agregados minerais propiedades aplicabilidade ocorrencias

agregados minerais propiedades aplicabilidade ocorrencias

(Parte 2 de 2)

Nos lastros de vias férreas, a brita é usada em tamanhos progressivos de baixo para cima, sobre o solo.

As funções dos lastros são: suportar os dormentes, resistindo aos movimentos horizontais devido à ação o tráfego e às mudanças de temperatura nos trilhos; distribuir as cargas, reduzindo a intensidade da pressão sobre o leito da ferrovia; constituir um meio de drenagem da água sob os dormentes; constituir um meio próprio para o aplainamento da pista; permitir que os trilhos se movam verticalmente sob as cargas repentinas aplicadas; reduzir os efeitos destrutivos do impacto; retardar ou evitar o crescimento de vegetação.

A brita é usada nos pavimentos das estradas, na base, no macadame hidráulico, no revestimento betuminoso e de concreto de cimento.

As funções do pavimento são: suportar e distribuir a carga do tráfego, transferindo-a às camadas inferiores; proteger o subleito da ação dos agentes intempéricos, principalmente da ação mecânica da água.

OBSERVAÇÃO 1: Os lastros de vias férreas e pavimentos de estradas, especialmente os sem ligantes, são solicitados: a) pelas forças mecânicas de compressão, impacto, atrito; b) pela ação da intempérie, principalmente umedecimento e secagem, e variação da temperatura. Nos pavimentos asfálticos ou de concreto essas solicitações ficam atenuadas.

As propriedades que a rocha com a qual se produziu a brita deve ter: a) resistência à compressão, b) ao impacto, c) ao desgaste, d) resistência ao intemperismo.

OBSERVAÇÃO 2: Sobre lastro de ferrovias recomenda-se consultar a NBR-5564/7. USO EM FILTROS

Os filtros normalmente são construídos com areia limpa, alguns apresentam areia(**), pedrisco e brita. Tem a função de permitir a passagem da água e impedir a passagem de partículas finas do solo. É também usada nos chamados filtros "sandwich", ou seja, uma seqüência de areia, pedrisco, brita, pedrisco, areia. Pelas suas funções, o filtro normalmente está na parte interna de uma obra e portanto fica mais protegido do intemperismo.

O material do filtro é solicitado por: a) atrito, abrasão e impacto, na fase de execução, e à compressão, conforme a sua posição num enrocamento ou aterro maior; b) possíveis reações químicas. Com águas naturais, pode haver dissolução se a rocha usada for calcário, mármore, gipsita ou outra sedimentar com cimento de carbonato ou de gipsita. Poderá haver intemperização se este filtro ficar exposto ao tempo e não saturado.

As propriedades exigidas da rocha são: resistência à compressão (dependendo da posição do filtro), resistência à abrasão (de pouca importância), insolubilidade. Os ensaios recomendados são: análise petrográfica; resistência à compressão e à abrasão, dependendo da posição.

São poucas, e não muito conhecidas, as especificações que regem os agregados utilizados na confecção de filtros. A American Water Works Association apresenta especificações bastante rígidas e criteriosas para agregados a serem utilizados em filtros de barragens para abastecimento de água. Tais especificações são, às vezes, adotadas no Brasil.

(*) Brita = material proveniente do britamento de rochas, com dimensões entre 4,8 e 100mm.

(**) Areia = material natural com dimensões que variam entre 0,075 e 2,0 m, classificada como grossa se maior que 1,2 m, média se ficar entre este valor e 0,42 m, fina se for menor que este último valor. A norma reguladora é a ABNT - NBR 6502.

Referência: ALECRIM, José Duarte (1982). Recursos minerais do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: METAMIG. CHIOSSI, Nivaldo José (1979). Geologia aplicada à Engenharia; 2ª ed.; 1979; págs. 103 – 110. MACIEL FO. C. L. (1994) Introdução à Geologia de Engenharia. Ed. da UFSM, Brasília,CPRM, p69-70. OLIVEIRA, A. M. S.; BRITO, S. N. A. (2002). Geologia de Engenharia, 1ª ed., 3ª reimpressão. São Paulo, p. 331. http://www.dnpm.gov.br/portal/assets/galeriaDocumento/BalancoMineral2001/agregados.pdf

O cascalho é destinado para setor da construção civil em aplicações na fabricação de concreto, revestimento de leito de estradas de terra, concreto ciclópico, ornamentação de jardins, etc.

Referência: ALECRIM, José Duarte (1982). Recursos minerais do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: METAMIG. CHIOSSI, Nivaldo José (1979). Geologia aplicada à Engenharia; 2ª ed.; 1979; págs. 103 – 110. OLIVEIRA, A. M. S. e Brito, S. N. A (2002). Geologia de Engenharia, 1ª ed., 3ª reimpressão. São Paulo, p. 331. http://www.dnpm.gov.br/portal/assets/galeriaDocumento/BalancoMineral2001/agregados.pdf

3. OCORRÊNCIAS DOS AGREGADOS AREIA Em toda a crosta terrestre por derivar de diversos materiais ocorrentes na natureza (solo e rocha). DESCRIÇÃO DAS OCORRÊNCIAS

Depósitos naturais de arenitos inconsolidados, aluviões (antigos ou atuais), depósitos residuais, solos de alteração, dunas (não apresenta boa qualidade como material para construção civil), praias, desertos e em locais de intemperismo de rochas ricas em quartzo, que não sofrem transporte, formando os chamados “areões”. Estes são muito comuns nas zonas de chapadas.

Referências ALECRIM, José Duarte (2002). Recursos minerais do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: METAMIG. CHIOSSI, Nivaldo José (1979). Geologia aplicada à Engenharia; 2ª ed.; págs. 103 – 110. OLIVEIRA, A. M. S.; BRITO, S. N. A (2002). Geologia de Engenharia, 1ª ed., 3ª reimpressão, São Paulo. Pág. 331. http://www.dnpm.gov.br/portal/assets/galeriaDocumento/BalancoMineral2001/agregados.pdf

Considerada um agregado artificial, as britas são materiais que são extraídos em forma de blocos de rocha e precisam passar por processos de fragmentação, podendo ser considerada a brita propriamente dita ou, ainda, areia britada, de granulometria mais fina.

Como agregados artificiais podem ser produzidas em qualquer lugar da crosta terrestre onde haja uma fonte. A extração destes materiais em sua área fonte (pedreira, depósito sedimentar) depende basicamente de três fatores: a qualidade do material, o volume de material útil e o transporte, ou seja, a localização geográfica da jazida.

Referências: ALECRIM, José Duarte (1982). Recursos minerais do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: METAMIG. CHIOSSI, Nivaldo José (1979). Geologia aplicada à Engenharia; 2ª ed.; 1979; págs. 103 – 110. OLIVEIRA, A. M. S.; BRITO, S. N. A. (2002). Geologia de Engenharia, 1ª ed., 3ª reimpressão. São Paulo, p. 331. http://www.dnpm.gov.br/portal/assets/galeriaDocumento/BalancoMineral2001/agregados.pdf

CASCALHO Ocorrência natural em toda a crosta terrestre. DESCRIÇÃO DAS OCORRÊNCIAS

É encontrado principalmente em barras de rios, e às vezes em camadas de rochas sedimentares com baixa coesão, intemperização de rochas cristalinas, ou resultante do beneficiamento da areia.

Referência: ALECRIM, José Duarte (1982). Recursos minerais do Estado de Minas Gerais. Belo Horizonte: METAMIG. CHIOSSI, Nivaldo José (1979). Geologia aplicada à Engenharia; 2ª ed.; 1979; págs. 103 – 110. OLIVEIRA, A. M. S. e Brito, S. N. A (2002). Geologia de Engenharia, 1ª ed., 3ª reimpressão. São Paulo, p. 331. http://www.dnpm.gov.br/portal/assets/galeriaDocumento/BalancoMineral2001/agregados.pdf

(Parte 2 de 2)

Comentários