacidades como observar, fazer perguntas, explorar, resolver problemas, cooperar, comunicar ideias e outras.

A descoberta, pelo educando, do ambiente ao seu redor através de elementos como os materiais pedagógicos adaptados, pode viabilizar múltiplas possibilidades de formação de importantes pilares para decisões que nortearão seu desenvolvimento psicossocial.

O aperfeiçoamento do uso destes materiais pelos mediadores deve estar sustentado nos interesses sobre os assuntos a serem abordados. Desta forma, pode utilizar esta ferramenta como uma grande aliada, explorando todas as possibilidades de sucesso que ela pode oferecer no processo da aprendizagem do educando.

Como dirigente de educação especial, é com prazer que apresento este trabalho desenvolvido com o costumeiro carinho pelos profissionais da FCEE, sabedora que sua divulgação levará, em cada material pedagógico adaptado, o compromisso de nossa Instituição com o desenvolvimento das potencialidades das pessoas com deficiência. O abraço afetuoso da amiga para sempre.

Rosane Teresinha Jahnke Vailatti Presidente da Fundação Catarinense de Educação Especial

1. INTRODUÇÃO

As informações incorporadas neste catálogo fazem parte de estudos e investigações conduzidas por profissionais da equipe de pesquisa do Centro de Apoio Pedagógico e Atendimento às Pessoas Deficientes Visuais - CAP da Fundação Catarinense de Educação Especial, com sede no município de São José/Santa Catarina.

O material pedagógico adaptado, que serve como auxiliar da ação docente na busca de resultados em relação à aprendizagem de conceitos e ao desenvolvimento de habilidades, desempenha um papel nuclear em programas direcionados a atender às necessidades dos educandos, percebendo estes em toda a sua singularidade.

É fato que as relações entre o material pedagógico, a criança e a educação têm merecido uma constante atenção dos educadores quando se discutem temas referentes ao processo de ensino e aprendizagem.

A escola como instituição reitora deste processo tem o papel de promover a apropriação do conhecimento, cabendo a ela transformar-se para a conquista da melhoria da qualidade de vida da coletividade de forma abrangente.

Pautada nesta perspectiva, entende-se que a escola deve estar voltada em atender às peculiaridades dos educandos, garantindo-lhes possibilidade de inclusão através do acesso a recursos adaptados. Tal intenção fica explícita quando nos remetemos ao trabalho desenvolvido em sala de aula, onde as estratégias de ensino neste espaço devem atender à diversidade, focalizando a atenção nas relações ali estabelecidas.

Neste sentido, a FCEE, através do Serviço de Material Pedagógico Adaptado do Centro de Apoio Pedagógico e Atendimento às Pessoas Deficientes Visuais – CAP, vem mantendo uma prática de investigação e produção de recursos pedagógicos adaptados para educandos com deficiência que frequentam a educação infantil e o ensino fundamental do sistema regular de ensino e as instituições especializadas do Estado de Santa Catarina.

2. FUNDAMENTANDO OS PRINCÍPIOS ESSENCIAIS E ELEMENTARES

Este documento é uma seleção de alguns pontos pinçados da literatura da área, somada ao crescente interesse, decorrente das necessidades afloradas em sala de aula, por parte dos educadores que desenvolvem atividades junto aos educandos com necessidades especiais.

O Serviço de Material Pedagógico Adaptado vem redimensionar as práticas educativas, resgatando os fundamentos teóricos e metodológicos que configuram no espaço escolar, situações significativas que complementem o processo educativo, favorecendo a ampliação das potencialidades cognitivas, ao mesmo tempo em que proporciona maiores possibilidades de interação social.

Cabe, portanto, destacar que o trabalho realizado por este Serviço tem um importante papel no processo de formação do indivíduo na apropriação da cultura, característica essencial do processo educativo. O conceito de trabalho educativo aqui adotado situa-se numa perspectiva de relação direta e intencional entre educador e educando.

Apoiados no pressuposto de que a escola deve promover a apropriação do conhecimento, ressalta-se a necessária transformação da escola na busca da consolidação da melhoria da qualidade de vida da comunidade de maneira igualitária e democrática.

Partindo deste princípio, acredita-se que a unidade escolar deve estar voltada a atender às diferentes demandas educativas, proporcionando oportunidades a todos os educandos de empreenderem o seu processo de aprendizagem em igualdade de condições.

Permeados por esta ideia, entende-se que uma questão fundamental que deva ser examinada para a efetivação de uma educação inclusiva é o oferecimento de recursos adaptados capazes de darem suporte ao processo de apropriação do conhecimento dos educandos.

experiências de aprendizagem mais diversificadas, constituídas de sentidos e significados”

Cumpre observar que, entre a grande variedade de recursos existentes, destaca-se o material pedagógico adaptado que contribui significativamente para o enriquecimento das (SANTA CATARINA, 1995).

Calcado em elementos teórico-práticos, define-se material pedagógico adaptado como um recurso capaz de acolher a singularidade dos educandos que frequentam o sistema regular de ensino ou instituições especializadas, possibilitando ao educador e ao educando condições necessárias e mecanismos que favoreçam uma construção rica do processo educativo, no tocante às mediações realizadas em sala de aula, contribuindo, desta forma, para a ampliação das possibilidades de organização da estrutura de ensino e de interação social destes indivíduos.

Segundo este entendimento, os materiais pedagógicos se constituem em recursos concretos, cujo propósito dialético-pedagógico do professor determina um significativo ponto de inflexão teórica.

Em suas diferentes manifestações, os brinquedos, as brincadeiras, os jogos surgem e integram períodos históricos, sendo seus papéis aparentemente modificados pelo processo de desenvolvimento dos povos.

A construção dos materiais pedagógicos que, intencionalmente, subsidiam o trabalho do educador não ocorre fortuitamente, mas sim com um propósito determinado e necessário à funcionalidade específica do processo de construção da organização socioeconômicocultural e do desenvolvimento tecnológico e científico do grupo social em questão.

O manuseio dos materiais pedagógicos possibilita ao indivíduo trabalhar com imagens e movimentos que promovem uma maior flexibilidade de reflexão, maior abrangência e possibilidade distintamente diferenciada de constituir e ampliar o processo de exploração conceitual desenvolvido em sala de aula.

É consensual que, na prática educativa, muitas vezes se depara com a escassez ou mesmo a falta de materiais adaptados capazes de auxiliar no cumprimento dos propósitos programados pelo professor.

Ao refletir sobre esta realidade, verificamos a necessária criação e adaptação de materiais pedagógicos, observando, entretanto, de maneira criteriosa, a qualidade das adaptações procurando avaliar sua aplicabilidade no que se refere à função, durabilidade, praticidade, visibilidade, textura, peso e tamanho, considerando as particularidades de cada indivíduo, tendo como perspectiva sua utilização de forma individual e/ou coletiva.

Para a viabilização da ampliação das possibilidades de atendimento das diferentes necessidades educativas, entendemos que, a produção dos recursos deva ser operacionalizada mediante estudo sistemático oportunizando, desta maneira, a investigação de alternativas que subsidiem o processo de construção e readaptação destes recursos.

Para tanto, é necessário rever as estratégias que venham a auxiliar na efetiva melhoria de ensino e na ampliação de oportunidades do exercício pleno da cidadania de todos os educandos.

Com o objetivo de consolidar tais idéias, a equipe de profissionais do Serviço de Material Pedagógico Adaptado da FCEE tem dinamizado sua prática, observando a constância das trocas de informações técnicas junto aos professores que desenvolvem atividades com esses educandos.

Este fazer, que se origina na prática em sala de aula, abre grandes possibilidades para construção de recursos adaptados que contribuem significativamente para o desenvolvimento do processo de aquisição do conhecimento.

(Parte 1 de 7)

Comentários