Modulo IV - home care-rev-di

Modulo IV - home care-rev-di

(Parte 1 de 6)

Curso de Enfermagem no Home Care

Atenção: O material deste módulo está disponível apenas como parâmetro de estudos para este Programa de Educação Continuada. É proibida qualquer forma de comercialização do mesmo. Os créditos do conteúdo aqui contido são dados aos seus respectivos autores descritos na Bibliografia Consultada.

132 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Gerenciamento do Serviço de Home Care

O Gerenciamento do Serviço de Home Care está vinculado diretamente às rotinas dos processos, bem como à operacionalização das fases e descrição das atividades de cada profissional que irá desenvolver ações aos pacientes sob esse caráter de atendimento.

É importante que o enfermeiro que faz parte da Equipe de Atendimento

Domiciliar esteja ciente de todos os processos que envolvem o Home Care, incluindo, as atividades dos demais profissionais, uma vez que o enfermeiro estará atuando diariamente neste serviço.

Relacionam-se a seguir alguns dos itens que envolvem o Gerenciamento do Home Care são:

• Recursos Humanos:

Como está descrito na RDC n° 1 o médico e a equipe de enfermagem são profissionais obrigatórios no atendimento do paciente em domicílio. Na Resolução do CFM, está descrito a necessidade de outros profissionais além dos citados pela RDC n° 1, como nutricionista, fisioterapeuta e fonoaudiólogo na formação da equipe multiprofissional de atendimento domiciliar.

A presença do médico é obrigatória no Serviço de Home Care realizando visitas aos pacientes, contato com médicos assistentes (que optarão por atender o paciente ou não em atendimento domiciliar) e também a presença constante, 24 horas por dia nos sete dias por semana, de um profissional médico que responda aos casos de urgência ou emergência.

133 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Neste sentido, é imprescindível para toda a equipe de atendimento domiciliar, ter conhecimento do médico que responde pelo paciente como também o contato com o médico de Home Care para casos de necessidades imediatas.

Uma tabela informativa sobre os pacientes em caráter de internação domiciliar, com o nome do médico responsável, e também os médicos do Home Care que estarão de sobreaviso para urgência e emergências poderá ser fixada na sede do serviço e acompanhar os profissionais que estão em contato constante com o paciente em seu domicílio.

As escalas de serviços médicos do Home Care são realizadas pelo Diretor

Técnico do Home Care, médico, que também irá prever a quantidade de profissionais necessários para esta atividade, bem como a forma de contratação legalmente permitida para a prestação do serviço.

Exemplo de Tabela de Controle dos médicos responsáveis pelo paciente em Internação Domiciliar:

Controle Assistência Médica Pacientes em Internação Domiciliar

Paciente: Endereço: Contato: Entrada no Serviço:

Responsável Médico: Contato:

134 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Exemplo de Tabela de Controle dos médicos em sobreaviso na empresa de Home Care:

Controle dos Médicos Sobreaviso do Home Care

Dia 01/01/2008 Dr . Maurício

Contato:

Dia 02/02/2008 Dr. Marcos

Contato:

O enfermeiro do serviço deverá sempre estar atento para tais questões para que possa dirigir-se ao profissional correto frente a alguma necessidade apresentada. Nos pacientes em internação domiciliar que estão sob responsabilidade dos médicos assistentes, nas intercorrências, será o médico do Home Care que entrará em contato com o médico assistente.

Em qualquer episódio estas informações são de grande valia para todos os profissionais que atuam com o paciente, organizando o serviço de forma ordenada evitando ligações a pessoas erradas, sem perda de tempo ou comprometimento recursos da empresa.

O pessoal da enfermagem que responde pelos pacientes em internação domiciliar e realização dos procedimentos em caráter de assistência domiciliar é organizada pelo enfermeiro por meio da escala de serviço dos técnicos e enfermeiros atuantes no Home Care.

135 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Conforme a Resolução do Cofen 270/02, a equipe do Home Care será formada da seguinte maneira:

I – Toda empresa de prestação de serviços de enfermagem Domiciliar e/ou filiais, é obrigatória a ter em seus quadros:

- 1 enfermeiro responsável por turno;

- 1 enfermeiro responsável técnico, pela coordenação das atividades de Enfermagem;

I – As equipes de enfermagem, das empresas prestadoras de serviços de Enfermagem Domiciliar, deverão ser compostas exclusivamente por enfermeiros, Técnicos de Enfermagem e Auxiliares de Enfermagem, devidamente registrados e em dia com as obrigações junto aos Conselhos Regionais que jurisdicionam suas áreas de atuação.

IV – Todos os profissionais de enfermagem deverão ser cadastrados na empresa e a listagem atualizada devera ser enviada ao COREN de sua jurisdição, conforme resolução COFEN n° 139/92.

Neste sentido o enfermeiro que coordena a equipe de enfermagem do Home

Care necessita ter sempre ciência do número de profissionais técnicos de enfermagem e enfermeiros, conforme a complexidade do atendimento ao paciente e conforme a Resolução de Dimensionamento do Quadro do Pessoal de Enfermagem.

As escalas de serviço serão diferenciadas daquelas realizadas nos hospitais, uma vez que, além do nome e turno do funcionário, irá conter o nome do paciente e os horários que o profissional de enfermagem cumpre no atendimento ao paciente, principalmente para aqueles sob internação domiciliar.

É importante prever também o número de técnicos de enfermagem que estarão na Sede do Serviço para a realização de procedimentos técnicos no domicílio do paciente, ou seja, alguns profissionais atuarão no domicilio dos pacientes que estão em internação domiciliar, enquanto outros desenvolverão diariamente as atividades de assistência no domicílio dos pacientes em assistência domiciliar.

Quando é caracterizada a presença da enfermagem e o tempo de permanência da equipe junto ao paciente em seu domicílio, o enfermeiro elabora a escala de serviço do pessoal de enfermagem para aquele paciente em específico.

136 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Uma das escolhas da escala é a realização da escala por paciente internado e não apenas por turno como é feita nas instituições hospitalares. Desta forma, além de se mensurar o número de horas trabalhadas, folgas, plantões, também identificase qual profissional responde pelo paciente.

Em qualquer forma de desenvolvimento da escala é importante atentar para as questões trabalhistas que permeiam a realização do trabalho de enfermagem, as horas trabalhadas por turnos de trabalho, as folgas, os plantões, domingos e feriados, enfim ter extrema cautela na distribuição dos horários e seguir as legislações trabalhistas.

Exemplo de Escala de Serviço de Enfermagem por Paciente:

Escala de Serviço de Enfermagem Paciente em Internação Domiciliar

Paciente: Endereço: Contato: Entrada no Serviço:

Permanência de Enfermagem: 24 h

Dia 02/01/208 07:0–13:0 07:0 as 13:0

Técnico de Enfermagem: Marcio A. Coren 984397

Enfermeira: Maria Silva Coren

137 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

13:0 – 19:0

Técnico de Enfermagem: Ana Claudia Souza Coren 989347

Enfermeira: Cladis Peuze Coren 87877

19:0 – 07:0

Técnico de Enfermagem: Alceu Flores Coren 7547465

Enfermeira: Manuela Dias 87634

A descrição do enfermeiro na escala do atendimento ao paciente em internação domiciliar é distribuída conforme a Resolução de Dimensionamento do Quadro de Pessoal de Enfermagem. O enfermeiro será a referência e a coordenação para o profissional de enfermagem técnico que prestará os cuidados diretos aos pacientes.

Sobre os demais profissionais que integram a equipe multiprofissional de atendimento domiciliar é importante identificá-los e saber os momentos em que deverão ser comunicados para avaliações e visitas domiciliares conforme a indicação ou solicitação do médico assistente ou do Home Care.

138 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Alguns destes profissionais estarão contratados em regime integral de atenção aos pacientes conforme a coordenação do serviço de Home Care, outros, porém poderão integrar o grupo de serviços terceirizados que estarão disponíveis, conforme a demanda das necessidades dos pacientes.

Exemplo de Controle dos Profissionais Terceirizados:

Profissionais Terceirizados – Home Care

Fonoaudiólogos Dr. Maria Alves Contato: Dr. Marcio Bezerra Contato:

Fisioterapeutas Dr. Letícia Santos Contato Dr. Ismael Vieira Contato:

Ainda falando na questão dos recursos humanos é importante prever que na

Sede do Serviço de Home Care alguns profissionais administrativos serão essenciais como, por exemplo:

139 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

- Motorista; - Secretária;

- Recepcionista;

- Telefonista;

- Higienizadora;

- Faturista;

- Administrador de Recursos Humanos.

O que irá delimitar o número de funcionários e a função de cada um será a complexidade e demanda da empresa de Home Care. É importante que o pessoal técnico permaneça em constante auxílio do pessoal administrativo para que suas funções de cuidado constituam-se na prioridade do atendimento.

Contudo, todas as questões que envolvem direta e indiretamente o cuidado ao paciente, que vai desde o transporte ao local de referência à autorização do plano de saúde, ou mesmo o recebimento de uma ligação na sede do Home Care, são de suma importância para que todo o processo de cuidar tenha sucesso.

Desta forma, tanto o pessoal técnico como administrativo, que conduz as ações da empresa de Home Care, serão os responsáveis pelo sucesso desta modalidade de atendimento, cada um atuando em sua área específica. O mais importante é manter a sintonia entre todos os colaboradores que compõem a equipe.

• Dos Recursos Materiais

Os recursos materiais dizem respeito, além dos itens que envolvem a estrutura da Sede do Home Care, também às questões referentes aos medicamentos, materiais e equipamentos para a implantação da assistência domiciliar. Assim, os recursos materiais estão diretamente ligados às modalidades de assistência que a empresa de Home Care oferece.

- Dos materiais: o enfermeiro é essencial pela mensuração de materiais que serão necessários para o acompanhamento e realização dos procedimentos nos

140 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores pacientes em caráter de atendimento domiciliar. A previsão dos materiais poderá ser feita mensalmente ou semanalmente conforme a demanda de pacientes que a empresa atende.

Pode-se considerar como materiais aqueles necessários para o desenvolvimento das técnicas assistenciais, como por exemplo: seringas, agulhas, luvas de procedimentos, luvas estéreis, luvas cirúrgicas, gazes, micropores, esparadrapos, equipo para administração de soluções, dispositivos para punção venosa, sondas de aspiração, sondas de alimentação, sondas vesicais, fios de sutura, entre outros.

Alguns dos critérios para a compra de materiais que podem ser utilizados são:

1. Previsão dos Materiais: a previsão dos materiais é realizada por meio da média de utilização de cada material no serviço, ou seja, para cada mês de consumo de material será identificado o número específico de cada material utilizado e a partir de dois ou três meses é estabelecida uma média de consumo pela empresa, este número pode constituir-se na previsão dos materiais para a compra no próximo mês.

Especificamente quando trabalhando em Home Care o enfermeiro, além da média de materiais consumidos mensalmente, tem a informação das internações domiciliares e procedimentos técnicos que são desenvolvidos em domicílio, o que ajuda a determinar a previsão do número de materiais para o próximo mês.

A variável de quanto maior o número de pacientes maior o número de materiais nem sempre é uma variável aconselhada de utilização, uma vez que o que determina a quantidade de materiais são os procedimentos realizados nos pacientes e não somente o número de pacientes que estão sob atendimento.

Assim, por exemplo, se no mês de março há um paciente em caráter de internação que realiza aspiração de secreção das vias aéreas, e ao todo são dez pacientes internados, sendo que nove não necessitam de aspiração de secreção, a

141 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores compra das sondas de aspiração será feita com base no paciente que realiza o procedimento e não no total de pacientes.

Todas as previsões de materiais devem ser acrescidas de um número extra para se ter segurança que este material será suficiente para o desenvolvimento do cuidado de todos os pacientes que estão sob atendimento e que possam entrar no serviço. No mês que houver um consumo elevado o enfermeiro, conforme acompanhamento da entrada dos pacientes no serviço, já realiza a solicitação da compra de material extra.

O acúmulo de materiais dentro do Home Care onera a empresa, uma vez que foi feita uma compra e um pagamento por um produto que não foi nem será em pouco tempo consumido, isso quer dizer que a aquisição (custo) foi efetuada, entretanto a utilização (receita) não tem previsão.

Outra questão importante acerca dos materiais no Home Care são os controles de saídas para os domicílios dos pacientes. O material permanece na Sede do Home Care e toda a saída deste material deverá ter uma justificativa, ou seja, descrição do material e do local em que foi utilizado.

Em algumas empresas utiliza-se uma maleta que acompanha o profissional de enfermagem até a casa do paciente, para os devidos procedimentos. Esta maleta é conferida diariamente e reposta conforme a necessidade na realização dos procedimentos, assim é possível identificar quais dos materiais foram expedidos do Home Care e para quais pacientes.

Exemplo de controle de Materiais de Maletas:

Controle de Materiais em Maletas – Pacientes Home Care

142 Este material deve ser utilizado apenas como parâmetro de estudo deste Programa. Os créditos deste conteúdo são dados aos seus respectivos autores

Enfermagem 24 horasMaleta 1

Paciente: Endereço;

Luvas de Procedimentos M 20 unidades

Gazes 7,5x7,5 und 20 unidades

Soro Fisiológico 250 ml

Pacote de Curativo 2 unidades

Creme Antiescaras 1 frasco de 100 gr

Seringa de 20 c 2 unidades

Equipo para alimentação enteral 2 unidades

(Parte 1 de 6)

Comentários