PROJETOS DE ... EDIFICAÇÕES - 03 desenho tecnico aplicado ? arquitetura

PROJETOS DE ... EDIFICAÇÕES - 03 desenho tecnico aplicado ? arquitetura

(Parte 1 de 2)

DefiniçãodeDesenhoTécnicoDefinição de Desenho Técnico

Fdãáfitfilidd•Forma de expressão gráfica que tem por finalidade a representação de forma, dimensão e posição de objetos de acordo com as diferentes necessidades re queridas q pelas diversas modalidades de engenharia e também da arquitetura.

•Utiliza-se de um conjunto constituído por linhas, númerossímboloseindicaçõesescritasnormalizadasnúmeros, símbolos e indicações escritas normalizadas internacionalmente

•Linguagem gráfica universal da engenharia e da arquitetura.

Visão EspacialVisão Espacial princípio todos têm, dá a capacidade de p,p percepção mental das formas espaciais.

espacial significa ter o sentimento da formaespacialsemestarvendooobjeto.forma espacial sem estar vendo o objeto.

O Desenho Técnico e a

Engenharia

Tdddlitiã•Todo o processo de desenvolvimento e criação dentro da engenharia está intimamente ligado à expressãográfica.expressão gráfica.

• OdesenhotécnicoO desenho técnico

–representa o que deve ser executado ou construído.

–aprese em gráficos e diagramas que mostram os ltddtdfitresultados dos estudos feitos.

–apresenta soluções gráficas que podem substituir cálculos com plicados.p

–desenvolve o raciocínio, o senso de rigor geométrico, o espírito de iniciativa e de organização.

TiposdeDesenhoTécnicoTipos de Desenho Técnico

•Desenho projetivo –são os desenhos resultantes de projeções do objeto em um ou mais planos de projeção e correspondem às vistas ortográficas e às perspectivas.

•Desenhonão-projetivo–namaioriadoscasosDesenho nãoprojetivo na maioria dos casos corresponde a desenhos resultantes dos cálculosalgébricosecompreendemoscálculos algébricos e compreendem os desenhos de gráficos, diagramas etc..

TiposdeDesenhoTécnicoTipos de Desenho Técnico

Odhjtidit•Os desenhos projetivos compreendem a maior parte dos desenhos feitos nas indústrias

– Desenho MecânicoDesenho Mecânico –Desenho de Máquinas

–Desenho de Estruturas Dh A ittôi– Desen ho Arqu itetô nico – Desenho Elétrico/Eletrônico

–Desenho de Tubulaçõesç

•Os desenhos não-projetivos são utilizados para tãddifdáfirepresentação das diversas formas de gráficos, diagramas, esquemas, ábacos, fluxogramas, organogramas etc..g

Formas de Elaboração e Apresentação do Desenho Técnico

•Atualmente, na maioria dos casos, os desenhos são elaborados por computadores, pois existem vários softwares que facilitam a elaboração e apresentação de desenhos técnicos.

•Osdesenhosdefinitivossãocompletos,Os desenhos definitivos são completos, elaborados de acordo com a normalização envolvida,econtêmtodasasinformaçõesenvolvida, e contêm todas as informações necessárias à execução do projeto.

A Padronização dos Desenhos Técnicos uma lin guagem gráfica foi necessário g padronizar seus procedimentos de representação gráficarepresentação gráfica .

•Essa padronização é feita por meio de normastécnicasseguidaserespeitadasnormas técnicas seguidas e respeitadas internacionalmente.

A Padronização dos Desenhos Técnicos

•As normas técnicas que regulam o desenho técnico são normas

–editadas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas)

–registradas pelo INMETRO (Instituto Nacional de

Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial) comonormasbrasileirasNBRecomo normas brasileiras -NBR e

–estão em consonância com as normas internacionais aprovadaspelaISO(InternationalOrganizationforaprovadas pela ISO (International Organization for Standardization ).

NormasdaABNTNormas da ABNT

•NBR10647DESENHOTÉCNICONORMAGERAL•NBR 10647 –DESENHO TÉCNICO –NORMA GERAL •NBR 10068 –FOLHA DE DESENHO LAY-OUT E DIMENSÕES

•NBR 10582 –APRESENTAÇÃO DA FOLHA PARA DESENHO TÉCNICO

•NBR 13142 –DESENHO TÉCNICO –DOBRAMENTO DE CÓPIAS

•NBR 8402 –EXECUÇÃO DE CARACTERES PARA ESCRITA EM DESENHOS TÉCNICOS

•NBR 8403 –APLICAÇÃO DE LINHAS EM DESENHOS –TIPOS DE LINHAS – LARGURAS DAS LINHAS

•NBR10067 –PRINCÍPIOS GERAIS DE REPRESENTAÇÃO EM DESENHO TÉCNICO

•NBR 8196 –DESENHO TÉCNICO –EMPREGO DE ESCALAS

• NBR12298–REPRESENTAÇÃODEÁREADECORTEPORMEIODENBR 12298 REPRESENTAÇÃO DE ÁREA DE CORTE POR MEIO DE

•NBR10126 –COTAGEM EM DESENHO TÉCNICO

•NBR8404 –INDICAÇÃO DO ESTADO DE SUPERFÍCIE EM DESENHOS TÉCNICOSTÉCNICOS

•NBR 6158 –SISTEMA DE TOLERÂNCIAS E AJUSTES

•NBR 8993 –REPRESENTAÇÃO CONVENCIONAL DE PARTES ROSCADAS EM DESENHO TÉCNICO

DefiniçãodeProjeçãoOrtogonalDefinição de Projeção Ortogonal de qualquer objeto ou figura será feita por qqjgp sua projeção sobre um plano.

Desenho resultante da projeção de uma forma retangular sobre um planodeprojeçãoplano de projeção.

Os raios projetantes tangenciam o retânguloeatingemoplanoderetângulo e atingem o plano de projeção formando a projeção resultante.

DefiniçãodeProjeçãoOrtogonalDefinição de Projeção Ortogonal de projeção, são paralelose perpendiculares, a projeção resultante representa a forma e a verdadeira grandezado retângulo projetado.

•EstetipodeprojeçãoédenominadoProjeçãoEste tipo de projeção é denominado Projeção

Ortogonal(do grego ortho= reto + gonal= ângulo),poisosraiosprojetantessãoângulo), pois os raios projetantes são perpendiculares ao plano de projeção.

DefiniçãodeProjeçãoOrtogonalDefinição de Projeção Ortogonal DefiniçãodeProjeçãoOrtogonalDefinição de Projeção Ortogonal

Como Utilizar as Projeções

Ortogonais

•Como os sólidos são constituídos de várias superfícies, as projeções ortogonais são utilizadas para representar asformastridimensionaisatravésdefigurasplanasas formas tridimensionais através de figuras planas.

Aplicação das projeções ortogonais na representaçãodassuperfíciesquerepresentação das superfícies que compõem, respectivamente, um cilindro, um paralelepípedo e um prisma de base triangular .triangular .

Como Utilizar as Projeções

Ortogonais

•Para fazer aparecer a terceira dimensão é necessário fazer uma segunda projeção ortogonal olhando os sólidosporoutroladosólidos por outro lado.

Como Utilizar as Projeções Ortogonais entendimento da forma es pacial de cada p um dos sólidos representados.

Como Utilizar as Projeções

Ortogonais

Ditdttêdiõdbjtãt•Duas vistas, apesar de representarem as três dimensões do objeto, não garantem a representação da forma da peça.

•A representação das formas espaciais é resolvida com a utilização de uma terceira projeçãoprojeção .

Três vistas da peça por lados diferentes

Como Utilizar as Projeções

Ortogonais

•Para que o desenho resultante se transforme em uma linguagem gráfica, os planos de projeção horizontal e lateral têm os sentidos de rebatimento convencionados, e sempre se rebatem sobre o plano vertical.

Mantendoosentidodosrebatimentosdosplanoshorizontalelateral•Mantendo o sentido dos rebatimentos dos planos horizontal e lateral resultará sempre nas mesmas posições relativas entre as vistas.

•O lado da peça que for projetado no plano verticalsempre será considerado como sendo a frenteda peça.

•Oladosuperiordapeçasempreserárepresentadoabaixodavista•O lado superiorda peça sempre será representado abaixo da vista de frente

•O lado esquerdoda peça aparecerá desenhado à direita da vista de frente.

Como Utilizar as Projeções Ortogonais

Vista frontal

É importante considerar que cada vistarepresenta a peça sendo observada de uma determinada posição.

Representação de Arestas Ocultas tridimensionais , por meio de projeções ,ppjç ortogonais, é feita por vistas tomadas por ladosdiferentesdependendodaformalados diferentes, dependendo da forma espacial do objeto, algumas de suas superfíciespoderãoficarocultasemsuperfícies poderão ficar ocultas em relação ao sentido de observação.

Representação de Arestas

Ocultas

Aãldididd•Arestas que estão ocultas em um determinado sentido de observação são representadas por linhas tracejadas.

AslinhastracejadassãoconstituídasdepequenosAs linhas tracejadas são constituídas de pequenos traços de comprimento uniforme, espaçados de um terço de seu comprimento e levemente mais finas que as linhas cheias.

Representação de Arestas

Ocultas

•Deve-se procurar evitar o aparecimento de linhas tracejadas

Alihtjdditditd•As linhas tracejadas podem ser evitadas invertendo-se a posição da peça em relação aos planos de projeção (mudaraposiçãodavistadefrente)(mudar a posição da vista de frente).

Elaboração de Esboços

Éitittdlhbiliddd•É muito importante desenvolver a habilidade de desenhar à mão livre.

•A elaboração de esboços, além favorecer a áliáfidjõtijdanálise gráfica das projeções ortogonais, ajuda a desenvolver o sentido de proporcionalidade.

•PORÉM, atualmente pode-se realizar esboços filiddftddlcom facilidade em um software de modelagem pelo profissional treinado.

Representação de Superfícies

Inclinadas

Aãdfíiilidddiidid•A representação de superfícies inclinadas pode ser dividida em dois casos distintos:

1. Quando a superfície é perpendicular a um dos planos de Qpppp projeção e inclinada em relação aos outros planos de projeção.

Representação de Superfícies

Inclinadas

Aãdfíiilidddiidid•A representação de superfícies inclinadas pode ser dividida em dois casos distintos:

2. Su perfície Inclinada em Relação aos Três Planos de Projeçãopçjç

Representação de Superfícies Inclinadas

Pode-se observar que o paralelismo existente entre as arestas representadas pelos segmentos de retas [(1,2) ; (3,4)] e [(1,5);(2,3)] são mantidos nas três projeções.pj ç

Representação de Superfícies

Curvas

•No plano paralelo à superfície, a projeção resultante mantém a forma e a verdadeira grandeza do círculo, enquantonosoutrosdoisplanosaprojeçãoresultanteéenquanto nos outros dois planos a projeção resultante é um segmento de reta, cujo comprimento corresponde ao diâmetro do círculo.

Representação de Superfícies

Curvas

•Se a superfície circular não possuir paralelismo com nenhum dos três planos de projeção, mas for perpendicularemrelaçãoaumdelesasprojeçõesperpendicular em relação a um deles, as projeções resultantes terão dimensões em função do ângulo de inclinação da superfície.çp

Representação de Superfícies Curvas

Representação de Superfícies Curvas

•A forma cilíndrica é muito comum de ser encontrada como furos.

Representação de Superfícies Curvas

•Linhas de Centro

–Nos desenhos em que aparecem as qp superfícies curvas é utilizado um novo tipo de linha , composta de traços e pontos que é ,pçpq denominada linha de centro.

–IndicamoseixosemcorposderotaçãoIndicam os eixos em corpos de rotação.

Representação de Superfícies Curvas

•Linhas de Centro

–São representadas por traços finos ppç separados por pontos (o comprimento do tra ço da linha de centro deve ser de três a ç quatro vezes maior que o traço da linha trace jada ).j) localizaçãodefurosrasgoseparteslocalização de furos, rasgos e partes cilíndricas existentes nas peças.

Representação de Superfícies Curvas

Representação de Arestas

Coincidentes

•Quando na tomada de vista, em um determinado sentido de observação, ocorrer a sobreposição de arestas (superfíciescoincidentes)representaseaquelaque(superfícies coincidentes), representa-se aquela que está mais próxima do observador.

Alihhil•A linha cheiaprevalece sobre a linha tracejada.

•Aslinhasque•As linhas que representam arestas (linha cheia ou linha tracejada) prevalecemsobreasprevalecem sobre as linhas auxiliares (linha de centro ).

Ângulos DiedrosÂngulos Diedros prolongados além de suas interseções dividiremos o espaço em quatro ângulos diedros (que tem duas faces).

•OsquatrosângulossãonumeradosnosentidoOs quatros ângulos são numerados no sentido anti-horário, e denominados 1º, 2º, 3º, e 4º Diedros.Diedros.

Ângulos DiedrosÂngulos Diedros Ângulos DiedrosÂngulos Diedros

Ângulos DiedrosÂngulos Diedros

UtilizandoosprincípiosdaGeometriaDescritiva[Gaspar•Utilizando os princípios da Geometria Descritiva [Gaspar

Monge], pode-se, mediante figuras planas, representar formas espaciais utilizando os rebatimentos de qualquer dtdidum dos quatro diedros.

•AsnormasdeDesenhoTécnicofixaramautilizaçãodasAs normas de Desenho Técnico fixaram a utilização das projeções ortogonais somente pelos 1º e 3º diedros, criando pelas normas internacionais dois sistemas para representação de peças:representação de peças:

–sistema de projeções ortogonais pelo 1º diedro –sistema de projeções ortogonais pelo 3º diedro

•No Brasil é mais utilizado o 1º diedro, porém, nas indústrias oriundas dos USA, da Inglaterra e do Japão, ºpoderão aparecer desenhos representados no 3º diedro.

Projeções Ortogonais pelo 1º Diedro

Projeções Ortogonais pelo 1º Diedro observador pode vê-lo por seis direções diferentes, obtendo seis vistasda peça.

obtidasemplanosperpendicularesentresieobtidas em planos perpendiculares entre si e paralelos dois a dois, formando uma caixa.

Projeções Ortogonais pelo 1º Diedro

•Plano 1 –Vista de Frente ou Elevação –mostra a projeção frontal do objeto.

•Plano 2 –Vista Superior ou Planta –mostra a projeção do objeto visto por cima.ppjçjp

•Plano 3 –Vista Lateral Esquerda ou Perfil –mostra o objeto visto pelo lado esquerdo.

•Plano 4 –Vista Lateral Direita –mostra o objeto visto pelo lado direito.

•Plano 5 –Vista Inferior –mostra o objeto sendo visto pelo lado de baixo.

•Plano 6 –Vista Posterior –mostra o objeto sendo visto por trás.

Projeções Ortogonais pelo 1º Diedro diedro mantêm ,em relação à vista de ,ç frente, as seguintes posições:

avistadecimaficaembaixo;–a vista de cima fica em baixo; –a vista de baixo fica em cima;

–a vista da esquerda fica à direita;

–a vista da direita fica à esquerda.q

Projeções Ortogonais pelo 1º

Diedro

•Observe que não são colocados os nomes das vistas, bem como não aparecem as linhas de limite dosplanosdeprojeçõesdos planos de projeções.

Projeções Ortogonais pelo 1º Diedro

É•É importante olhar para o desenho sabendo que as vistas, apesar de serem desenhos bidimensionais, representam o mesmo objeto visto por diversas posições.

•PartindodaposiçãodefinidapelavistadefrentePartindo da posição definida pela vista de frente e sabendo a disposição final convencionada paraasoutrasvistas,épossívelentenderospara as outras vistas, é possível entender os tombos (rebatimentos) efetuados no objeto.

Projeções Ortogonais pelo 1º Diedro

EscolhadasVistasEscolha das Vistas

•Na maioria dos casos, o conjunto formado pelas vistas de frente, vista superiore uma das vistas lateraisé suficiente para representar, com perfeição, o objeto desenhado.

No 1º diedro é mais difundido o uso da vista lateral esquerda, resultando no conjuntopreferencialcompostopelasconjunto preferencial composto pelas vistas de frente, superiore lateral esquerda, que também são chamadas, res pectivamente, de elevação, plantae p,ç,p perfil

EscolhadasVistasEscolha das Vistas

Napráticadevidoàsimplicidadedeformadamaioria•Na prática, devido à simplicidade de forma da maioria das peças que compõem as máquinas e equipamentos, são utilizadas somente duas vistas.

•Em alguns casos, com auxílio de símbolos convencionaisépossíveldefiniraformadapeçaconvencionais, é possível definir a forma da peça desenhada com uma única vista.

Niúdiilid•Não importa o número de vistas utilizadas, o que importa é que o desenho fique claroe objetivo.

•O desenho de qualquer peça, em hipótese alguma, pode dar margem a dupla interpretação.

EscolhadasVistasEscolha das Vistas

Otdtiddtiit•O ponto de partida para determinar as vistas necessárias é escolher o lado da peça que será considerado como frente.

–Normalmente, considerando a peça em sua posição de trabalho dilíbitftldlhdfiou de equilíbrio, toma-se como frente o lado que melhor define a forma da peça.

(Parte 1 de 2)

Comentários