Projeções do Agronegócio no Brasil de 2009 a 2020

Projeções do Agronegócio no Brasil de 2009 a 2020

(Parte 1 de 9)

Brasília • DF Junho de 2010

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Assessoria de Gestão Estratégica

© 2010 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução desde que citada a fonte. A responsabilidade pelos direitos autorais de textos e imagens desta obra é do autor.

2ª edição. Ano 2010 Tiragem: 1.0 exemplares

Elaboração, distribuição, informações: MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO Assessoria de Gestão Estratégica Coordenação-Geral de Planejamento Estratégico Esplanada dos Ministérios, Bloco D, 7º andar, sala 752 CEP: 70043-900 Brasília/DF Tel.: (61) 3218 2644 Fax.: (61) 3321 2792 w.agricultura.gov.br e-mail: age@agricultura.gov.br

Central de Relacionamento: 0800 704 1995 Coordenação Editorial: Assessoria de Comunicação Social

Equipe técnica:

Derli Dossa José Garcia Gasques Eliana Teles Bastos Lucille Freire da Silva Gatto Maria Auxiliadora Domingues de Souza

Impresso no Brasil / Printed in Brazil

Catalogação na Fonte Biblioteca Nacional de Agricultura – BINAGRI

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Projeções do Agronegócio : Brasil 2009/2010 a 2019/2020 / Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Assessoria de Gestão Estratégica. – Brasília : Mapa/ACS, 2010. 76 p.

ISBN 978-85-7991-032-6

1. Agronegócio. 2. Desenvolvimento econômico. 3. Comércio. I. Assessoria de Gestão Estratégica. I. Título.

AGRIS E71 CDU 339.56

1. INTRODUÇÃO5
2. METODOLOGIA UTILIZADA7
3. RESULTADOS DAS PROJEÇÕES BRASIL9
3.1 Algodão9
3.2 Arroz1
3.3 Feijão13
3.4 Milho15
3.5 Trigo18
3.6 Complexo Soja21
3.7 Mandioca27
3.8 Batata-inglesa29
3.9 Café30
3.10 Leite32
3.1 Açúcar34
3.12 Etanol35
3.13 Laranja e Suco de Laranja38
3.14 Carnes40
3.15 Celulose e Papel46
3.16 Fumo51
4. RESULTADOS DAS PROJEÇÕES REGIONAIS52
5. RESUMO DOS PRINCIPAIS RESULTADOS54

Sumário

PARA O AGRONEGÓCIO NO BRASIL59
6.1 - Aspectos da infraestrutura viária61
7. INCERTEZAS63
8. BIBLIOGRAFIA68

6. INFRAESTRUTURA E LOGÍSTICA ANEXO ........................................................................................70

Abraf - Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas AGE - Assessoria de Gestão Estratégica Bracelpa - Associação Brasileira de Celulose e Papel CNA - Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Conab - Companhia Nacional de Abastecimento Embrapa Gado de Leite - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária FAO - Food and Agriculture Organization of the United Nations Fapri - Food and Agricultural Policy Research Institute FGV - Fundação Getúlio Vargas IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Icone - Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais IFPRI - International Food Policy Research Institute Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada Mapa - Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento OECD - Organization for Economic Co-operation and Development OIC -Organização Internacional do Café ONU – Organização das Nações Unidas STCP Consultoria, Engenharia e Gerenciamento Unica - União da Indústria de Cana-de-açúcar USDA - United States Department of Agriculture

5Projeções do Agronegócio - Brasil 2009/2010 a 2019/2020

1. INTRODUÇÃO

Este trabalho é uma atualização e revisão do estudo Projeções do Agronegócio – Brasil 2008/2009 a 2018/2019, Brasília/DF, 2009, publicado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Como a visão prospectiva não é estática, revisões periódicas são necessárias em face das alterações dos ambientes interno e externo. Por esse motivo, instituições que trabalham com a visão de longo prazo têm a preocupação de atualizar sistematicamente suas projeções. A crise econômica mundial, ocorrida a partir de setembro de 2008, afetou consideravelmente vários setores do agronegócio, mudando tendências que vinham se consolidando em alguns produtos analisados.

O presente estudo procura incorporar esses efeitos dos impactos da crise sobre a agricultura brasileira. Com o objetivo de indicar possíveis direções do desenvolvimento e fornecer subsídios aos formuladores de políticas públicas das principais tendências dos produtos essenciais do agronegócio. Os resultados buscam, também, contribuir com os diversos setores das economias nacional e internacional para os quais essas são de muita importância. As tendências assinaladas permitirão identificar trajetórias possíveis, bem como estruturar visões do futuro do agronegócio no contexto mundial, para que o País continue crescendo e conquistando novos mercados.

Projeções do Agronegócio – Brasil 2009/2010 a 2019/2020 apresenta uma visão prospectiva do setor, como suporte para o planejamento estratégico do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Para sua elaboração, foram consultados trabalhos de organizações brasileiras e internacionais, alguns deles baseados em modelos de projeções. Dentre as instituições consultadas, destacam-se a Food and Agricuture Organization of the United Nations (FAO), Food and Agricultural Policy Research Institute (Fapri), International Food Policy Research Institute (IFPRI), Organization for Economic Co-operation and Development (OECD), Organização das Nações Unidas (ONU), United States Department of Agriculture (USDA), Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Fundação Getúlio

6Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Vargas (FGV), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Internacionais (Icone), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Embrapa Gado de Leite, Empresa de Pesquisa Energética (EPE), União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), Associação Brasileira de Produtores de Florestas Plantadas (Abraf), STCP Consultoria, Engenharia e Gerenciamento, Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa).

7Projeções do Agronegócio - Brasil 2009/2010 a 2019/2020

2. METODOLOGIA UTILIZADA

As projeções abrangem 2009/2010 a 2019/2020, portanto um período de onze anos. Para facilitar o acompanhamento e a compreensão dos leitores, várias comparações realizadas ao longo do trabalho são feitas em relação ao ano safra 2008/2009.

Em geral, o período que se constitui base das projeções abrange 34 anos. Para a experiência da agricultura brasileira é um período longo, mas para a Estatística, não.Três modelos econométricos específicos foram utilizados para projeções de variáveis econômicas. São modelos de séries temporais, que têm grande emprego em previsões de séries. Para a finalidade descrita neste trabalho, sua aplicação é inédita. Os modelos estatísticos usados foram Suavização Exponencial, Box & Jenkins (Arima) e Modelo de Espaço de Estados. No Anexo, uma nota metodológica apresenta as principais características dos três modelos. Apesar de diferenças específicas, de cada um, a ideia básica de operação dos modelos é a análise dos dados passados e as chances de repetição, no futuro, desses fatos. As projeções foram realizadas em 23 produtos do agronegócio: milho, trigo, laranja, suco de laranja, carne de frango, carne bovina, carne suína, cana-de-açúcar, açúcar, etanol, algodão, complexo soja (óleo, farelo e grão), leite in natura, feijão, arroz, batata-inglesa, mandioca, fumo, papel e celulose. Os três últimos produtos estão pela primeira vez nesses estudos de projeções.

A escolha dos modelos mais prováveis foi feita da seguinte maneira:

1. Coerência dos resultados obtidos; 2. Comparações internacionais dos dados de produção, consumo, exportação, importação e comércio dos países; 3. Tendência passada dos dados; 4. Potencial de crescimento; 5. Consultas a especialistas.

8Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Em geral, as projeções foram realizadas para produção, consumo, exportação, importação e área plantada. A tendência de escolha foi por modelos mais conservadores e não por aqueles que indicaram taxas mais arrojadas de crescimento. Essa decisão orientou a maioria dos resultados selecionados.

As projeções apresentadas neste relatório são nacionais – com abrangente número de produtos estudados – e regionais, com restrito número de produtos analisados e interesse específico.

9Projeções do Agronegócio - Brasil 2009/2010 a 2019/2020

3. RESULTADOS DAS PROJEÇÕES BRASIL

3.1 Algodão em Pluma

Atualmente, a produção de algodão é distribuída predominantemente nos estados de Mato Grosso, Bahia e Goiás. Ver mapa a seguir.

As projeções da AGE para o algodão em pluma indicam a passagem da produção de 1,19 milhão de toneladas de algodão em 2008/2009 para 2,01 milhões de toneladas em 2019/2020. A taxa de crescimento da produção obtida no período 2009/2010 a 2019/2020 está projetada para 4,68% ao ano. Essa taxa é inferior à projetada para o Brasil pelo Fapri (2009), de 7,57% ao ano. O consumo projetado até 2019/2020 segue uma taxa anual de 1,56%. Assim, a projeção de consumo no País, para o período, é de 1,19 milhão de toneladas de algodão e um volume de exportações de 833,5 mil toneladas em 2019/2020.

AlgodãoAno safra 2009/10%

Bahia31,76%Mato Grosso 51,12%

Goiás 7,03%

10Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

TABELA 1

Produção, Consumo e Exportação de Algodão

FIGURA 1

Produção, Consumo e Exportação de Algodão

A estimativa de área plantada com algodão indica que, no fi nal do período da projeção, deverá atingir 1,27 milhão de hectares, ou seja, 51,0% superior à área plantada em 2008/2009.

Algodão (milhões de toneladas)

Ano Produção Consumo Exportação

(Parte 1 de 9)

Comentários