Manual de Hematologia

Manual de Hematologia

(Parte 2 de 9)

Wanessa Lordêlo P. Vivas

5. Linfócitos: são o segundo tipo mais abundante de leucócitos( após os neutrófilos), compreendendo cerca de 30% dos glóbulos brancos em circulação; a maioria se localiza no tecido linfóide e são formados por linfoblastos.São leucócitos pequenos, sendo apenas um pouco maiores que os eritrócitos, e cada um deles tem um núcleo que é circular ou algo recortado num dos lados. São importantes nas respostas imunes específicas do corpo, incluindo a produção de anticorpos.

Linfócito Linfócito

4.HEMOGRAMA COMPLETO

4.1.Eritrograma

Constitui o estudo da séria vermelha, revelando alguns tipos essenciais de alterações patológicas do sistema eritropoético como eritrocitoses e anemias.

4.1.1.Contagem de hemácias na câmara de Neubauer

Os métodos para contagem global das células sanguíneas consistem geralmente em diluir o sangue, em proporção conhecida, com um líquido diluidor chamado Hayem, permitindo a conservação das células em estudo.

1. Pipetar 4 ml do líquido diluidor em um tubo de ensaio. 2. Com a pipeta transferir 0,02 ml de sangue. Limpar a parede externa da ponteira com auxílio de papel absorvente. 3. Transferir os 0,02 ml de sangue para o tubo com o líquido diluidor, lavando com ele o interior da ponteira por aspiração e expulsão do líquido. A diluição é de 1:200.

4. Agitar suavemente por inversão para uma correta homogeneização. 5. Com uma pipeta preencher os retículos da câmara de contagem, evitando excesso de líquido e bolhas de ar sob a lamínula aderida firmemente à câmara. 6. Deixar repousar por dois minutos para sedimentação dos glóbulos.

Hematologia 8

Wanessa Lordêlo P. Vivas

7. Focalizar a preparação com pequeno aumento no microscópio para localizar o retículo e observar a distribuição uniforme das hemácias. Observar então, com aumento de 100X ou 400X, conforme necessidade.

8. Fazer a contagem de todas as hemácias encontradas nos quadros marcados “H” na figura relativa ao retículo de Neubauer, ou seja, 1/5 de mm2. Sistematizar a contagem segundo a figura abaixo. Contar os elementos em negro.

Cálculos: Hemácias por ml de sangue = H.c. x 5 x 10 x 200

4.1.2.Dosagem da hemoglobina pelo método da cianometemoglobina

É o método de referência para a dosagem de hemoglobina. Dosam todas as suas formas exceto a sulfemoglobina. A desvantagem reside na extrema toxidade do cianeto usado no preparo do reagente (solução de Drabkin), mas pode ser resolvida pela aquisição já preparada, de concentração mínima. Temos usado, com bons resultados, os reagentes Labtest; a solução de Drabkin modificada e o padrão de hemoglobina de concentração conhecida. Calcula-se um fator determinado a absorbância de 0,02 ml do padrão em 5ml da solução de cianeto, através da fórmula:

Concentração do Padrão

Absorbância do Padrão

O zero é estabelecido com água destilada em 540nm. O sangue em estudo, diluído de modo idêntico a padrão (0,02 ml para 5 ml de Drabkin) fornece outro valor de

Hematologia 9

Wanessa Lordêlo P. Vivas absorbância, que multiplicando pelo fator de g% de hemoglobina pela multiplicação de cada unidade de leitura pelo fator.

Hb = Absorbância do paciente X Fator

4.1.3.Determinação do hematócrito pelo método do microhematócrito

Hematócrito é o volume de hemácias expresso como percentagem do volume de uma amostra de sangue total, ou seja, mililitros de hemácias por decilitro de sangue.

Para tubos heparinizados o sangue capilar pode ser usado. 2. Selar o tubo, introduzido a extremidade vazia na massa própria, com movimentos de rotação, até aproximadamente 5mm de profundidade. 3. Encher os demais tubos de modo idêntico. 4. Coloca-os na microcentrifuga em posição diametralmente opostas com a parte selada voltada para fora. Observar a numeração evitando a troca de resultados.

5. Após tampar convenientemente a microcentrifuga, coloca-a em movimento por cinco minutos. Tempo superior a este não altera a sedimentação dos glóbulos.

6. Desligar o aparelho. Retirar os tubos e fazer a leitura usando a escala própria.

1. Colocar o tubo sobre a escala, fazendo coincidir a extremidade inferior das células centrifugadas com a linha zero. 2. Deslocar o tubo paralelamente às linhas verticais fazendo coincidir o menisco superior do plasma com a linha 100.

3. Ler a percentagem do volume hematócrito na escala graduada ao nível da superfície das hemácias no tubo.

4.1.4.Índices hematimétricos

Índices hematológicos ou hematimétricos são determinados a partir da contagem global dos eritrócitos, taxa de hemoglobina e determinação do hematócrito. Tais elementos, deverão ser padronizados pelo laboratório, fornecendo-se sempre resultados na unidade de percentagem do normal.

Hematologia 10

Wanessa Lordêlo P. Vivas

V.C.M – Volume corpuscular médio

É o volume médio das hemácias expresso em fentolitros. Representa, portanto, o quociente de um determinado volume de hemácias pelo número de células contidas no mesmo volume.

fl

V.C.M. = Ht x 10 Hm x 1012 /l

H.C.M. – Hemoglobina corpuscular média:

É o conteúdo médio de hemoglobina nas hemácias expresso em picogramas.

Representa, portanto, o quociente de conteúdo de hemoglobina em um determinado volume de hemácias pelo nº de células contidas no mesmo volume.

H.C.M. = pg

Hb x 10 Hm x 1012 /l

C.H.C.M. – Concentração de hemoglobina corpuscular média:

É a percentagem de hemoglobina em 100ml de hemácias.

Hb C.H.C.M = x 100g/dl

Ht

4.2.Leucograma

O leucograma corresponde a contagem global e específica dos leucócitos, representados pela leucometria e pelo estudo quantitativo e qualitativo dos glóbulos brancos. O quadro leucocitário que se apresentará após ser concluído o exame hematológico,permitirá ao médico tirar conclusões diagnósticas e prognósticas importantes.

4.2.1.Contagem global de leucócitos com câmara de Neubauer

1. Pipetar 0,4 ml do líquido de Turk no tubo

2. Com pipeta automática, pipetar 0.02 ml de sangue.Limpar a ponteira com papel de filtro.

3. Transferir os 0,02 ml de sangue para o tubo com o líquido diluidor, lavando com ele o interior da pipeta por aspiração e expulsão do líquido. A diluição é de 1:20.

Hematologia 1

Wanessa Lordêlo P. Vivas

(Parte 2 de 9)

Comentários