INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE TELEFONIA

INFORMAÇÕES BÁSICAS SOBRE TELEFONIA

(Parte 3 de 7)

Na unidade móvel, a voz do usuário é convertida em sinal de áudio pelo microfone, esse sinal depois de amplificado, é aplicado nos circuitos do transmissor, onde passa a modular em freqüência, um sinal de radiofreqüência (Portadora), gerado por um circuito oscilador.

E evidente que o sinal de radiofreqüência gerado nos circuitos de transmissor da unidade móvel deve ter freqüência diferente do sinal de radiofreqüência gerado nos circuitos do transmissor da unidade base.

O sinal de radiofreqüência, modulado pelo sinal de áudio, depois de amplificado, é então irradiado em forma de ondas eletromagnéticas, através do circuito de antena do transmissor da unidade móvel.

As ondas eletromagnéticas geradas no transmissor da unidade móvel, também percorrem uma distância de até 30 metros aproximadamente.

No circuito de antena do receptor da unidade base, estas ondas eletromagnéticas são convertidas novamente, em sinal elétrico (sinal de radiofreqüência modulado pelo áudio). Agora, porém, este sinal de radiofreqüência gerado na unidade móvel já está presente na unidade base.

Nos circuitos do receptor da unidade base, o sinal de radiofreqüência sofre os processos de conversão de freqüência, de amplificação e de demodulação, dando como resultado o sinal de áudio que é aplicado na linha telefônica.

Agora, já se sabe também como o sinal de áudio, correspondente à voz do usuário, sai da unidade móvel e chega à linha telefônica.

É importante saber que o sinal de áudio obtido na saída do receptor da unidade base, além de ser aplicado na linha telefônica, é aplicado também no transmissor da base, onde passa a modular a portadora deste transmissor.

Pode-se concluir daí, que é possível ao usuário ouvir a própria voz no fone da unidade móvel, graças à ação dos dois transmissores e dos dois receptores, envolvidos no sistema, atendendo assim ao princípio que rege as conversações telefônicas chamado "Retorno de Voz", o qual consiste basicamente, em possibilitar que a pessoa que fala ao telefone ouça através do aparelho a sua própria voz, com a devida atenuação em relação à voz do interlocutor.

Como se pôde constatar, a unidade base é responsável pela retirada do sinal de áudio da linha telefônica para enviá-lo até a unidade móvel, e é responsável também pela colocação, na linha telefônica do sinal de áudio, proveniente da unidade móvel.

Diante disto, pode-se concluir que a unidade base deve ser ligada à linha telefônica de forma semelhante a um telefone comum.

O comando para que a unidade base seja ligada à linha telefônica é dado pelo usuário ao acionar o botão "Talk" existente na unidade móvel. Cabe aqui outra pergunta. Como isto acontece?

Quando o usuário atua no botão existente na unidade móvel, colocando-o na posição "Talk", um sinal de aproximadamente 5 kHz é produzido por um circuito oscilador presente na unidade móvel. Este sinal, conhecido como "Sinal Piloto", passa a modular em freqüência, o sinal de radiofreqüência, (portadora) produzido no circuito do transmissor.

Esse sinal de radiofreqüência é o mesmo que é medulado pelo sinal de áudio correspondente à voz do usuário.

Portanto, o sinal de radiofreqüência gerado no transmissor da unidade móvel, pode estar sendo modulado por dois sinais, um é o sinal de áudio e o outro é o sinal piloto.

Este sinal piloto, chega até a unidade base da mesma forma como chega o sinal de áudio. Uma vez presente na unidade base, o sinal piloto passa a exercer diversas funções, uma delas é ligar a unidade base à linha telefônica.

A presença do sinal piloto na unidade base, é transformada em nível lógico que através de diversos circuitos passa a acionar um relê, este relê faz a ligação da linha telefônica com um transformador, conhecido como Transformador de Linha, que fica desta forma, evidenciado, que na ausência do sinal piloto na unidade base, o relê permanecerá aberto e, por conseguinte, desligado da linha telefônica. (Figura 3).

FIG. 3 A

Ao ser ligado na linha telefônica, o transformador deixa fluir uma corrente, com isso, a tensão na linha cai de aproximadamente 48 volts para aproximadamente 9 volts, toda esta situação conforme foi visto na parte referente à telefonia básica, constitui uma informação que é fornecida à Central Telefônica, sendo que esta em contrapartida, passa a fornecer o sinal de Tom de Linha.

Neste instante surge uma outra pergunta: Como se processa a discagem do número do telefone com quem o usuário deseja entrar em contato? Ao se responder essa pergunta, ficará evidenciada mais uma função do sinal piloto, como será visto a seguir.

Na unidade móvel encontra-se um teclado digital encarregado de gerar sinal decádico ou sinal multifrequencial, dependendo da posição da chave "TONE PULSE".

No tocante ao sinal decádico, o que ocorre é o seguinte: ao se apertar uma das tecias, um trem de pulsos é gerado por um circuito integrado.

Este trem de pulsos atua sobre o sinal piloto, interrompendo-o uma ou mais vezes, de acordo com o dígito teclado. Estas interrupções são sentidas pelo relê (o mesmo citado linhas atrás); que abre o circuito da linha telefônica tantas vezes quantas forem às interrupções do sinal piloto.

Estas interrupções da linha constituem um trem de pulsos que é interpretado pela central telefônica como um número discado.

Por exemplo: ao se apertar a tecla correspondente ao número "um", c sinal piloto é interrompido por um circuito integrado durante o tempo de 6,6 milisegundos.

Como se sabe, este sinal piloto que sai da unidade móvel e chega à unidade base, é responsável pelo funcionamento do relê, que liga a linha telefônica ao transformador de linha da unidade base.

Durante a interrupção do sinal piloto pelo tempo já mencionado, fica evidente que o relê abre o circuito da linha durante este tempo.

Esta interrupção constitui um pulso que é interpretado pela central telefônica como número “um” discado.

Ao se apertar a tecla correspondente ao número "dois", o sinal piloto é interrompido por 6,6 milisegundos, volta a se fazer presente por 3,3 milisegundos e a seguir é interrompido novamente por 6,6 milisegundos.

Estas duas interrupções são sentidas pelo relê da unidade base, que interrompe o circuito da linha telefônica duas vezes de acordo com as interrupções do sinal piloto.

Estas interrupções da linha constituem um trem de pulsos que é interpretado pela central telefônica como número “dois” discado: e assim se pode imaginar a quantidade de interrupções necessárias para a discagem dos demais números.

Os gráficos mostrados na Figura 4 ajudam a entender o assunto.

FIG. 4 A

Quando a discagem é efetuada com sinal multifrequencial, ou seja, com a chave na posição “Tone”, o que ocorre é o seguinte: ao se apertar uma das teclas, como se sabe, (vide telefonia básica), dois sinais são gerados no circuito integrado, esses sinais passam a modular o sinal da portadora, que é irradiado pela unidade móvel.

Esses dois sinais, depois de recuperados pelo demodulador do receptor da unidade base, são aplicados na linha telefônica, através da qual chegam à central telefônica.

Esta, por sua vez, interpreta os dois sinais como um número discado, desde que seja uma central preparada para isso, ou seja, uma central computadorizada do tipo "CPA".

Como foi visto, o sinal piloto é responsável pela ligação da unidade base à linha telefônica e também pela discagem, no caso de sinal decádico.

A esta altura, uma nova pergunta poderá surgir: Será que o sinal piloto exerce outras funções? A resposta é sim, conforme será visto a seguir.

Quando a chave da unidade móvel está na posição "Stand By", (posição de espera), é aconselhável que seu transmissor, bem como o da unidade base, estejam desativados para evitar interferências indesejáveis e para a redução de consumo, principalmente da unidade móvel, que é alimentada com bateria.

É fácil entender como manter desativado o transmissor da unidade móvel, pois a chave posicionada para "Stand By", garante o corte da alimentação para os circuitos do transmissor.

No caso da unidade base, pergunta-se:

Como a alimentação do seu transmissor pode ser cortada, atuando-se na chave da unidade móvel? Com a chave da unidade móvel na posição "Talk", o sinal piloto chega até a unidade base da forma como já foi explicado.

A presença deste sinal na unidade base mantém a alimentação dos circuitos do transmissor desta unidade, através de circuitos chaveadores.

Passando-se a chave da unidade móvel para a posição "Stand By", o sinal piloto deixa de ser irradiado. A ausência do sinal piloto na unidade base, faz com que os circuitos chaveadores cortem a alimentação do transmissor desta unidade.

Pode-se notar na unidade base, um botão indicado "Page". A sua função é auxiliar o usuário na localização da unidade móvel através de um som (Apito). Apertando-se o botão "Page", na unidade base, um circuito oscilador é acionado, bem como a alimentação do transmissor.

O sinal "Page", produzido por este oscilador, passa a modular em freqüência a portadora do transmissor, que é irradiada em forma de ondas eletromagnéticas.

Estas ondas são captadas pelo circuito da antena do receptor da unidade móvel, desde que sua chave esteja posicionada para "Stand By".

Desta forma, na saída do demodulador do receptor da unidade móvel, surge o sinal do "Page", que depois de amplificado, é aplicado num transdutor de cristal ressonador para ser convertido em som.

Resta saber agora como se processa a chamada do telefone em questão. Quando a campainha de um telefone toca, significa que alguém, utilizando um outro telefone, está tentando estabelecer contato com o telefone que está tocando.

Ao se retirar o fone do gancho, este contato é estabelecido. No telefone sem fio o processo é o mesmo. Quando a campainha toca, basta passar a chave que está na posição "stand by” para a posição "Talk" e o contato é efetuado.

(Parte 3 de 7)

Comentários