Caderno dds agosto

Caderno dds agosto

(Parte 2 de 5)

• Não deixe fósforos ao alcance das crianças;

• Muito cuidado com comidas e bebidas muito quentes que podem queimar a boca das crianças;

• Facas e garfos devem ser mantidos longe dos pequenos;

• Os sacos plásticos representam perigo de sufocamento e devem ser guardados em local seguro;

• Ensine os pequenos a atravessar as ruas e pratique com eles. Não permita que crianças com menos de 10 anos saiam desacompanhadas; • Ensine as crianças a entender e respeitar os sinais de trânsito;

• Muito cuidado com quedas em parques de diversão e/ou playground. Verifique sempre o estado de conservação dos brinquedos e se locais acima de 1,5 metro de altura possuem dispositivos contra quedas eficazes; • Ensine os pequenos empinarem pipas longe dos cabos elétricos;

• Proteja-os com capacetes adequados quando utilizando bicicletas, patins ou skates;

• Muito, muito cuidado com piscinas. Elas exercem fascínio sobre as crianças que somente devem se aproximar delas na presença de adultos. Cubra a piscina com telas especiais para evitar afogamento; Parece muito complicado, mas na verdade não é!

Faça um planejamento e um checklist para não esquecer de nenhum detalhe importante e aborde as questões educativas na medida em que perceba que a criança pode entender e absorver os ensinamentos.

Lembre-se: a prevenção é sempre a melhor opção!

DIALOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA TEMA 6

A pele é o maior órgão do corpo humano. É dividida em duas camadas: uma externa, a epiderme, e outra interna, a derme. Ela protege o corpo contra o calor, a luz e as infecções. Ela é também responsável pela regulação da temperatura do corpo, bem como pela reserva de água, vitamina D e gordura.

Embora o câncer de pele seja o tipo de câncer mais freqüente, com cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil, quando detectado precocemente este tipo de câncer apresenta altos percentuais de cura. As neoplasias cutâneas estão relacionadas a alguns fatores de risco, como o químico, a radiação ionizante, processo irritativo crônico, e principalmente à exposição aos raios ultravioletas do sol. Câncer de pele é mais comum em indivíduos com mais de 40 anos, de pele clara, sendo relativamente raro em crianças e negros, com exceção daqueles que apresentam doenças cutâneas prévias. Os negros normalmente têm câncer de pele nas regiões palmares e plantares.

Como se Proteger

As pessoas que se expõem ao sol de forma prolongada e freqüente, por atividades profissionais e de lazer, constituem o grupo de maior risco de contrair câncer de pele, principalmente aquelas de pele clara.

Sob circunstâncias normais, as crianças se expõem ao sol três vezes mais que os adultos. Pesquisas indicam que a exposição cumulativa e excessiva durante os primeiros 10 a 20 anos de vida aumenta muito o risco de câncer de pele, mostrando ser a infância uma fase particularmente vulnerável aos efeitos nocivos do sol. O clima tropical, a grande quantidade de praias, a idéia de beleza associada ao bronzeamento, principalmente entre os jovens, e o trabalho rural favorecem a exposição excessiva à radiação solar.

Para a prevenção não só do câncer de pele como também das outras lesões provocadas pelos raios UV, é necessário evitar a exposição ao sol sem proteção. É preciso incentivar o uso de chapéus, guarda-sóis, óculos escuros, filtros solares e protetores labiais durante qualquer atividade ao ar livre e evitar a exposição em horários em que os raios ultravioleta são mais intensos, ou seja, das 10 às 16 horas.

Grandes altitudes requerem cuidados extras. A cada 300 metros de altitude, aproximadamente, aumenta em 4% a intensidade da vermelhidão produzida na pele pela luz ultravioleta. A neve, a areia branca e as superfícies pintadas de branco são refletoras dos raios solares. Portanto, nessas condições, os cuidados devem ser redobrados.��� Considerando-se que os danos provocados pelo abuso de exposição solar é cumulativo, é importante que cuidados especiais sejam tomados desde a infância mais precoce.

Filtros Solares – Recomendações

Os filtros solares são preparações para uso tópico que reduzem os efeitos maléficos da radiação ultravioleta. Porém, cuidado! Nem todos os filtros solares oferecem proteção completa para os raios UVB e raios UV-A. Além disso, suprimem os sinais de excesso de exposição ao sol, tais como as queimaduras, o que faz com que as pessoas se exponham excessivamente às radiações que eles não bloqueiam, como a infravermelha. Criam, portanto, uma falsa sensação de segurança e encorajam as pessoas a se exporem ao sol por mais tempo. Devemos, portanto, entender que o uso do filtro solar não tem como objetivo permitir o aumento do tempo de exposição ao sol, nem estimular o bronzeamento. É importante lembrar, também, que o real fator de proteção varia com a espessura da camada de creme aplicada, a freqüência da aplicação, a perspiração (não sei que palavra é essa; não seria transpiração) e a exposição à água. É recomendado que durante a exposição ao sol sejam usados filtros com FPS de 15 ou mais. Também devem ser tomadas precauções na hora de se escolher um filtro solar, no sentido de se procurar os que protegem também contra os raios UV-A. Os filtros solares devem ser aplicados antes da exposição ao sol e reaplicados após nadar, suar e se secar com toalhas.

Importante nos cuidar, e você está se cuidando?

DIALOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA TEMA 7

Falta de exigência dos empresários e de conscientização de alguns mecânicos são os principais fatores que desmotivam o uso dos equipamentos de segurança nas oficinas e, conseqüentemente, para o aumento de acidentes de trabalho. “Prevenir é o melhor remédio”. O dito é popular, porém na hora de ser aplicado, muitas vezes é substituído por "isso jamais vai acontecer comigo" e, é assim que muitos acidentes acontecem. Os mecânicos são bons exemplos dessa realidade, já que lidam com situações de risco o tempo todo. São serviços de funilaria, deslocamento de peças pesadas, pintura, elétrica, desmontagem e montagem de componentes e motores que exigem atenção do profissional e, principalmente, equipamentos de segurança que quase sempre são esquecidos. A desculpa é sempre a mesma: incomoda e atrapalha.

Desde que foi instituída pelo INSS uma adequação do modelo de Perfil Profissiográfico Previdenciário, denominado P, em 01/01/2004, a utilização dos EPI (Equipamento de Proteção Individual) se tornou obrigatória. E as empresas são responsáveis por fornecer os equipamentos adequados gratuitamente aos empregados, orientá-los e treiná-los sobre o uso; além de substituir imediatamente quando danificado ou extraviado; além de comunicar ao Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), responsável pela fiscalização, qualquer irregularidade. Caso contrário, o estabelecimento corre o risco de ser multado. Se por um lado algumas oficinas mecânicas ainda se arriscam em não disponibilizar ou exigir os EPI para os seus funcionários, muitos mecânicos já se mostram conscientes da importância de utilizá-los e falam de experiências negativas que tiveram por não estarem com os equipamentos em mãos.

Alexandre Lopes, 20 anos de idade e há três como auxiliar de mecânico na Mecânica Scopino, afirma que apesar de obrigatório confessa que esquece de utilizar os equipamentos. "Existem casos extremamente necessários como verificar itens embaixo do veículo e lixar peças. Mas em procedimentos rotineiros, atrapalha a execução do serviço. Para mim, lixar a pastilha é uma das ações mais delicadas pois algumas possuem amianto, que quando inalado em grande quantidade pode virar câncer. É o risco da profissão. Por isso, é muito importante nos protegermos da melhor maneira".

Situações em que o uso do EPI é indispensável:

Funilaria: óculos de segurança com proteção lateral completa. Como opção, o mecânico pode utilizar óculos que amplia visão ou protetor facial com visor incolor. Protetores de ouvidos do tipo de inserção (plug) ou tipo de fone. Luvas de lona leve e avental de lona. Lavagem de peças: óculos de ampla visão ou proteção facial. Luvas de PVC Neoprene. Avental impermeável (PVC). Usinagem (máquinas operatrizes): óculos de segurança com proteção lateral completa. Creme de proteção para as mãos, contra óleo de corte e produtos petroquímicos. O uso de luvas em máquinas operatrizes só é permitido para colocação da peça no ponto de fixação para usinagem. Calçados de segurança se houver manuseio de peças pesadas. Pintura (preparo da tinta, aplicação e lavagem de acessórios): luvas de PVC ou Neoprene, máscara semi facial com filtro de carvão ativado. Avental impermeável (PVC), botas impermeáveis (PVC ou borracha). Lavagem de veículos: avental impermeável (PVC) e botas impermeáveis (PVC ou borracha). Oficinas mecânicas ou elétricas: luvas de lona leve ou de fio contínuo. Luvas de PVC ou creme protetor das mãos na lavagem de peças. Óculos de segurança, pode ser de meia proteção nas hastes. Elétrica: máscara para soldador com filtro de luz adequado à intensidade luminosa. Luvas de raspa para soldador. Avental de raspa. Perneira de raspa (opcional em caso de produção de muitas fagulhas). Manuseio de materiais e rejeitos, almoxarifado e outras áreas: luvas de raspa quando o risco for mecânico. Luvas de PVC quando o risco for químico ou biológico. Calçados de segurança, se o manuseio for de objetos pesados e contundentes. Serviços pesados (com risco de queda de peças pesadas nos pés): calçados com segurança, com biqueira de aço Serviços em áreas ruidosas (acima de 85dbA): protetores auriculares como recomendado para a funilaria. Oxiacetilênica: óculos de proteção para soldador com lentes filtro de luz adequadas à intensidade luminosa. Luvas de lona fina. Desmontagem/montagem de motores: óculos de segurança com proteção.

DIALOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA TEMA 8

A Análise Preliminar de Riscos (APR) consiste do estudo, durante a fase de concepção, desenvolvimento de um projeto ou sistema, com a finalidade de se determinar os possíveis riscos que poderão ocorrer na sua fase operacional.

A APR é utilizada para uma análise inicial, desenvolvida na fase de projeto e desenvolvimento de qualquer processo, produto ou sistema, tendo especial importância na investigação de sistemas novos de alta inovação e/ou pouco conhecidos, ou seja, quando a experiência em riscos na sua operação é deficiente. Apesar das características de análise inicial, é muito útil de se utilizar como uma ferramenta de revisão geral de segurança em sistemas já operacionais, revelando aspectos que às vezes passariam despercebidos.

Na NR10 - Norma Regulamentadora que trata dos serviços no SEP - Sistema Elétrico de Potência é prevista a aplicação da APR, quando da execução de Serviços em Eletricidade.

De forma geral, a APR tem importância na medida em que o avaliador se antecipa aos riscos existentes na atividade a ser desenvolvida. Cabe ao profissional normalmente ligado atividade a se exercer de levantar a possibilidade de ocorrer acidentes. Diante deste levantamento técnico, irá elaborar um relatório contendo as medidas preventivas que entender necessárias a proteção do obreiro.

Também serão definidos todo e qualquer exame médico do pessoal envolvido na execução dos trabalhos, bem como os equipamentos de proteção a serem utilizados, ferramentas apropriadas, planejamento de ação em caso de incidentes e também o necessário treinamento para a execução dos serviços.

Em outras NRs, como NR 1, NR 18 eNR 3, cabem também a implementação deste procedimento. A APR não substitui a Permissão de Trabalho de Risco (PTR), que deverá ser feita, também.

E você faz ART sempre em uma nova atividade? ctos dos acidentes e doenças 1

TEMA 9 A IMPORTÂNCIA DO CHECKLIST

Quantas vezes não saímos de casa para o trabalho e só percebemos que esquecemos algo importante quando precisamos dele? Dificilmente nos lembramos de tudo que precisamos comprar no supermercado, por isso é bom que se faça uma lista antes de sair de casa.

E, com esse mesmo intuito, temos o Checklist, uma ferramenta simples, prática, rápida e que dificilmente nos deixará na mão.

Checklist nada mais é do que uma lista de verificação, onde listamos os pontos primordiais, o que não podemos nos esquecer. Utilizando essa ferramenta, temos a garantia de que estamos fazendo uma inspeção criteriosa em um equipamento, por exemplo.

Imagine a revisão o seu carro feita sem um checklist ou a manutenção de um avião sem o Checklist! Você confiaria somente na palavra de que está tudo bem com o equipamento?

Antes de iniciarmos qualquer atividade que envolva máquinas, equipamentos e/ou ferramentas, devemos efetuar a inspeção destes itens, para nos certificamos que estão em perfeito estado para uso, ao fazermos isso através de um checklist, temos a garantia de que não estamos deixando itens importantes sem verificar.

O Checklist pode nos auxiliar tanto no trabalho quanto em nosso dia a dia, podemos utilizá-lo quando vamos fazer uma viagem, evitando esquecer itens dos quais vamos precisar; podemos também criar um checklist de nossas atividades diárias, para que possamos organizar melhor nosso tempo que, nos dias de hoje, anda tão corrido e escasso.

Você faz uma lista com o valor que tem a receber no mês e quanto tem a gastar?

Enfim, essa ferramenta chamada Checklist é de grande utilidade e nos auxilia na realização do nosso trabalho com maior perfeição, por isso é super importante a sua realização, sempre no ínicio da atividade, as empresas que tem o check list nos seus procedimentos com certeza realiza o controle melhor das anomalias apresentadas no equipamento, além do mais se o funcionário não segue o comportamento de um procedimento já criado, com certeza não tem uma cultura de absorver mudanças e nesse caso muitas empresas preferem optar por substituir o funcionário para evitar que o mesmo se acidente ou contamine a equipe com seu gênero antiprevencionista.

Assim chegamos a conclusão que essa ferramenta é uma via dupla, além de colocar o funcionário em uma situação confortável de trabalho também alimenta informações de controle de manutenção preventiva e corretiva do equipamento.

Seu papel é de grande valor e por isso a ferramenta so funciona se você está preparado para ser um diferencial na empresa, queremos que sua visão seja de que antecipar seja a prioridade, pois em um acidente infelizmente não podemos voltar atrás e corrigir o erro.

A Haver hoje precisa melhorar seu processo de checagem? Existe instrumentos apropriados para isso?

Qual é a melhor forma de se chegar a um padrão para que possamos realizar nossa atividade com segurança? A palavra é de vocês.

DIALOGO DIÁRIO DE SEGURANÇA TEMA 10

31 DICAS DE SEGURANÇA NO TRABALHO

1. A distração é um dos maiores fatores de acidentes. Trabalhe com atenção e dificilmente se acidentará. 2. A oficina é lugar de trabalho. As brincadeiras devem ser reservadas para as horas de folga. 3. Seus olhos não se recuperam depois de perdidos. Use óculos protetores sempre que o seu trabalho exigir. 4. A pressa é companheira inseparável dos acidentes. Faça tudo com tempo para trabalhar bem e com segurança. 5. Quando não souber ou tiver dúvida sobre algum serviço, pergunte ao seu encarregado, para prevenir-se contra possíveis acidentes. 6. As suas mãos levam para casa o alimento para sua família. Evite pô-las em lugares perigosos. 7. Não deixe tábuas com pregos espalhadas pela oficina, porque podem ser causa de sérios acidentes. 8. Comunique ao seu chefe toda e qualquer anormalidade ou defeito que notar na máquina ou ferramenta que for utilizar além de descrever em check list e interditar o equipamento. 9. Não improvise ferramentas, procure uma que seja adequada para seu serviço. 10. Lembre-se que você não é o único no serviço e que a vida de seu companheiro é tão preciosa quanto a sua. 1. Utilize em seus trabalhos ferramentas em bom estado de conservação, para prevenir possíveis acidentes. 12. Não fume em lugares onde se guardam explosivos e inflamáveis. 13. Coopere com seus companheiros em benefício da segurança de todos e siga os conselhos de seu chefe ou feitor. 14. O hábito de usar cabelos soltos durante o serviço tem dado causa graves e irreparáveis de acidentes. Use touca protetora quando seu trabalho exigir. 15. Descreve a lei que o seu patrão forneça os equipamentos de proteção que você necessita para o trabalho, mas você também está obrigado a usá-los, para prevenir acidentes e evitar as doenças profissionais. 16. Mostre ao seu novo companheiro os perigos que o cercam no trabalho. 17. Cada acidente é uma lição que deve ser apreciada, para evitar maiores acidentes. 18. Todo o acidente tem uma causa que é preciso ser pesquisada, para evitar a sua repetição. 19. Se você for acidentado, procure logo o socorro médico adequado. Não deixe que "entendidos" e "curiosos" concorram para o agravamento de sua lesão. 20. Se você não é eletricista, não se meta a fazer serviços de eletricidade. 21. Procure o socorro médico imediato, se você for vítima de um acidente, amanhã será tarde demais. 2. As máquinas não respeitam ninguém; mas você deve respeitá-las. 23. Atenda às recomendações de seus mestres e chefes. 24. Conheça sempre as regras de segurança da seção onde você trabalha. 25. Conversa e discuta no trabalho predisposições que evite os acidentes pela desatenção. 26. Leia e reflita sempre os ensinamentos contidos nos cartazes e avisos sobre prevenção de acidentes. 27. Os anéis, pulseiras, gravatas e mangas compridas não fazem parte do seu uniforme de trabalho. 28. Mantenha sempre as guardas protetoras das máquinas nos devidos lugares. 29. Pare a máquina quando tiver que consertá-la ou lubrificá-la. 30. Habitue-se a trabalhar protegido contra os acidentes. Use equipamentos de proteção adequados a seu serviço. 31. Conheça o manejo dos extintores e demais dispositivos de combate ao fogo existentes em seu local de trabalho. Você pode ter necessidade de usá-los algum dia.

(Parte 2 de 5)

Comentários