Qualidade de vida de idosos

Qualidade de vida de idosos

(Parte 1 de 6)

Orientador (a): Profª Drª Tamara Iwanow Cianciarullo

GUARULHOS 2010

Dissertação apresentada à Universidade de Guarulhos para obtenção do título de Mestre em Enfermagem.

Orientadora: Profª Drª Tamara Iwanow Cianciarullo

GUARULHOS 2010

Ficha catalográfica elaborada pela Coordenação da Biblioteca Fernando Gay da Fonseca

Santos , Gerson de Souza

S237q Qualidade de vida de idosos residentes em uma área de abrangência da estratégia saúde da família do município de Guarulhos - SP/ Gerson de Souza Santos. Guarulhos, 2010. 81 f.; 31 cm

Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Centro de Pós-

Graduação e Pesquisa , Universidade Guarulhos, 2010.

Orientadora: Profª Drª Tamara Iwanow Cianciarullo Bibliografia: 60-68

1. Idosos 2. Qualidade de Vida 3. Saúde do Idoso I. Título. I. Universidade Guarulhos.

Dedico este trabalho à minha mãe, responsável pela formação do meu caráter.

Aos meus irmãos.

A Jesus, pelo seu exemplo de Mestre.Mestre.Mestre.Mestre.

Paulo, Aline, Laura, Lane

A professora orientadora Tamara I. Cianciarullo por sua dedicação. A professora Marina Borges Teixeira a qual me fez refletir sobre as questões relacionadas ao envelhecimento humano. A professora Isabel Cristina K. O. Cunha, por suas valiosas contribuições no exame de qualificação. As professoras do Curso de Mestrado da Universidade de Guarulhos. Aos colegas do Curso de Mestrado: Luiza, Fátima, Tatiane, Mary, A Isamar M. Kinsue - Gerente da Unidade de Saúde da Família – São Rafael. Aos idosos que participaram deste estudo. Aos Agentes Comunitários de Saúde: Maria Aparecida Cardoso, Antonieta Monteiro, Renata da Silva, Eliane Bernardo, Raimundo Brito da Silva e Janete Brito. Aos amigos: Rogério, Roudom, Luiz, Marcelo, Jair, Margarete, Acília, por dividirem comigo cada momento. A Igreja em São Paulo, pelo companheirismo e ânimo. A todos aqueles que direta ou indiretamente colaboraram, incentivaram e participara deste trabalho.

Obrigado!Obrigado!Obrigado!Obrigado!

RESUMO Santos GS. Qualidade de vida de idosos residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família do município de Guarulhos – SP. [Dissertação]: Universidade de Guarulhos. 2010.

intervenções adequadas à realidade local

Introdução: Viver mais sempre foi o intuito do ser humano. Assim, um desafio que cresce em importância é a obtenção de melhor qualidade de vida nesses anos conquistados a mais. Objetivos: Avaliar a qualidade de vida dos idosos residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família, em um bairro do município de Guarulhos – SP; relacionar as dimensões de qualidade de vida com os dados sociodemográficos; correlacionar os dados sociodemográficos com os domínios e facetas dos instrumentos de medição de qualidade de vida utilizados. Método: Estudo descritivo exploratório com abordagem quantitativa. A população foi constituída por 100 pessoas idosas residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família do bairro São Rafael no município de Guarulhos. Os dados foram coletados no período de dez de março a dez de maio de 2009. Resultados: o perfil sociodemográfico dos idosos pode assim ser caracterizado: idade média 68,5 anos (desvio padrão 6,2 anos), as idades variam de 60 a 90 anos; 39% são brancos, 2% são negros, 38% são pardos e 1% raça amarela; 4% são casados, 14% solteiros, 28% viúvos e 14% separados dos cônjuges; 40% são alfabetizados, 18% concluíram a primeira série do ensino fundamental, 15% concluíram a segunda série e 27% concluíram a terceira série; 51% são aposentados, 16% donas de casa, 1% faxineiros, 6% pedreiros e 16% sem nenhuma ocupação; 87% possuem renda mensal de 1 a 3 salários mínimos e 13% possuem renda mensal de 4 a 6 salários mínimos; 5% possuem casa própria, 24% moram em casa alugada e 21% em casa cedida; 7% das casas são construídas de tijolos e 23% são casas de madeira (barraco); 76% dos domicílios possuem rede de esgoto e 24% não os tem; 23% dos idosos vivem com os cônjuges e outros familiares, 31% somente com os cônjuges e 46% vivem sozinhos; 78% são provenientes da região nordeste e 2% da região sudeste; 62% são católicos, 2% evangélicos, 14% espíritas e 2% outras religiões; 63% praticam atividade física e 37% não praticam tal atividade; 83% participam de atividades de lazer e 17% não participam; 57% referiam ser hipertensos, 29% diabéticos, 36% colesterol alto, 12% osteoporose, 15% labirintite, 16% catarata ocular, 21% depressão, 7% doença de chagas, 1% bronquite e 2% portadores de HIV. Analise Estatística: O domínio com escore mais alto foi o domínio físico, com média de (1,926) e desvio padrão de (2,2591). O escore mais baixo foi o domínio ambiental com média de (1,245) e desvio padrão de (2,0257). A qualidade de vida geral obteve escore baixo, média (2,860) e desvio padrão (1,0567); houve diferença significativa na verificação de diferença entre a situação de moradia e a faceta morte e morrer do Whoqol-Old: p-valor (0,028); foram encontradas diferenças significativas no teste de correlação entre o domínio físico e a faceta participação social (p-valor 0,037); domínio ambiental e as facetas participação social (p-valor 0,014) e morte e morrer (p-valor 0,008; houve diferença significativa ente as ocupações dos idosos e os domínios físico e ambiental e a faceta morte e morrer. As medidas descritivas das facetas Whoqol-Old apresentaram os seguintes resultados: funcionamento do sensório (média 13,63), autonomia (média 10,9), atividades passadas, presentes e futuras (média 1,35), participação social (média 10,83), morte e morrer (média 12,49), intimidade (média 1,64) qualidade de vida geral (media 70,0). Conclusão: Por meio deste estudo, percebeu-se a importância de estudar o idoso dentro do contexto da Estratégia Saúde da Família, a fim de que os resultados gerados por este estudo possam transforma-se em subsídios para o planejamento de estratégias de atendimento e Descritores: Estratégia Saúde da Família, qualidade de vida, saúde do idoso, velhice.

ABSTRACT Santos GS. Elderly life quality living in a coverage area of Family Health Strategy from municipality of Guarulhos – SP. [dissertation] Guarulhos University 2010.

Introduction: Long life always was the aim of human being. Thus, a challenge which grows in importance is to obtain better quality of life in these years it has conquered a little more. Goals: Evaluating elderly life quality in a coverage area of Family Health Strategy in a district from municipality of Guarulhos – SP; listing life quality dimensions with sociodemographic data; correlating sociodemographic data with domains and facets of utilized instruments of life quality. Method: Exploratory descriptive study with quantitative approaches. Population consisted by 100 elderly people living in a coverage area of Family Health Strategy in the district São Rafael from municipality of Guarulhos. Data were collected in a period from March 10 to May 10, 2009. Results: Elderly sociodemographic profile can thus be characterized: average age 68,5 years old (standard deviation 6,2 years old), ages vary from 60 to 90 years old; 39 per cent are white people, 2 per cent are black people, 38 per cent are brown people, and 1 per cent yellow race; 4 per cent are married people, 14 per cent are single people, 28 per cent are widowed people, and 14 per cent separated from spouses; 40 per cent are literacy, 18 per cent completed the first grade of elementary school, 15 per cent completed the second grade, and 27 per cent completed the third grade; 51 per cent are retired people, 16 per cent are housewives, 1 per cent are cleaner people, 6 per cent are bricklayer people, and 16 per cent no occupation people; 87 per cent have monthly income from 1 to 3 minimum wages, and 13 per cent have monthly income from 4 to 6 minimum wages; 5 percent have their own homes, 24 per cent live in rented house, and 21 per cent in cede house; 7 per cent of the houses are built by bricks, and 23 per cent are built by wood (shed); 76 per cent of homes has sewage, and 24 per cent have no sewage; 23 per cent of elderly live with their spouses or other relatives, 31 per cent of them live only with their spouses, and 46 per cent live alone; 78 per cent come from Northeast Region, and 2 per cent from Southeast Region; 72 per cent are Catholic people, 2 per cent are Evangelical people, 14 per cent are Spiritualist people, and 2 per cent belong to other religions; 63 per cent practice physical activity, and 37 per cent practice no physical activity; 83 per cent participate of leisure activities, and 17 per cent of these people don’t participate; 57 per cent declare to be hypertensive, 29 per cent are diabetic, 36 per cent have high cholesterol, 12 per cent have osteoporosis, 15 per cent have labyrinthitis, 16 per cent have eye cataract, 21 per cent have depression, 7 per cent have barber bug fever, 1 per cent have bronchitis, and 2 per cent are HIV carrier. Statistical Analysis: The area with the highest score was the physical domain with average of (1,926) and standard deviation of (2,2591). The lowest score was the environmental domain with average of (1,245) and standard deviation of (2,0257). The overall quality of life had a low score, average (2,860) and standard deviation (1,0567); there was significant difference when checking the difference between the living situation and the aspect of death and dying do Whoqol-Old: p-value (0,028). Significant differences were found in the test of correlation between the physical domain and the aspect social participation (p-value 0,037); environmental domain and the aspects social participation (p-value 0,014), death and dying (p-value 0,008); there was significant difference between the elderly occupations and physical and environmental domain, and the facet death and dying. Descriptive measures of the facets Whoqol-Old showed the following results: sensory functioning (average 13,63), autonomy (average 10,9), activities past, present and future (average 1,35), social participation (average 10,83), death and dying (average 12,49), intimacy (average 1,64) overall quality of life (average 70,0). Conclusion: Through this study, we realized the importance of studying the elderly within the context of the Family Health Strategy, in order the generated results by this study may become subsidies for planning strategies of suitable care and interventions to local reality.

Descriptors: Family Health Strategy, life quality, elderly health, old age.

RESUMEN Santos GS. Calidad de Vida de las personas de edad que residen en un área que abarca la Estrategia Salud de la Familia del municipio de Guarulhos- SP. [Disertación] Universidad de Guarulhos. 2010.

Introducción: Vivir más siempre fue el propósito del ser humano. Así, un desafío que crece en importancia es obtener una mejor calidad de vida en esos años ya conquistados. Objetivos: Evaluar la calidad de vida de las personas de edad que residen en un área que abarca la Estrategia Salud de la Familia,de un barrio del municipio de Guarulhos-SP; relacionar las dimensiones de la calidad de vida con los datos socio-demográficos; correlacionar los datos socio-demográficos con los dominios y facetas de los instrumentos utilizados para medición de la calidad de vida. Método: Estudio descriptivo exploratorio con enfoque cuantitativo. La población considerada fue de 100 personas de edad residentes en un área que abarca la Estrategia Salud de la Familia del barrio San Rafael del municipio de Guarulhos. La recopilación de los datos se hizo en el período entre el 10 de marzo y el 10 de mayo de 2009. Resultados: El perfil socio-demográfico de las personas de edad se puede caracterizar así: edad media 68,5 años (desvío estándar 6,2 años), edades entre los 60 a los 90 años; 39% son blancos, 2% son negros, 38% son mulatos y 1% de raza amarilla; 4% están casados, 14% solteros, 28% viudos y 14% separados de los cónyuges; 40% son alfabetizados, 18% concluyeron el primer año de enseñanza primaria, 15% concluyeron el segundo año y 27% el tercer año; 51% son jubilados, 16% dueñas de casa, 1% encargados de la limpieza, 6% albañiles y 16% sin ninguna ocupación; 87% poseen una renta mensual de 1 a 3 salarios mínimos y 13% poseen una renta mensual de 4 a 6 salarios mínimos, 5% poseen casa propia, 24% viven em casa alquilada y 21% en casa cedida; 7% de las casa están construidas de ladrillos y 23% son casas de madera (vivienda rústica); 76% de los domicilios poseen alcantarillado y 24% no lo tienen; 23% de las personas de edad viven con los cónyuges y otros familiares, 31% solamente con los cónyuges y 46% viven solos; 78% provienen de la región noroeste y 2%de la región sudeste; 62% son católicos, 2% evangélicos, 14% espiritistas y 2% de otras religiones; 63% practican actividad física y 37% no la practican; 83% participan de actividades recreativas y 17% no lo hacen; 57% referían ser hipertensos, 29% diabéticos, 36% colesterol alto, 12% osteoporosis, 15% laberintitis, 16% catarata ocular, 21% depresión, 7% enfermedad de Chagas, 1% bronquitis y 2% portadores de HIV. Análisis Estadístico: El dominio con puntaje más alto fue el dominio físico, con media de ( 1,926) y desvío estándar de (2,2591). El puntaje más bajo fue el dominio ambiental con media de ( 1,245) y desvío estándar de ( 2,0257). La calidad de vida general obtuvo un puntaje bajo, media ( 2,860) y desvío estándar ( 1,0567); hubo una diferencia significativa al verificar la situación de la vivienda y la faceta muerte y morir por el módulo WHOQOL-OLD: p-valor( 0,028); se encontraron diferencias significativas en el test de correlación entre el dominio físico y la faceta participación social (p-valor 0,014) y muerte y morir (p-valor 0,008); hubo diferencia significativa entre las ocupaciones de las personas de edad y los dominio físico y ambiental y la faceta muerte y morir. Las medidas descriptivas de las facetas WHOQOL-OLD presentaron los siguientes resultados: funcionamiento sensorial ( media 10,63), autonomía( media 10,9), actividades pasadas, presentes y futuras ( media 1,35), participación social (media 10,83), muerte y morir (media 12,49),intimidad (media 1,64), calidad de vida general (media 70,0). Conclusión: Por todo lo hecho y analizado,notamos la importancia de estudiar a las personas de edad dentro del contexto de la Estrategia Salud de la Familia, a fin de que los resultados generados puedan transformarse en subsidios para el planeamiento de estrategias de atención e intervenciones adecuadas a la realidad local.

Descriptores: Estrategia Salud de la familia, calidad de vida, salud de las personas de edad, vejez.

Não sei se a vida é curta ou longa para nós, mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas.

Muitas vezes basta ser: colo que acolhe braço que envolve, palavra que conforta, silêncio que respeita alegria que contagia lágrima que corre olhar que acaricia desejo que sacia amor que promove.

E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira, pura enquanto durar. Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende o que ensina.

Cora Coralina

Tabela 01 - Distribuição da população idosa segundo a faixa etária, sexo, raça referida, estado civil, escolaridade, ocupação, renda familiar, situação de moradia, tipo de casa e rede de esgoto. Residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família. Guarulhos 2009

28
área de abrangência da Estratégia Saúde da Família - Guarulhos 200934

Tabela 02 – Distribuição da população idosa segundo o arranjo familiar, migração ou procedência, religião, pratica de atividade física, pratica de lazer, residentes em uma

em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família - Guarulhos 2009
38

Tabela 03 – Distribuição da população idosa, segundo doença referida. Residentes

Tabela 04 – Distribuição da população idosa da Estratégia Saúde da Família. Média, mediana e desvio padrão. Município de Guarulhos, Abril. 2009

42

Tabela 05 – Medidas descritivas para domínios da Escala Whoqol-Bref, aplicada em idosos residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família. Guarulhos 2009.

42

TABELA 06 – Teste para verificação de diferença entre os sexos. Domínios Whoqol- Bref e facetas Whoqol-Old em idosos residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família. Guarulhos 2009.

43

TABELA 07 – Teste para verificação de associação com a idade entre os domínios Whoqol-Bref e as facetas Whoqol-Old, em idosos residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família. Guarulhos 2009

4

TABELA 08 - Teste para verificação de diferença entre os idosos que referiram e que não referiram hipertensão. Correlação entre os domínios Whoqol-Bref e as facetas Whoqol-Old.

4

TABELA 09 – Teste para verificação de diferença entre os idosos de acordo com a situação de moradia. Correlação entre os domínios Whoqol-Bref e as facetas Whoqol- Old, aplicado em idosos residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família

45

Tabela 10 - Correlação entre as medidas de qualidade de vida da população idosa na Estratégia Saúde da Família do município de Guarulhos, abril 2009.

47

Tabela11 - Teste para verificação de diferença entre os idosos residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família de acordo com a ocupação.

Tabela12 Comparações múltiplas entre as ocupações dos idosos residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família. Guarulhos 2009.

49
lazer. Guarulhos 200950

Tabela 13 - Teste para verificação de diferença entre os idosos residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família, de acordo com a prática de

Tabela 14 - Teste para verificação de diferença entre os idosos residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família, de acordo com a prática de atividade física. Guarulhos 2009

51

Tabela 15 - Medidas descritivas das facetas da Escala Whoqol-Old. Aplicado em idosos residentes em uma área de abrangência da Estratégia Saúde da Família. Guarulhos 2009.

1. INTRODUÇÃO01
2. JUSTIFICATIVA03
3. REFERENCIAL TEÓRICO04
3.1. O envelhecimento populacional04
3.2. Aspectos do envelhecimento06
3.3. Políticas Públicas voltadas ao idoso08
3.4. Atenção Básica12
3.5. A Estratégia Saúde da Família13
3.6. Qualidade de vida16
3.7. Qualidade de vida na velhice19
4.8. Instrumentos de avaliação de qualidade de vida20
4.0 OBJETIVOS23
5.0 CASUÍSTICA E MÉTODO24
5.1. Tipo de pesquisa24
5.2. Local de realização do estudo24
5.3. População de estudo25
5.4. Coleta de dados25
5.5. Procedimentos Éticos27
5.6. Procedimentos para coleta de dados27
6.0. APRESENTAÇÃO E DISCUSSÃO DOS RESULTADOS28
7.0. METODOLOGIA ESTATÍSTICA41
7.1 Análise descritiva41
8.0 CONCLUSÕES53
9.0 CONSIDERAÇÕES FINAIS59
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS60
APÊNDICE A - TCLE69
APÊNDICE B – DADOS SOCIODEMOGRÁFICOS70
APÊNDICE C – SOLICITAÇÃO PARA COLETA DE DADOS71
ANEXO A – INSTRUMENTO WHOQOL-BREF72
ANEXO B – INSTRUMENTO WHOQOL-OLD75
ANEXO C – PARECER DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA80

1. INTRODUÇÃO

Minha vivência como enfermeiro, atuando na Estratégia Saúde da Família

(ESF), teve início em 2004. Desde então foram inúmeras as oportunidades de estar em contato com idosos residentes em uma área de abrangência e assistidos por uma equipe de saúde da qual sou enfermeiro responsável.

Durante as consultas de enfermagem que ocorrem na Unidade Básica de Saúde e no domicílio dos idosos, observei a singularidade de cada pessoa idosa, a forma como enfrentam o processo de envelhecimento, a violência do local onde moram, o enfrentamento da perda de familiares, a privação de bens materiais, a falta de opções de lazer, entre outros aspectos.

A ideia deste trabalho surgiu a partir da formação de grupos de pessoas portadoras de hipertensão arterial e Diabetes cujos participantes, em sua maioria, são idosos da comunidade atendida pela Estratégia Saúde da Família (ESF).

A formação dos grupos educativos deu origem a um grupo de caminhada que iniciou suas atividades em 20/03/2004. Aos poucos o grupo foi crescendo e a frequência das pessoas idosas era cada vez maior. O grupo de caminhada mantém suas atividades até hoje no período de três vezes por semana.

(Parte 1 de 6)

Comentários