Reino protoctista

Reino protoctista

REINO PROTOCTISTA

Prof. João Luiz

Figure 28.8 Protists within Protists

Figure 28.4 An Amoeba

Figure 28.12 A Parasitic Kinetoplastid

Leishmaniose

Amebíase

Giardíase

agente etiológico

Giárdia lamblia (protozoário do filo Mastigophora ou Flagellata).

formas evolutivas

Trofozoito: ou Forma Vegetativa: forma que manifesta atividades vitais. Está presente nos órgãos parasitados do hospedeiro e na água, quando esta oferece condições ideais de vida ao parasita.

  •  Cisto: forma de vida latente, capaz de resistir às condições adversas à vida. Encontrada em fezes diarréicas e fora do hospedeiro.

hospedeiro definitivo

  • Homem 

modo de infecção

  • Ingestão de água ou alimentos contaminados com cistos do parasita.

órgão parasitado

  • Intestino delgado.

medidas profiláticas

  • Saneamento básico, através da construção rede de água e de esgoto e tratados.

  • Higiene pessoal, uso de instalações sanitárias adequadas e educação da população.

  • Lavagem dos alimentos e ingestão de água fervida e filtrada.

  • tratamento dos doentes

  • AGENTE ETIOLÓGICO

  • Trypanossoma cruzi ( protozoário da classe Mastigophora ou Flagellata)

  • HOSPEDEIRO DEFINITIVO

  • Homem

  • HOSPEDEIRO INTERMEDIÁRIO

  • Triatoma infestans

  • Rhodinus prolixus

  • Panstrongylus megistus

  • VETOR

  • “Barbeiro”

  • RESERVATÓRIO NATURAL

  • Homem

  • Animais domésticos (cães e gatos)

  • Animais silvestres (tatu, gambá e macacos)

  • FORMA INFECTANTE

  • Tripomastigota metacíclico (presente nas fezes do barbeiro contaminado)

  • MODO DE INFECÇÃO

  • 1-PASSIVA:- por contaminação com as fezes do barbeiro que contenham a forma infectante do parasita através de lesões abertas pela coçagem próxima ao local da picada;

  • - através de transfusão de sangue

  • - via placentária

  • 2-ATIVA:- pela penetração da forma infectante através das mucosas (especialmente do olho)

  • ÓRGÃOS PARASITADOS

  • Musculatura estriada cardíaca e esquelética, musculatura lisa do esôfago e intestino e no sistema nervoso (central e periférico).

  • Formas tripomastigotas podem ser encontradas no líquor, nos espaços intersticiais, no leite, no esperma, etc., mas seu hábitat normal é a corrente circulatória, onde permanece nadando no plasma enquanto não invade novas células.

  • MEDIDAS PROFILÁTICAS

  • 1.Destruição do inseto transmissor através do uso de inseticidas ou de combate biológico.

  • 2.Melhoria das condições de habitação (substituição das casas de pau a pique por casas de alvenaria.

  • 3.Uso de mosquiteiro nas regiões onde a doença incide.

  • 4.Controle nos bancos de sangue.

  • OUTROS NOMES DA DOENÇA

  • Maleita, Impaludismo, Febre palustre

  • AGENTE ETIOLÓGICO

  • Plasmódium vivax

  • Plasmodium falciparum

  • Plasmódium ovale

  • Plasmodium malarie

  • OUTROS NOMES DA DOENÇA

  • Maleita, Impaludismo, Febre palustre

  • AGENTE ETIOLÓGICO

  • Plasmódium vivax

  • Plasmodium falciparum

  • Plasmódium ovale

  • Plasmodium malarie

  • FORMAS CLÍNICAS

  • Terçã benigna Acessos febris a cada 48 horas Plasmódium vivax

  • Terçã maligna Acessos febris irregulares Plasmodium falciparum

  • Quartã Acessos febris a cada 4 dias Plasmódium malariae

  • Terçã benígna Acessos febris a cada 48 horas Plasmodim ovale

  • HOSPEDEIRO DEFINITIVO

  • Anopheles sp (“mosquito prego”)

  • HOSPEDEIRO INTERMEDIÁRIO

  • Homem

  • VETOR

  • Anopheles sp (“mosquito prego”)

  • A principal espécie vetora no Brasil é o Anopheles darlingi.

  • RESERVATÓRIO NATURAL

  • Homem, macacos e outros mamíferos silvestres

  • FORMA INFECTANTE

  • Esporozoítos metacíclicos (presentes nas glândulas salivares do mosquito)

  • MODO DE INFECÇÃO:

  • PASSIVA:- por inoculação, através da picada do mosquito.

  • - através de transfusão de sangue.

  • - transplacentária, durante o parto.

  • ÓRGÃOS PARASITADOS

  • FÍGADO – Os esporozoítos que por aí passam penetram nos hepatócitos onde sofrem esquizogonia (divisão múltipla), resultando na formação de merozoítos que irão romper o hepatócito. Parte destes merozoítos irá penetrar em outros hepatócitos repetindo o “ciclo exoeritrocítico”; outros irão penetrar em hemácias, onde se realizará o “ciclo eritrocítico”.

  • SANGUE – Ao penetrar nas hemácias os merozoítos passam a ser chamados de trofozoítos. No interior dessas células voltam a sofrer esquizogonia, originando novos merozoítos, que levam ao rompimento das hemácias e liberação destes juntamente com os produtos resultantes da degradação da hemoglobina. Os merozoítos livres irão infectar novas hemácias repetindo o ciclo.

  • MEDIDAS PROFILÁTICAS

  • 1.Eliminação do inseto transmissor através do uso de inseticidas ou de combate biológico.

  • 2.Destruição dos criadouros do mosquito vetor (coleções de água parada onde a larva se desenvolve).

  • 3.Uso de mosquiteiro e de repelentes nas regiões onde a doença incide.

  • 4.Controle nos bancos de sangue.

  • 5.Vacinação das pessoas que migram para regiões onde a doença é endêmica.

  • 6.Tratamento dos indivíduos portadores da doença, com o uso de “quinino”, droga bem tolerada pelo organismo humano e que pode matar o protozoário.

Euglenofícea

Diatomito

Rocha formada pelo depósito das carapaças de diatomáceas

Produtos fabricados com o diatomito

Pasta de dentes  abrasivo para a remoção de biofilme dental da superfície do esmalte

Produtos fabricados com o diatomito

Dinamite

Produtos fabricados com o diatomito

Tijolo

Algas vermelhas pluricelulares

  • Algas vermelhas pluricelulares

  • Clorofilas A e D, ficocianina (azul) e ficoeritrina (vermelho)

  • Reserva de AMIDO DAS FLORÍDEAS

  • Maioria marinhas

  • Algumas espécies comestíveis  Culinária Japonesa

  • Delas são retirados :

  • ÁGAR, substância gelatinosa utilizada para como :

    • Meio de cultura para bactérias e fungos
    • Laxantes

CARRAGIN, usada como espessante nos sorvetes

Ágar

Retirado de algas vermelhas do grupo das Rodófitas

Ágar

Balas de Gelatina a base de ágar

Ágar

Placas de Petri com ágar para a cultura de bactérias e fungos

Sushi

Prato típico japonês a base de arroz recheado com peixe cru e envolto por algas marinhas

Alginato

Comentários