PROJETOS...FICAÇÕES - 10 introdu??o ao uso do cad em desenho de plantas

PROJETOS...FICAÇÕES - 10 introdu??o ao uso do cad em desenho de plantas

(Parte 1 de 3)

Desenho de plantas arquitetônicas: um exemplo comentado em AutoCAD

Sumário

1.1 Algumas convenções2

1 Introdução 2

2.1 Objetivo3
2.2 Rascunho3
2.3 Iniciando no AutoCAD3

2 Pensando no projeto 3

3.1 Paredes5
3.2 Portas17
3.3 Janelas34
3.4 Piso frio40
3.5 Cotagem54
3.6 Usando blocos76

3 Planta baixa 5

4.1 Cortes7
4.2 Fachadas8
4.3 Planta de situação8
4.4 Finalizando8

4 Desenhos complementares 7 5 Imprimindo 89

A.1 Introdução90
A.2 Pontos de vista90
A.3 Extrusão da planta baixa91
A.4 Enxergando o 3D92
A.5 Velhos comandos com uma cara nova94
A.6 Quebrando parede95
A.7 Noções de UCS98

A Deixando tridimensional 90

B Referência aos comandos utilizados 103

C.1 Noção de escala104
C.2 Hachura não funciona104
C.3 Bug do RECTANGLE104
C.4 Teclado em português104
C.5 Perdido no zoom104
C.6 TRIM não funciona105
C.7 Não encontro o ponto105
C.8 Travou e não tinha gravado105
C.9 Gravação lenta105

C Problemas comuns 104 1

Capítulo 1 Introdução

O propósito desta apostila é de ilustrar um tutorial de utilização do AutoCAD na construção de desenhos de arquitetura, destinado às turmas de engenharia de produção da Universidade Candido Mendes. Serão abordados os tipos básicos de desenhos utilizados, e uma forma simples de executá-los. Obviamente poderão existir outras formas de realizar a mesma tarefa, e optou-se em escolher algumas formas mais intuitivas.

Optou-se em demonstrar o projeto em AutoCAD 2008, mas todos os comandos utilizados são compatíveis desde a versão 2000. Eventuais facilidades que não sejam compatíveis serão comentadas. A forma preferencial de entrada dos comandos é via teclado, mas estes podem ser encontrados em botões e menus. Todos os recursos estão documentados no help do AutoCAD, sugiro que acostume-se a consultá-lo.

1.1 Algumas convenções

Os comandos em teclados são ilustrados em letra tipográfica, especificamente os comandos do AutoCAD são ilustrados em MAIÚSCULAS, eventualmente seguidos pela sua tecla de atalho em parênteses. Teclas especiais são ilustradas, como por exemplo: Enter para a tecla “enter" ou “return”, para

“backspace”, Shift ⇑ para “shift", −−→ para “tab", Ctrl , Alt , Del e Esc são auto-explicativas. Quando for necessário digitar uma série de teclas simultaneamente, será apresentada com um símbolo de "+", por exemplo: Ctrl + Alt + Del , ou Ctrl +Z. Quando for necessário digitar uma série de teclas em sequência, será apresentado com vírgulas, por exemplo: Z, A, Esc .

O tutorial apresentará os comandos a partir de uma série de procedimentos. Caso sinta-se perdido ao longo da execução, pode-se sair do comando com Esc (bata algumas vezes para ter certeza). Caso tenha realizado um passo errado, desfaça usando o recurso de undo ( Ctrl +Z).

Muitos dos comandos apresentados podem ser abreviados. Por exemplo, você pode criar uma linha digitando LINE ou somente L.

Quando falo em “clicar" entende-se em usar o botão esquerdo do mouse. O botão direito chama um menu de comandos, que varia com a versão e com o comando atual. O botão central, quando houver, faz o uso do zoom. Em mouses mais recentes o botão central foi substituído pela roda (wheel). Você pode girá-la (zoom) e clicá-la (fazendo o pan ao arrastar).

Capítulo 2 Pensando no projeto

2.1 Objetivo

Será visto como desenhar um projeto de arquitetura a partir de alguns comandos básicos de AutoCAD. O tutorial será realizado de forma a apresentar o essencial, é claro que existe muitos outros comandos que não serão abordados. De qualquer forma, ao aprender a forma de trabalho do programa, perceber que tudo vem escrito no console e no help, ajuda a compreender todos os outros comandos necessários.

Comece criando o seu projeto a partir de um rascunho. Pense na finalidade do projeto, o que será necessário, aonde estará localizado. Depois, posicione os cômodos, vendo a lógica de interligá-los.

2.2.1 Medindo

Uma trena é a ferramenta ideal para você medir uma construção existente. Mesmo se você estiver criando algo do zero, terá que se basear em algo existente, seja a sua própria casa, ou onde você estuda ou trabalha.

Na falta de uma trena, use você mesmo como instrumento de medida: um passo tem aproximadamente 1 metro de comprimento. Use sua própria altura para imaginar a posição dos elementos. Lembre-se que seus braços abertos (envergadura) é aproximadamente igual a sua altura.

Meça tudo, principalmente para possuir a noção de espaço no seu projeto. Não só as dimensões dos cômodos, mas o tamanho de móveis e espaços. Pense: você quer que caiba uma cama de casal no quarto, qual será o tamanho? Você quer uma banheira? Como? E ainda, espaço em excesso é algo pouco econômico, você pode tornar o seu projeto inviável.

2.3 Iniciando no AutoCAD

Abaixo temos a interface do AutoCAD 2008. Foram retiradas propositalmente as barras de botões, deixando somente a principal. Também foi retirada a linha de comando, no qual relataremos a sequência de comandos à parte.

Desenho de plantas arquitetônicas Prof. Carlos Kleber - carloskleber@gmail.com

Figura 2.1: Janela do AutoCAD 2008

Figura 2.2: Barra de status

A barra de status contém alguns recursos úteis, que na verdade são botões que podem ser ligados e desligados. Verifique se estão ligados os botões POLAR, OSNAP e OTRACK. O recurso DYN1 permite visualizar a entrada dos comandos ao lado do cursor.

2.3.1 Dicas primordiais

Antes de proseguirmos no desenho em si, queria chamar a atenção para três dicas essenciais, que inclusive valem para vários outros aplicativos do Windows.

Salvar (save): grave seu arquivo constantemente. Sempre há uma chance grande de perdê-lo, seja com o computador travando, faltando luz, ou qualquer outro azar. O atalho no AutoCAD é Ctrl +S.

Desfazer (undo): todo programa que se preste permite desfazer o(s) último(s) comando(s). O atalho é Ctrl +Z.

Esc : o botão de pânico, permite sair de qualquer comando. Útil quando estiver perdido dentro de um procedimento.

1disponível a partir do AutoCAD 2006. 4

Capítulo 3 Planta baixa

Nesta etapa inicia-se o projeto pela sua forma mais conhecida. Será abordada a execução de uma planta básica - o desenho pode ser tão complexo quanto se queira! Algumas premissas:

• O desenho será executado com as dimensões em metros. O AutoCAD não tem uma unidade fixa, você pode usar milímetros, polegadas, o que achar mais conveniente. É claro que esta unidade deve estar coerente durante toda a execução do desenho, e ela refletirá na hora de cotar e plotar o desenho.

• Ao longo do tutorial serão informadas as medidas usando vírgula. No AutoCAD em inglês, usa-se o ponto decimal, e obviamente não se digita o símbolo de metro. Logo, quando digo, por exemplo, "1,50 m", deve-se entrar no sistema como "1.50".

3.1 Paredes 1. Comece com uma linha, usando LINE.

(a) L Enter ; (b) Clique no primeiro ponto (em qualquer lugar);

(c) Aponte a direção da reta, SEM clicar (importante estar com o POLAR ligado para obter retas horizontais ou verticais);

Figura 3.1: Desenhando a linha com POLAR ligado

(d) Digite o tamanho da reta, seguido por Enter ; (e) Repita a partir de (c) para desenhar outros segmentos de reta; (f) Finalize com Esc .

2. Seguindo este procedimento, desenhe uma linha horizontal de 15 m e uma linha vertical de 20 m.

3. No AutoCAD 2006 em diante, o comando LINE conta com alguns recursos visuais, que aparecem quando o DYN está habilitado. Pode-se alternar com − − →−−→ para especificar ângulo e distância.

Desenho de plantas arquitetônicas Prof. Carlos Kleber - carloskleber@gmail.com

Figura 3.2: Desenhando linha com DYN ligado

4. Possivelmente o seu desenho pode ficar como na figura 3.3. Basta usar o ZOOM para aproximar-se:

(a) Z Enter ; (b) Clique em um ponto acima e a esquerda do desenho; (c) Clique em um ponto abaixo e a direita do desenho, formando um retângulo em volta do mesmo;

Figura 3.3: Antes do zoom window (d) Logo ao clicar você perceberá a ampliação.

Figura 3.4: Após zoom window

(e) Você também pode usar a “roda" do mouse ou o zoom window. Basta estar com o cursor acima do desenho e girar. Você perceberá ampliar ou reduzir.

Desenho de plantas arquitetônicas Prof. Carlos Kleber - carloskleber@gmail.com

5. Agora podemos completar o nosso retângulo. Poderíamos continuar o procedimento anterior, mas faremos de um modo ligeiramente diferente, para explorar dois recursos muito úteis.

(a) Antes de continuar, certifique-se que os modos OSNAP e OTRACK estão ligados na barra de status. (b) L Enter ;

(c) Aproxime-se da extremidade da última linha desenhada. Você perceberá um quadrado amarelo - este é um dos object snaps, que possibilitam você encontrar pontos notáveis do desenho. Este no caso é uma das extremidades da linha (endpoint);

Figura 3.5: OSNAP - object snap

(d) Clique neste endpoint; (e) Aproxime-se da extremidade inicial, achando outro endpoint;

(f) Desca até ficar na horizontal - você perceberá um pontilhado na vertical, que é o object tracking.

Desta forma a linha ficará alinhada com o endpoint inicial, esta é uma boa forma quando não conhecemos a medida da linha, mas sabemos até aonde ela deve chegar;

Figura 3.6: OTRACK - object tracking

(g) Clique no ponto encontrado pelo object tracking; (h) Clique no ponto inicial (endpoint), fechando o retângulo;

Figura 3.7: Fechando o contorno externo 7

Desenho de plantas arquitetônicas Prof. Carlos Kleber - carloskleber@gmail.com

(i) Caso o POLAR ou o OTRACK estejam desligados, ou você não conseguiu capturar a referência do ponto, acontecerá um erro de ortogonalidade. Pode-se perceber que a linha não está na vertical ou horizontal.

Figura 3.8: Erro de ortogonalidade 6. Nunca é cedo para começar a gravar seu projeto1! Lembre-se do atalho, Ctrl +S, use-o sempre.

Figura 3.9: Salvando...

7. Agora podemos dar espessura às paredes. Começamos com o comando OFFSET:

(a) O Enter ; (b) Digite a distância (neste exemplo, 0,15 m) Enter ; (c) Clique na reta a ser copiada; (d) Clique no lado para o qual cairá a paralela, neste caso faremos para dentro;

Figura 3.10: Apontando o lado para OFFSET

1Mais uma dica forte: procure sempre usar um nome de arquivo razoável. Hoje em dia os nomes de arquivo podem ser longos, não poupe. Imagine você encontrar o arquivo após anos, e não saber do que se trata. Ou então usar uma ferramenta de procura, mas o nome não dar nenhuma pista...

Desenho de plantas arquitetônicas Prof. Carlos Kleber - carloskleber@gmail.com

(e) Neste instante, o recurso OSNAP pode atrapalhar, se estivermos muito próximos de fim de retas, centros, etc; assim, o programa não saberá que lado cairá a reta, e quase sempre será para o lado errado...

Figura 3.1: Evite esbarrar em OSNAPs ao definir o lado do OFFSET

(f) Repita a partir de (c) para todas as retas que usarão o mesmo espaçamento; caso seja uma distância diferente, saia do comando e repita a partir de (a);

Figura 3.12: Após o OFFSET de duas retas

(g) Clique Esc para encerrar o comando. 8. Já podemos acertar o canto "na mão", usando o STRETCH. (a) Não é necessário chamar pelo comando, basta clicar nas duas retas.

Figura 3.13: Antes do STRETCH (b) Arraste os quadrados azuis, até encontrarem-se na interseção.

Figura 3.14: Durante o STRETCH 9

Desenho de plantas arquitetônicas Prof. Carlos Kleber - carloskleber@gmail.com

Figura 3.15: Após o STRETCH

(c) Clique Esc duas vezes para deselecionar;

9. A vantagem de fazer o STRETCH neste instante é que poderemos continuar o OFFSET para as paredes internas, já com as retas certas, evitando trabalho desnecessário2.

(a) Faca um OFFSET da reta vertical de 3 m para dentro, e da reta horizontal de 6 m para dentro; (b) Realize um OFFSET de 0,10 m para definir as paredes internas.

Figura 3.16: Mais alguns OFFSETs, definindo um cômodo de 3 x 6 m.

10. Agora será necessário realizar alguns recortes. Para isso, usaremos o TRIM.

(a) TR Enter ;

(b) Seleciona-se as linhas por onde passará nossa “tesoura" (Como é perguntado na janela de comandos: “select cutting edges...");

Figura 3.17: Indicando por onde passa o corte (cutting edge)

(c) Tecle Enter e podemos selecionar as linhas que serão cortadas;

2Na prática, é mania do usuário em AutoCAD buscar pelo caminho ótimo para realizar o desenho, como executar o menor número de comandos. No uso contínuo do programa, será visto as melhores formas, e como já foi dito, existem muitas maneiras de fazer a mesma coisa...

Desenho de plantas arquitetônicas Prof. Carlos Kleber - carloskleber@gmail.com

Figura 3.18: Antes do corte

Figura 3.19: Após o corte.

(d) É importante aonde for selecionar a linha, pois indica o lado que será excluíd; caso aconteça isto, basta desfazer com Ctrl +Z;

Figura 3.20: Selecionando o lado errado.

Figura 3.21: Após o corte.

1. Neste caso queremos acertar um “T". Logo, o mais correto era fazer o corte pela linha de dentro. As figuras a seguir esclarecerão aonde vamos chegar.

Desenho de plantas arquitetônicas Prof. Carlos Kleber - carloskleber@gmail.com

(a) Primeiro, trabalhe bem de perto, usando o ZOOM. (b) Corte as retas verticais na parte inferior. Observe a linha que realizará o corte;

Figura 3.2: Selecionando o primeiro corte.

Figura 3.23: Cortando as linhas verticais.

Figura 3.24: Após cortar as linhas verticais.

(c) Saia do TRIM com Esc ; (d) Realize outro TRIM, agora escolhendo como corte as duas retas verticais que acabou de cortar;

Figura 3.25: Selecionando o segundo corte. (e) Corte a parte do meio da reta horizontal;

Desenho de plantas arquitetônicas Prof. Carlos Kleber - carloskleber@gmail.com

Figura 3.26: Cortando a parte do meio. (f) Saia do comando com Esc .

Figura 3.27: O “T" finalizado.

12. Um ZOOM para fora (clicando duas vezes na roda do mouse, ou digitando Z Enter E Enter ) mostra o resto do desenho. Acerte todos os outros “T"s que encontrar.

Figura 3.28: O “T" finalizado.

Antes de continuar, mostrarei a seguir dois recursos interessantes, que serão úteis ao longo deste tutorial.

3.1.1 Usando layers

Layers (camadas) é uma forma de organizar o desenho. Conforme o nome, imagine que seu projeto é dividido em "camadas", como em um papel transparente, no qual vamos sobrepondo. Conforme a necessidade, podemos “guardar" algumas camadas para manipular somente o necessário.

Em nosso exemplo vamos dividir o projeto em grupos, como paredes, portas e janelas. Podemos acessar os layers no combobox3 ilustrado na figura 3.29. Por enquanto, só existe um layer definido.

3Componente do Windows no qual, ao clicá-lo, mostra uma lista de opções.

Desenho de plantas arquitetônicas Prof. Carlos Kleber - carloskleber@gmail.com

1. No lado esquerdo deste combobox, temos o botão de configuração dos layers, chamado layer properties; clique nele;

Figura 3.29: Layer properties. 2. Um diálogo abrirá, revelando uma lista de layers;

Figura 3.30: Dialogo de layers. 3. Podemos criar um novo layer clicando no primeiro botão a esquerda, na figura 3.31;

(Parte 1 de 3)

Comentários