Fisiologia muscular

Fisiologia muscular

(Parte 2 de 2)

Alta: PRECISÂO 1: poucas fibras

Baixa : POTENCIA MECANICA 1: muitas fibras

Sinapse entre a neurônio motor e a fibra muscular esquelé6ca

A sinapse neuromuscular ocorre na região do sarcolema denominada placa motora para onde os NT são liberados.

O NT nas fibras musculares esquelé9cas é a ace9lcolina cujo receptor é ionotrópico e nicoZnico .

3/16/10

1. Chegada do PA nos terminais 2. Liberação de ace6lcolina (Ach) 3. Complexo receptor - ‐Ach 4. Abertura de canais de Na NT- ‐dependentes 5. Potencial pós- ‐sináp6co = Potencial de Placa 6. Abertura de Canais Na e K voltagem dependentes, fora da placa motora 7. Geração e propagação do PA pelo sarcolema

A freqüência de resposta das fibras musculares é diretamente proporcional a freqüência de es9mulação.

A freqüência de PA nas fibras é diretamente proporcional a força de contração muscular.

PA no axônio

Fibra muscular

1. Condução do PA pelo sarcolema 2. Despolarização dos Túbulos T 3. Abertura de canais de Ca++ voltagem dependentes do reZculo sarcoplasmá9co 4. Difusão de Ca++ 5. Aumento de [Ca++] no mioplasma 6. Inicio da contração muscular

Os túbulos T conduzem a onda de despolarização até as cisternas do re9culo sarcoplasmá9co

3/16/10

1. potencial de ação no neurônio motor 2. Potencial de placa 3. Potencial de ação no sarcolema

Latência Contração Relaxamento

RESPOSTAS MECÂNICAS DO MÚSCULO Fibras musculares neurônio PA ACh

Mais Ca no mioplama

Maior o encurtamento Abalos Isolados

Somação Mecânica

Fenômeno de escada

Tétano incompleto

Tétano completo

1) Aumentado a freqüência de es6mulação das fibras musculares pelo motoneurônio da unidade motora. O aumento de força ocorre por somação mecânica.

Como aumentar a força de contração???

3/16/10

EMG (eletromiograma)

Registra potenciais eletricos extracelulares do conjunto de fibras musculares em a9vidade.

2) Recrutando- ‐se progressivamente as unidades motoras do músculo .

Causa genética Deficiência nas proteínas estruturais dos músculos Defeito no sarcolema Entrada de íons cálcio no mioplasma Necrose das fibras musculares

Distrofia muscular a) Duchenne b) Becker Sinais e Sintomas: fraqueza dos músculos flexores do pescoço e dos músculos proximais dos membros

3/16/10

3) aumentando- ‐se a área de seção transversal do músculo, ou seja, hipertrofia ( aumento na quan6dade de miofibrilas contrateis)

Rigor Mor6s (Rigidez cadavérica) • Começa apos 3 a 4h e a9nge o pico máximo em 12h. Diminui dentro de 48h. • A deterioração do re9culo sarcoplasmá9co leva ao aumento de Ca no mioplasma • Formação das pontes cruzadas • Não há ATP para causar o relaxamento ou para remover o Ca • Estado de rigidez

Rigidez cadavérica

3/16/10

O sistema de alavancas, potencializa a força muscular

A contração deslocou apenas 1cm a carga de 7Kg

O mesmo músculo associado a um sistema de alavancas ósseas desloca mais e com menos esforço.

Não há encurtamento das fibras musculares ou movimento articular). Contração estática Há encurtamento muscular. As fibras musculares se encurtam e ocorre a realização de trabalho. Contração dinamica

Há dois tipos de contração

3/16/10

EFETUADORESos músculos esqueléticos que realizam a atividade
ORDENADORESos motoneurônios (da medula e do tronco encefálico) que comandam as fibras musculares
CONTROLADORESCerebelo e núcleos da base que modulam a atividade motora

ELEMENTOS DO SISTEMA MOTOR SOMÁTICO PROGRAMADORES e INICIADORES: áreas corticais motoras associativas e primária.

SISTEMA MOTOR: todos os elementos (fibras musculares e neurônios) envolvidos com a motricidade (somática e visceral).

(Parte 2 de 2)

Comentários